Planejamento Empresarial e Projetos - Adm. Davson Mansur

2.736 visualizações

Publicada em

Palestra ministrada no Encontro de Planejamento Empresarial e Projetos, realizada pelo CRA-MG em 24/05/2011.

Publicada em: Negócios
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Planejamento Empresarial e Projetos - Adm. Davson Mansur

  1. 1. Planejamento em Projetos Adm. Davson Mansur Irff Silva d [email_address] www.mansursc.com
  2. 3. <ul><li>Antecipação do futuro. </li></ul><ul><li>Redução de incertezas. </li></ul><ul><li>Realização do Plano de Contingências. </li></ul>P L A N E J A M E N T O
  3. 4. Busca da Qualidade PLANEJAMENTO Definição de Objetivos e Recursos. ORGANIZAÇÃO Disposição dos recursos de uma estrutura. CONTROLE Análise e avaliação dos resultados. EXECUÇÃO Realização dos Planos.
  4. 5. P L A N E J A M E N T O Condições que determinam maior ou menor necessidade de estratégias. Fonte: LAS CASAS, Alexandre Luzzi. Plano de marketing para m é dia e pequena empresa. São Paulo: Atlas, 1999. p. 22. Maior necessidade de estratégia Menor necessidade Oferta maior que a procura Procura maior que a oferta Produtos diferenciados Produtos padronizados Concorrência forte Concorrência limitada Mudanças tecnológicas rápidas Mudanças tecnológicas lentas Mudanças rápidas no produto Mudanças lentas no produto Mercados dinâmicos Mudanças estáveis
  5. 6. P L A N E J A M E N T O Desenvolvimento do Planejamento Estratégico Stakeholders: são todos os membros envolvidos no projeto: fornecedor, cliente, equipe e todos aqueles de alguma forma podem projetar resultados positivos em um projeto.
  6. 7. P R O J E T O S <ul><li>Considerações: </li></ul><ul><ul><li>Considera-se Projeto um empreendimento caracterizado, principalmente, pela singularidade das condições de que é realizado, especialmente no que diz respeito ao escopo, aos prazos, aos custos, às pessoas e à qualidade. </li></ul></ul>
  7. 8. <ul><li>Considerações: </li></ul><ul><ul><li>Um projeto é um conjunto único de atividades coordenadas, como datas de início e fim bem definidos, empreendidas por um individuo ou por uma organização, para alcançar objetivos específicos, dentro de um calendário determinado, com parâmetros de custos e de desempenho. </li></ul></ul>P R O J E T O S
  8. 9. Projetos <ul><li>Atributos: </li></ul><ul><ul><li>Empreendimento não repetitivo </li></ul></ul><ul><ul><li>Seqüência clara e lógica de eventos </li></ul></ul><ul><ul><li>Inicio, meio e fim </li></ul></ul><ul><li>Atributos: </li></ul><ul><ul><li>Objetivo claro e definido </li></ul></ul><ul><ul><li>Conduzido por pessoas </li></ul></ul><ul><li>Atributos: </li></ul><ul><ul><li>Conduzido por pessoas </li></ul></ul><ul><ul><li>Utilização de diferentes recursos </li></ul></ul><ul><ul><li>Parâmetros pré-definidos </li></ul></ul>
  9. 10. <ul><li>Gerenciamento de projeto: </li></ul><ul><ul><li>O Gerenciamento de Projetos é constituído por um conjunto de processos de gerenciamento voltados para o planejamento, a organização e o controle de todos os aspectos de um projeto, bem como para a motivação de todos os elementos envolvidos, como o intuito de alcançar com segurança e dentro dos prazos acordados, os objetivos estabelecidos. </li></ul></ul>P R O J E T O S
  10. 11. <ul><ul><li>Planejamento : desenvolvimento de objetivos, metas e estratégias. </li></ul></ul><ul><ul><li>Organização : Identificação dos recursos humanos e materiais necessários, estabelecimento de papéis individuais e coletivos dos membros das equipes. </li></ul></ul><ul><ul><li>Motivação : sistema cultural que faça vir à tona o melhor que as pessoas podem fazer. </li></ul></ul><ul><ul><li>Direção : Proporcionar a competência necessária de liderança para garantir a tomada e a execução de decisões que envolvem o projeto. </li></ul></ul><ul><ul><li>Controle : Monitoração, avaliação e controle do emprego de recursos no projeto que sejam coerentes com ele e com os planos organizacionais. </li></ul></ul>Principais Funções no Gerenciamento de Projeto
  11. 12. Princípios e Técnicas de Gerência de Projetos
  12. 13. <ul><li>Considerações do ambiente de negócios: </li></ul><ul><ul><li>Buscar o cumprimento de prazos, de acordo com o orçamento aprovado pelo nível estratégico. </li></ul></ul>Princípios e Técnicas de Gerência de Projetos
  13. 14. <ul><li>Gerência de Integração : assegurar que os diversos elementos do projeto estão adequadamente coordenados. </li></ul><ul><li>Desenvolvimento do Plano de Projeto : agregar os resultados dos outros processos de planejamento construindo um documento coerente e consistente. </li></ul><ul><li>Execução do Plano do Projeto : levar a cabo o projeto através da realização das atividades incluídas. </li></ul><ul><li>Controle de Mudanças : coordenar as mudanças através do projeto inteiro. </li></ul>Princípios e Técnicas de Gerência de Projetos
  14. 15. <ul><li>Plano do Projeto : </li></ul><ul><ul><li>A elaboração de um esboço sem datas, custos e outras estimativas que serão necessárias para a elaboração do projeto propriamente dita. </li></ul></ul><ul><ul><li>O plano do projeto terá seu início de demarcado com a presença da EAP – Estrutura Analítica do Projeto ( WBS – Work Breakdown Structure). </li></ul></ul><ul><ul><li>WBS é uma estrutura que demonstra todas as entregas de um projeto de forma hierárquica. </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Deliverables </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Work packages </li></ul></ul></ul>Princípios e Técnicas de Gerência de Projetos
  15. 16. <ul><ul><li>EAP – Estrutura Analítica do Projeto </li></ul></ul><ul><ul><li>( WBS – Work Breakdown Structure). </li></ul></ul>
  16. 17. <ul><li>Tipos de Baseline : </li></ul><ul><ul><li>Tempo: especifica datas e distribuição de atividades em ordem cronológica. </li></ul></ul><ul><ul><li>Custo: é um orçamento de quanto se pode investir no projeto. </li></ul></ul><ul><ul><li>Escopo: definição de tudo o que se pretende “produzir” com o projeto. </li></ul></ul><ul><ul><li>Qualidade: identificação de resultados obtidos em comparação ao planejado. </li></ul></ul><ul><ul><li>Integração: integrar todas as áreas, na busca de alcançar resultados individuais, com foco no resultado final do projeto. </li></ul></ul>Princípios e Técnicas de Gerência de Projetos
  17. 18. <ul><li>O propósito da Matriz de Responsabilidade: </li></ul><ul><li>É proporcionar claridade e obter um acordo sobre quem faz o quê. </li></ul><ul><li>A matriz reflete as expectativas e as responsabilidades das pessoas envolvidas. </li></ul><ul><ul><li>Por exemplo, se o Patrocinador delegar a responsabilidade de aprovação do documento “Requerimentos do Negócio” a um subordinado, esse fato deverá ser representado na matriz para que todos saibam. </li></ul></ul><ul><ul><li>Por outro lado, se o patrocinador decidir que ele aprovará o documento “Requerimentos do Negócio”, então, de fato, somente ele deverá aprová-lo. </li></ul></ul>Princípios e Técnicas de Gerência de Projetos
  18. 19. <ul><li>Execução de Controle do Plano de Projeto: </li></ul><ul><ul><li>Mediante a elaboração da Matriz de Responsabilidades o projeto poderá ser executado dentro do que foi planejado, relacionando os responsáveis pelas entregas e quais serão as entregas que devem realizar. </li></ul></ul><ul><ul><li>O Controle esta presente nas entregas, em conformidade com o que foi solicitado pelo Gerente do Projetos, que não criaram problemas no aceito do cliente. </li></ul></ul>Princípios e Técnicas de Gerência de Projetos
  19. 20. GERÊNCIA DE RISCO
  20. 21. <ul><li>Plano de Contingências: </li></ul><ul><li>Identificação do risco </li></ul><ul><li>Transferência do risco </li></ul><ul><li>Mitigação do risco </li></ul>P L A N E J A M E N T O
  21. 22. <ul><li>Consiste nos processos de identificação, classificação e quantificação dos riscos, bem como no gerenciamento das ações de respostas a todos os riscos do projeto. </li></ul><ul><li>Adotam uma abordagem formal, ao invés de uma abordagem intuitiva. Os processos de gestão dos riscos ocorrem em todas as fases do ciclo de vida do projeto. </li></ul>GERÊNCIA DE RISCO Riscos: caracterizados pela possibilidade de um projeto não se realizar de acordo com os objetivos e com as condições externas.
  22. 23. <ul><li>Geralmente, apresentam-se cinco tipos de ações de respostas aos riscos: </li></ul><ul><li>Evitar ou remover; </li></ul><ul><li>Reduzir; </li></ul><ul><li>Contratar seguro; </li></ul><ul><li>Transferir para outros; </li></ul><ul><li>Aceitar. </li></ul>GERÊNCIA DE RISCO
  23. 24. <ul><li>Todo risco necessita ser avaliado segundo dois aspectos: </li></ul><ul><li>A probabilidade de sua ocorrência; e </li></ul><ul><li>O impacto sobre o projeto (a severidade do dano ou a grandeza do benefício). </li></ul>GERÊNCIA DE RISCO
  24. 25. <ul><li>A redução de riscos esta relacionada a um planejamento eficiente, que avalie constantemente os impactos que cada mudança possa oferecer ao projeto. Para tanto, todas as modificações devem ser avaliadas e mensuradas nos aspectos de custo e tempo. </li></ul>GERÊNCIA DE RISCO
  25. 26. <ul><li>Fase Inicial </li></ul>Fase Intermediária Fase Final Controle Planejamento Identificação Quantificação Resposta Ciclo de Vida do Projeto Decisão Go or No Go Tempo GERÊNCIA DE RISCO
  26. 27. Alto Baixo Impacto Probabilidade Probabilidade : chance de ocorrência Impacto : o que vai causar – a extensão de perda ou ganho resultante da incidência de risco. GERÊNCIA DE RISCO
  27. 28. Matriz de Probabilidade e Impacto <ul><li>Os riscos são priorizados de acordo com suas possíveis implicações para o atendimento dos objetivos do projeto. Os riscos identificados serão qualificados na sua probabilidade de ocorrência e impacto ou gravidade dos seus resultados. </li></ul>Probabilidade Muito Baixa 1% a 19,% Baixa 20% a 39% Média 40% a 59% Alta 60% a 79% Iminente 80% a 99% Impactos (em pontos) Muito Baixa 1 pt. Baixa 2 pts. Média 3 pts. Alta 4 pts. Iminente 5 pts.
  28. 29. “ Mais do que nunca, ter uma visão voltada para o futuro é a diferença entre o sucesso e o fracasso”. Peter Drucker Obrigado!!!

×