Pedro i

1.180 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.180
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pedro i

  1. 1. Trabalho de História <br />D. Pedro I<br />Carla Silva nº23<br />Escola Básica e Secúndaria Dr. Ângelo Augusto da Silva<br />
  2. 2. D.Pedro I<br />Introdução<br />Neste trabalho, refiro alguns pormenores do seu romance , da sua vida privada, e outras informações que acho importantes.Introduzi a história de D.Pedro e D. Inês de Castro e também a sua subida ao trono e tomada de decisões.<br />
  3. 3. D. Pedro e D. Inês de Castro<br />
  4. 4. A vida de D.Pedro I<br />D.Pedro I de Protugal nasceu em coimbra no dia 8 de Abril de 1320 e moreu em Estremoz no dia 18 de Janeiro de 1367 foi o oitavo Rei de Portugal. Mereceu os cognomes de O Justiceiro ( tambem o cruel, o Cru ou o Vingativo ). Pela energia posta em vingar o assassínio de Inês de Castro, pela afeição que dedicou àquela dama galega. Era filho do rei Afonso IV e a sua mulher era, a princesa Beatriz de Castela.<br />D.Pedro sucedeu ao seu pai em 1357.<br />
  5. 5. Historia de D.Pedro e D.Inês de Castro<br />Romance de D.Pedro <br />Tudo começou com o casamento de D. Pedro com uma princesa espanhola, D. Constança. Não existia amor entre os dois, uma vez que o casamento foi arranjado pelos pais. Foi nessa altura que D. Pedro conheceu D. Inês de Castro, uma das aias (dama de companhia) de D. Constança, por quem se apaixonou. <br />Esta ligação amorosa não foi nada bem vinda. Todos tinham medo que D. Inês, filha de um poderoso nobre espanhol, pudesse ter má influência sobre o príncipe. Assim, quando D. Constança morreu, D. Afonso continuou a condenar o namoro dos dois apaixonados.<br />De início, D. Afonso tentou afastá-los, proibindo D. Inês de viver em Portugal. Mas isto não resultou porque os dois pombinhos foram morar para a fronteira de Portugal e Espanha e continuavam a encontrar-se. Diz-se que se casaram nesta altura.<br />
  6. 6. Morte de D.Inês de Castro<br />O rei estava muito preocupado porque via que o povo tinha medo da influência de D. Inês, além do mais não estava nada contente com as guerras e a fome que se viviam no reino. Assim se explica a decisão de D. Afonso IV de condenar D. Inês de Castro à morte, influenciado por dois conselheiros.<br />Depois da execução de D. Inês de Castro, D. Pedro revoltou-se contra o pai e declarou-lhe guerra. Felizmente, a paz voltou graças à rainha-mãe, que evitou o encontro militar entre pai e filho. <br />Quando D. Pedro subiu ao trono, era muito cuidadoso com o povo, que gostava bastante dele. Mas uma das primeiras coisas que fez foi vingar a morte de D. Inês de Castro executando de modo cruel os ex-conselheiros do pai: mandou arrancar-lhes o coração! Dizia que era assim que se sentia desde que D. Inês tinha morrido. <br />O mais sinistro de toda a história é que D. Pedro elevou D. Inês de Castro a rainha já depois de morta e obrigou toda a corte a beijar-lhe a mão, ou o que restava dela .<br />Apesar de ter perdido o seu grande amor, D. Pedro voltou a casar-se e teve vários filhos, legítimos e ilegítimos. Dois deles chegaram a reis: D. Fernando e D. João I, Mestre de Avis.<br />Mandou depois construir o mosteiro de Alcobaça, onde fez um belo túmulo para D. Inês de Castro. Mesmo em frente mandou construir o seu, onde foi enterrado em 1367. Diz-se que estão nesta posição para que, quando acordarem no dia do Juízo Final, olhem imediatamente um para o outro.<br />
  7. 7. Durante o seu reinado evitou guerras; logrando aumentar o tesouro. Cunhou ouro e prata. E exerceu uma justiça exemplar, sem discriminações, julgando de igual modo nobres e plebeus. <br />Os documentos coevos e o testemunho de Fernão Lopes definem-nos D. Pedro como justiceiro, generoso, folgazão, amado pelo povo e de grande popularidade. A sua morte o povo dizia que «ou não havia de ter nascido, ou nunca havia de morrer».<br />Durante o seu reinado …<br />
  8. 8. Curiosidade: A trágica história de D. Pedro e D. Inês inspirou poetas, escritores e compositores em Portugal e no estrangeiro. Camões foi um dos primeiros escritores a celebrar a lenda, em "Os Lusíadas".<br />
  9. 9. A história de D.Pedro I representa uma história de amor proibido entre duas pessoas que não podiam estar juntas e que sofreram as consequência por contrariar as ordens dos superiores a vida de D.Pedro I passa por várias mulher mas que no fim se apaixona verdadeiramente.<br />Conclusão : <br />
  10. 10. http://www.junior.te.pt/servlets/Rua?P=Portugal&ID=130<br />http://pt.wikipedia.org/wiki/Pedro_I_de_Portugal<br />http://sites.google.com/site/inesdecastro01/Home/biografia-de-d-pedro-1<br />http://web.educom.pt/pr1305/ines.pedro.htm<br />Bibliografia:<br />
  11. 11. Carla Silva<br />Trabalho elaboado por:<br />

×