ABCDE da Fisioterapia em Terapia Intensiva

588 visualizações

Publicada em

Palestra ministrada no II Congresso de Fisioterapia Cardiovascular, Respiratória e Terapia Intensiva do Cariri

Publicada em: Saúde
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
588
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
14
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
37
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ABCDE da Fisioterapia em Terapia Intensiva

  1. 1. ABCDE da Fisioterapia em Terapia Intensiva Caio Veloso da Costa Especialista em Urgência e Emergência pela Residência Multiprofissional em Atenção Hospitalar – UNIFESP Especialista em Fisioterapia em Terapia Intensiva – Adulto – ASSOBRAFIR Fisioterapeuta da UTI Geral do Hospital Geral do Estado - AL
  2. 2. O ABCDE constitui um conjunto de ações coordenadas, baseada em evidências e realizadas pela equipe multiprofissional com melhora de desfechos clínicos dos pacientes. ABCDE da Fisioterapia em Terapia Intensiva - Caio Veloso da Costa 2
  3. 3. Sequencia de Ações A – Awake/Acordar B – Breath/Protocolos de Desmame da VM C – Coordenação das ações de A e B D – Delirium/ Manejo e Monitoramento do Delirium E – Exercício ou Mobilização Precoce ABCDE da Fisioterapia em Terapia Intensiva - Caio Veloso da Costa 3
  4. 4. Princípios • Boa comunicação entre os membros da equipe; • Padronização dos processos de avaliação e atendimento; • Quebra do ciclo de Supersedação e VM prolongada • Redução da Imobilidade e Falta de comunicação com os pacientes críticos Chest. 2010;138(5):1224-33 ABCDE da Fisioterapia em Terapia Intensiva - Caio Veloso da Costa 4
  5. 5. Custo-efetividade do ABCDE • ECONOMIA de USD 3.763.000,00 (Três milhões e setecentos e sessenta e três mil dólares) a cada 2000 internações; • Aproximadamente R$ 14.000.000,00 (Treze milhões e meio de reais) a cada 24 meses, ou 7.000.00,00 por ano para uma UTI de 30 leitos; Crit Care Med. 2013 Mar;41(3):717–24. ABCDE da Fisioterapia em Terapia Intensiva - Caio Veloso da Costa 5
  6. 6. A – Awake/Acordar • Avaliação diária do Nível de Sedação; • Escala de RASS – alvo de 0 a -2. • Manejo de Dor e Ansiedade Curr Opin Crit Care. 2011;17(1):43-9 ABCDE da Fisioterapia em Terapia Intensiva - Caio Veloso da Costa 6
  7. 7. Rev Bras Ter Intensiva. 2006;18(2):190-195 ABCDE da Fisioterapia em Terapia Intensiva - Caio Veloso da Costa 7
  8. 8. B – Breath/Protocolos de Desmame de VM • Menor tempo até o 1º TRE; • Redução de Tempo de VM; • Aumento da Taxa de Sucesso de Extubação. Curr Opin Crit Care. 2011;17(1):43-9 ABCDE da Fisioterapia em Terapia Intensiva - Caio Veloso da Costa 8
  9. 9. C – Coordenação entre as ações de A e B • Acordar e Respirar; • Pacientes mais despertos são mais propensos a suportar Modos espontâneos e TRE; • Atenção com extubações não programadas. Curr Opin Crit Care. 2011;17(1):43-9 ABCDE da Fisioterapia em Terapia Intensiva - Caio Veloso da Costa 9
  10. 10. D – Manejo e Monitorização do Delirium • Disfunção cerebral aguda; • Alta prevalência (83%); • Relacionado a declínio funcional e maior mortalidade; • CAM-ICU Curr Opin Crit Care. 2011;17(1):43-9 ABCDE da Fisioterapia em Terapia Intensiva - Caio Veloso da Costa 10
  11. 11. D – Manejo e Monitorização do Delirium • Fatores de Risco; • Tratamento não-farmacológico. Curr Opin Crit Care. 2011;17(1):43-9 ABCDE da Fisioterapia em Terapia Intensiva - Caio Veloso da Costa 11
  12. 12. Rev Bras Ter Intensiva. 2006;18(2):190-195 ABCDE da Fisioterapia em Terapia Intensiva - Caio Veloso da Costa 12
  13. 13. E – Exercício/Mobilização Precoce • Redução de Tempo de VM, UTI e Estadia hospitalar; • Melhora na Capacidade Funcional, Qualidade de Vida e Funcionalidade; • Progressão baseada na Escala de RASS e no Escore MRC. Lancet. 2009;373(9678):1874-82 ABCDE da Fisioterapia em Terapia Intensiva - Caio Veloso da Costa 13
  14. 14. Crit Care Med. 2008;36(8):2238-43 ABCDE da Fisioterapia em Terapia Intensiva - Caio Veloso da Costa 14
  15. 15. E – Exercício/Mobilização Precoce • Ficar atento aos Critérios de Exclusão para o “E”: 1. Doses de vasopressores maior que 0,2 μg/kg/min para PAM > 60 2. FiO2 > 80% e ou PEEP > 12 cmH2O 3. Evento agudo em ocorrência (IAM, HIC) 4. Fraturas instáveis 5. Sangramento ativo 6. Febre ou Hb < 7 g/dL 7. Restrições da Equipe Multiprofissional Journal of Critical Care 30 (2015) 13–18 ABCDE da Fisioterapia em Terapia Intensiva - Caio Veloso da Costa 15
  16. 16. Inclusão do F – Família!!! • Quebra dos mitos; • Uti’s abertas; • Participação nas Visitas Multiprofissionais. ABCDE da Fisioterapia em Terapia Intensiva - Caio Veloso da Costa 16
  17. 17. ABCDE da Fisioterapia em Terapia Intensiva - Caio Veloso da Costa 17
  18. 18. Implementação = Quebra de Barreiras!!!! • Treinamento; • Indicadores de Qualidade; • Atualização – Clube de Revista; • Educação Continuada. ABCDE da Fisioterapia em Terapia Intensiva - Caio Veloso da Costa 18
  19. 19. ABCDE da Fisioterapia em Terapia Intensiva - Caio Veloso da Costa 19
  20. 20. Blog - fisioterapiahospital.blogspot.com.br Fanpage – Reflexões sobre Fisioterapia Hospitalar ABCDE da Fisioterapia em Terapia Intensiva - Caio Veloso da Costa 20
  21. 21. Contato •caiovelosodacosta@yahoo.com.br •LinkedIn: Caio Veloso da Costa ABCDE da Fisioterapia em Terapia Intensiva - Caio Veloso da Costa 21
  22. 22. Muito Obrigado ABCDE da Fisioterapia em Terapia Intensiva - Caio Veloso da Costa 22

×