Festival 2015 -

515 visualizações

Publicada em

Palestra ministrada por Rodrigo Alvarez, no Festival ABCR 2015, dia 07 de maio de 2015, em São Paulo.

Publicada em: Governo e ONGs
1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
515
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
45
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Festival 2015 -

  1. 1. Como começar do zero um programa de captação de recursos com indivíduos Rodrigo Alvarez e Bruno Benjamim
  2. 2. Objetivos dessa sessão • Que ao final da sessão vocês consigam: – Fazer um diagnóstico sobre seu potencial de mobilização de recursos com indivíduos; – Criar um plano simples para começar a captar recursos com indivíduos
  3. 3. MODELO DE FINANCIAMENTO Fontes e Estratégias RELACIONAMENTOS Relações com todos os nossos públicos de interesse IDENTIDADE INSTITUCIONAL Quem nós somos?
  4. 4. MODELO DE FINANCIAMENTO Fontes e Estratégias RELACIONAMENTOS Relações com todos os nossos públicos de interesse IDENTIDADE INSTITUCIONAL Quem nós somos?
  5. 5. MODELO DE FINANCIAMENTO Fontes e Estratégias RELACIONAMENTOS Relações com todos os nossos públicos de interesse IDENTIDADE INSTITUCIONAL Quem nós somos?
  6. 6. Características de uma organização sustentável • Tem clara missão e visão; • Equipe comprometida e liderança forte; • Programas e projetos que atendem a necessidades da sociedade; • Fontes de recursos diversificadas; • Gestão organizada, com processos administrativos e financeiros sistematizados; • Economiza parte dos recursos captados para períodos de emergência; • Desenvolve alianças de longo prazo; • Comunica bem seus resultados e mantém uma boa relação com seus públicos de interesse; • Tem um Conselho comprometido.
  7. 7. 1. Pessoas doam para pessoas; 2. Pessoas não doam se não forem solicitadas; 3. Pessoas doam para oportunidades, não para necessidades; 4. Pessoas doam porque elas querem fazer a diferença no mundo; 5. Amplie sua percepção do que são recursos. Recursos estão em toda parte e estão o tempo todo mudando de forma. Regras “de ouro” da captação de recursos
  8. 8. 9 perguntas para você avaliar seu potencial de captação de recursos com indivíduos
  9. 9. 1. Envolvimento da diretoria e Conselho • Sua diretoria sabe da sua intenção de criar um programa de captação com indivíduos? • E aprova? E apoia? • Ou quer ver pra crer? • Qual o nível de envolvimento e conhecimento sobre o tema da diretoria e conselho?
  10. 10. 2. Planejamento estratégico • Sua organização tem um planejamento estratégico claro? • Vocês tem programas e projetos atraentes para indivíduos? • Sua mãe entende o que você faz? • Você está preparado para o teste do “almoço de domingo”?
  11. 11. 3. Integração da equipe técnica e equipe de captação • Como é o relacionamento entre a equipe técnica com a equipe de captação? • É tensa ou trabalham juntas? • Caso você crie um programa de captação com indivíduos, como acha que será recebido pela equipe técnica? “Muito bem vindo. Vai contribuir para fortalecer nossa organização e ter mais proximidade com as pessoas” “Vixe... Mais trabalho...”
  12. 12. 4. Equipe • Existe equipe habilitada para cuidar do tema?  Conhecimento e experiência com captação de recursos com indivíduos;  Conhecimento sobre marketing direto;  Comunicação para públicos diversos;  Redes Sociais;  Meios de pagamento;  Ativismo (presencial ou digital);  Criativa;
  13. 13. 5. Tamanho do mailing atual e potencial para crescer • Qual o tamanho do seu mailing? Ele está organizado? • Vocês tem o hábito de enviar e-mails massivos? Conhecem algum sistema de envio de e-mail marketing, tipo Mailchimp? • Possuem perfis em redes sociais – Facebook, Twitter, Instagram, You Tube, Slideshare? Tem estratégia para atuar nesses espaços? • Tem estratégia para ampliar a base de e-mails cadastrados na sua base? • Qual o grau de influência sua organização tem na sociedade? • Conhece celebridades? • Tem capacidade de aumentar sua base de contatos? Sabe como fazer isso?
  14. 14. 6. Experiência de mobilização de indivíduos • Vocês já tem outras experiências de mobilizar indivíduos para sua causa?  Petições  Jantares  Rifas e bingos  Campanhas diversas • Como foram essas experiências? • Costumam registrar os dados das pessoas que passam por esses eventos?
  15. 15. 7. Predisposição para construir uma comunicação atraente para doadores • Como é o estilo de se comunicar de sua organização? • Costumam falar apenas de coisas boas ou estão abertos para expor os problemas sociais sobre os quais atuam? • Qual a predisposição para entar em polêmicas? • Como avalia a capacidade da organização para se conectar a pautas atuais?
  16. 16. 8. Disponibilidade para investimento x prazo para acessar recursos com indivíduos • Existe alguma previsão de investimento para um programa de captação de recursos com indivíduos? • Em que será investido o recurso?  Contratação de equipe  Manutenção do escritório  Ações de atração de doadores (mala direta, telemarketing, Facebook Ads, TV) • Quais os resultados esperados e em que prazo:  Número de doadores  Volume de recursos captados  % do orçamento coberto por recursos com indivíduos • O balanço entre investimento e expectativa de resultados parece razoável?
  17. 17. 9. Infra estrutura – banco de dados e meios de pagamento • Vocês já tem algum sistema de gestão dos contatos? • Sabe o que é um CRM? • Já fazem recebimento de doações de alguma forma automática: cartão de crédito, boleto bancário, débito automático.
  18. 18. Alternativa para quem tem poucos recursos para começar • Campanha pontual de crowdfunding e Clube de contribuição mensal em plataformas de crowdfunding; Plataformas que possuem Clubes de contribuição mensal: – Kickante (www.kickante.com.br) – Benfeitoria (www.benfeitoria.com) – Doare (www.doare.org.br)
  19. 19. 2. Ciclo de captação de recursos A - Aquisição de doadores B – Relacionamento com doadores C – Estrutura Interna (back office)
  20. 20. A - Aquisição de doadores A.1 - Plano de marketing A.2 - Principais canais de aquisição A.3 - Inovação e testes A.4 - Análise de resultados 2. Ciclo de captação de recursos
  21. 21. A.1 - Plano de marketing – Definição dos canais de aquisição – Principais metas – Plano de mídia – Principais indicadores: custo por doador, retorno sobre o investimento (ROI), doadores por inserção.
  22. 22. A.2 - Principais canais de aquisição – DRTV: https://www.youtube.com/watch?v=LeRENldYlZk – Click to Call: http://actionaid-apadrinhe.org.br/ajude – Crowdfunding: http://www.kickante.com.br/campanhas/calendario-actionaid- 2015 – Face to Face – SGS (sponsor-get-Sponsor) – Link patrocinado (Google) – Anúncios online (redes sociais) – Campanhas x captação
  23. 23. A.3 – Inovação e testes – Testes de produtos – Testes de canais – Análise comparativa de resultados – Orçamento destacado
  24. 24. A.4 – Análise de resultados – Ferramenta gerencial – Orçado x realizado – Indicadores: conversão, custo por doador. – Retorno sobre o investimento (ROI)
  25. 25. B – Relacionamento com doadores B.1 – Atendimento B.2 - Retenção B.3 - Fidelização B.4 - Rentabilização 2. Ciclo de captação de recursos
  26. 26. B.1 – Atendimento • Excelência no atendimento ao doador: – Atendimento interno ou externo? – Telefone (0300 ou 0800): rodízio de atendimento, FAQ. – Email: respostas em menos de 10 dias. – Chat online – Facebook?
  27. 27. B.2 – Retenção – Régua de comunicação atualizada: ações de reminder, conversão do método de pagamento, recuperação de dados – Prestação de contas: relatórios, redes sociais, visitas a projetos, mobile app – Retenção ativa
  28. 28. B.3 – Fidelização – Mão na massa: https://www.youtube.com/watch?v=LXSgz93W2Qk – Eventos (workshops, RyR, etc) – Cartão fidelidade – Brindes
  29. 29. B.4 – Rentabilização – Apelos extras (emergência e outros) – Uplift (aumento do valor de doação) – Segmentação (middle e major donors) – Legacy (herança)
  30. 30. C – Estrutura interna (back office) C.1 – Banco de dados (CRM) C.2 – Procedimentos financeiros C.3 – Processos internos, materiais e qualidade C.4 – Inteligência da informação C.5 – Integração com outros departamentos 2. Ciclo de captação de recursos
  31. 31. C.1 – Banco de Dados (CRM) – Escolha do banco de dados – Integração com outros sistemas e formulários de doação (site) – Geração de relatórios
  32. 32. C.2 – Procedimentos financeiros – Métodos de pagamento – Acordo com bancos e operadoras de cartão – Outras formas de pagamentos – Sistemas de cobrança (remessa e retorno)
  33. 33. C.3 – Processos internos, materiais e qualidade – Otimização de tarefas e processos (terceirização) – Produção de materiais de comunicação com doadores – Tradução e revisão de materiais – Área de qualidade da informação
  34. 34. C.4 – Inteligência da informação – Sistematização – Análise de dados estatísticos – Tendências e implicações – Geração de conteúdo
  35. 35. C.5 – Integração com outros departamentos – Conselho: apoio na estratégia e ações pontuais – CEO: direção, apoio e sinergia entre as áreas – Comunicação: produção de materiais de comunicação, assessoria de imprensa, relações públicas, celebridades – Financeiro: cobrança, pagamentos, orçamento – Áreas programáticas: apoio a eventos, produção de conteúdo, prestação de contas – TI: sistemas, melhorias, inovação – Administração e RH: contratações, treinamentos, motivação

×