Psicotipos de personalidade

1.219 visualizações

Publicada em

Psicologia Algumas Psicopatias de Personalidade 1º semestre.

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.219
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Psicotipos de personalidade

  1. 1. PSICOTIPOS<br />
  2. 2. “ Personalidade é a organização dinâmica dos traços no interior do “eu”, formados a partir dos genes particulares que herdamos, das existências singulares que experimentamos e da percepção subjetiva que temos do mundo, capazes de tornar cada indivíduo único em sua maneira de ser, de sentir e de desempenhar o seu papel social.” <br />
  3. 3. HIPÓCRATES<br />Hipócrates é conhecido como uma das figuras mais marcantes da história da saúde. Devido a sua grande importância, ele é chamado de "Pai da Medicina".<br />Nascido na Grécia de uma família com longa tradição na área da saúde.<br />Dedicou-se ao estudo da Anatomia Humana e a teoria dos Quatro Humores Corporais.<br />
  4. 4. QUATRO TIPOS DE PERSONALIDADES<br />Colérico: Pessoa forte, determinada, líder e passional. O lado negativo é a impaciência e a intolerância.<br />Sanguíneo : Personalidade dinâmica, curiosa, que se joga na vida. Os riscos são a agitação e a falta de disciplina.<br />Melancólico: Pessoa cuidadosa, pensativa, disciplinada e perfeccionista. O lado negativo é a desconfiança e ansiedade.<br />Fleumático: Indivíduo desprendido, místico, sem ambição, pacífico. O risco é o de se acomodar na vida já que permanece na zona de conforto. <br />
  5. 5. O QUE É TRANSTORNO ou ALTERAÇÃO DE PERSONALIDADE?<br />Podem ser observadas quando a pessoa apresenta uma mudança em sua maneira de ser;<br />Com reações e comportamentos diferentes daqueles que a caracterizavam antes;<br /> Resulta na causa de prejuízo na vida familiar, social e ocupacional.<br />
  6. 6.
  7. 7. Personalidades<br />PARANÓIDE: Padrão de desconfiança e convicção excessivo. Pessoa muito rígida que distorce a situação e crê piamente na percepção que tem. Busca provar para os outros que sua percepção está correta. <br />
  8. 8. HISTRIÔNICA: Padrão de excessiva emocionalidade e busca de atenção. Extremamente dramática e não age dentro de limites sociais normais.<br />
  9. 9. NARCISISTA: Padrão de grandiosidade e necessidade de admiração. Exige tratamento especial e pune os outros quando se sente insultado ou diminuído ou quando não é tratado como único. <br />Inferioriza as pessoas, tenta controlá-las e extremamente individualista.<br />
  10. 10. BORDERLINE: Embora seja bem menos perturbada que os psicóticos, a pessoa de personalidade Borderline é muito mais complexa que os neuróticos;<br />Na vida social aparentemente não enfrenta dificuldades, pessoa dependente, masoquista e manipuladora, tem atitudes impulsivas, não suporta a solidão e o abandono;<br />No campo afetivo desenvolve depressão, raiva, ansiedade e desespero. Busca testar e controlar o companheiro<br />
  11. 11. ANTI-SOCIAL: O indivíduo Anti-social tem padrão invasivo de desrespeito e violação dos direitos dos outros;<br />Demonstra pouco remorso pelas consequências de seus atos;<br />Resiste ao controle das outras pessoas para não ser dominado e age impulsivamente;<br />Não segue regras sociais como frequentar festas, relacionar-se ou conviver em grupos, dificilmente coopera e não pensa sobre as consequências de seus atos.<br />
  12. 12.
  13. 13. EVITATIVO: Padrão de inibição social, sentimentos de inadequação, preocupação com críticas e rejeição;<br />Desconfia dos outros e evita situações sociais. Não confia na motivação positiva da sua rede social.<br />"Não mereço ser amada, sou imperfeita e má”.<br />
  14. 14.
  15. 15. PASSIVO-AGRESSIVA: O comportamento surge como defesa em ambientes familiares nos quais não é seguro expressar frustração ou raiva. Quando se proíbe a expressão honesta dos sentimentos, a psique produz formas de reprimir e canalizar a agressão valendo-se de formas indiretas.<br />
  16. 16. CONCLUSÃO<br />Os transtornos e alterações de personalidade não devem ser considerados como loucura, mas sim como uma doença. E como toda doença pode ser tratada.<br />Agora lançamos uma questão: os transtornos podem ser tratados, e o nosso preconceito?<br />

×