Fisiologia dos estômatos

15.062 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
15.062
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
321
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fisiologia dos estômatos

  1. 1. Caetana Coevas Tâmara SabaIII Nível – Silvicultura – I Semestre 2011 Disciplina: Fisiologia Vegetal
  2. 2.  Estomas são anexos epidérmicos das folhas constituídos por duas células-guardas ou estomáticas repletas de cloroplastos, cuja parede interna, que rodeia a abertura do ostíolo, é mais espessada, esse fato faz com que as restantes paredes das células-guarda tenham maior elasticidade, o que permite abrir ou fechar o estoma, de acordo com o grau de turgescência da célula. Estas estruturas epidérmicas podem ser também encontradas em frutos, flores e caules jovens. Ao lado aparecem duas ou mais células conhecidas por anexas, companheiras ou subsidiárias. O ostíolo abre-se, no interior da folha, numa grande cavidade denominada câmara subestomática.
  3. 3.  Estas células podem ser de dois tipos: A) elípticas (em forma de rim) B) em forma de halter, estômatos típicos de gramíneas.
  4. 4.  Funções:  a)Transpiração.  b)Fotossíntese.  c)Respiração.  d)Termoregulador As células guarda só apresentam plasmodesmos entre elas e não apresentam qualquer tipo de conexão com as restantes células do complexo estomático. Assim, todos os compostos importados para o seu interior têm de atravessar a membrana plasmática. Esta característica do complexo estomático é extremamente importante em termos fisiológicos.
  5. 5.  A frequência estomática é definida como o número de estômatos por unidade de área de uma face foliar. A densidade varia entre espécies, indivíduos e até mesmo entre folhas de uma mesma planta, sendo modificada por fatores ambientais, tais como luminosidade, umidade do ar e concentração de CO2 .
  6. 6.  A localização dos estômatos nas faces das folhas (adaxial e abaxial)) pode variar dependendo da espécie: a)ANFIESTOMÁTICA. ambas - Ex. Folhas de regiões áridas. b)HIPOESTOMÁTICA. abaxial - Ex. Folhas de regiões úmidas. c)EPIESTOMÁTICA. adaxial - Ex. Folhas de plantas aquáticas. d)ANISOESTOMÁTIA. ambas, porém com número diferentes
  7. 7.  As formas, tamanhos, o arranjo espacial e as características das outras células do complexo estomático são importantes para que ocorram as mudanças de abertura dos estomas. A comparação dos complexos estomáticos antes e depois da abertura do póro mostra que o aumento de volume das células guarda é parcialmente compensado pelo decréscimo de volume das células vizinhas. Estas mudanças no volume são devidas ao movimento osmótico da água que segue o aumento do conteúdo em solutos das células guarda, o que também modifica as relações de turgescência entre as células guarda e as vizinhas (Weyers & meidner, 1990).
  8. 8.  As células guardas são normalmente menores do que as células adjacentes da epiderme, permitindo alterações muito rapidas na pressão de turgescência. O decréscimo no potencial osmótico ΨS resulta no decréscimo do Ψw e consequentemente a água move-se para dentro da célula guarda. O movimento de íons nas células guardas, principalmente de K+, provocam grandes mudanças no ΨS e consequentemente no Ψ. A turgescência das células guarda estão diretamente relacionadas com a entrada e saída de íons de potássio.
  9. 9.  Quando o potássio entra nas células guarda, por transporte ativo, aumenta a pressão osmótica nestas células, levando à entrada de água por osmose. As células guarda ficam túrgidas, abrindo, então, o estômato. Quando o potássio sai da célula, por difusão simples, diminui a pressão osmótica nestas células, levando à saída de água por osmose. As células guarda ficam plasmolisadas, fechando o estômato. Estudos sobre o conteúdo em solutos das células guarda mostraram que o potássio é mais importante no início do dia, mas depois a sua concentração diminui ao mesmo tempo que a concentração em sacarose aumenta, atingindo um pico na fase do dia em que a abertura estomática é máxima
  10. 10.  O potencial osmótico das células guarda diminui, isto é, fica mais negativo quando os estomas abrem. Como as células guarda praticamente duplicam o seu volume durante a abertura, este aumento da concentração de solutos ocorre apesar da diluição (Salisbury & Ross, 1992). Em resumo, os estomas abrem devido à absorção de água pelas células guarda, e esta absorção é causada pela concentração de solutos que provoca uma diminuição do potencial osmótico.
  11. 11.  O mecanismo de abertura e fechamento estomático é bem complexo, sendo regulado por diversos fatores, dentre eles: a concentração de íons potássio, influenciando na pressão osmótica, a intensidade luminosa, a concentração de gás carbônico e o teor hídrico do vegetal. Concentração de K+ Alta concentração - Abertura do ostíolo Baixa concentração - Fechamento do ostíolo Intensidade luminosa Alta intensidade - Abertura do ostíolo Baixa intensidade - Fechamento do ostíolo
  12. 12.  Concentração de CO2 Alta concentração - Fechamento do ostíolo Baixa concentração - Abertura do ostíolo Suprimento de água Alto teor - Abertura do ostíolo Baixo teor - Fechamento do ostíolo
  13. 13.  http://www.angelfire.com/ar3/alexcosta0/Re lHid/Rhw8.htm http://pt.wikipedia.org/wiki/Est%C3%B4mato http://www.simbiotica.org/transporteplanta. htm MARENCO Ricardo A e LOPES Nei Fernandes Fisiologia Vegetal 3ª edição.
  14. 14. OBRIGADA!

×