Odi tutorial configuração repositórios mestre e trabalho

5.101 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.101
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
335
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Odi tutorial configuração repositórios mestre e trabalho

  1. 1. February 11 2012ODITutorialUso da ferramenta Oracle Data Integrator (ODI) para aconstrução de processos ETL (Extract, Transform e Load). RepositóriosNeste séries de tutoriais, utilizaremos o ODI para integrar Mestre edados de diferentes origens (banco de dados: diferentes earquivo texto) para uma base de destino Oracle. Trabalho
  2. 2. Configuração repositórios Mestre e TrabalhoPara este tutorial iremos utilizar o ODI na plataforma Microsoft XP versão 10.1 e obanco de dados Oracle 10g Express Edition.Será necessário criar os seguintes esquemas no banco de dados: REP_ODI_MASTER o Criar na base Oracle um ”schema” para conter o repositório Mestre do ODI. Este repositório conterá as estruturas das diferentes tecnologias usadas no ODI, informações de segurança de acesso, versionamento dos projetos e modelos desenvolvidos; REP_ODI_WORK o Criar na base Oracle um ”schema” para conter o repositório de Trabalho do ODI. Este repositório conterá as informações dos objetos desenvolvidos, modelo de dados, projetos, interfaces e como eles são utilizados, seus valores e propriedades; DW_ORIGEM o Contém as tabelas de origem que serão utilizadas neste tutorial; DW_DESTINO o Contém as tabelas de destino que serão populadas; DW_TEMP o Contém as tabelas temporárias do processo de ETL, este esquema será utilizado para conexão tanto do banco de origem quanto o banco de destino;Para criar os repositórios acima devemos seguir os seguintes passos: Inicie o SQL Developer ou outro utilitário para criação do novo esquema/usuário, lembrando que devemos criar o esquema e setar as permissões básicas para tanto utilize o comando SQL abaixo:
  3. 3. Depois de criar o esquema/usuário crie uma conexão com o mesmo nome, istoirá facilitar no momento de validar as informações no banco de dados.Repita o processo até que todos os repositórios tenham sido criados.
  4. 4. Criação do repositório MestreA primeira atividade que deve ser feita após a liberação do ambiente é a criação dorepositório mestre (Master Repository). Para realizar esta tarefa devemos acessar aaplicação Master Repository Creation, o caminho padrão pode ser visto na figuraabaixo:No Master Repository Creation (Figura acima) devemos indicar qual esquema do bancode dados será o repositório Mestre do ambiente, neste caso REP_ODI_MASTER.
  5. 5. Master Repository ParâmetroDriver oracle.jdbc.driver.OracleDriverURL jdbc:oracle:thin:@localhost:1521:xeUser rep_odi_masterPassword rep_odi_masterTechnology OracleApós a configuração verificamos no repositório Mestre se as tabelas de configuração esuporte (prefixo SNP) foram criadas (veja figura abaixo). Utilize o SQL Developer pararealizar essa tarefa.Relação de tabelas criadas na configuração do repositório MestreSNP_ACTION SNP_GRP_ACTION SNP_LOOKUP SNP_PWD_RULESNP_AGENT SNP_HIST_VERSION SNP_LOOKUP_VALUE SNP_REM_REPSNP_ALLOC_AGENT SNP_HOST SNP_LSCHEMA SNP_SOL_ELTSNP_CONNECT SNP_HOST_MOD SNP_METHOD SNP_SOLUTIONSNP_CONNECT_PROP SNP_INST_OBJ SNP_MODULE SNP_SUB_LANGSNP_CONTEXT SNP_LAGENT SNP_MORIG_TXT SNP_TECHNOSNP_CONV_DT SNP_LANG SNP_MTXT SNP_U_O_M_REPSNP_DATA SNP_LANG_ELT SNP_MTXT_PART SNP_USERSNP_DT SNP_LANG_TECHNO SNP_OBJECT SNP_USER_METHSNP_ENT_ID SNP_LB_AGENT SNP_OPEN_TOOL SNP_USER_OBJ_METHSNP_ENTITY SNP_LE_TECHNO SNP_PROF_METH SNP_USER_PREFSNP_FF_VALUEM SNP_LICENSE SNP_PROFILE SNP_USER_PROFSNP_FIELD SNP_LINE_ACTION SNP_PSCHEMA SNP_VERSIONSNP_FIELD_LOOKUP SNP_LINK SNP_PSCHEMA_CONTSNP_FLEX_FIELD SNP_LOC_REP SNP_PWD_POLICY
  6. 6. Configuração de usuário de acessoNesta etapa do processo iremos criar um usuário para as conexões com os módulos doODI (Designer, Topology, Operator, Security), esta etapa não é obrigatória, pois o ODItem um usuário chamado SUPERVISOR que podería ser utilizado. Porém, as melhorespráticas de arquitetura e segurança indicam que deve-se criar usuários específicos paracada tipo de atividade que for realizada dentro do ambiente.Vamos criar um usuário chamado DW_DBA com permissões de super usuário. OLogin deverá ser chamado de OracleDI Tutorial Series.Acesse o módulo Security Manager conforme é demonstrado na figura abaixo:Antes de continuar cabe uma explicação sobre o significado das nomenclaturas queiremos utilizar: Login: Login de acesso ao ODI, é a conta que utilizaremos para acessar o ODI. User: Usuário do ODI. O ODI nos permite criar diversos usuários, com diversos tipos de acesso e restrições diferentes. Esquema: Esquema do banco de dados Oracle.
  7. 7. Na tela de login devemos criar um novo login para o nosso projeto e fazer aassociação com o repositório Mestre, que foi criado na etapa anterior.Clique no botão “New” será apresentada a tela de configuração do módulo SecurityManager, conforme podemos ver na figura abaixo. Nesta tela deve-se parametrizar onovo Login, o usuário do ODI, a senha para este usuário e também parametrizar asconfigurações de conexão.Vamos dividir a configuração em duas parte, na primeira vamos parametrizar orepositório Mestre e os parâmetros de configuração, utilizando o usuário SUPERVISOR(senha SUNOPSIS) como usuário de acesso. Veja como vai ficar essa configuração nafigura abaixo, utilize os parâmetros listados na tabela abaixo: OracleDI - Connection ParâmetroLogin Name OracleDI Tutorial SeriesUser SUPERVISORPassword SUNOPSIS
  8. 8. Database Connection (Master) ParâmetroUser rep_odi_masterPassword rep_odi_masterDriver List Oracle JDBC DriverDriver Name oracle.jdbc.driver.OracleDriverURL jdbc:oracle:thin:@localhost:1521:xeDefault Connection Marcar para transformar em default esta conexão, toda vez que abrir os módulos do ODI o login irá aparecer como sugestão.Agora que já temos um Login de acesso configurado, é o momento para a criação dosusuários de acesso. Para o nosso projeto iremos criar um usuário com previlégio deadministrador.Entre no módulo Security Manger, procure a pasta Users, clique com o botão direitono usuário SUPERVISOR e selecione a opção “Insert”.
  9. 9. É importante salientar que após criar um usuário o mesmo possui apenas os privilégiosbásicos de acesso.O nosso usuário deverá conter os privilégios de Supervisor logo, marque a opçãoSupervisor que se encontra no final da tela de configuração. A configuração de cadausuário depende de sua utilidade dentro da estrutura do projeto. Se o usuário nãopode ter privilégios de Supervisor é possível customizá-lo para as funções pretendidas.
  10. 10. Configurando o repositório de TrabalhoA última atividade de configuração dos repositórios é a criação e configuração dorepositório de Trabalho. Esta configuração é feita utilizando o módulo Topology.No momento de acessar o módulo Topology Manager, utilize as configurações criadasno passo anterior. Selecione o Login OracleDI Tutorial Series e informe o usuário esenha DW_DBA, conforme a figura abaixo:Prosseguimos com a configuração do ambiente, neste ponto vamos inserir orepositório de trabalho. Dentro do módulo Topology Manager, clique na abaRepository.Agora clique com o botão direito do mouse na opção Work Repositories e selecionea opção “Insert Work Repository”.
  11. 11. Comece a configuração do repositório de trabalho pela aba Definition conformemostrado na figura.Agora iremos configurar a aba JDBC.
  12. 12. Voltando para a aba Definition, testamos a conexão com o repositório de trabalhoclicando na opção Test, desta mesma janela. Após o teste de conexão devemosindicar um determinado número de identificação (ODI) para o repositório que seráutilizado pelo ODI e um nome para este repositório. Também deve fazer a escolha dotipo de repositório: Development ou Execution.Após a configuração verificamos no repositório de Trabalho se as tabelas dos objetosde desenvolvimento e informações de execução foram criadas (veja figura abaixo).Utilize o SQL Developer para realizar essa tarefa.
  13. 13. Relação de tabelas criadas na configuração do repositório de TrabalhoSNP_COL SNP_PLAN_AGENT SNP_SOURCE_TABSNP_COND SNP_POP SNP_SRC_SETSNP_DIAG_PARAM SNP_POP_CLAUSE SNP_STATESNP_DIAGRAM SNP_POP_COL SNP_STATE2SNP_EXP_TXT SNP_POP_CONSTRAINT SNP_STEPSNP_FF_VALUEE SNP_POP_CONTEXT SNP_STEP_LOGSNP_FF_VALUEW SNP_PROJECT SNP_STEP_REPORTSNP_FOLDER SNP_REV_COL SNP_SUB_MODELSNP_GRP_STATE SNP_REV_COND SNP_TABLESNP_ID SNP_REV_FOR_TABLE SNP_TASK_TXTSNP_INDIRECT_MREF SNP_REV_JOIN SNP_TRTSNP_JOIN SNP_REV_JOIN_COL SNP_TXTSNP_JOIN_COL SNP_REV_KEY SNP_TXT_CROSSRSNP_KEY SNP_REV_KEY_COL SNP_UE_ORIGSNP_KEY_COL SNP_REV_SUB_MODEL SNP_UE_USEDSNP_LINE_TRT SNP_REV_TABLE SNP_UFUNCSNP_LINE_TRT_UE SNP_SCEN SNP_UFUNC_IMPLSNP_LINK_COORD SNP_SCEN_FOLDER SNP_UFUNC_TECHNOSNP_LINK_DIAG SNP_SCEN_REPORT SNP_USER_EXITSNP_LOC_REPW SNP_SCEN_STEP SNP_VARSNP_LOCK SNP_SCEN_TASK SNP_VAR_DATASNP_LOCKED_OBJECT SNP_SCEN_TXT SNP_VAR_PLAN_AGENTSNP_MISSING_REF SNP_SEQ_DATA SNP_VAR_SCENSNP_MOD_FOLDER SNP_SEQ_SCEN SNP_VAR_SESSSNP_MODEL SNP_SEQ_SESSSNP_OBJ_DIAG SNP_SEQUENCESNP_OBJ_STATE SNP_SESS_FOLDERSNP_OBJ_TRACE SNP_SESS_STEPSNP_OBJECT_ID SNP_SESS_TASKSNP_OBJECT_ID_COL SNP_SESS_TASK_LOGSNP_ORIG_TXT SNP_SESS_TXT_LOGSNP_PACKAGE SNP_SESSION

×