SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Fonte:http://animais.culturamix.com/curiosidades/predadores-cacando Fonte:http://getsbrinquedos.com.br
 A história do meio geográfico pode ser dividida em três etapas:
meio natural, meio técnico e meio técnico-científico-
informacional.
 Essa divisão tem como critério a evolução da técnica na relação
entre homem e natureza.
MEIO TÉCNICOMEIO NATURAL
MEIO TÉCNICO-CIENTÍFICO-INFORMACIONAL
 Meio Natural: etapa compreendida antes da invenção das
máquinas, ou seja, da técnica simples, que ocorreu da pré-história
até a por volta da primeira revolução industrial.
 Nessa etapa os objetos eram feitos pelo homem.
 Os sistemas técnicos eram formados por objetos culturais.
 Os sistemas técnicos eram limitados a utilidades especificas e
diretamente dependentes da natureza.
 Etapa pré-técnica.
 Meio Técnico: etapa do uso das máquinas, ou melhor, da
técnica mais avançada, que ocorreu mais ou menos entre a
primeira revolução industrial e a segunda guerra mundial.
 Os objetos são técnicos e culturais.
 A industrialização era restrito a poucos países.
 Iniciam os problemas ambientais.
 Meio Técnico-Científico-Informacional: etapa do uso de
máquinas a parti da ciência e da informação, que iniciou a parti
da segunda guerra mundial e esta presente até os dias atuais.
 A produção é realizada por máquinas a parti do conhecimento
cientifico.
Imagem de interior
de fabrica de
caminhões em São
Paulo.
Fonte:http://www.f
otosmaisimagens.c
om.br/notebook.ht
ml
 Os objetos são produzidos a parti da união entre ciência,
tecnologia e informação, ao mesmo tempo, esses três elementos
não participam apenas da produção, mas também do
funcionamento e até podem ser produzidos pelo objeto.
Ex: O computador.
 A ciência sempre busca aperfeiçoar a tecnologia e os objetos
existentes, gerando novas informações e novas condições de vida
para a população e de uso para o objeto.
Fonte:http://www.fotosmaisimagens.com.br/notebook.htmlFonte:http://tecnologiaeainovacao.blogspot.com.br/2012/0
5/computadores-antigos.html
 A tecnologia, a ciência e a informação não acontecem mais
apenas nas grandes cidades, mas também ocorre no meio rural.
Imagem de plantio mecanizado de milho em Guarapuava no Paraná a direita. A esquerda de Soja.
Fonte:http://www.pulsarimagens.com.br/details.php?tombo=107307&search=PA&ordem_foto=2781&total_foto=2983
 Cada vez mais a natureza natura é substituída pela natureza
artificial, como no caso das plantas transgênicas que estão
substituindo as naturais.
Imagem de milho transgênico. Fonte:http://www.funverde.org.br/blog/archives/3468
 Com o Meio Técnico-Científico-Informacional foi possível o
desenvolvimento da globalização, o mundo esta ligado por redes
bastante complexas, as empresas influenciam em todo o globo e
as informações circulam no planeta de forma instantânea.
Ex: A Coca-Cola.
Consumo do refrigerante de Coca-Cola no Mundo. Fonte:http://www.luizberto.com/correspondencia-recebida/bispo-carlo-
marqui-rio-de-janeiro-rj-4
Sede da empresa Coca-Cola
em Atlanta (GA) nos Estados
Unidos.
 Apesar de pontuais, a presença de objetos com as tecnologias
atuais, marcam a totalidade do espaço.
Imagem de Jovens com aparelho de celular. Fonte:http://digitalrobson.blogspot.com.br/
 Quanto mais aumenta a importância dos capitais fixos e dos
capitais constantes, aumenta também a necessidade de
movimento, crescendo o número e a importância dos fluxos, a
influência das redes e das relações.
Avenida Paulista em São Paulo. Fonte:http://aquilomaisisso.wordpress.com/2010/07/27/file-2010/
 Com o avanço da ciência, da tecnologia e da informação a
condição de vida da população é modificada, como o aumento
das exigências do mercado de trabalho, diminuição do tempo de
descanso dos trabalhadores, dentre outros exemplos. O ser
humano produz mais em pouco espaço e tempo tanto no meio
urbano, quanto no meio rural.
 Com esse mesmo avanço a especialização é um fenômeno
constante, assim torna-se necessário o aumento do espaço de
relações, a dependência da fluidez das redes e da flexibilidade
dos regulamentos.
Plantação de cacau em Ilhéus (BA). Fonte: http://flautamagicasartesanato.blogspot.com.br/2010/07/de-volta.html
 O problema é que todo o controle da tecnologia, ciência e
informação está concentrado com as classes dominantes.
DIAS, Leila Christina. Redes: emergência e organização. In:
CORREA, Roberto Lobato; GOMES, Paulo César; CASTRO, Iná.
Geografia: conceitos e temas. 7. ed. São Paulo: Bertrand Brasil,
2005. p. 141-159.
SANTOS, Milton. Natureza e Espaço. 4. ed. São Paulo: Ed. da
Universidade de São Paulo, 2008.
Do meio natural ao meio técnico científico informacional

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A sociedade de consumo e a degradação do
A sociedade de consumo e a degradação doA sociedade de consumo e a degradação do
A sociedade de consumo e a degradação do
Professor
 
Industrialização brasileira alterações no espaço
Industrialização brasileira   alterações no espaçoIndustrialização brasileira   alterações no espaço
Industrialização brasileira alterações no espaço
Luciano Pessanha
 
A regionalização do espaço geográfico mundial
A regionalização do espaço geográfico mundialA regionalização do espaço geográfico mundial
A regionalização do espaço geográfico mundial
Uilson Pereira da Silva
 
Industrialização brasil
Industrialização brasilIndustrialização brasil
Industrialização brasil
edsonluz
 
A regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasilA regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasil
Professor
 
A indústria no brasil
A indústria no brasilA indústria no brasil
A indústria no brasil
Professor
 

Mais procurados (20)

A sociedade de consumo e a degradação do
A sociedade de consumo e a degradação doA sociedade de consumo e a degradação do
A sociedade de consumo e a degradação do
 
Geografia da População
Geografia da PopulaçãoGeografia da População
Geografia da População
 
O Território Brasileiro
O Território BrasileiroO Território Brasileiro
O Território Brasileiro
 
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO BRASILEIRA
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO BRASILEIRAINDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO BRASILEIRA
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO BRASILEIRA
 
Conceitos Da Geografia
Conceitos Da GeografiaConceitos Da Geografia
Conceitos Da Geografia
 
Região Nordeste
Região NordesteRegião Nordeste
Região Nordeste
 
Industrialização brasileira alterações no espaço
Industrialização brasileira   alterações no espaçoIndustrialização brasileira   alterações no espaço
Industrialização brasileira alterações no espaço
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
População brasileira
População brasileiraPopulação brasileira
População brasileira
 
Capitalismo e sua evolução
Capitalismo e sua evoluçãoCapitalismo e sua evolução
Capitalismo e sua evolução
 
Demografia
DemografiaDemografia
Demografia
 
A regionalização do espaço geográfico mundial
A regionalização do espaço geográfico mundialA regionalização do espaço geográfico mundial
A regionalização do espaço geográfico mundial
 
Urbanização brasileira
Urbanização brasileiraUrbanização brasileira
Urbanização brasileira
 
Industrialização brasil
Industrialização brasilIndustrialização brasil
Industrialização brasil
 
A formação do território brasileiro - 7º ano
A formação do território brasileiro - 7º anoA formação do território brasileiro - 7º ano
A formação do território brasileiro - 7º ano
 
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)
 
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASILO PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
 
A regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasilA regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasil
 
A indústria no brasil
A indústria no brasilA indústria no brasil
A indústria no brasil
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Urbanização
 

Semelhante a Do meio natural ao meio técnico científico informacional

Livro educação escolar libâneo, oliveira e toschi
Livro  educação escolar   libâneo, oliveira e toschiLivro  educação escolar   libâneo, oliveira e toschi
Livro educação escolar libâneo, oliveira e toschi
Pedro Lima
 
Filosofia 2º bimestre - 3ª série - tecnologia e sociedade
Filosofia   2º bimestre - 3ª série - tecnologia e sociedadeFilosofia   2º bimestre - 3ª série - tecnologia e sociedade
Filosofia 2º bimestre - 3ª série - tecnologia e sociedade
mtolentino1507
 
COMO TORNAR REALIDADE A UTOPIA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA UTILIZADAS APENAS PARA...
COMO TORNAR REALIDADE A UTOPIA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA UTILIZADAS APENAS PARA...COMO TORNAR REALIDADE A UTOPIA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA UTILIZADAS APENAS PARA...
COMO TORNAR REALIDADE A UTOPIA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA UTILIZADAS APENAS PARA...
Faga1939
 
Aula 3 – Cibercultura: introdução
Aula 3 – Cibercultura: introduçãoAula 3 – Cibercultura: introdução
Aula 3 – Cibercultura: introdução
breakingcasper
 
Slide revoluaotecnologica-120905180751-phpapp02
Slide revoluaotecnologica-120905180751-phpapp02Slide revoluaotecnologica-120905180751-phpapp02
Slide revoluaotecnologica-120905180751-phpapp02
flavia sousa
 

Semelhante a Do meio natural ao meio técnico científico informacional (20)

Grupo 01
Grupo 01Grupo 01
Grupo 01
 
Modulo 16 - O domínio da tecnologia
Modulo 16 - O domínio da tecnologiaModulo 16 - O domínio da tecnologia
Modulo 16 - O domínio da tecnologia
 
Livro educação escolar libâneo, oliveira e toschi
Livro  educação escolar   libâneo, oliveira e toschiLivro  educação escolar   libâneo, oliveira e toschi
Livro educação escolar libâneo, oliveira e toschi
 
1º série reda cem - 10.29
1º série   reda cem -  10.291º série   reda cem -  10.29
1º série reda cem - 10.29
 
Filosofia 2º bimestre - 3ª série - tecnologia e sociedade
Filosofia   2º bimestre - 3ª série - tecnologia e sociedadeFilosofia   2º bimestre - 3ª série - tecnologia e sociedade
Filosofia 2º bimestre - 3ª série - tecnologia e sociedade
 
Edição nº 22_do_primeira_pauta,_o_jornal_laboratório_do_ielusc,_joinville
Edição nº 22_do_primeira_pauta,_o_jornal_laboratório_do_ielusc,_joinvilleEdição nº 22_do_primeira_pauta,_o_jornal_laboratório_do_ielusc,_joinville
Edição nº 22_do_primeira_pauta,_o_jornal_laboratório_do_ielusc,_joinville
 
A educação voltada para o futuro
A educação voltada para o futuroA educação voltada para o futuro
A educação voltada para o futuro
 
O Brasil e as Grande Onda Tecnológica.ppt
O Brasil e as Grande Onda Tecnológica.pptO Brasil e as Grande Onda Tecnológica.ppt
O Brasil e as Grande Onda Tecnológica.ppt
 
COMO TORNAR REALIDADE A UTOPIA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA UTILIZADAS APENAS PARA...
COMO TORNAR REALIDADE A UTOPIA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA UTILIZADAS APENAS PARA...COMO TORNAR REALIDADE A UTOPIA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA UTILIZADAS APENAS PARA...
COMO TORNAR REALIDADE A UTOPIA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA UTILIZADAS APENAS PARA...
 
Ciência tecnologia e filosofia 3º ano
Ciência tecnologia e filosofia   3º anoCiência tecnologia e filosofia   3º ano
Ciência tecnologia e filosofia 3º ano
 
Para continuar sldes de geo
Para continuar sldes de geoPara continuar sldes de geo
Para continuar sldes de geo
 
A revolução informacional ou pós industrial
A revolução informacional ou pós industrialA revolução informacional ou pós industrial
A revolução informacional ou pós industrial
 
teste2
teste2teste2
teste2
 
Artigo teste 1
Artigo teste 1Artigo teste 1
Artigo teste 1
 
01 relacao sociedade_x_natureza1_ano_compact_56125076666
01 relacao sociedade_x_natureza1_ano_compact_5612507666601 relacao sociedade_x_natureza1_ano_compact_56125076666
01 relacao sociedade_x_natureza1_ano_compact_56125076666
 
Documento de qualificação Nepomuceno Tese
Documento de qualificação Nepomuceno TeseDocumento de qualificação Nepomuceno Tese
Documento de qualificação Nepomuceno Tese
 
Aula 3 – Cibercultura: introdução
Aula 3 – Cibercultura: introduçãoAula 3 – Cibercultura: introdução
Aula 3 – Cibercultura: introdução
 
Slide revoluaotecnologica-120905180751-phpapp02
Slide revoluaotecnologica-120905180751-phpapp02Slide revoluaotecnologica-120905180751-phpapp02
Slide revoluaotecnologica-120905180751-phpapp02
 
Segunda aplicação do ENEM-2018: Internet e Tecnologias
Segunda aplicação do ENEM-2018: Internet e TecnologiasSegunda aplicação do ENEM-2018: Internet e Tecnologias
Segunda aplicação do ENEM-2018: Internet e Tecnologias
 
Sociedade na era big data, dados demais filtros de menos
Sociedade na era big data, dados demais filtros de menosSociedade na era big data, dados demais filtros de menos
Sociedade na era big data, dados demais filtros de menos
 

Mais de Cadernizando

Mais de Cadernizando (20)

Blogs e Sites com o Apoio de TG Serviços
Blogs e Sites com o Apoio de TG ServiçosBlogs e Sites com o Apoio de TG Serviços
Blogs e Sites com o Apoio de TG Serviços
 
Pão de Açúcar em Alagoas
Pão de Açúcar em AlagoasPão de Açúcar em Alagoas
Pão de Açúcar em Alagoas
 
Como o Windows Deveria Ser
Como o Windows Deveria SerComo o Windows Deveria Ser
Como o Windows Deveria Ser
 
Penedo em Alagoas
Penedo em AlagoasPenedo em Alagoas
Penedo em Alagoas
 
O Centro Histórico de Recife e Olinda
O Centro Histórico de Recife e OlindaO Centro Histórico de Recife e Olinda
O Centro Histórico de Recife e Olinda
 
Vitória do Espírito Santo
Vitória do Espírito SantoVitória do Espírito Santo
Vitória do Espírito Santo
 
Maceió em Alagoas
Maceió em AlagoasMaceió em Alagoas
Maceió em Alagoas
 
Planalto da Borborema
Planalto da BorboremaPlanalto da Borborema
Planalto da Borborema
 
A localização de Coité do Nóia no mundo
A localização de Coité do Nóia no mundoA localização de Coité do Nóia no mundo
A localização de Coité do Nóia no mundo
 
A aula de campo como meio de aprendizagem cartográfica nas aulas de Geografia
A aula de campo como meio de aprendizagem cartográfica nas aulas de GeografiaA aula de campo como meio de aprendizagem cartográfica nas aulas de Geografia
A aula de campo como meio de aprendizagem cartográfica nas aulas de Geografia
 
Tutorial: Como elaborar um percurso em uma imagem de satélite?
Tutorial: Como elaborar um percurso em uma imagem de satélite?Tutorial: Como elaborar um percurso em uma imagem de satélite?
Tutorial: Como elaborar um percurso em uma imagem de satélite?
 
Oficina o uso de imagens de satélite como recurso pedagógico
Oficina o uso de imagens de satélite como recurso pedagógicoOficina o uso de imagens de satélite como recurso pedagógico
Oficina o uso de imagens de satélite como recurso pedagógico
 
O uso do jogo da memória no ensino da Geografia
O uso do jogo da memória no ensino da GeografiaO uso do jogo da memória no ensino da Geografia
O uso do jogo da memória no ensino da Geografia
 
A contribuição do PIBID na formação de futuros docentes da Universidade Estad...
A contribuição do PIBID na formação de futuros docentes da Universidade Estad...A contribuição do PIBID na formação de futuros docentes da Universidade Estad...
A contribuição do PIBID na formação de futuros docentes da Universidade Estad...
 
Trabalho de campo com uso de imagens de satélite nas aulas de Geografia
Trabalho de campo com uso de imagens de satélite nas aulas de GeografiaTrabalho de campo com uso de imagens de satélite nas aulas de Geografia
Trabalho de campo com uso de imagens de satélite nas aulas de Geografia
 
Auxílio ao trabalho docente a partir de instrumentos pedagógicos manuais
Auxílio ao trabalho docente a partir de instrumentos pedagógicos manuaisAuxílio ao trabalho docente a partir de instrumentos pedagógicos manuais
Auxílio ao trabalho docente a partir de instrumentos pedagógicos manuais
 
Geografia fora de sala em Arapiraca/AL: uma experiência com a pedalada geográ...
Geografia fora de sala em Arapiraca/AL: uma experiência com a pedalada geográ...Geografia fora de sala em Arapiraca/AL: uma experiência com a pedalada geográ...
Geografia fora de sala em Arapiraca/AL: uma experiência com a pedalada geográ...
 
A aula de campo como ferramenta de investigação do lugar no ensino de Geografia
A aula de campo como ferramenta de investigação do lugar no ensino de GeografiaA aula de campo como ferramenta de investigação do lugar no ensino de Geografia
A aula de campo como ferramenta de investigação do lugar no ensino de Geografia
 
Pensando lugar e paisagem em aulas de Geografia para o Ensino Médio
Pensando lugar e paisagem em aulas de Geografia para o Ensino MédioPensando lugar e paisagem em aulas de Geografia para o Ensino Médio
Pensando lugar e paisagem em aulas de Geografia para o Ensino Médio
 
O uso das charges nas aulas de Geografia do Ensino Fundamental
O uso das charges nas aulas de Geografia do Ensino FundamentalO uso das charges nas aulas de Geografia do Ensino Fundamental
O uso das charges nas aulas de Geografia do Ensino Fundamental
 

Último

PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
carlaOliveira438
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 

Último (20)

"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 

Do meio natural ao meio técnico científico informacional

  • 1.
  • 3.  A história do meio geográfico pode ser dividida em três etapas: meio natural, meio técnico e meio técnico-científico- informacional.  Essa divisão tem como critério a evolução da técnica na relação entre homem e natureza. MEIO TÉCNICOMEIO NATURAL MEIO TÉCNICO-CIENTÍFICO-INFORMACIONAL
  • 4.  Meio Natural: etapa compreendida antes da invenção das máquinas, ou seja, da técnica simples, que ocorreu da pré-história até a por volta da primeira revolução industrial.  Nessa etapa os objetos eram feitos pelo homem.  Os sistemas técnicos eram formados por objetos culturais.  Os sistemas técnicos eram limitados a utilidades especificas e diretamente dependentes da natureza.  Etapa pré-técnica.
  • 5.  Meio Técnico: etapa do uso das máquinas, ou melhor, da técnica mais avançada, que ocorreu mais ou menos entre a primeira revolução industrial e a segunda guerra mundial.  Os objetos são técnicos e culturais.  A industrialização era restrito a poucos países.  Iniciam os problemas ambientais.
  • 6.  Meio Técnico-Científico-Informacional: etapa do uso de máquinas a parti da ciência e da informação, que iniciou a parti da segunda guerra mundial e esta presente até os dias atuais.  A produção é realizada por máquinas a parti do conhecimento cientifico. Imagem de interior de fabrica de caminhões em São Paulo. Fonte:http://www.f otosmaisimagens.c om.br/notebook.ht ml
  • 7.  Os objetos são produzidos a parti da união entre ciência, tecnologia e informação, ao mesmo tempo, esses três elementos não participam apenas da produção, mas também do funcionamento e até podem ser produzidos pelo objeto. Ex: O computador.
  • 8.  A ciência sempre busca aperfeiçoar a tecnologia e os objetos existentes, gerando novas informações e novas condições de vida para a população e de uso para o objeto. Fonte:http://www.fotosmaisimagens.com.br/notebook.htmlFonte:http://tecnologiaeainovacao.blogspot.com.br/2012/0 5/computadores-antigos.html
  • 9.  A tecnologia, a ciência e a informação não acontecem mais apenas nas grandes cidades, mas também ocorre no meio rural. Imagem de plantio mecanizado de milho em Guarapuava no Paraná a direita. A esquerda de Soja. Fonte:http://www.pulsarimagens.com.br/details.php?tombo=107307&search=PA&ordem_foto=2781&total_foto=2983
  • 10.  Cada vez mais a natureza natura é substituída pela natureza artificial, como no caso das plantas transgênicas que estão substituindo as naturais. Imagem de milho transgênico. Fonte:http://www.funverde.org.br/blog/archives/3468
  • 11.  Com o Meio Técnico-Científico-Informacional foi possível o desenvolvimento da globalização, o mundo esta ligado por redes bastante complexas, as empresas influenciam em todo o globo e as informações circulam no planeta de forma instantânea. Ex: A Coca-Cola. Consumo do refrigerante de Coca-Cola no Mundo. Fonte:http://www.luizberto.com/correspondencia-recebida/bispo-carlo- marqui-rio-de-janeiro-rj-4 Sede da empresa Coca-Cola em Atlanta (GA) nos Estados Unidos.
  • 12.
  • 13.  Apesar de pontuais, a presença de objetos com as tecnologias atuais, marcam a totalidade do espaço. Imagem de Jovens com aparelho de celular. Fonte:http://digitalrobson.blogspot.com.br/
  • 14.  Quanto mais aumenta a importância dos capitais fixos e dos capitais constantes, aumenta também a necessidade de movimento, crescendo o número e a importância dos fluxos, a influência das redes e das relações. Avenida Paulista em São Paulo. Fonte:http://aquilomaisisso.wordpress.com/2010/07/27/file-2010/
  • 15.  Com o avanço da ciência, da tecnologia e da informação a condição de vida da população é modificada, como o aumento das exigências do mercado de trabalho, diminuição do tempo de descanso dos trabalhadores, dentre outros exemplos. O ser humano produz mais em pouco espaço e tempo tanto no meio urbano, quanto no meio rural.  Com esse mesmo avanço a especialização é um fenômeno constante, assim torna-se necessário o aumento do espaço de relações, a dependência da fluidez das redes e da flexibilidade dos regulamentos. Plantação de cacau em Ilhéus (BA). Fonte: http://flautamagicasartesanato.blogspot.com.br/2010/07/de-volta.html
  • 16.  O problema é que todo o controle da tecnologia, ciência e informação está concentrado com as classes dominantes.
  • 17. DIAS, Leila Christina. Redes: emergência e organização. In: CORREA, Roberto Lobato; GOMES, Paulo César; CASTRO, Iná. Geografia: conceitos e temas. 7. ed. São Paulo: Bertrand Brasil, 2005. p. 141-159. SANTOS, Milton. Natureza e Espaço. 4. ed. São Paulo: Ed. da Universidade de São Paulo, 2008.