Jm junho 15

320 visualizações

Publicada em

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
320
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
112
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jm junho 15

  1. 1. ANO XII - JUNHO 2015 Diretor Responsável: Jornalista EDISON TORRES JORNAL DO MUNICÍPIO MARICÁ www.obarao.blogspot.com jornal.domunicipio@yahoo.com.br Memória NacionalMemória NacionalMemória NacionalMemória NacionalMemória Nacional A ruidosa agonia de Jango. Capitulo final, em mais uma história política que abalou o Brasil. Página 6 VVVVVoto proto proto proto proto proporoporoporoporoporcional só ecional só ecional só ecional só ecional só existe no Brxiste no Brxiste no Brxiste no Brxiste no Brasilasilasilasilasil Em 2003, Sarney que já vestiu o pijama e foi para casa, disse que o voto proporcional acabaria no Brasil. Mas, não acabou. Página 5 SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO EXONERADO PORQUE PROMOVEU O DESFILE CÍVICO DE 26 DE MAIO Editorial O samba pede passagem. Página 2 Campanha de valorização do nosso legislativo. Vamos eleger uma Câmara com qualidade. Página 2 Anchieta reverenciado em Maricá. Página 8 Educação medíocre, chamada de pátria educadora. Página 7 Para Carolino, Maricá precisa crescer economicamente. Página 4 Me Engana que eu gosto. Repórter ET VOTO: ARMA QUE O POVO AINDA NÃO APRENDEU A USAR A política se divide entre o politizado e o não politizado. Esse ultimo é maioria, daí a tragédia que se observa no dia das eleições, quando um grande número de desqualificados e incompetentes são eleitos para os parlamentos dizendo-se representantes do povo o que é uma grande mentira. A tal chamada “janela” eles copiaram do futebol, que duas vezes por ano usa desse artifício para efetuar contratação de jogadores. CÂMARA DISCUTE REFORMA “ME ENGANA QUE EU GOSTO” É com a tal reforma política que se discute no Congresso foi apelidada pela sociedade que acompanha a sua votação. Eles abriram uma “janela” na constituição. Repórter ET Secretário que resgatou desfile cívico e escolar, trazendo de volta as famílias maricaenses para as comemorações do dia do municipio, foi exonerado. Página 4 MAIBY ANTUNES É A MISS MARICÁ UNIVERSO PR Produções traz de volta o Miss Universo para Maricá. Maybe representará o município dia 15 de agosto na final do Miss Estado do Rio com transimissão pela BAND. Página 5 Pery Salgado e Rosy Rodrigues da PR Produ- ções com a nossa Miss Maricá Universo 2015. MESMOCOMTARIFAZERO,USUÁRIOSCOMEÇAMARECLAMARDOSSERVIÇOSDOS“VERMELHINHOS” Ônibus sujos, sem ar condicionado e com baixas frequencias são as maiores reclamações dos usuários. Página 8
  2. 2. 2 - JORNAL DO MUNICÍPIO JUNHO 2015 Expediente: JORNAL DO MUNICÍPIO de Maricá Editora JC - Av. Rio Branco, 14 - 18º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ Diretor Executivo: Tiago Salles - Editor Responsável: Edison Torres, RP 385-DRT-PA Redação: jornalismopr@hotmail.com / jornal.domunicipio@yahoo.com.br Digitação: Pery Salgado e Stephanie Dalliany Programação Visual: PR PRODUÇÕES www.obarao.blogspot.com Representante:TRÁFEGO PUBLICIDADE Distribuição: Central de Jornalismo - Rua Barão de Inohan 233 - Centro - Maricá > Tel.: 2637-4170 Impressão: A TRIBUNA Fotos: Pery Salgado e Rosemery Oliveira Os artigos assinados e opiniões são de responsabilidade de seus autores EDITORIAL VOZES DA RUA JORNAL DO MUNICÍPIO A verdade sempre! O SAMBA PEDE PASSAGEM Quando assumiu a prefeitura pela primeira vez em 2009, Quaquá foi pródigo em tomar medidas impopulares como o fim dos desfiles das escolas de samba no carnaval e os desfiles cívicos de 26 de Maio e 7 de Setembro. Tomada de surpresa, a população se acomodou assistindo em troca um desfile de trios elétricos nos principais pontos da cidade. O presidente da Escola de Samba Tradição, senhor Moreira, ainda tentou reagir contra essa medida impopular, mas foi premiado com um cala boca, isto é, um cargo na Secretaria do Idoso. Não falou mais nada e o samba agonizou e morreu em Maricá. Mas o atual detentor do poder municipal é astucioso e já está de olho nas eleições do próximo ano, sabe como, tentando ressuscitar o que ele matou e enterrou em cova profunda: o samba. Ele acaba de anunciar a criação do Grêmio Recreativo Escola de Samba União de Maricá, trazendo em seu bojo uma mentira deslavada como é de seu costume: a de que em 2016 essa escola recém criada, estará desfilando no grupo C do carnaval carioca e que em 2018 já estará na Marquês de Sapucaí. Ele engana os incautos e os desavisados. Segundo o regulamento da Associação das Escolas de Samba do Rio de Janeiro, qualquer agremiação carnavalesca terá que passar primeiro por uma avaliação e, em caso de aprovação desfilará no grupo E não no C como o prefeito está anunciando em mais uma de suas mentiras pré-eleitorais. Daí até chegar a Marquês de Sapucaí vai uma grande distância. Adoçar a boca da população carente é a principal característica do PT e de seus filiados como Quaquá o grande promesseiro que chegou a conclusão de que enganar o povo é o melhor remédio para se chegar ao poder. Edison Torres REFORMA POLÍTICA O povo é culpado e não reage. Os deputados estão fazendo uma reforma política que é a cara deles. Eles são bestas de modificar esse regime que só os favorece? Paulo Ernesto CIDADÃO DE MARICÁ Quem foi este vereador que apresentou moção concedendo o título de cidadão maricaense ao Secretário Estadual de Segurança, José Mariane Beltrame, se ele não tem nenhum serviço prestado ao município e ao que parece não sabe nem onde fica Maricá. Fernando Moura E O MUJICA? Engraçado esse ex-presidente do Uruguai. Escreve um negócio no livro e depois nega tudo. Mujica e Lula são amigos de longas datas. Raimundo Braga JAIRO MÔRO Minhas condolências à família do velho Jairo Môro, um político que em vida deu uma lição de honestidade a esses políticos que andam por aí. Gustavo Barros SENADOR – 10 ANOS? Como disse o repórter na edição passada, só poderia ser piada. Como se ganha dinheiro fácil quando senador da República. Guilherme Freitas E O NOSSO CEMITÉRIO? Morto não vota e os políticos não estão nem aí para o problema. A prisão do secretário municipal serve de alerta para que alguma coisa possa ser feita no chamado “campo santo”. André Pinto PDT E O 26 DE MAIO Parabéns ao PDT e ao Dr. Carolino, que todos os anos festeja mais um aniversário de nosso município. Ele dá uma aula de cultura para quem não tem. Raimundo Cruz O CRUZEIRO Fui um grande admirador e leitor da revista O Cruzeiro, que foi um símbolo da imprensa brasileira. Parabéns também ao repórter ET que fez parte dessa grande equipe de repórteres da revista. Ozias Cordeiro MEMÓRIA NACIONAL Brilhante a seção “Memória Nacional”, que está resgatando a nossa história. Esse jornal está de parabéns com essa aula de cultura. José Roberto MEMÓRIA NACIONAL (II) Li a edição passada com a história do governo do presidente João Goulart e estou esperando nessa edição a segunda parte desse episódio político de nosso país. Carlos Andrade NOTADA REDAÇÃO A partir desta edição, a seção “Vozes da Rua”, onde o nosso leitor tem vez, vai dividir espaço com a campanha de “Valorização de nosso legislativo”, que há anos esse jornal publica sempre que se aproxima uma eleição municipal. Em Outubro do próximo ano teremos novamente as eleições municipais. Em conseqüência, muita gente já se apresenta como candidato a vereador que nada mais é do que um bom emprego com duração de quatro anos, prorrogáveis por mais quatro anos. O que se tem notado é que há quantidade, mas não há qualidade entre os candidatos. Por isso o nosso jornal, inicia desde já uma campanha de valorização de nosso legislativo tão desvalorizado nos dias atuais, por culpa exclusivamente do eleitor principalmente da população carente que hoje já não troca mais seu voto por manilha ou dentadura, mas por dinheiro vivo em espécie como todo mundo sabe. Estamos cheios de currais eleitorais e quem não tem curral, não se elege. CAMPANHA DE VALORIZAÇÃO DE NOSSO LEGISLATIVO CANDIDATOS A VEREADOR Teste seus conhecimentos. 1º Você sabe o que é lei orgânica dos municípios? 2º Você sabe o que significa atos das disposições transitórias? 3º O que quer dizer projeto de resolução? 4º Sabe como se faz um requerimento? 5º A Câmara é uma casa de leis? 6º O que é improbidade administrativa? 7º Você tem condições de usar o microfone em plenário para discutir, debater, apresentar alguma coisa em favor da população ou ficará calado? Se responder cem por cento, você estará apto a se candidatar. Caso contrário, fique onde está. Precisamos valorizar o nosso legislativo. Precisamos acabar com o entra mudo e sai calado.
  3. 3. JUNHO 2015 JORNAL DO MUNICÍPIO ----- 3 Repórter ET MARCOS RIBEIRO Quaquá jura de pés juntos que o candidato dele para prefeito em 2016 é o seu atual vice, Marcos Ribeiro. Mas, como na vida só está faltando boi voar, muita coisa pode acontecer nesses próximos meses que antecedem a eleição. E a palavra chave da política é traição. AULA DE CULTURA A professora Maria da Penha deu uma aula de cultura nas comemorações do dia de Anchieta. No evento que foi realizado no plenário da Câmara Municipal, não tinha um nobre presente ou melhor, apareceu para apenas dizer que a casa estava a disposição de todos em eventos dessa natureza. Sobre Anchieta, nem uma palavra. Também... DRA. JANETE, CANDIDATA? Um grupo de amigos articula a candidatura da doutora Janete Valadão, para uma vaga na Câmara Municipal, nas eleições do próximo ano. Ela diz que aceita desde haja unanimidade em torno de seu nome, que já conta inclusive, com o aval de seu partido, o PT. Sua eleição seria de qualidade a uma casa tão desprovida de conteúdo político. ME ENGANME ENGANME ENGANME ENGANME ENGANA QA QA QA QA QUE EU GOSTUE EU GOSTUE EU GOSTUE EU GOSTUE EU GOSTOOOOO O circo foi montado e o picadeiro só ficará completo quando a reforma agora apelidada pelo povo de “me engana que eu gosto”, chegar ao senado no mês de Julho. O professor Oscar Dias Correa, estava certo quando declarou que “nenhum Congresso votará uma reforma política que possa altera-lhe a composição”. O parlamentar não se disporá a modificar o sistema pelo qual se elegeu. E vai se confirmar “o deixa como está para ver como é que fica”. O que está sendo votado todo mundo sabe, nada que venha de encontro aos anseios da sociedade, que esperava uma tomada de atitude por parte dos senhores congressistas por uma reforma digna a altura do que se esperava, não fosse a decisão da maioria em legislar em causa própria. Ninguém quer perder a boca, principalmente os senadores que não irão aceitar a redução de seus mandatos de oito para cinco anos. O voto obrigatório permaneceu, a doação de campanha para partidos e candidatos e a tão nefasta eleição proporcional, que se viu ameaçada de acabar, por uma manobra do presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha, foi mantida para beneficiar os partidos chamados nanicos, cuja existência se resume apenas a de receber o fundo partidário e negociar com os chamados grandes, o horário gratuito na televisão. Tudo o que se esperava para uma boa reforma foi jogado debaixo do tapete ao lado da sujeira que tomou conta da política brasileira. Acabaram com a reeleição para o executivo, mas deixaram de fora essa mesma reeleição para o legislativo. Eles querem se perpetuar no poder e jamais aceitarão qualquer proposta que venha por fim a esse magnífico emprego que é de deputado e vereador. O mandato de cinco anos é imoral e reflete bem a disposição dos legisladores em permanecerem mais um ano no cargo. Será que só nos resta assistir de camarote ou a sociedade irá reagir? Aliás, o grande momento para essa reação teria sido a eleição do ano passado. Mas, desta vez foi o eleitor que decidiu deixar como está para ver como é que fica. A PRESSÃO É GRANDE O procurador geral da República, Rodrigo Janot, está sofrendo pressão de todos os lados pelo simples fato de estar indicando publicamente quem são os ladrões do dinheiro publico. Cadeia para todos eles em regime fechado e que se acabe com as tais prisões domiciliares, ou então que se estenda tal medida para os pobres, aqueles que roubam uma lata de sardinha ou um quilo de carne no mercado. ARTICULAÇÃO O PMDB com o apoio de Pezão articula a ida do atual secretário estadual de saúde, Felipe Peixoto para essa sigla partidária, deixando o seu atual partido que é o PDT. Peixoto, é o candidato em potencial para disputar a prefeitura de Niterói em 2016. RODRIGO NEVES O atual prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, que é do PT e derrotou Felipe Peixoto nas eleições de 2012, está vendo fantasmas. E não é que em conseqüência dessas misteriosas aparições políticas, ele procurou Moreira Franco que é do PMDB para uma avaliação de seu governo? Neves, na ocasião manifestou o desejo de trocar de partido, mas foi aconselhado por Moreira Franco a ficar onde está. É que ele foi eleito pela militância que não aceita o atual mandatário de Niterói, pular o muro. JORGE PICIANNI O atual presidente da Assembléia Legislativa do Rio, deputado Jorge Picianni, quer ser governador do Estado. É um velho sonho dessa raposa política, que não medirá esforços para conseguir seus objetivos. Ele articula um casamento político com Quaquá e nos bastidores se dá conta de que para as eleições municipais de 2016 ele conversa com o PT uma chapa formada por Fabiano Horta e Felipe Bittencourt para disputar o pleito. Vamos aguardar. RENAN CALHEIROS Pela primeira vez o presidente do Senado falou a verdade quando declarou que “o Brasil projetado em 2014, era apenas para a campanha eleitoral”. RETRATO DO BRASIL São trinta e nove Ministérios, dez mil cargos comissionados, o maior cabide de emprego de todos os tempos. Nesse item o PT é mestre. São trinta e dois partidos políticos, dos quais vinte e oito tem representação no Executivo e no Legislativo. Trata-se de um grande negócio, hoje se criar um partido no Brasil. CERCO SE APERTOU Aperta-se o cerco em torno do nome do ex-presidente Lula. Segundo a Polícia Federal, há fortes indícios de que o Instituto que leva o seu nome, teria recebido propina oriunda da Petrobras. DEZESSETE VEREADORES Um político da terra garantiu ao repórter que o presidente da Câmara, nobre Chiquinho, trabalha nos bastidores para aumentar o número de cadeiras no Legislativo na próxima legislatura. Serão dezessete e não mais onze como acontece agora.
  4. 4. 4 - JORNAL DO MUNICÍPIO JUNHO 2015 disse Carolino, que vive a expectativa de ainda se tornar prefeito de Maricá. PONTO DE VISTA PARA CAROLINO, MARICÁ PRECISA CRESCER ECONOMICAMENTE Nossa Colaboradora Dra. Márcia Braz, foi homenageada no dia 20/05/2015, pelo Presidente Felipe Santa Cruz (Presidente da Seccional do Rio de Janeiro) e pelo Presidente Amilar Dutra (Presidente da OAB Maricá), já que Dra. Márcia Braz foi conselheira da Seccional por dois mandatos na Gestão do Presidente Wadih Damous, que hoje é Deputado Federal, e atualmente Dra. Márcia Braz é Presidente da Comissão de Atendimento a pessoa Idosa e integrante do TED (Tribunal de Ética e Disciplina) na atual gestão do presidente Felipe Santa Cruz, sempre desenvolvendo um trabalho voluntário e gratuito em prol da Advocacia de nosso Estado. O evento contou com outros homenageados pela colaboração na Advocacia Maricaenese além de nossa colaboradora Dra. Márcia Braz. Prestigiando o evento a professora Katia Santos, esposa de Dr. Carolino (Presidente do PDT de Maricá), representando toda a família Carolino e o colega de profissão, amigo de Dra. Márcia Braz, Dr. Julio Carolino. Na foto está também a Advogada amiga da homenageada Dra. Fátima Ferreira, que também prestigiou o evento. Parabéns a nossa colaboradora que merece a justa homenagem, parabéns a toda a advocacia do estado do Rio de Janeiro HOMENAGEM A DRA. MÁRCIA BRAZ PELOSHOMENAGEM A DRA. MÁRCIA BRAZ PELOSHOMENAGEM A DRA. MÁRCIA BRAZ PELOSHOMENAGEM A DRA. MÁRCIA BRAZ PELOSHOMENAGEM A DRA. MÁRCIA BRAZ PELOS SERVIÇOS PRESTADOS À ADVOCACIA FLUMINENSESERVIÇOS PRESTADOS À ADVOCACIA FLUMINENSESERVIÇOS PRESTADOS À ADVOCACIA FLUMINENSESERVIÇOS PRESTADOS À ADVOCACIA FLUMINENSESERVIÇOS PRESTADOS À ADVOCACIA FLUMINENSE Segundo esse repórter foi informado, os professores do município não digeriram bem a demissão do secretário municipal de educação, professor Willian Campos, o único, segundo eles que abriu diálogo com a categoria. Uma professora que não quis se identificar com medo de represálias, disse que o motivo da exoneração do secretário foi ele ter assumido e promovido o desfile escolar do dia 26 de Maio, do qual o prefeito é contrário desde que assumiu o cargo em 2009. Tanto é que Quaquá não deu as caras, preferindo ignorar o evento, mas comparecendo à noite para a cerimônia do festival de distribuição de títulos de cidadão de Maricá, para uma grande maioria que nenhum serviço tem prestado ao município. SECRETÁRIO EXONERADO Após resgatar tradição liquidada pelo atual prefeito, secretário de educação é exonerado Sempre que encontra com o repórter, o presidente do diretório municipal do PDT, o médico Carolino Gomes dos Santos, revela fatos que o credenciam como um administrador que deixou sua marca quando governou o município de Barra do Garças, no interior de Mato Grosso. Mas quem pensa que ele como médico só discute o problema da saúde de qualquer cidade, está enganado. Com convicção e pontos de vista claros, Carolino cita ainda a educação, a segurança, a competência administrativa, além da saúde é claro e da qualidade de vida da população, como pontos fundamentais na questão de políticas publicas. E para quem não sabe, o repórter continua a afirmar que o programa de governo de Carolino é o melhor e mais bem elaborado para a área da administração municipal. Só que, pelo menos até hoje, o eleitor não entendeu sua mensagem, preferindo apostar em promessas e mentiras que caracterizam os aventureiros de plantão. Para o próximo ano teremos eleições municipais. Creio que hoje o eleitor mais politizado já saiba definir o que é promessa e o que é mentira. Pelo andar da carruagem o povo quer distância dos fanfarrões. Uma administração municipal competente sem a tradicional propaganda enganosa tão comum em nossos dias. Profundo conhecedor dos nossos problemas, pois aqui ele milita há quarenta anos, lembra que em 2008 quando se candidatou a prefeito, revelou que o nosso município precisava crescer economicamente, coisa que até hoje não aconteceu e já se passaram sete anos. A população é vitima de um governo petista envolto em escândalos de corrupção e espera Outubro de 2016 para expurgar nas urnas aqueles que conquistaram o poder e nada fizeram em beneficio da sociedade. Para Maricá atingir um patamar e se tornar auto suficiente, seria preciso competência que segundo Carolino, é a palavra chave. Por outro lado, a cidade explode populacionalmente, o nosso potencial turístico não está sendo explorado como devia e a falta de um pólo industrial que gere empregos são pontos fundamentais que não existem aqui. Esperava-se que a cidade fosse impulsionada pela construção do pólo petroquímico de Itaboraí, o que acabou não acontecendo em conseqüência dos grandes escândalos de corrupção que abalaram a Petrobras. Esperamos por duas melhores,
  5. 5. JUNHO 2015 JORNAL DO MUNICÍPIO ----- 5 REPORTAGEM A ARMA QUE O POVO AINDA NÃO APRENDEU A USAR: “O VOTO” Para o ano teremos eleições municipais e a história a se repetir: todo mundo querendo ser prefeito de Maricá e candidatos é que não faltam. Mas, será que todos eles estarão aptos para exercerem a função? A qualidade é mínima e a quantidade é máxima, isso está provado ao longo dessas ultimas décadas, quando ninguém realmente apresentou qualidades para gerir o município. E a Câmara Municipal? A cada eleição são centenas de candidatos disputando as vagas disponíveis, possivelmente dezessete cadeiras para a próxima legislatura. É outro emprego conquistado à custa do povo. E qual terá sido o papel do legislativo? De fiscal dos atos do executivo, de autor de leis ou simplesmente apresentador de requerimentos trocando nomes de ruas, pedindo asfalto, manilhas e tapando buracos? Apesar de cansado, vilipendiado, torturado, sofrido, maltratado e revoltado, o povo ainda não aprendeu a usar a sua principal arma, que é o voto. Trata-se de uma arma inofensiva que não precisa de porte para usá-la, mas é de imenso poder de destruição quando bem usada nas urnas. A popularidade da presidente Dilma está em baixa. A operação lava-jato está apertando o cerco em torno do ex presidente Lula, o tesoureiro do PT está preso e uma tsunami levou de arrastão a Petrobrás com a descoberta de uma desenfreada onda de corrupção dentro da estatal. Sem falar no mensalão, em 2005 quando em corajosa postura o ministro Joaquim Barbosa, desbaratou uma quadrilha dentro do Partido dos Trabalhadores, levando os acusados à prisão. Não precisa de coldre para guardar sua arma. Ela cabe no bolso da camisa ou numa pequena carteira. Leve-a até a seção eleitoral em Outubro de 2016 e use-a de maneira a banir da vida pública os aventureiros os incompetentes que são sem dúvida a maioria. Exerça o seu voto aprendendo a usá-lo daqui por diante. ABRIRAMUMA“JANELA” NACONSTITUIÇÃO VOTO PROPORCIONAL SÓ EXISTE NO BRASIL Em Abril de 2003, o voto proporcional estava com os dias contados em nossa legislação eleitoral. Seria, até então, o fim de uma aberração embutida em nosso sistema de votação e de há muito abolido em outros países onde desapareceu por ser prejudicial à democracia. Quando assumiu a presidência do Senado naquele ano, o então senador José Sarney declarou que a prioridade do Congresso era fazer a reforma política construindo modernas instituições que não aniquilassem os partidos e que não rebaixassem a política a um cartório de registro de candidatos nas eleições. E foi categórico quando afirmou que em nenhum lugar do mundo existe o modelo do voto proporcional que é uma reminiscência do século XIX. Que entrassem os mais votados e se acabasse com esse sistema ultrapassado que colocou na Câmara dos Deputados em Brasília, um candidato que obteve apenas duzentos e sessenta e sete voto, mas foi eleito puxado pelo falecido Enéas que teve seu nome sufragado por um milhão e meio de paulistanos. Já se passaram doze anos das declarações de Sarney que abandonou a política, vestiu o pijama e foi para casa. O voto proporcional vai continuar graças à tão decantada reforma política que foi tirada da gaveta por pressão popular, mas da forma que está sendo discutida e votada, se revela totalmente contrária aos anseios da sociedade. Todo mundo sabe que o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha, negociou com os chamados partidos nanicos que continuarão elegendo seus candidatos com votação inexpressiva e fazendo jus a grana do fundo partidário e ao horário eleitoral gratuito na televisão. É por essa e outras razões que o povo deixou de acreditar na classe política. Todos almejavam uma reforma política limpa e sem vícios, o que acabou não acontecendo. Pelo que se sabe, janela se abre na construção de uma casa, um apartamento ou qualquer imóvel. Nunca na constituição da República, que é a carta magna de um país. Pois é, os deputados federais conseguiram essa façanha ao aprovarem na pseuda reforma política em andamento na Câmara, a abertura de uma “janela” como eles denominaram, de trinta dias para o troca-troca partidário. Uma minoria era favorável a que o parlamentar uma vez eleito, não poderia trocar de partido. Entretanto, prevaleceu a vontade da maioria que vai provocar mudanças nas bancadas de alguns partidos especialmente os menores. Não há mais ideologia na política brasileira. Quem decide enveredar por esse caminho está preocupado mais em se arrumar e fazer negócio nessa rendosa profissão. E ainda dizem que estão ali para defender os interesses do povo brasileiro. Demagogia pura. LAMA Frase de um político ao encontrar o repórter na rua: “estão levando o PMDB para a lama junto com o PT”. MAIBY ANTUNES É A MISS MARICÁ UNIVERSO 2015 Depois de três anos sem o concurso de beleza mais famoso do mundo, o Miss Universo retorna à Maridá pe- las mãos da PR Produções. Na noite da segunda feira 29 de junho, no Espaço Cultural Vovó Bellina em São José do Imbassaí (a casa das misses em Maricá), Maybe Antunes conquistou o título de Miss Maricá Universo 2015 erepresentará o mu- nicípio dia 15 de agosto na final do Miss Estado do Rio com transimissão pela BAND. O concurso não era realizado em Maricá desde 2012 por problemas com os antigos organizadores, mas a coordenadora estadual do concurso - Susana Cardoso, firmou a parceria com a PR Produções e em tempo recorde realizaram o belíssimo evento. Oito lindas candidatas disputaram o título máximo da beleza maricaense. Angel Lua Gesser, Erica Silva, Flavia Andrade, July Sampaio, Maiby Antunes, Thamyres Ferreira, Thayna Moraes e Viviane Soares levaram o público ao delírio. O resultado final foi o seguinte: Maiby Antunes - Miss Maricá, Thayná Moraes (vice-campeã), July Sampaio (terceira colocada), Thamyres Ferreira (quarta colocada) e Viviane Soares (quinta colocada). Espaço Cultural Vovó Bellina se afirma como o local das misses de Maricá Paula Cury - Miss Maricá 2012, faz a coroação de MaibyAntunes
  6. 6. 6 - JORNAL DO MUNICÍPIO JUNHO 2015 O GOLPE EM MARCHA A “precipitação” do general Mourão Filho, poderia ter resultado em desastre – ou provocado uma guerra civil, caso João Goulart estivesse articulado com os segmentos do Exército que ainda lhe eram leais. Embora isso não viesse a ocorrer, houve um momento de muita tensão na marcha golpista. A ponte do Rio Paraibuna, na fronteira entre Minas e Rio, fora tomada pelo destacamento Tiradentes, vanguarda das tropas de Mourão (três mil homens chefiados pelo general Morais – que um ano antes, Brizola chamara de (gorila golpista). No Vale do Paraíba, os rebeldes defrontaram com o poderoso destacamento Sampaio, enviado do Rio para combatê- los, pelo Ministro do Exército, general Morais Âncora, ainda leal a Jango embora, horas antes, tivesse se recusado a cumprir a ordem de prisão contra Castelo Branco dado pelo presidente. Quando as tropas se encontraram não houve combate: os oficiais cariocas aderiram aos golpistas e, naquele instante, cinco horas da tarde de 31 de Março, a conspiração se viu vitoriosa. No fim da tarde, o general Amauri Kruel, comandante do 2º Exercito e amigo de Jango, travou um dramático diálogo telefônico com o presidente e pediu-lhe que, em troca de seu apoio, fechasse o CGT. Com a negativa de Jango, Kruel e as tropas de São Paulo aderiram ao golpe, partiram pela Via Dutra e se juntaram aos cadetes da academia dasAgulhas Negras, chefiadas pelo general Médici, que mandara bloquear a estrada em Resende. E foi em Resende, na tarde do dia 1º de Abril, que após uma reunião com Kruel, o legalista Morais Âncora, desistiu de opor qualquer resistência ao golpe. No Nordeste, os golpistas lançaram uma ofensiva para prender Miguel Arraes, governador de Pernambuco e João Dória, de Sergipe. Surpreendido pelo golpe no Rio, Jango vai para Brasília na tarde do dia 1º e na mesma noite para Porto Alegre, deixando o seu chefe de gabinete Darcy Ribeiro com a incumbência de comunicar ao Congresso que o presidente permaneceria em território nacional. Às três horas da madrugada do dia 2 de Abril, o presidente do Congresso, senador Auro Moura Andrade, declarou vaga a presidência da República e empossou o deputado Ranieri Mazilli como novo presidente. No dia 4 de Abril Jango fugiu para o Uruguai com as ruas de Porto Alegre, tomadas pelas tropas leais ao novo regime. Era o fim de seu governo. Eduardo Bueno (Jornalista) MEMÓRIA NACIONAL JOÃO GOULART ARUIDOSAAGONIADEJANGO (final) Após o fracasso do plano trienal e convencido de que suas “reformas de base” não seriam aprovadas, João Goulart programou um comício monstro no Rio de Janeiro, disposto a pressionar o Congresso a mudar alguns artigos da constituição, concedendo ao presidente poderes para executar seus projetos. Alguns deles, como a lei de remessa de lucros e o congelamento dos alugueis, já tinham sido aprovados, mas pressionado pela esquerda sindical, Jango iniciara a luta pela reforma agrária, pela concessão de votos aos analfabetos e pela elegibilidade dos sargentos. Planejado desde Janeiro de 1964, o comício da Central do Brasil – ou comício das reformas – como ficou conhecido, foi marcado para uma sexta feira, 13 de Março, dois dias antes do reinicio das atividades do Congresso. DUZENTAS MIL PESSOAS Organizada pelas maiores centrais sindicais do país, a manifestação reuniu cerca de duzentas mil pessoas na Praça da Republica. Ladeado pelos governadores Brizola, do Rio Grande do Sul, e Miguel Arraes, de Pernambuco, Jango que perdera o apoio do PSD e sabia que a direita tramava para derrubá-lo, deu naquele instante, a guinada à esquerda que, de certa forma, ele próprio temia e até então evitara. Entre milhares de bandeiras vermelhas, cartazes, pedindo a legalização do partido comunista e gritos de “reforma já”, Jango anunciou a assinatura de mais dois decretos. O primeiro, quase simbólico, encampava refinarias de petróleo “particulares” que ainda não pertenciam à Petrobrás, o segundo, o da SUPRA superintendência de reforma agrária, desapropriava terras improdutivas localizadas à beira de estradas e ferrovias. O presidente assegurou, porem, que aqueles eram apenas os primeiros passos rumo a reforma bancária e urbana que apavorava os proprietários de imóveis. Aclamado, Jango, ao lado da mulher Maria Tereza, encenou seu discurso conclamando a multidão a “ajudar o governo a fiscalizar os exploradores do povo”. GOLPE EMANDAMENTO Transmitido pela TV para todo o Brasil, o pronunciamento de Jango teve um efeito ainda mais explosivo do que o discurso que, dez anos antes, Vargas fizera em 1º de Maio de 1954, afirmando que, em breve, os trabalhadores estariam no poder. O caudilhismo de Vargas, que em algum momento de história, entre sua desposição em 1945 e seu retorno em 1951, se tornara em populismo reformista, voltava a reencarnar a figura de um estancieiro de São Borja e a assombrar as forças conservadoras da nação. E elas não tardariam a reagir: seis dias após o comício das reformas, a marcha da família com Deus pela liberdade saiu “as ruas em São Paulo” clamando “contra o perigo do comunismo” e emitindo sinais de que o golpe era iminente. Ainda assim, o alerta parece não ter sido suficiente para refrear o ímpeto do presidente. Após desafiar abertamente o comando militar ao anistiar, em 27 de Março, os participantes da Revolta dos Marinheiros, Jango decidiu apesar dos conselhos contrários – discursar numa assembléia de sargentos, no automóvel Clube do Brasil, no dia 30 de Março. O movimento lutava pela elegibilidade dos sargentos. Ao contrario do tenentismo – um dos pilares da revolução de 1930 a reinvidicação dos sargentos era vista como uma quebra da hierarquia militar já que dava igualdade política a não oficiais. Que outro argumento a direita ainda necessitaria? Reforma agrária no campo, imóveis desapropriados na cidade, empresas estrangeiras nacionalizadas, reformas bancárias em andamento, ligas camponesas no sertão, voto para os analfabetos e elegibilidade para os sargentos, o que viria a seguir? Perguntavam-se os empresários, a classe média, o clero conservador e os militares da linha dura. Enquanto Jango discursava entusiasticamente para os sargentos, o golpe dos generais e dos coronéis já estava em andamento em quartéis de todo o país. Se o comício das reformas fora uma poderosa manifestação de força do movimento sindical, a marcha da família com Deus pela liberdade foi um sinal ainda mais impressionante de que a classe média e as “forças reacionarias” estavam unidas, temerosas e, acima de tudo, prontas para a ação. A marcha da família começou a nascer depois que Jango dissera, no comício do dia 13, que os “rosários da fé” não podiam “ser levantados contra o povo”. O presidente se referia ao episodio no qual um grupo de mulheres com rosários nas mãos impedira Brizola de discursar em Belo Horizonte no inicio de Março.
  7. 7. JUNHO 2015 JORNAL DO MUNICÍPIO - 7- 7- 7- 7- 7 Em 1946, quando presidente da República, o Marechal Eurico Gaspar Dutra, assinou ato fechando os cassinos no Brasil, acabando com o chamado jogo de azar. Contam os historiadores que Dutra não resistiu aos pedidos de Dona Santinha, sua esposa que era pressionada pela Igreja Católica de quem era devota, sob alegação de que os cassinos era antros de prostituição e de comércio de drogas. O Quintandinha em Petrópolis, o Cassino da Urca do Rio (foto acima) e o Caxambu no interior mineiro, os três mais famosos do país fecharam suas portas, deixando milhares de trabalhadores desempregados. CAMPANHA PRÓ-LEGALIZAÇÃO Já se passaram sessenta e nove anos e todas as tentativas foram feitas para reabertura dos cassinos no Brasil com dezenas de projetos nesse sentido, sendo apresentados na Câmara dos deputados, sem sucesso e acabaram engavetados. Em 1980 criou-se o comitê pró-legalização dos cassinos no Brasil, presidido pelo paulista Ciro Batelli. Fiz parte da assessoria de imprensa desse comitê representando O Cruzeiro que era na época o veículo de maior comunicação no país. Duas reuniões foram realizadas e eu estive nas duas: uma em Águas de Lindóia, estância hidromineral no interior de São Paulo e a outra em Foz do Iguaçu, os dois considerados os maiores pólos turísticos da região. Na época contei em duas reportagens o que tinha acontecido nesses dois encontros, mostrando os prós e os contras, muito mais prós do que contras. Para quem não sabe, um cassino acolhe dezenas de profissões empregando trabalhadores que prestam serviços nos vários setores dessa atividade. Logo depois, Ciro Batelli, esteve em Brasília tentando sensibilizar os deputados em sua maioria católicos contrários portanto ao funcionamento dos cassinos. E os projetos que surgiram foram todos arquivados. EDUCAÇÃO MEDÍOCRE CHAMADA DEPÁTRIAEDUCADORA “Os políticos não estão nem aí, os filhos deles estudam em colégios particulares”. Trata-se do desabafo de uma avó no momento em que o governo federal gasta rios de dinheiro na mídia chamando o Brasil de “pátria educadora”. O depoimento dela é patético: “trago o meu neto para o colégio com dor no coração. É uma bagunça. Infelizmente não tenho condições de matriculá-lo em uma escola particular. É de cortar o coração ter que buscá-lo quase todo dia mais cedo, por que não tem aula. Uma professora já me disse que não adiantaria reclamar, porque nada mudaria. Mas eu não desisto. Já que não tenho condições de colocar meu neto em outro lugar, quero que a prefeitura melhore isso aqui. Nada é de graça. Esses recursos são pagos com suor do nosso trabalho, através de impostos caros. Vamos colher no futuro o resultado dessa educação medíocre, mas os políticos não estão nem aí, até porque os filhos deles, estudam em colégios particulares”. REABERTURA DOS CASSINOS ENTRARÁ EM PAUTA NA CÂMARA ASSUNTO VOLTARÁ À PAUTA E agora apesar das inúmeras tentativas frustradas durante as ultimas décadas de se aprovar a legalização do jogo no Brasil, a Câmara vai instalar uma comissão para discutir e votar o assunto. A legalização do jogo do bicho também estará em pauta, juntamente com oito propostas que liberam geral e vão aprovar cassinos, hotéis-cassinos, bingo e outras modalidades de jogo. O deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP) disse que “já é hora do Congresso Nacional acabar com a hipocrisia, discutir a matéria e regulamentar o jogo de forma mais adequada a cumprir suas finalidades e um adendo contribuir com recursos para financiar ações sociais. Um dos projetos da deputada Renata Abreu de 2015, simplesmente revoga o decreto do passado que proibiu o jogo e defende os diversos tipos de modalidade. Portanto, é oportuno se aguardar essa nova tentativa da reabertura dos cassinos que se aprovada irá oferecer milhares de empregos num país em que crescem cada vez mais as taxas de desemprego. Edison Torres Cassino em Lambari, no circuito das águas JORNAL DO MUNICÍPIO A verdade sempre!
  8. 8. 8 - JORNAL DO MUNICÍPIO JUNHO 2015 A data de 9 de Junho no calendário religioso registra dia do Padre José de Anchieta, canonizado santo pela igreja católica. Segundo esse mesmo registro, Anchieta nasceu nas Ilhas Cariánias e tinha doze irmãos, sendo que dois deles também abraçaram o sacerdócio, Pedro e Melchior. Estabeleceu-se em São Paulo e foi prisioneiro dos índios tamoios cuja língua aprendeu para convertê-los ao cristianismo. Em 1569, fundou a povoação de Iritiba, atual Anchieta no Espírito Santo. Morreu em 1597. REVERENCIADO EM MARICÁ A nossa rica história diz que Anchieta em suas andanças por esse país que ainda engatinhava na missão de catequizar os índios que habitavam a região, teve uma breve passagem por Maricá. Para comemorar a data de 9 de Junho, a professora Maria da Penha, estudiosa e profunda conhecedora de nossa história, proferiu uma palestra para um plenário lotado que a aplaudiu na Câmara Municipal. Disse tudo que sabia sobre Anchieta. No livro “Compêndios da História de Maricá” há apenas um registro revelando que “em 1578 sabemos, segundo Serafim Leite e Simão de Vasconcelos que o Padre jesuíta José de Anchieta, passou vindo do Espírito Santo pela lagoa de Maricá, onde fez uma pesca milagrosa. Era o caminho para o aldeamento de São Barnabé (hoje município de Itaboraí): as populações desse aldeamento jesuítico costumavam fazer pescarias na lagoa de Maricá”. APÓSTOLO DO BRASIL Juntamente com seu colega o padre Manoel da Nóbrega, os dois foram considerados “Apóstolos do Brasil”. Um fato curioso que nos conta o jornalista Eduardo Bueno em seu livro “História do Brasil”, Anchieta era corcunda e Nóbrega, gago. E conta o livro que ao chegar ao Brasil, Anchieta declarou: “Deus me preparou para carregar fardos”. O fato de ser corcunda não impediu de manter um ritmo incansável por mais de quarenta nos. Falava o tupi com fluência e era considerado o santo dos índios. ANCHIETANCHIETANCHIETANCHIETANCHIETA REVERENCIADO EM MARICÁA REVERENCIADO EM MARICÁA REVERENCIADO EM MARICÁA REVERENCIADO EM MARICÁA REVERENCIADO EM MARICÁ EMANCIPAÇÃO – POLÍTICOS SÃO CONTRA Ninguém vence uma batalha sem luta. Para nós a emancipação do terceiro distrito é uma batalha que insistimos, porque acreditamos nas vantagens que trará para o terceiro distrito de Maricá. Pode alguém crer que o político seja um ser bonzinho que somente luta para o bem de todos sem qualquer outro interesse. Não cremos. O político só faz algo em prol do povo quando isto lhe rende algum proveito. Especificamente sobre a emancipação de Inoã/Itaipuaçu, e até sobre as emancipações em todo este Brasil afora, os políticos são contra e tudo fazem para que tal não aconteça. Em nosso caso tivemos prova disto em tempos atrás, quando uma ação impetrada pelo governo da época nos frustrou, quando tínhamos a certeza de que teríamos um bom resultado nas urnas. Os mandatários não entendem que eles nada perdem, já que o Estado continua com a mesma área, o país também, o município é que perde um pedaço, mas é aquele pedaço que ele não cuida, apesar do muito que dali arrecada. Não fora isto, uma boa arrecadação sem nenhuma contra partida é a razão da tentativa de emancipação. O próprio governo do município incentivaria a emancipação se o distrito não tivesse arrecadação lhe trouxesse despesas e encargos com o fito de livrar-se de uma carga que pesa em seu governo. As lutas contra as emancipações não são nova e se materializaram com a alteração da Constituição de 1988, quando o texto foi substituído pela Emenda nº 15 de 12 de Setembro 1996, que o Congresso Nacional ainda que não atendendo a proposta do governo, também até a presente data não criou a Lei Complementar prevista na emenda para regular as emancipações. Rodovaldo Coutinho MESMOCOMTARIFAZERO,USUÁRIOSCOMEÇAMARECLAMARDOSSERVIÇOSDOS“VERMELHINHOS” D. Glória é um exemplo da revolta, ao relatar que na quinta feira 25 de junho das 17:45 às 19:20 h, nenhum ônibus entrou em Itaipuaçu, deixando vários usuários aguardando no terminal de Inoã. Afim de amenizar o problema, a Viação Nossa Senhora do Amparo (responsável pelas linhas muncipais do terceiro e quarto distrito), deslocou um ônibus para reforçar a frota da linha Inoã - Itaipuaçu, afim de atender os usuários revoltados. Outra grande queixa é a respeito da sujeira dos ônibus. Externamente é visível que os ônibus sequer são lavados, mas o problema maior é quando entramos nos ônibus, mesmo naqueles que acabam de chegar da garagem improvisada atrás da Defesa Civil na RJ 106: nem varridos os veículos são e nenhum tipo de higiene e assepsia é feita nos veículos. Na segunda semana de junho, alguns leitores reclamaram até mesmo de fezes humanas no ônibus que fazia linha de Ponta Negra para o Centro via Manoel Ribeiro. Além disso, a maioria dos ônibus já não estão com o ar-condidionado funcionando e os que estão, devido a sujeira dentro dos veículos, acabam virando foco de várias doenças respiratórias. Em nota no site da prefeitura no dia 23 de junho, esta informa que obteve nova vitória na justiça contra as empresas de ônibus, fato irreal o que leva os usuários a má informação. Na verdade a juíza da 1 Vara de maricá apreciou o pedido de antecipação de tutela, e a ação prosseguirá para produzir provas necessárias e ao final sim, decidir se a EPT pode ou não circular. Ônibus sujos, sem ar condicionado e com baixas frequencias são as maiores reclamações dos usuários O namoro parece que está chegando ao final e a pa- ciência também. Lançado em 18 de dezembro de 2014 (após mais de um ano de problemas e adiamentos), os ônibus dfa prefeitura com tarifa zero logo cairam no gosto da população mais carente, que mesmo andando com capacidade além da permitida, atraia passageiros ávidos pela possibilidade de nada pagar pelo serviço. É bom que se se diga que esse nada a pagar, na verdade é para entrar no ônibus, pois, considerando os gastos da EPT (Empresa Pública de Transporte, autarquia responsável pela circulação dos ônibus) com sua folha gigante e cir culando com apenas 12 ônibus (um está inutilizado des- de o carnaval após grave acidente), é com certeza a pas- sagem urbana mais cara do Brasil, paga por todos os contribuintes municipais, mesmo aqueles que nunca an- daram ou usufruiram dos serviços dos ônibus. Hoje com frota reduzida (normalmente apenas oito veículos circulam por dia, devido a problemas simples de manutenção), maior queira é justamente da frequência dos ônibus. Diversas reclamções chegam à nossa redação e a outras redações de jornais do município, relatando que o serviço é demorado e mal executado. Cena comum na garagem improvisada da EPT: veículos parados sem atender a população. Na foto, dois deles com os letreiros principais inutilizados, além de outros pequenos problemas mecânicos que fazem os veículos ficarem parados sem atender os usuários

×