JORNAL DO MUNICÍPIO MARICÁ 
ANO XI - NOVEMBRO/DEZEMBRO 2014 Diretor Responsável: Jornalista EDISON TORRES 
www.obarao.blog...
2 - JORNAL DO MUNICÍPIO NOV/DEZ 2014 
Repórter ET 
CREDIBILIDADE NÃO SE 
FAZ DA NOITE PARA O 
DIA, 
SE CONQUISTA 
AO LONGO...
NOV/DEZ 2014 JORNAL DO MUNICÍPIO - 3 
REPORTAGEM 
Opinião 
Uma palavra sobre o PDT 
O eleitor hoje está pouco se importand...
4 - JORNAL DO MUNICÍPIO NOV/DEZ 2014 
AEROPORTO DE MARICÁ AGORA É DO ESTADO 
O aeroporto de Maricá não pertence mais ao Po...
NOV/DEZ 2014 JORNAL DO MUNICÍPIO - 5 
PAULO MELO REVOLTADO COM 
SUA VOTAÇÃO EM MARICÁ 
Ele nunca fez nada pelo nosso munic...
6 - JORNAL DO MUNICÍPIO NOV/DEZ 2014 
CRESCIMENTO ECONÔMICO CARTAS 
SEM DESENVOLVIMENTO 
Nos últimos dez anos, o Brasil pa...
NOV/DEZ 2014 JORNAL DO MUNICÍPIO - 7 
Comandante 
Nardim 
O CÍRIO DE NOSSA 
SENHORA DE NAZARÉ 
Dia 12 de Outubro próximo p...
8 - JORNAL DO MUNICÍPIO NOVEMBRO/DEZEMBRO 2014 
inscrições podem ser feitas através do (facebook) PIRÃO ELÉ- 
TRICO e XVI ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

JORNAL DO MUNICÍPIO NOVEMBRO/DEZEMBRO 2014

492 visualizações

Publicada em

Edição novembro e dezembro de 2014 do Jornal do Municipio

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
492
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
209
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

JORNAL DO MUNICÍPIO NOVEMBRO/DEZEMBRO 2014

  1. 1. JORNAL DO MUNICÍPIO MARICÁ ANO XI - NOVEMBRO/DEZEMBRO 2014 Diretor Responsável: Jornalista EDISON TORRES www.obarao.blogspot.com jornal.domunicipio@yahoo.com.br AEROPORTO DE MARICÁ, AGORA É DO ESTADO O Ministro Moreira Franco da Aviação Civil, bateu o martelo tirando da prefeitura e transferindo sua administração para o Estado. O aeroporto está fechado há um ano, graças a uma medida intempestiva do prefeito que acabou originando uma tragédia e hoje é um estacionamento de luxo dos ônibus da prefeitura que ainda não estão funcionando. Página 4 CONGRESSO NACIONAL É UM BALCÃO DE NEGÓCIOS A revelação foi feita pelo senador reeleito do Paraná, Álvaro Dias, durante mesa redonda na TV Bandeirantes no dia da eleição do segundo turno. “É toma lá, da cá”, disse o senador de onde se conclui que a reforma política prevista para 2015 não será como a presidente Dilma quer e nem como o povo deseja. Os congressistas são contra o plebiscito e a favor do referendo que aprovaria o que eles decidirem em plenário. Repórter ET página 2 QUAQUÁ ESTÁ SENDO CHAMADO DE CORONEL NO PT DO RIO DE JANEIRO Todos os prefeitos eleitos pelo partido no Rio, estão se posicionando contra Quaquá, que segundo eles exerce uma função puramente coronelista na presidência do diretório petista. Página 3 PAULO MELO REVOLTADO COM SUA VOTAÇÃO EM MARICÁ Apesar de apoiado por dois ex-prefeitos, um ex-vereador e um suplente de vereador, Paulo Melo teve aqui pouco mais de dois mil votos. Página 5 Uma retrospectiva das eleições de Outubro. Página 3 Eleitor diz que as promessas são sempre as mesmas. Página 4 2015 – O ano dos feriadões. Página 7 Corrupção sem fim. Marqueteiros construíram uma imagem de Dilma que não corresponde a verdade. Repórter ET Uma palavra sobre o PDT Página 3 XVI Festival Nacional de Voz e Violão acontecerá dia 14 de dezembro na Toca do Biguá em Jacaroá. Página 8
  2. 2. 2 - JORNAL DO MUNICÍPIO NOV/DEZ 2014 Repórter ET CREDIBILIDADE NÃO SE FAZ DA NOITE PARA O DIA, SE CONQUISTA AO LONGO DOS ANOS. JORNAL DO MUNICÍPIO 11 ANOS TIRIRICA DE VOLTA O palhaço Tiririca foi reeleito com menos votos, mas o suficiente para lhe garantir mais quatro anos no picadeiro político. SEM TRAIÇÃO Esse repórter conversa com o ex-vereador José Delarolli que diz não concordar com uma notícia publicada em um jornal da capital de que seu filho Marcelo Delarolli tenha traído o seu partido, o PR, para apoiar Luís Fernando Pezão. Na verdade, disse o ex-vereador, Garotinho declarou seu apoio ao candidato Crivela, sem consultar o partido, deixando seus integrantes livres para qualquer escolha. Marcelo, tem grandes chances como primeiro suplente, de assumir uma cadeira na Câmara Federal, logo no inicio da legislatura. Mas, uma coisa é certa: ele será candidato à prefeito em 2016. LIDERANÇA Aliás, Maricá está precisando urgentemente de uma liderança política de oposição para fazer frente ao PT municipal, que se sente fortalecido com a eleição de dois de seus integrantes para a Assembléia Legislativa e Câmara Federal. Terá que ser feito um grande trabalho de base, visando a próxima eleição municipal daqui há dois anos. FALTOU LIDERANÇA Uilton Viana, Ricardo Queiroz e os falecidos Odenir Costa e Luciano Rangel, quando dirigentes disse município esqueceram ou não souberam criar uma liderança política. O tempo passou e os dois primeiros vivem hoje um ostracismo político. Expediente: JORNAL DO MUNICÍPIO de Maricá Editora JC - Av. Rio Branco, 14 - 18º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ Diretor Executivo: Tiago Salles - Editor Responsável: Edison Torres, RP 385-DRT-PA Redação: jornalismopr@hotmail.com / jornal.domunicipio@yahoo.com.br Digitação: Pery Salgado e Stephanie Dalliany Programação Visual: PR PRODUÇÕES www.obarao.blogspot.com Representante:TRÁFEGO PUBLICIDADE Distribuição: Central de Jornalismo - Rua Barão de Inohan 233 - Centro - Maricá > Tel.: 2637-4170 Impressão: A TRIBUNA Fotos: Pery Salgado e Rosemery Oliveira Os artigos assinados e opiniões são de responsabilidade de seus autores CORRUPÇÃO SEM FIM Creio que o termo correto seja esse aí, e não o fim da corrupção, pois ela não acabará nunca, enquanto existir dinheiro público e qualquer governante que disser que vai combatê-la e exterminá-la, estará mentindo para o povo. A corrupção em nosso país não é de agora. Ela foi aqui introduzida nos anos de 1700 por um ex-abade que abandona a batina para se casar com uma viúva rica. Sebastião José de Carvalho e Melo, era uma figura influente no reino de Portugal, foi Ministro do Rei D. José I, e quando chegou ao Brasil recebeu o título de Marquês de Pombal. O que ele fazia lá, introduziu aqui, isto é, nomear parentes para cargos públicos e distribuir propinas. Esse foi o ponto de partida para incentivar os maus brasileiros a enriquecerem de forma desonesta. Mais recentes estão aí os mensalões, os escândalos com roubo na Petrobrás, num passado não muito distante o propinoduto aqui no Rio de Janeiro. Já dizia o ex-presidente Getúlio Vargas, certa vez numa conversa com o humorista de saudosa memória, Silvino Neto no Palácio do Catete: “Cada amigo que eu convido para o meu governo, é mais um ladrão que eu faço sem querer”. A pena aqui é branda e mesmo que ela se torne mais rigorosa, essa prática nunca acabará. Na China e na Coréia do Norte a corrupção é punida com a pena de morte e mesmo assim, chineses e coreanos se arriscam à roubar. Imaginem no Brasil em que os ladrões são punidos com prisão domiciliar? Com toda mordomia. Enquanto isso, ladrões conhecidos como pés de chinelo, pretos e pobres, são espancados e jogados na prisão fechada porque furtaram um alimento no mercado para matar a fome, sua e de sua família. BALCÃO DE NEGÓCIOS O Senador Álvaro Dias (PSDB do Paraná). Reeleito para mais um mandato disse em alto e bom som numa mesa redonda na TV Bandeirantes que o Congresso Nacional “é um balcão de negócios”. Lá o regime é de toma lá e dá cá, isto é, só se tem projeto de interesse do governo aprovado se houver compensação com favorecimento de cargos ou até mesmo dinheiro. Trata-se de um verdadeiro absurdo entre cidadãos que se dizem representantes do povo. SEM OPOSIÇÃO O colunista Gilberto Barbosa revela para esse repórter “que não existe oposição a governo nenhum, pois todos estão unidos para governar e legislar em benefício próprio, contra os interesses do povo e da nação. Daí, a falência da saúde, da educação e da segurança pública. E aí, está uma democracia fajuta junto de pós-ditatura”. Concordo. IMAGEM FALSA Na mesa redonda na TV Bandeirantes no domingo, 5 de Outubro, depois da eleição do primeiro turno, um dos debatedores disse o seguinte: “os marqueteiros construíram uma imagem da Dilma que não corresponde a realidade”. IMPOSTO DE RENDA As garras do leão da Receita Federal, pegaram o Diretório Municipal do PMDB de Maricá com uma dívida de cerca de R$ 5.000,00 de imposto de renda. Foi feito um acordo e o diretório parcelou a divida em oito vezes. São R$ 500,00 por mês, difíceis de serem arrecadados porque o diretório está de caixa vazia, revelou ao repórter, um membro do partido. E que ainda adiantou que tem figurões do diretório se recusando a colaborar para saldar a dívida com o leão. TRIBUNA MARÍTIMA Meu colega de Marinha Mercante. Comandante Carlos Nardin retorna de Belém onde foi passar o Cirio de Nazaré (ele é paraense da cidade de Soure na Ilha do Marajó) e me traz um exemplar da Revista Tribuna Marítima editada na capital paraense pelo conterrâneo jornalista Alírio Sabá. A revista é de primeira categoria, tanto na parte editorial, como na gráfica e foi lendo uma de suas páginas que fiquei sabendo que a nossa querida e tradicional Escola de Marinha Mercante é agora chamada de Universidade do Mar. PEDRO SIMON O Senador não foi reeleito para mais um mandato. Quem perde é o povo e o próprio Congresso Nacional, onde uma das cadeiras era ocupada por esse Senador, uma das reservas morais da política brasileira. Esse, tenho certeza nunca fez parte do balcão de negócios. Acompanhe também as notícias em tempo real acessando o BARÃO ON LINE www.obarao.blogspot.com
  3. 3. NOV/DEZ 2014 JORNAL DO MUNICÍPIO - 3 REPORTAGEM Opinião Uma palavra sobre o PDT O eleitor hoje está pouco se importando se o candidato é competente para desempenhar um cargo público. Se não lhes oferecem vantagens uma maioria não vota. É o toma lá dá cá que se viu na eleição de Maricá com a máquina municipal funcionando em torno de seus candidatos. Quem vota não se vende mais em troca de um saco de cimento, meia dúzia de manilhas ou uma dentadura. È dinheiro vivo com o voto custando em torno de R$ 150,00 a 200,00 (que coloquem a carapuça os que se venderam) ou até mesmo aqueles que sem receberem dinheiro foram buscados em casa em carros alugados pela máquina par votarem no candidato do prefeito. O PDT não faz o jogo do toma lá dá cá, e por isso, vem sofrendo sucessivas derrotas não só em nosso município, mas em todo o Brasil. Na eleição de 5 de outubro, elegeu apenas dois governadores à nível nacional e um deputado federal e três estaduais a nível regional. É muito pouco para um partido que já liderou por muito tempo os debates no país levando para o congresso nacional e assembléias legislativas nomes de peso da política nacional. Em Maricá a cena vem se repetindo desde 2004 quando o médico Carolino Santos depois de realizar excelente administração no município de Barra dos Garças em Mato Grosso, estava credenciado para ser prefeito de Maricá com o melhor programa de governo. Mas, o povo não entendeu e ele perdeu fato que se repetiu em 2008. Falta competência a ele? Claro que não. Apenas Carolino não participa de negociatas não se compromete com ninguém e tenta fazer uma política de ficha limpa. O eleitor não quer. Ele prefere o ficha suja, o mentiroso, o promesseiro. Julio Carolino e Carolino Santos Julio Carolino, seu filho, não se elegeu Deputado Estadual por que segue as mesmas pegadas do pai. Mas como ainda é novo tem muito o que aprender nesse universo. 2016 vem ai. Espero que o eleitor se conscientize e seja politizado para saber o que é melhor para ele. Por enquanto ele quer o peixe e ter o trabalho para sair para pescar. TODOS UMA RETROSPECTIVA DAS ELEIÇÕES DE OUTUBRO CONTRA QUAQUÁ Está em curso uma mobilização para frear o poder do presidente estadual do PT, Washington Quaquá – que prega o rompimento radical com o PMDB, a ponto de não aceitar qualquer convite para o partido integrar o governo Luiz Fernando Pezão. Professor Tarcísio, prefeito de Paracambi, reuniu, sexta-feira, numa feijoada, todos os prefeitos do PT do Estado – que, nada por acaso, já apoiavam Pezão desde o primeiro turno. O pretexto era fazer uma confraternização. Mas quem estava presente garante que o clima era de “todos contra um”. CORONEL Quaquá está sendo alvo de queixas até de integrantes do diretório estadual, que chamam a gestão dele de coronelista. O moço não reúne o diretório, como é a tradição do partido, desde que tomou posse. Desde então, as decisões que anuncia são da própria cabeça. MALVADOS As péssimas línguas apelidaram o prefeito de Maricá de “Picciani do PT”. Edson Torres. As eleições já se passaram, alguns eleitores já até esqueceram em quem votaram e o próximo passo agora é a partir de 1º de Janeiro de 2015 cobrar as inúmeras promessas feitas durante a campanha eleitoral. GOVERNADORES Estão eleitos os vinte e seis governadores dos Estados e do Distrito Federal, alguns reeleitos. Por partido foram os seguintes os resultados: PMDB: 7; PSDB: 5; PT: 5; PSB: 3; PDT: 2; PSD: 2; PC do B: 1; PP: 1 e o PROS: 1. Nesse resultado há que se destacar de forma negativa o PDT que elegeu apenas dois, o do Amapá e o do Mato Grosso. É muito pouco para um partido que até pouco tempo, tinha a supremacia nas urnas. Muitos dizem que o PDT morreu com Brizola. EM MARICÁ, DEU PEZÃO O prefeito Quaquá, sofreu duas grandes derrotas nesta eleição. Ao apoiar Lindberg Farias para governador no primeiro turno e Marcelo Crivela no segundo, mostrando um grande desprestígio como presidente regional do partido, cuja maioria dos prefeitos decidiu pelo apoio ao governador eleito, Luís Fernando Pezão. Nessa aí Quaquá ficou sozinho, o que será ruim para Maricá. Pezão teve trinta e um mil votos contra vinte e novo mil de Crivela. Dilma teve vinte e nove mil votos em Maricá. BAIXADA FLUMINENSE Outro derrotado, desta vez na baixada fluminense, foi o prefeito de São João de Meriti, Sandro Matos. Como não conseguiu ser o vice de Pezão, brigou com seu partido, o PDT, e foi apoiar Lindberg no primeiro turno, e depois Crivela no segundo. Conseguiu reeleger o seu irmão Marcelo Matos, deputado federal, mas não elegeu o estadual Marcelo Simão. Em Caxias deu Crivela, duzentos e treze mil votos, contra cento e noventa e três mil de Pezão. Crivela ainda ganhou em São João de Meriti, Belford Roxo, Mesquita, Nilópolis, Itaguaí e Magé. Já Pezão, levou a melhor em Nova Iguaçu, Japeri, Paracambi, Guapimirim, Seropédica e Queimados. REFORMULAÇÃO DO PDT Nas eleições de 2010, o PDT elegeu sete deputados federais e onze estaduais. Agora em 2014 o partido de Brizola conseguiu eleger apenas um deputado federal (Marcelo Matos) e três estaduais (Cidinha Campos, Luís Martins e Jânio Mendes) o que é muito pouco. Daqui há dois anos, 2016, teremos as eleições municiais. Acreditamos que nesse espaço de tempo o partido passe por profunda reformulação solidificando suas bases a fim de não passar o mesmo vexame que acaba de passar em 2014. O partido está dividido com uma grande parte de seus membros não aceitando a liderança do candidato derrotado ao senado, Carlos Lupi.
  4. 4. 4 - JORNAL DO MUNICÍPIO NOV/DEZ 2014 AEROPORTO DE MARICÁ AGORA É DO ESTADO O aeroporto de Maricá não pertence mais ao Poder Municipal. Ele foi transferido para o Estado que se encarregará de administrá-lo daqui por diante, graças a uma portaria do Ministro Moreira Franco da Aviação Civil, que atendeu uma recomendação do Ministério Público. Como se sabe o aeroporto de Maricá opera vôos de pequeno porte e foi considerado estratégico para o crescimento econômico do Estado. Segundo Moreira Franco, “lamentavelmente a Prefeitura não estava cumprindo com as exigências, tanto que o MP se posicionou, porque as obras prometidas para o local não estavam sendo cumpridas”. OS FATOS O aeroporto de Maricá vem sendo notícia na imprensa desde Setembro do ano passado, quando um monomotor caiu no Centro da cidade. O prefeito Quaquá, na ocasião numa decisão intempestiva, violenta e truculenta, decretou o seu fechamento lacrando tudo e deixando a Guarda Municipal para impedir pousos e decolagens das aeronaves. As escolas de pilotagem foram proibidas de funcionar e os hangares foram fechados ocasionando em desemprego de duzentos funcionários. Com a Guarda Municipal de plantão no local, impedindo pousos e decolagens, aconteceu uma tragédia: um bimotor Piper que havia decolado do aeroporto de Jacarepaguá com o piloto e o juiz de Direito Carlos Alfredo Flores da Cunha, ao apresentar problemas tentou um pouso de emergência aqui, mas foi impedido pela Guarda Municipal. O piloto então arremeteu e foi cair na lagoa matando seus dois ocupantes. Naquela época dissemos que ficou caracterizado um crime de natureza dolosa, um processo foi instaurado e até hoje se aguarda uma decisão da justiça para punição dos culpados. Congresso quer fazer reforma política que melhor lhe convier. Com certeza não será a reforma que a presidente quer e nem o povo deseja. Um dia depois da liderança do PMDB reagir no Congresso contrariamente à proposta de fazer reforma política por meio de plebiscito, a presidente Dilma Rousseff (PT) flexibilizou o discurso em relação ao tipo de consulta popular. Durante toda a campanha, ela defendeu que as mudanças no sistema político-eleitoral fossem definidas por plebiscito. Agora ela admitiu a possibilidade de realização de referendo, como querem os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB), e da Câmara, Henrique Alves (PMDB). Dilma disse que o assunto é prioridade, porque, ao viajar pelo país na eleição, ela viu diversos setores sociais mobilizados nessa discussão. - Eu quero a participação da população(...) Acho que não interessa muito se é plebiscito ou referendo. Se houver um acordo sobre o que vai constar (na reforma) pode ser uma coisa ou outra. A presidente destacou, entretanto, que será difícil o debate do tema sem que tenha a participação popular. - Acho que vai ser muito difícil essa discussão não ser interativa. Que o papel é do Congresso, não há dúvida. Agora, o Congresso vai compartilhar esse processo com a população. Dilma garantiu que chamará a oposição para o diálogo com a nação, como prometido em seu pronunciamento na festa da vitória da campanha. Ela incluiu os presidenciáveis derrotados Aécio Neves (PSDB) e Marina Silva (PSB) na lista de representantes a serem procurados. - Não acredito que alguém queira um futuro pior para o país. Então, já tem aí um ponto de unidade, de possível união. Acredito que a disposição para o diálogo é essencial pós-eleição. Obviamente, esse diálogo tem que abranger a maior parte ou todos os setores organizados que se dispuserem. Isso inclui aqueles que foram oposição e adversários meus durante o processo eleitoral. AS PROMESSAS SÃO SEMPRE AS MESMAS Eleitor descrente com os nossos políticos, diz em carta porque não vota: “Não votar é uma forma de mostrar meu descontentamento. Desde o meu primeiro voto, no início dos anos 90, os candidatos fazem as mesmas promessas no período eleitoral. Eles sempre dizem que, se eleitos, oferecerão Saúde e Educação de qualidades e segurança. Mas a gente não vê melhorar após as eleições. Não votei no primeiro turno porque não me identifiquei com as propostas de nenhum candidato. E também não confio na urna eletrônica. Agora, no segundo turno, vou fazer a mesma coisa. Não voto no Pezão porque ele representa o Cabral, o PMDB e série de escândalos. E não voto no Crivella porque a mistura de política com religião é péssima, prejudica políticas públicas importantes, como prevenção ao HIV e redução de danos para usuários de drogas. Ou seja, melhor não sair de casa”. Cazu Barros MOMENTO ELEITORAL A sociedade assiste incrédula, perplexa e assustada à uma verdadeira guerra eleitoral, que foi travada entre os candidatos à presidência da República e os candidatos a governador de Estados, na qual os canhões foram substituídos por violentas acusações e achincalhes. Até a vida pessoal e familiar foram envolvidas. Mas acontece que, até outro dia - e, certamente, isso continuará depois das eleições – esses candidatos que se digladiam hoje são e serão, na verdade, farinha do mesmo saco, voltarão a bater taças e beber vinho, champanhe e uísque, nem se lembrando da existência do povo. Engraçado é que foram denunciados nominalmente como corruptos vinte e cinco políticos, entre deputados, senadores, ministros e governadores, que receberam propinas da Petrobrás, em troca de apoio ao governo, mas ninguém fala nada. Falam tanto menos na punição aos corruptos. Salim Salomão
  5. 5. NOV/DEZ 2014 JORNAL DO MUNICÍPIO - 5 PAULO MELO REVOLTADO COM SUA VOTAÇÃO EM MARICÁ Ele nunca fez nada pelo nosso município, mas foi sempre bem votado aqui. Em duas eleições passadas quando tinha aqui apenas um cabo eleitoral – o nobre Robson Dutra – Melo chegou a ter mais de cinco mil votos nas urnas da cidade. Como nesta eleição de 2014 Robson foi apoiar a candidata do prefeito a deputado estadual em agradecimento as benesses que recebe do Poder Municipal, Paulo Melo, apesar dos cento e vinte e cinco mil votos, que garantiram sua reeleição, aqui em Maricá teve menos de três mil votos. E olha que desta vez ele tinha aqui três cabos eleitorais, sendo dois ex-prefeitos municipais e um ex-vereador, investindo oitocentos mil reais, para ser bem votado aqui o que acabou não acontecendo. O que demonstra também que os dois ex-prefeitos não tem mais representatividade política em Maricá. Muito menos o ex-vereador. NOVO NOBRE E A PRESIDÊNCIA DA CÂMARA MUNICIPAL A partir de Fevereiro de 2015, a Câmara Municipal, terá um novo nobre. Com a saída de Fabiano Horta, para a Câmara Federal, assumirá o suplente Felipe Auni, que em 2012 durante as eleições municipais rompeu com Quaquá de quem era aliado. Agora com a vaga em aberto dizem as más línguas que ele já se acertou com o prefeito e será o mais novo integrante da bancada do governo que assim continuará sem oposição. Quanto a presidência do legislativo para a próxima legislatura, dois nobres disputam o cargo: Bubute e Aldair da Linda. Entretanto, a palavra final será dada pelo prefeito que vai impor um nome para substituir Horta. A PULVERIZAÇÃO DOS VOTOS A pulverização dos votos continuou. Em Maricá não foi diferente. O Jornal do Município divulga os vinte mais votados e eleitos para a Assembléia Legislativa e a Câmara Federal. Carlos Macedo (PRB) 1.064 Carlos Minc (PT) 1.300 Chico Alencar (PSOL) 891 Chico D’Angelo (PT) 757 Clarissa Garotinho (PR) 785 Eduardo Cunha (PMDB) 609 Fabiano Horta (PT) 15.327 Flávio Bolsonaro (PP) 1.019 Jair Bolsonaro (PP) 2.371 Jean Wyllys (PSOL) 735 Julio Lopes (PP) 1.327 Marcelo Freixo (PSOL) 1.746 Marco Antônio Cabral (PMDB) 828 Nivaldo Mulim (PR) 1.827 Paulo Melo (PMDB) 2.399 Rafael Picciani (PMDB) 2.121 Roberto Sales (PRB) 1.146 Samuel Malafaia (PSD) 747 Wagner Montes (PSD) 1.135 Zeidan (PT) 24.596 PROMESSA É DÍVIDA De quatro em quatro anos, a população é bombardeada por uma série de promessas de candidatos ao governo estadual. Se todas fossem cumpridas certamente viveríamos num paraíso. Mas nem sempre o que é dito, é cumprido pelos que são eleitos. E na maioria das vezes o eleitor esquece de cobrar do governante as propostas defendidas durante a campanha. A vez agora é de Luís Fernando Pezão. Saúde, educação e segurança pública, estão sempre nas pautas das propostas, mas até hoje pouco se fez nesses três setores. O governador reeleito disse que reduzirá a espera por serviços médicos, auxiliando os município a investirem em saúde básica e construindo UPAs, clínicas de família e hospitais. “Quero ajudar os municípios a aumentarem a saúde básica. Isso reduz a emergência dos hospitais”. “Vamos levar água para a Baixada. Só de investimento são mais de R$ 3 milhões que estão na nossa conta”. “Vamos aumentar a taxa de elucidação de crimes, que hoje é de 27,5%, para um patamar superior a 50%”. Essas são apenas três promessas. A lista é grande e cabe ao eleitor fiscalizar e cobrar. Do contrário elas se transformam de promessas em mentiras. Dr. Felipe Auni e o Deputado Federal eleito Fabiano Horta JORNAL DO MUNICÍPIO A verdade sempre! DESORDEM E RETROCESSO OU ORDEM E PROGRESSO Com estas duas frases bem significativas, sendo uma delas emblema da bandeira brasileira, pergunto: qual das duas definiria melhor o momento atual? A descrença nos políticos e nas instituições, que deveriam ser democráticas, tomaram rumos incertos e indefinidos, abrindo espaços e brechas para indivíduos mau caráter, sem a mínima qualificação moral e intelectual, penetrarem nessas instituições, graças ao número excessivo de partidos e voto obrigatório. Daí estarmos assistindo à corrupção em todos os níveis governamentais e má gestão do dinheiro público por alguns destes irresponsáveis travestidos de políticos, que inocentemente nós os elegemos para zelar pelos nossos direitos. Fala-se muito nas campanhas políticas patrocinadas pelos banqueiros, traficantes e milicianos, menos no patrocínio da cúpula do bicho. Nessa ninguém fala, talvez seja por causa do carnaval. Além desses, ainda presenciamos o injusto investimento de um plano de saúde em um clube de futebol daqui do Rio de Janeiro, está certo isso? Tudo é permitido nessa estrutura política vigente que tem o apelido de democracia. Nessas resumidas linhas queremos apenas mostrar aos nossos leitores a atual situação em que se encontra esse país. A conclusão fica a critério de cada cidadão. Gilberto Barbosa
  6. 6. 6 - JORNAL DO MUNICÍPIO NOV/DEZ 2014 CRESCIMENTO ECONÔMICO CARTAS SEM DESENVOLVIMENTO Nos últimos dez anos, o Brasil passou por algumas mudanças. O número de automóveis, telefones celulares, máquinas de lavar, computadores, cresceu bastante. Por outro lado a rede de esgoto, a água tratada nas residências, uma saúde pública de qualidade, assim como uma educação de primeiro mundo, ficou muito a desejar. Temos então que fazer uma pergunta: “Houve nos últimos dez anos, desenvolvimento no Brasil?” Um grande estudioso do nosso país, contribui para que possamos obter alguma resposta: O grande economista brasileiro Celso Furtado em seus estudos faz questão de refletir sobre uma situação típica brasileira. Nosso país não teve modernidade e sim modernização. Ao lado da ausência da modernidade, como conseqüência, temos um grande problema. Nos últimos anos o Brasil, segundo alguns estudiosos, cresceu economicamente. Alguns setores da sociedade, cresceram economicamente. Alguns setores da sociedade conseguiram aumentar seu poder de compra, o que nada tem a ver com desenvolvimento. O desenvolvimento, segundo Celso Furtado, deve ser um projeto da sociedade antes de sê-lo do Estado. O desenvolvimento que está intimamente ligado aos avanços sociais só surgirá com as pressões políticas da população. É somente com a melhoria das condições de vida da população que o crescimento econômico se transforma em desenvolvimento como dizia nosso maior economista falecido em 2004. José Elíseo de Barros NÃO GOSTEI Não gostei do resultado das eleições. Onde estão as mudanças que o povo tanto almejava? José Luís Albuquerque SEM RESPOSTA O eleitor não deu sua resposta de protesto nas urnas. Deixou como está para ver como é que fica. Gustavo Freitas QUEM DIRIA O Pezão que começou a campanha com três por cento de preferência do eleitorado, dar a volta por cima e ganha a eleição. Será que o povo votou errado? Guilherme de Barros DERROTADOS Garotinho e Lindberg foram os grandes derrotados nessa eleição. O povo do Rio de Janeiro os rejeitou. Ainda bem! Carmem Lúcia APOIO DE QUAQUÁ Quaquá preferiu apoiar Crivela e se deu mal. Quem perde com isso, é Maricá que ficará de fora da ajuda do governo estadual. Sebastião Carvalho CENAS DE TERROR Soube que o candidato Pezão quando esteve em Maricá, na campanha eleitoral, quase foi agredido pelo pessoal do PT. Antonio Almeida ASSISTENCIALISMO É o que faz o PT para ganhar eleição. Em vez de dar emprego, dá esmola. Julio Brandão INCOMPETÊNCIA Acho que o eleitor mais uma vez não teve competência para escolher seus representantes. A maioria ficou, garantindo um emprego de mais quatro anos. José Arruda REFORMA POLÍTICA A promessa tem que ser cumprida e essa reforma política tem que sair. Vamos acabar com a reeleição e diminuir o mandato de senador de oito para quatro anos. Adão da Silva CABRAL APARECEU Foi só sair o resultado das urnas, para Sérgio Cabral reaparecer no cenário político. Até então estava escondido para não prejudicar seu candidato. Ismael Cardoso ROMÁRIO O que é que o Romário vai fazer no senado? Pedro Silva AÉCIO, PRESIDENTE Uma pena que ele não tenha sido eleito presidente da República. Cheio de idéias inovadoras, o país perde uma oportunidade de mudar sua trajetória política. Osvaldo Cunha EMANCIPAÇÃO – A LUTA CONTINUA Emancipação, quando abordamos, o que tenho feito mensalmente por um bom período, pretérito, não o fazemos somente como um tema, mas sim como a continuação de uma árdua luta que vimos travando ao longo do tempo, cada vez com o ânimo mais renovado. E qual o motivo ou a razão deste nosso estado de ânimo? A razão vem do fato de sentirmos de parte da população que não estamos só e nem pregando no deserto, pois o povo residente na área emancipada, demonstra que deseja a criação do município, tanto que sempre nos anima com palavras de estímulo. De outra parte vem nosso espírito de luta e da coragem e paciência que temos tido para lutar e reclamar das nossas autoridades, ditas democratas, que há vários anos, desde 1996, vem dificultando as emancipações de distritos para a criação de novos municípios, por este país a fora. Nossas autoridades foram céleres em cancelar a legislação vigente, até 1996, quando resolveram alterar o parágrafo do artigo da Constituição Federal que regulava o assunto e não tiveram a mesma presteza em criar a nova lei. Recentemente o Congresso votou uma nova legislação para solução do problema, tendo no entanto a presidente da República vetado totalmente o projeto e até a presente data não houve o julgamento de parte deste mesmo Congresso do veto, ao projeto de lei que foi apresentado. O que podemos afirmar é que a luta continua. Rodovaldo Coutinho JORNAL DO MUNICÍPIO A verdade sempre! Acompanhe também as notícias em tempo real acessando o BARÃO ON LINE www.obarao.blogspot.com JORNAL DO MUNICÍPIO A verdade sempre! DANIELLE RAMALHO É A MISS CARIOCA PLUS SIZE 2014. MARICAENSE DANIELLE ANTUNES BRILHA E FICA NO TOP 10 A professora Danielle Ramalho (foto abaixo) moradora do Leblon no Rio de Janeiro, conquis-tou a quinta edição do Miss Carioca Plus Size que acontecei no sábado 22/11 na Casa de Espanha no bairro do Humaitá no Rio. Vinte e três candidatas disputaram o título máximo da beleza Plus Size do estado do Rio de Janeiro. O produtor Pery Slgado, Danielle Antunes e Eduardo Araúju (produtor do Miss Carioca Plus Size) Danielle Antunes (Miss Maricá Plus Size 2014), eleita em 19 de outubro passado em concurso reali-zado pela PR Produções, ficou entre as TOP 10 do concurso. Danielle além do título maricaense, con-quistou também o título de Miss Lagos Plus Size 2014.
  7. 7. NOV/DEZ 2014 JORNAL DO MUNICÍPIO - 7 Comandante Nardim O CÍRIO DE NOSSA SENHORA DE NAZARÉ Dia 12 de Outubro próximo passado realizou-se o tradicional Círio de Nazaré em Belém do Pará. O Jornal do Município, se fez presente e acompanhou a manifestação de religiosidade e de fé dos paraenses, destacando a devoção do povo do Pará pela padroeira de seu Estado. Tradicionalmente a procissão se realizava desde 1793 no mês de Setembro e posteriormente no segundo domingo do mês de Outubro e conta com a participação dos religiosos paraenses dos mais longínquos locais do Estado do Pará, que ocorrem à procissão da santa padroeira para agradecer as graças alcançadas. Inúmeros fiéis acompanham a procissão exibindo réplicas de objetos, como a casa própria alcançada, em agradecimento ao pedido feito à Santa. Partes do corpo humano moldado em cera, como cabeça, perna, braço e outras partes do corpo, retratam as graças alcançadas por operações realizadas aos devotos, segundo os paraenses, atribuídas a milagres de Nossa Senhora de Nazaré. É uma festa digna de menção pela devoção que acompanha os paraenses desde 1700, quando se deu o milagre da aparição da imagem de Nossa Senhora de Nazaré. Segundo a história, um pescador de nome Plácido à colher sua rede de pesca, resgatou a imagem que estava no leito do rio e a colocou em uma pequena capela improvisada. Toda vez que a imagem era retirada, supostamente para lugares mais adequados, da pequena capela, misteriosamente voltava para o mesmo local. Foi criada então a procissão que passou a ser chamada de “Círio de Nazaré”. O andor da santa era colocado em uma carroça puxada a bois e percorria o mesmo percurso adotado até hoje. Menciona a história que certa vez a carroça atolou em uma rua não pavimentada, fazendo com que os fiéis carregassem a berlinda da santa. Para proteger o andor, criaram uma proteção: uma corda circunda a berlinda sustentada por fiéis que disputam à força um lugar para segurá-la, como promessa à Santa Padroeira. Ao terminar a procissão a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, fica exposta na Basílica de Nazaré, justo no lugar onde existia a pequena capela que guardava a imagem original da Santa. Durante os quinze dias subseqüentes, realiza-se eventos religiosos na Basílica que dispõe em frente de um arraial onde pode-se encontrar todas as comidas típicas dos paraenses: Tacacá, maniçoba, caruru, unha de caranguejo (um bolinho contendo uma pata do caranguejo), aluá (uma bebida feita de milho). A festa do Círio para os paraenses assemelha-se à festa do Natal. Ao se despedirem as pessoas se cumprimentam com a frase, “Feliz Círio”. É uma semelhante a de Nossa Senhora Aparecida em Guaratinguetá (São Paulo) e a Nossa Senhora dos Navegantes (procissão marítima no Rio Guaíba em Porto Alegre – Rio Grande do Sul). Os maricaenses guardam certa identidade com os paraenses: a bandeira do município de Maricá, assemelha-se à bandeira do Estado do Pará, com uma única diferença, a bandeira de Maricá é de cor vermelha com uma faixa diagonal branca e quatro estrelas azuis; enquanto a do Pará, tem apenas uma estrela azul que simbolizava, no passado, o único Estado brasileiro localizado acima da linha do Equador. Em Saquarema, município do Rio de Janeiro, próximo à Maricá, existe também uma igreja de Nossa Senhora de Nazaré, onde é celebrada a manifestação da Santa Padroeira dos paraenses, para onde convergem os cidadãos do Pará radicados no Rio de Janeiro e cidades próximas. O Pará está de parabéns por manter a tradição e a religiosidade devotada pelo seu hospitaleiro povo, que cativa a simpatia à primeira vista dos forasteiros que chegam àquela cidade banhada pelo Rio Guamá e Baía de Guarajá. 2015: O ANO DOS FERIADÕES Ao contrário do que aconteceu este ano, os feriados em 2015 acontecerão as segundas-feiras, quintas e sextas-feiras. O que provocarão os chamados feriadões. Aqui no Rio serão cerca de onze feriadões, fora o carnaval e a semana santa. Esse grande número de feriados divide a economia do país, sendo bom para o turismo e péssimo para o comércio. OS FERIADÕES DE 2015 JANEIRO: 1º - quinta-feira – Confraternização Universal 20 - terça-feira – Dia de São Sebastião (na cidade do Rio) FEVEREIRO: 17 - terça-feira – Carnaval* ABRIL: 3 sexta-feira – Sexta feira da Paixão 21 – terça-feira – Tiradentes 23 – quinta-feira - Dia de São Jorge (no Estado do Rio) MAIO: 1º - sexta-feira – Dia do Trabalho JUNHO: 4 - quinta-feira - Corpus Christi SETEMBRO: 7 - segunda-feira – Independência do Brasil OUTUBRO: 12 - segunda-feira – Dia de Nossa Senhora Aparecida NOVEMBRO: 2 - segunda-feira – Finados 20 - sexta-feira - Dia da Consciência Negra DEZEMBRO: 25 - sexta-feira - Natal ARTUR MARQUES RIBEIRO O legendário Pedro Azulão, completou no dia 11 de Novembro, a invejável idade de oitenta e quatro anos. Nascido em Portugal, Artur chegou ao Brasil na década de 1950 e logo depois veio morar em Maricá, onde constituiu família. Naturalizado brasileiro optou por torcer pelo Flamengo. Artur Riberito com seus filhos durante a festa dos 84 anos do decano do jornalismo de Maricá
  8. 8. 8 - JORNAL DO MUNICÍPIO NOVEMBRO/DEZEMBRO 2014 inscrições podem ser feitas através do (facebook) PIRÃO ELÉ- TRICO e XVI Festival Nacional de Voz e Violão ou pelos telefones 3731-1651 e 99281-4037. Dia 14 de dezembro acontecerá a décima sexta edição do Festi-val Nacional de Voz e Violão, este ano exclusivamente para músicos de Maricá e região. Devido ao ano eleitoral e aos graves problemas financeiros que assolam os empresários de Maricá, o Festival não pode receber músicos vindos de todos os cantos do Brasil como sempre aconteceu. Mas o produtor Pery Salgado garante que em 2015 tudo voltará ao normal, com o reforço da equipe do Pirão Elétrico que estará a partir desta edição ajudando na produção. As

×