JORNAL DO MUNICÍPIO - janeiro de 2015

667 visualizações

Publicada em

- Maricá sem água
- PDT tem duas secretarias no estado
- Renovação no PDT de Maricá
- EPT uma empresa despreparada para servir
- A estréia da sessão VOZES DA RUA
- Repórter ET

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
667
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
250
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

JORNAL DO MUNICÍPIO - janeiro de 2015

  1. 1. ANO XI - JANEIRO 2015 Diretor Responsável: Jornalista EDISON TORRES JORNAL DO MUNICÍPIO MARICÁ www.obarao.blogspot.com jornal.domunicipio@yahoo.com.br Maricá sem água. O verão chegou e com ele a eterna falta d’água nas torneiras. Mais uma vez a população sofre com a falta de investimentos, aqui o que favorece a industria dos carros pipa, que estão cobrando alto para abastecerem as cisternas. Segundo uma fonte da Cedae só o centro de Maricá já está há oito meses sem água. Enquanto isso, a empresa investiu R$ 73 milhões em Itaipuaçu e Inoã e lá o chamado precioso líquido está jorrando nas torneiras. As autoridades municipais estão caladas e na Câmara Municipal não tem uma voz que se levante em defesa da população. Página 5 MARICÁ SEM ÁGUA Felipe Peixoto era para ser hoje, o vice governador do Estado. Com o rompimento da coligação PDT – PMDB ele se manteve fiel ao governador eleito e foi contemplado com a Secretaria de Saúde, Cidinha Campos, continua na Secretaria de Defesa do Consumidor. Página 8 PDT COM DUAS SECRETARIAS NO GOVERNO PEZÃO Editorial Oito anos e nada mudou Página 2 Memória Nacional O Presidente JK Página 4 O projeto do pólo petroquímico de Itaboraí Página 7 O novo presidente da Câmara dos Vereadores Uma reforma política de verdade Repórter ET Página 3 Dilma assume loteando os trinta e nove ministérios Página 7 Uma palavra sobre o PDT Página 3 Vozes da Rua Página 2
  2. 2. 2 - JORNAL DO MUNICÍPIO JANEIRO 2015 Expediente: JORNAL DO MUNICÍPIO de Maricá Editora JC - Av. Rio Branco, 14 - 18º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ Diretor Executivo: Tiago Salles - Editor Responsável: Edison Torres, RP 385-DRT-PA Redação: jornalismopr@hotmail.com / jornal.domunicipio@yahoo.com.br Digitação: Pery Salgado e Stephanie Dalliany Programação Visual: PR PRODUÇÕES www.obarao.blogspot.com Representante:TRÁFEGO PUBLICIDADE Distribuição: Central de Jornalismo - Rua Barão de Inohan 233 - Centro - Maricá > Tel.: 2637-4170 Impressão: A TRIBUNA Fotos: Pery Salgado e Rosemery Oliveira Os artigos assinados e opiniões são de responsabilidade de seus autores OITO ANOS – NADA MUDOU A tão apregoada Nova Maricá, até agora não saiu do papel. Em 2009, há portanto, seis anos, esse jornal noticiava que com a síndrome do petróleo, com o dinheiro da iniciativa privada que estava sendo jogado aqui e a especulação imobiliária, a tendência era o crescimento urbano, sufocar de vez o rural. Como aconteceu com a Barra da Tijuca no rio, a nossa cidade se transformaria numa verdadeira selva de pedra. Dois anos antes, em 2007, um cartório da cidade era invadido por uma avalanche de documentos contento projetos que seriam executados em oito anos, mas que em quatro Maricá já começaria a sentir as mudanças, como por exemplo, a transferência do centro administrativo para a Fazenda Bom Jardim, a construção de resorts e prédios residenciais de até quinze andares. Esses empreendimentos, entretanto, dependeriam de dinheiro do pré-sal e da construção do pólo petroquímico de Itaboraí, cuja inauguração estava prevista para 2011 e até hoje se arrasta num compasso de espera que tem se notabilizado pelas constantes greves dos trabalhadores no local. Tentados pelo paraíso que aqui se instalaria, mas não se instalou, o que se viu foi o crescimento populacional de quarenta e seis mil habitantes, no final da década de 80, para cento e cinqüenta mil nos dias de hoje. A tão pacata Maricá transformou-se repentinamente num foco de violência. A espera de um milagre estão propriedades que se transformariam numa selva de pedra, entre elas tapera que pertenceu a Lúcio Tomé Feteira, Cassorotiba, Pilar, Tulon e a Fazenda Bom Jardim ao lado do Condado que foi comprada pela multinacional Brascan. “Estamos vivendo um momento histórico‘ disse o dono do cartório, ao repórter e acrescentou: “são projetos previstos para oito anos”. 2015 chegou e os oito anos também, Maricá continua como dantes, sem qualquer sinal no horizonte de que as coisas irão melhorar. Edison Torres EDITORIAL AEROPORTO Gostaria de saber como está a situação do Aeroporto de Maricá. Ele foi tirado da prefeitura e entregue ao governo do Estado. E agora como que fica? Quando ele voltará a funcionar? José Luís Albuquerque FERIADÕES Grande 2015! Como este jornal noticiou o ano que começa tem uma penca de feriadões. O comércio diz que vai perder bilhões. É mentira. Gustavo Barros PAULO MELO E o Paulo Melo, amigos ganhou uma secretaria e vai trabalhar ao lado de Pezão. Serve de consolo pela derrota na queda de braço com Picianni, que volta a ser o mais poderoso da Assembléia. Por que eles brigam pelo cargo? Será que tem algum tesouro escondido embaixo da mesa da presidência? Com a palavra, o povo. Romildo Correa É CORONEL Gostei da notícia publicada por este jornal, quando diz que o prefeito Quaquá, está sendo chamado de coronel pelos membros do diretório regional do PT do qual ele se tornou presidente. Guilherme Freitas BALCÃO DE NEGÓCIOS Sujeira debaixo do tapete. Este é o Congresso Nacional que segundo, um de seus integrantes é um balcão de negócios. É o vergonhoso toma lá, dá cá. Antonio Barros IMAGEM FALSA Li no repórter ET que os marqueteiros chamados de plantão, construíram uma imagem da presidente Dilma que não corresponde a realidade. É a pura verdade. Estavan Soares FARINHA DO MESMO SACO Parabéns ao Dr. Salim Salomão que na edição passada desse jornal, disse que “os candidatos que se digladiaram na campanha eleitoral, são e serão na verdade, farinha do mesmo saco, voltarão a bater taças e beber vinho, champanhe e uísque, nem se lembrando da existência do povo”. Quanta verdade! José Arruda QUEM DIRIA Felipe Auni e Quaquá brigaram na eleição de 2012 e o primeiro foi jogado para escanteio. Agora com a saída de Fabiano Horta para Brasília, Auni que é médico vai assumir a cadeira vaga. Formaria, ele, uma bancada de oposição? Que nada, ele já se acertou com o prefeito. Que vergonha! Ismael Cardoso EMANCIPAÇÃO O senhor Rodovaldo Coutinho, brada no deserto em sua campanha pela emancipação dos municípios. Os políticos não estão nem aí, a prova é que o projeto que regula o problema está engavetado no Congresso, já cheio de poeira. Emelson Albuquerque TRISTEZA Vocês viram a foto do deputado Paulo Melo na edição passada desse jornal, pensativo e triste? Pois é, investiu aqui, segundo esse jornal, R$ 800 mil reais, e só obteve, pouco mais de dois mil votos. Se dependesse de Maricá ele estaria encerrando sua carreira política como deputado. Alvaro de Barros VOZES DA RUA NOTA DA REDAÇÃO A seção de cartas desse jornal foi agora transformada em Vozes da Rua. O título se identifica mais com o clamor da população que acompanha o dia a dia do município e opina publicamente concordando ou discordando ou ainda indagando sobre os mais variados assuntos.
  3. 3. JANEIRO 2015 JORNAL DO MUNICÍPIO ----- 3 Repórter ET ELEIÇÕES 2016 As eleições municipais do próximo ano já tem um pré-candidato à Câmara Municipal: trata-se de Clésio Soares que vai se desfiliar do PMDB e procurar um novo partido para concorrer ao pleito. Clésio já foi várias vezes presidente daAssociação de Moradores de Araçatiba, onde concentra seu eleitorado. ZAQUEU PROCESSA, MAS FICA NO PT Apesar de decidir levar a briga com o presidente do PT, Washington Quaquá, para a Justiça, Zaqueu Teixeira não cogita deixar o partido. Os dois, quase foram às vias de fato, na reunião do diretório regional, domingo. O estopim foi o questionamento de Zaqueu sobre os gastos do PT na campanha de Linbergh Farias, que terminou com uma dívida de R$ 12 milhões. “Já vi caixa 1 e caixa 2. Caixa 3, nunca”, disse Zaqueu, segundo correligionários. OFENSAS Irritado, Quaquá apelou e criticou o desempenho de Zaqueu como delegado. Ontem, o deputado limitou-se a divulgar nota dizendo que Quaquá “responderá civilmente e criminalmente pelas ofensas proferidas”. Já Quaquá não foi encontrado. (Jornal Extra) ELEIÇÕES 2018 Nem bem começou o seu mandato e Pezão já anunciou que na eleição de 2018, vai apoiar o atual prefeito do Rio. Eduardo Paes (PMDB) para governador tendo como companheiro de chapa Felipe Peixoto (PDT) que assumiu agora a Secretaria de Saúde. A REFORMA POLÍTICA Quando o Congresso Nacional iniciar uma nova legislatura em Fevereiro, deverá ter como prioridade a discussão e aprovação da Reforma Política que vem sendo prometida desde o desastroso governo Sarney, mas que parlamentares até hoje empurram com a barriga. O povo cansou e reagiu em 2013, com as manifestações de rua, senadores e deputados recuaram e prometeram tratar do assunto agora em 2015. Acontece que eles querem uma reforma à moda deles e não a que o brasileiro deseja. A presidente Dilma, em seu discurso de posse agora no dia 1º de Janeiro, disse em alto e bom som, que essa reforma política tem que sair este ano. O anti-popular Renan Calheiros que preside o senado, comanda um grupo contrário a realização de um plebiscito e a favor do referendo, isto é que o povo diga amém, aquilo que eles decidirem em plenário. E qual é a reforma que o povo deseja? Eis alguns pontos fundamentais: fim da reeleição para o executivo; o voto facultativo e a redução do mandato de senador de oito para quatro anos. Por que oito anos sugando os cofres públicos, que representa uma imoralidade. O repórter aponta alguns pontos que eles não vão querer nunca: a redução do número de cadeiras na Câmara Federal de 513 para no máximo 200 e de senadores de 81 para 40. Seria também muito bom acabar com a reeleição para deputado tanto federal, como estadual, estendendo-se a medida para vereador. Assim teríamos uma reforma política de verdade, deixando de ser a função de deputado, senador ou vereador um emprego de quatro anos ou mais. Com certeza o povo iria aplaudir, mas é sonhar demais. Quem está lá não quer sair a não ser que seja repudiado nas urnas pelo eleitor. VALORIZAÇÃO DO SALÁRIO MINIMO Dilma em seu discurso de posse falou em valorização do salário mínimo. Como valorização se ela foi contra os R$ 790,00 proposto pelo relator da proposta batendo o martelo em R$ 788,00, isto é, R$ 2,00 à menos para o pobre do aposentado. Ela continua enganando e o povo aceitando. É ou não é uma vergonha, por exemplo, um deputado que não faz nada aumentar o seu salário para R$ 33 mil, enquanto o aposentado que ralou a vida toda, terá que se contentar com os R$ 788,00. DESASTRE O ex-governador Agnelo Queiroz que é do PT, foi rejeitado pelo eleitor de Brasília que o mandou para casa vestir o pijama a não ser que seja contemplado com um cargo no governo federal. Foi um desastre a sua administração que terminou com m rombo nos cofres públicos, funcionários do governo. Sem receber salários, greves e ruas cheias de lixo. E olhe que Agnelo já havia sido Ministro dos Esportes no governo Lula, sem entender do assunto. CARREIRA METEÓRICA Ele já manda na Secretaria de Saúde e agora foi eleito presidente da Câmara Municipal, para esse segundo período legislativo. Trata-se do nobre Chiquinho que já confidenciou aos amigos que quer chegar a prefeito. DEVE SER BRINCADEIRA Segundo um jornal da cidade, o aniversário de um nobre da Câmara Municipal, deveria fazer parte do calendário de eventos da cidade. Isso só pode ser brincadeira. Do contrário... OUTRO DESASTRE Ele também é do PT e foi rejeitado pelo povo gaúcho: trata-se de Tarso Genso que não agradou ao povo do Rio Grande do Sul em seus quatro anos de governo. PMDB DE MARICÁ Nem Olímpio do Rêgo e nem Orlando Aguiar. Os dois iriam disputar a presidência do diretório municipal do PMDB nas eleições que estavam marcadas para Novembro passado. Acontece que a regional do partido interviu e prorrogou o mandato do atual diretório até o próximo dia 31 de Agosto. Essa decisão adiou, também o plano dos Picciani (pai e filhos), que pretendem tomar conta do partido aqui indicado um candidato à presidência que seria o nobre Felipe Bittencourt. O repórter porém descobriu que há uma corrente dentro dessa agremiação favorável ao nome de Vinicius Moro da juventude peemedebista. RECLAMAÇÕES Esse repórter foi criticado e recebeu reclamações de leitores porque na noticia divulgada na edição de Dezembro desse jornal apontando os vinte mais votados em Maricá, para a Câmara Federal e Assembléia Legislativa, não constava o nome de Marcelo Delarolli, que teve expressiva votação e foi um dos mas votados no município. O repórter foi observar e constatou que a notícia é clara: “Os 20 mais votados e eleitos”. Como Delarolli ficou na primeira suplência, logicamente o nome dele não poderia estar incluído, mas foi muito bem votado em Maricá. CHUTE NA GRAMÁTICA Não é só no governo que Dilma erra. Ao mandar seus subordinados chamá-la de presidenta, ela está usando um termo que não existe na língua portuguesa. Isso foi provado por um estudioso do assunto o desembargador Eduardo Mayr, que em seu livro, além de outras considerações diz: “em vernáculo”, só há um ou uma presidente. Seja homem ou mulher, como é o caso atual. Seria o caso de se dizer estudanta, adolescenta, pacienta, etc. Depois não sabem por que MEIO MILHÃO de estudantes tiram zero em redação no ENEM. A própria presidência da república ensina a escrever errado! REFORMULAÇÃO NO PDT Em conversa com esse repórter, Carolino e Julio Carolino revelaram que este ano de 2015 o diretório municipal passará por profunda reformulação já com vistas as eleições municipais por p´roximo ano. Um coisa é certa: um dos dois será candidato do partido prefeito.
  4. 4. 4 - JORNAL DO MUNICÍPIO JANEIRO 2015 No inicio de Dezembro do ano que terminou, o governo federal editou um decreto condicionando uma nova liberação de quase 450 milhões de reais, para as emendas individuais dos parlamentares ao orçamento à aprovação de proposta que muda a meta fiscal de 2014. Todo mundo sabe que as emendas são as meninas dos olhos de deputados federais e senadores, por se tratar de obras e intervenções governamentais geralmente destinadas pelos políticos às suas bases eleitorais. O decreto que a Presidente assinou em Dezembro, promete ampliar em R$ 10 bilhões, os gastos de toda a máquina pública do ano que passou, e destina essa cota R$ 444,7 milhões aos 513 deputados e 81 senadores, o que garantirá cerca de R$ 748 mil para cada um deles. Segundo informações vindas de Brasília, isso significa que cada um deles fechou 2014 com quase R$ 12 milhões destinados as suas bases. Agora vem o toma lá, da cá: o texto do decreto deixa explicitado a condicionante entre a liberação dos gastos e a aprovação do projeto que altera a Lei das Diretrizes Orçamentárias de 2014, o que permite ao governo descumprir a meta fiscal do ano recém-findo. Três ônibus não receberam número de ordem e ainda não foram adesivados com o nome a autarquia pois ainda não foram emplacados e não podem trafegar Adiscussãonasredessociaisdurantetodoestemêsdejaneiro foram as condições de uso dos ônibus vermelhinhos. Comissionados e apadrinhados é claro que entraram em cena para defender o indefensável. Nãoestamosquestionandooserviçogratuíto,estamosquestio- nado como está sendo empregado até por que DEFENDEMOS o transportegratuitoeexplicaremoscomo,maisadiante. Uma leitora postou - com razão - que os ônibus já estão que- brando e alguns questionaram que os ônibus da Costa Leste tam- bémquebrammuito. Sim,muito!EnósdoBarãodeInohanjáfizemosmuitasmatéri- as sobre o assunto e o mal serviço desta empresa que a prefeitura quer acabar de delapidar. Mas fizemos alguns comparativos: OsônibusdaCostaLestequebramsimemuito.Dos25ônibus da frota, normalmente 2 quebram por dia. Quase 10% da frota. Na Amparo, normalmente de cinco a seis tem problemas diários, só que empresa tem hoje 300 ônibus, ou seja, problemas em 2% da frota, um dos menores índices do estado do Rio. Jánosônibusvermelhinhosquetem10circulandoe3parados pornãoestaremaindaemplacadosesemcondiçõesdeuso,seum deles parar teremos 10% da frota com problema. Se dois pararem teremos20%dafrotacomproblema.Desdeodia26dedezembro, a frota não consegue mais trabalhar com os 10 ônibus e em 06 de janeiro (terça feira), apenas 6 circulavam. Tem sempre um parado na “garagem” que não tem local nenhum para manutenção, lava- gemeconservaçãodosveículos,coisasprimordiaisparaumfunci- onamento minimamente razoável de uma empresa de transporte público. E o vandalismo já começou. Vidros já foram quebrados, bancos já estão rasgados e suportes internos para passageiros tambémestãodanificados,alémdemuitasujeirainterna. Convidoàtodosaconheceremasinstalaçõesdosvermelhinhos, daCostaLesteedaAmparo,eaísim,tiraremsuasconclusões.Se querem gratuidade - O QUE É MUITO JUSTO - por que não utilizaram as duas empresas existentes no município, subsidiando aspassagens?SairiamuitomaisbaratodoqueSUSTENTARuma empresadetransportessemcondiçõesmínimasdefuncionamento, eaí,nãoteríamosapenas10ônibusgratuitos,masteríamossim25 da Costa Leste e 50 daAmparo (número dos coletivos que fazem UMA “EMPRESA” DESPREPARADA PARA SERVIR! nome) – mesmo os 3 impedidos de circular e os 171 (?) funcionári- os, teremos 13 (que coincidência) funcionários por ônibus, um re- corde no Brasil. Vamos rever esses valores e dar gratuidade para todaapopulaçãomaricaenseutilizandoasduasempresaseasvan quejáexistememMaricásubsidiandoaspassagens?Comcerteza todos serão atendidos e sairá bem mais barato que os gastos de cerca de um milhão de duzentos reais por mês que a EPT (muito sugestivoessenome)informaestargastandoegarantiráoempre- godemuitomaispessoas,alémdemaisimpostosparaomunicípio. José Pery Salgado - jornalista - Barão de Inohan linhasmunicipaisemMaricá)totalizando75veículosquepoderiam estar servindo com gratuidade toda a população maricaense. Ah sim, em tempo: a prefeitura deve R$ 20 milhões à Costa Leste e R$ 25 milhões à Amparo de gratuidade dos estudantes municipaisquenãoépagadesde2005.Estes20milhõesdaCosta Leste seriam suficientes para renovar toda a frota e comprar ainda 10 novos ônibus aumentando o serviço deste empresa aos munícipes. Outra informação preocupante: o secretário de transporte Luiz CarlosSantosnosconcedeuumaentrevistanoiníciodedezembro informandoqueseriam67onúmerodefuncionáriosdaEPT(muito sugestivo esse nome), mas hoje temos a informação de que a autarquiainchouejátem171(oque?)funcionários.Vamosaoutra conta.ACostaLestetemcercade100funcionáriospara25ônibus (contandotodososfuncionários,inclusiveadministrativos),ouseja, 4 por ônibus. A Amparo tem 1100 funcionários e cerca de 300 ônibus,oquedaria3,7funcionáriosporônibus(essaéamédiadas empresas, de 3,5 a 4,5 funcionários por ônibus em todo o Brasil). Mas se considerarmos os 13 ônibus da EPT (interessante esse JORNAL DO MUNICÍPIO A verdade sempre! JORNAL DO MUNICÍPIO A verdade sempre! SENADORALVARODIASESTÁCERTO:ÉTOMALÁ,DÁCÁNAPOLÍTICA Chegamos ao ano de 2015 tão rapidamente que nem deu tempo para renovar as esperanças, mas vamos deixar as mesmas do ano passado e do retrasado. Todas são iguais! Os políticos e os homens que ocupam cargos importantes nem se lembra de que, nas campanhas eleitorais prometeram cumpri-las. Será que adianta repeti- las? A primeiríssima é prender os corruptos e os que os protegem. A segundona bíblica é a maioridade civil (que hoje deve ser aos 14 anos). A terceira é acabar com o vergonhoso estado da saúde pública. Como tempos pouco espaço, a quarta é reforçar a segurança, e a quinta, que os parlamentares respeitem os que os elegeram e trabalhem com decência e honestidade, porque, até agora, a nota de 0 a 10 é solenemente a nota 0. Se incluir a Petrobras, a nota é ZERO, ZERO e ZERO, mas se incluir a LAVA JATO, a pesquisa explode! Salim Salomão REAÇÃO Como era de se esperar, a oposição reagiu. O líder do DEM na Câmara, deputado Mendonça Filho (PE), qualificou como “decreto de chantagem” a medida assinada pela Presidente. Disse aquele parlamentar que “com o decreto, o governo está colocando na parede a base aliada. Esse é o decreto da chantagem, ou aprova a alteração da LDO, ou não tem direito às emendas”. AS ESPERANÇAS DE CADAANO
  5. 5. JANEIRO 2015 JORNAL DO MUNICÍPIO ----- 5 REPORTAGEM FALTA DE INVESTIMENTO E ESTIAGEM DEIXAM CENTRO DE MARICÁ OITO MESES SEM ÁGUA menos dois anos sugando os cofres públicos. Segundo um funcionário da Cedae, hoje não existe mais nenhum deles lá, todos foram exonerados. FALTA DE INVESTIMENTO Por quê a Cedae resolveu investir em Itaipuaçu e Inoã com R$ 73 milhões que hoje recebem a água do sistema Imunana – laranjal e segundo moradores está jorrando nas torneiras e deixou o centro de Maricá de fora? Aqui não foi investido nenhum centavo, por isso o drama continua a espera de projetos que possam sair do papel. A estiagem esse ano está mais violenta e o Rio Ubatiba não dá mais vazão. E a situação agora tende a piorar, porque o governo do Estado – leia-se Luiz Fernando Pezão – não fará nenhum investimento em Maricá, um dos poucos municípios que não apóiam a sua administração. O prefeito Quaquá, por conta própria resolveu fazer oposição, trazendo assim prejuízos para a nossa população. Segundo apurou a nossa reportagem, é tão grande o volume de água em Itaipuaçu e Inoã. Que os carros pipa da Cedae estão sendo abastecidos ali. O Jornal do Município volta a tratar de um assunto que já o faz há mais de dez anos e quem sofre é a população de Maricá, que voltou a conviver com um velho drama, a falta d’água nas torneiras. A cidade cresceu, sua população triplicou, mas o esquema de funcionamento do chamado “precioso líquido” permanece o mesmo de quarenta anos atrás. O verão chegou, o rio Ubatiba já não comporta mais abastecer a cidade e mais uma vez o povo tem que implorar a São Pedro para que mande chuva, e mesmo assim não é suficiente para colocar o Rio em seu nível normal. E ainda mais agora com a temperatura passando dos quarenta graus, o drama aumentou com as contas chegando religiosamente às residências, cobrando um serviço que não foi feito. UM HISTÓRICO O engenheiro José Alexandre, coordenador da Cedae para a região da qual Maricá faz parte, já nem tem mais coragem de vir aqui para dar uma explicação, mesmo porque todas as que ele deu, são furadas e os projetos dos quais ele diz estarem sendo feitos, nunca saíram do papel. Ao apagar das luzes do governo Ricardo Queiroz o contrato da Cedae com o município se expirou. Representantes do órgão estiveram aqui naquela oportunidade e depois de oferecem benesses para os nobres da época da Câmara Municipal, o contrato foi renovado por mais trinta anos. A contra-partida foi a nomeação de funcionários fantasmas indicados pelos nobres que aprovaram o novo contrato e que ficaram pelos MONUMENTO DEPREDADO Que temos vândalos andando à solta pelas ruas do nosso país, sabemos e Maricá não é diferente. Que temos um povo mal educado e que não cuida do mobiliário urbano em todas as cidades do nosso país, sabemos e Maricá não é diferente, mas na maioria das cidades, temos um poder executivo que cuida, zela e mantém em ordem (na medida do possível) as belezas, a limpeza e o mobiliário urbano da cidade. Bem diferente do que acontece aqui em Maricá. Além de estarmos sem água, de Maricá estar imunda pela coleta irregular de lixo numa cidade que não está preparada para receber 10 mil pessoas além dos habitantes normais e que nessa época de verão chega a dobrar a população, atendendo mal à todos e criando o caos entre moradores e veranistas (até porque, infelizmente, na maioria quem nos visita não é digno de Maricá), o poder executivo pouco faz para amenizar o sofrimento dos veranistas e principalmente dos moradores de Maricá. Um exemplo simples (de vandalismo e descaso), acontece a cem metros da prefeitura, na confluência do Canal da Cidade (Avenida 1) e Rua Álvarez de Castro, onde existe o monumento em homenagem a Maysa, João Saldanha e outros nomes famosos de Maricá. TODAS, repetindo, TODAS as cadeiras do monumento feito em bronze, estão com o espaldar quebrado, pois foram furtado com certeza para serem vendidos em ferro velhos da cidade. Além disso, duas das figuras ali representadas estão pixadas, mas isso não foi ontem, isso já está há quase dois meses e a prefeitura sequer isolou o monumento para começar sua recuperação. É o triste e real retrato de Maricá. Até quando?
  6. 6. 6 - JORNAL DO MUNICÍPIO JANEIRO 2015 MEMÓRIA NACIONAL “mártir” e a tentativa de impedir a posse de Juscelino, esbarrou na espada neutra do general Lott. Embora uma pequena rebelião liderada por dois oficiais da Aeronáutica deflagrada duas semanas após a sua posse tivesse ocorrido em Jacaracanga, no Pará, JK teria toda a tranqüilidade para governar. Para executar seu ambicioso programa de metas, simbolizado pelo ambicioso slogan “50 anos em 5” e baseado no binômio energia e transportes, JK disposto a derrotar a burocracia, criou órgãos paralelos e horários alternativos de trabalho. Ao obter recursos que lhe permitisse concretizar seus planos, ele acabou forjando a expressão “nacional – desenvolvimentismo” – uma astuciosa política econômica que combinava a ação do Estado com a empresa provada nacional e o capital estrangeiro. GRANDE IMPULSO Entre as muitas ações que marcaram um surto desenvolvimentista sem precedentes no país, o governo JK se notabilizou pelo grande impulso que deu a industria automobilística. Empresas a u t o m o b i l í s t i c a s multinacionais como a Ford e a General Motors que já estavam no Brasil desde 1919 e 1925, passaram a fabricar utilitários em 1957 e outras montadoras se instalaram na região do ABC. Empresas européias vieram para o país entre elas a alemã Volkswagem e a francesa Sinca. Em 1959 foi lançado o primeiro Fusca montado no Brasil. BRASÍLIA – A NOVA CAPITAL Ao assumir a presidência, JK apresentou o projeto de construção de Brasília como fato consumado. Em Setembro de 1956 foi aprovada a Lei que criou a Companhia Urbanizadora da Nova Capital. As obras se iniciaram em Fevereiro de 1957 com apenas três mil trabalhadores batizados de candangos. Os arquitetos Oscar Niemayer e Lúcio Costa, foram os encarregados de projetar a nova cidade. Nove meses depois, cerca de doze mil pessoas viviam e trabalhavam em Brasília, mais de 45 milhões de m² de terra vermelha, foram deslocados numa terraplanagem monumental. Brasília era uma cidade longamente profetizada. Já em 1883, ela apareceu, reluzente, nas visões do Santo italiano João Bosco. A idéia de transferir a capital para os longínquos descampados do cerrado, seria mantida nas constituições de 1934 e 1946. Mas, só começou a sair do papel no dia 4 de Abril de 1955, num comício na cidade de Jataí, em Goiás, quando o então candidato a presidência Juscelino Kubistchek, decidiu fazer a mais óbvia das promessas de campanha: jurou que iria cumprir a constituição. NOTA DA REDAÇÃO A partir desta edição do Jornal do Município, num minucioso trabalho de pesquisa, vamos inserir nessa página fatos memoráveis de nossa história do Brasil. E vamos começar exatamente com aquele que foi sem sombra de dúvidas, o maior presidente que este país já teve: Juscelino Kubistchek de Oliveira. O trabalho é do jornalista gaúcho Eduardo Bueno. O texto foi compilado porque é muito extenso focalizando o governo de JK, mas o suficiente para o leitor entender o que foi a sua administração que teve o ponto alto a construção de Brasília que passou a sediar o governo federal lá do Planalto Central. O PRESIDENTE JKO PRESIDENTE JKO PRESIDENTE JKO PRESIDENTE JKO PRESIDENTE JK Quando durante a campanha de 1955, um repórter da revista O Cruzeiro lhe perguntou sobre “o problema do café”, o então candidato à presidência JK replicou: “Qual deles? O vegetal ou o animal?” dono de um sorriso luminoso, Juscelino Kubistchek de Oliveira, era bem humorado, moderno, estava pronto para ser o presidente e comandar um país que voltava a acreditar em si mesmo. Descendente de tchecos, nascido em Diamantina – MG, em Setembro de 1902, JK, apesar da infância pobre se formou em medicina em 1927. Foi eleito deputado federal em 1934,prefeito de Belo Horizonte em 1940 e governador de Minas em 1950. Em 1955 era o nome ideal para encabeçar a dobradinha PSD – PTB, articulada por Osvaldo Aranha e Tancredo Neves, ainda no enterro de Vargas. As urnas deram a vitória a Juscelino que obteve 36% dos votos (3.077.411 votos), contra 30% (2.610.462 votos) de Juarez Távora da UDN. JK NO PODER Uma vez no poder, JK revelou-se dinâmico, empreendedor, competente e seu otimismo contagiou a nação. Apesar de conciliador, JK não fez concessões a UDN: dos vinte e quatro ministros civis, dezesseis eram do PSD e seis do PTB. O “partido golpista” não recebeu uma única pasta. Ainda assim, os anos JK seriam marcados pela estabilidade política: a cúpula militar se acalmara; os golpistas tinham perdido duas paradas altas – a renuncia de Vargas acabou virando o suicídio de um Então como o próprio JK conta no livro “Porque construí Brasília”, algo de surpreendente aconteceu – e mudou os destinos do Brasil. A BELÉM – BRASÍLIA Ao se encontrar com o engenheiro Bernardo Saião, responsável pela construção da Rodovia Belém – Brasília, JK lhe disse: “Vamos arrombar esta selva”. Disposto a “integrar” o Brasil e estimular o consumo de automóveis, JK determinou a abertura de um cruzeiro de estradas cortando o Brasil dos quatro pontos cardeais ao centro de Brasília. A assessoria de imprensa do presidente distribuía fotos de JK derrubando arvores centenárias a bordo de tratores ou caminhando sobre troncos tombados.Aexpansão da industria automobilística enfraqueceu o transporte ferroviário e fluvial no Brasil, mas JK era adorado pelo povo. Quanto ao engenheiro Bernardo Saião, ele não teve o prazer de ver a obra concretizada, pois morreu esmagado por uma gigantesca árvore na abertura da estrada. (Eduardo Bueno) Próxima edição: Lott e o Golpe preventivo
  7. 7. JANEIRO 2015 JORNAL DO MUNICÍPIO - 7- 7- 7- 7- 7 Comandante Nardim Oito anos já se passaram desde o anuncio da instalação do pólo petroquímico de Itaboraí e a população da Região dos Lagos ainda questiona, com o habitual ceticismo que marca a opinião daqueles que se posicionam contrários ao projeto. Sabemos que as injunções políticas sempre andaram à frente das grandes realizações no Brasil e quase sempre atrapalham a viabilidade econômica dos grandes projetos. Itaboraí ainda não foi a exceção da regra. As obras se arrastam num compasso de dúvidas em alguns setores, mas nos dão a certeza que o projeto é irreversível, embora tenhamos que arcar com uma longa espera. É uma pena, mas, diz o adágio (antes tarde, do que nunca). Tenhamos confiança de que quando esse projeto decolar tirará os municípios circunvizinhos da penúria de estagnação em que vivem transformando-os numa região progressista e de grande importância para o nosso país. Nosso otimismo é natural e objetivo, porque acompanhamos a implantação de grandes projetos similares, como a implantação do porto de São Sebastião (litoral norte de São Paulo) TEBAR e o de Angra dos Reis TEBIG. São Sebastião resumia-se em uma vila de pescadores com casebres geminados à beira da praia e a Serra do Mar a poucos quilômetros do litoral, enquanto Angra dos Reis se resumia a profundidades compatíveis para receber grandes navios e um emaranhado de Ilhas de belezas naturais exuberantes. É evidente que pagou-se um preço ecológico pela implantação dessas duas grandes obras, porém, dentro dos limites da sustentabilidade, mas o Brasil, ganhou dois fulcros logísticos para alavancar sua economia. A história não pode ser contada de outra forma. Se queremos ver nosso país na lista dos países desenvolvidos, temos que mudar nossa cultura conservadorista e admitir que o desenvolvimento não se faz com varinha mágica e sim com projetos sustentáveis. Maricá já evoluiu bastante desde que se fala no projeto da Comperj e do Porto de Jaconé/Ponta Negra. Grande parte das estradas do município já estão asfaltadas, pelo Estado. O comercio evoluiu em função das grandes empresas como Lojas Americanas, Mc Donalds, Banco Santander, Unibanco, bem como empresas de outros ramos, trazendo novos empregos para os jovens de Maricá que tinham que deixar sua cidade de origem para trabalharem em outros centros comerciais. PROJETO DO PÓLO PETROQUÍMICO DE ITABORAÍ Quando o projeto da Comperj começar a funcionar desfrutaremos, sem duvidas, de uma melhor qualidade de vida e quem ganhará com isso, é o povo. Deixemos então dessas falácias de que Angra dos Reis absorverá para si o projeto da Comperj: Vejam o que já foi feito em Itaboraí, áreas enormes já sofreram o processo de terraplanagem e grande parte dos equipamentos de cunho petrolífero já estão implantados e o funcionamento do projeto é questão de tempo. Devo repetir que essa região não foi escolhida por acaso. É uma região de área plana, próximo ao grande centro do Rio de Janeiro, que pode ser ligada mais economicamente que angra dos Reis. Aventar a hipótese de ampliar o TEBIG, terminal de Angra, significa outra ilusão econômica, porque em Angra não há estuário para comportar grandes navios fundeados a espera da desocupação no berço de atracação. Fundear em mar aberto dificulta o atendimento aos navios que precisam de abastecimento e de reparos e isso onerará sobre maneira a operação dos navios. Citamos um exemplo claro desse processo, o Porto de Santos que já chegou a ter cem navios fundeados fora da barra de espera da atracação, e chegam passar um mês nesse compasso de espera. Os contratos de afretamentos são muito claros: Se o porto de destino não tiver berço de atracação por ocasião da chegada do navio o recebedor da carga arcará com a despesa do período de espera. Vejam os ecologistas e os que são contra o desenvolvimento da região dos lagos, que a coisa não é tão fácil como se pensa. Para que tenhamos conforto e desenvolvimento é preciso que se tenha emprego para os nossos jovens e isso o projeto da Comperj já demonstrou que é uma das preocupações, em fixar os jovens moradores da região próximos as suas residências e para isso está oferecendo cursos profissionalizantes inteiramente gratuitos aos interessados. Portanto, sejamos sensatos e realistas, o desenvolvimento quando chega, não pede licença, portanto, não mudemos o curso da história. O aumento demográfico da Região dos Lagos exige que tenhamos recursos para dar conforto e segurança aos moradores que se instalam dia após dia em nossa região. Comandante Carlos Nardin EMANCIPAÇÃO -ALUTACONTINUA Emancipação, ainda que não se possa fazer outra coisa, em prol de Inoã/Itaipuaçu, só nos resta fazer o que estamos fazendo, mensalmente através da imprensa, emitindo nossa opinião a respeito do assunto, que tem também como finalidade manter a população avisada de que esse assunto não morreu, não se encerrou, como é da vontade de muitas das nossas autoridades. Não vivêssemos em um regime democrático, ainda que governado por pessoas que desejariam que o regime fosse outro, não poderíamos estar insistindo no assunto, nós de Inoã/Itaipuaçu, bem como outros em outras unidades da Federação também vem lutando por emancipar outros distritos, e com certeza, como nós, são pacientes e ficam também no aguardo, ainda que ansiosamente, da legislação reguladora das emancipações. Conforme opinião do Sr. José Luiz de Oliveira, de fato sou abnegado, porém, teimoso e lutador, pois tenho a esperança na vitória, mas até creio que não tenho, no mínimo, conseguido lembrar aos nossos governantes que eles somente possuem uma procuração provisória que terá que ser renovada de quatro em quatro anos, e a nós entes do povo cabe a missão de não mais renovar esta procuração, para que nossos políticos entendam que o poder é do povo e não deles. E continuaremos na luta, pois desistir jamais. Rodovaldo Coutinho BARGANHA POLÍTICA NO MINISTÉRIO DOS ESPORTES A nomeação do deputado George Hilton (PRB) para o Ministério dos Esportes indignou “os atletas pelo Brasil”, um movimento que conta com a participação de Ana Moser, ex-jogadora de vôlei; Cafu e Kaká do futebol, Torben Grael, da vela, e Hortência, do basquete, entre outros. Em carta divulgada pela imprensa, o grupo não cita o nome do ministro, mas lamenta o fato de “há anos, o Ministério ser usado por barganha política”. A nota diz que os atletas se sentem “envergonhados e desprestigiados” com a escolha do político. DILMA ASSUME LOTEANDO OS 39 MINISTÉRIOS A Presidente Dilma Roussef, assume o seu segundo mandato loteando os 39 Ministérios, fazendo uma barganha política com acordos partidários que se caracterizam por moeda de troca. O PT comanda com mais de 10 Ministérios, enquanto que o PMDB que vive atrelado ao Partido dos Trabalhadores, abocanhou 6. Tratando-se de Estados, o Rio de Janeiro quase fica de fora, mas foi salvo pelo gongo, com a indicação de Joaquim Levy para a pasta da Fazenda. A escolha dos novos ministros acabou com o sonho do ex-governador Sérgio Cabral que tinha como certa a sua indicação para uma pasta. Nessa escolha uma coisa é certa: é um Ministério mais político do que técnico que contemplou também alguns candidatos derrotados na eleição de Outubro. A indicação serviu como consolo pela derrota nas urnas. JORNAL DO MUNICÍPIO A verdade sempre! Acompanhe também as notícias em tempo real acessando o BARÃO ON LINE www.obarao.blogspot.com
  8. 8. 8 - JORNAL DO MUNICÍPIO JANEIRO 2015 O recém nomeado Secretário Estadual de Saúde, o ex-deputado Felipe Peixoto (PDT – Niterói), seria hoje o vice-governador do Estado, não fosse a desastrosa decisão do presidente Nacional do partido, Carlos Lupi em romper a coligação com o PMDB, para se candidatar a senador, não aceitando o candidato natural que foi o vereador César Maia. Apesar do rompimento do acordo, Felipe Peixoto se manteve fiel a Pezão, o acompanhou em toda a campanha e agora com toda a justiça é indicado para a Secretaria de Saúde. Felipe Peixoto não é médico, mas não precisa ser médico para fazer uma boa admnistração naquela pasta. Aqui em Maricá, nós temos um exemplo: o economista Roberto Irineu Barbosa que havia sido secretário de Fazenda do governo de Odenir Costa, foi indicado tempos depois para secretário municipal de saúde, no governo de Luciano Rangel, administrando o órgão com competência, sendo escolhido pela imprensa como o melhor secretário de saúde de todos os tempos em nosso município. Tanto é que ao fim do governo foi convidado para atuar no Ministério do Desenvolvimento, em Brasília, onde está até hoje. Portanto, Felipe Peixoto, que já passou pela experiência como secretário de Agricultura e Pesca do governo Sérgio Cabral, tem tudo para sanear a nossa saúde precária. A outra Secretaria é a da Defesa do Consumidor que vai continuar com a deputada Cidinha Campos, que dispensa apresentação. PDT COM DUAS SECRETARIAS NO GOVERNO DE PEZÃO

×