SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 25
Basidiomicetos
Basidiomycota (Os basidiomicetos) 
Características 
 Formam corpos de frutificação denominados basidiocarpos, mais popularmente 
conhecidos como cogumelos. 
 Possuem hifas septadas 
 Alguns eliminam substâncias mal cheirosas para atrair insetos, os quais dispersam 
seus esporos. 
 Alguns cogumelos possuem substâncias alucinógenas e são utilizados por tribos de 
indígenas em rituais religiosos. (GêneroPsilocybe). 
 Muitos são utilizados na gastronomia (champingnon) 
 Principais representantes: 
o Psilocybe mexicana – Alucinógeno 
o Agaricus campestris – Comestível, conhecido como champingnon. 
o Polyporus sp. – Orelha de pau
HIFAS 
As hifas filamentosas 
cilíndricas são elementos 
característicos da maioria dos 
fungos. 
Eles consistem em uma linha 
de células alongadas e 
fechadas pela parede da célula, 
reunidos, formam o micélio.
HIFAS SEPTADAS 
Células de uma hifa podem 
formar um citoplasma 
contínuo (um sincício), caso 
em que falamos também 
das hifas sinfonadas , ou 
separadas por divisórias ou 
septos (hifas septadas).
SEPTOS 
O septo é uma parede que divide 
de modo completo ou incompleto 
uma cavidade ou estrutura em 
outras mais pequenas. 
Fluxos protoplasmáticos através 
das aberturas dos septos fornecem 
nutrientes para as células, que são 
armazenados nas paredes das hifas 
como glicogênio.
FÍBULA 
Entre duas células separadas por um 
septo pode também ocorrer junções 
celulares em forma de fíbula, ocorre 
entre duas células binucleadas 
adjacentes de uma mesma hifa. 
 Elas ajudam durante a mitose de uma 
célula com dois núcleos (A e B), as cópias 
de ambos núcleos (A 'e B') se mantém na 
nova célula
MICÉLIO 
O micélio é a massa de hifas que constituem 
o corpo vegetativo de cogumelos. 
O micélio primário sofre dicariotização 
(somatogamia ou espermatização) produzindo 
hifas dicarióticas que correspondem ao micélio 
secundário. 
Nos fungos de caráter homotálico um 
basidiósporo produz um micélio dicariótico. 
A quitina está presente nas paredes celulares. 
MICELIO 
VEGETATIVO 
MICELIO AEREO
BASIDIOCARPO 
É visível a olho nú. 
É o esporocarpo dos basidiomicetos.
ESPOROCARPO (corpo frutífero do corpo de 
frutificação) 
É uma estrutura multicelular em que se formam basídios que 
produzem os esporos. 
É parte da fase sexual do ciclo de vida de um cogumelo, com o 
restante do seu ciclo reprodutivo caracterizado por um 
crescimento vegetativo micelial .
BASIDIOCARPOS 
Todos os basidiocarpos se ajustam a um estrutura que os himênio 
(camada de tecido de um corpo frutífero de um fungo) é produzido. 
Os basídios se encontram BASIDIOCARPO 
na superfície do himênio (camada de 
tecido de um corpo frutífero de um fungo) e são, em última instância, 
os produtores de esporos.
TIPOS DE 
BASíDIOS____________ 
Heterobasidiomicetos 
Quando os basídios estão 
septados e muito divididos. Os 
esporos são mais resistentes por 
possuírem uma parede muito 
grossa. Apresentan mais de um 
tipo de conídio. 
Homobasidiomicetos 
Quando os basídios são mais 
uniformes e não septados com 
forma claviforme. Nestes o 
basidiósporos germinam 
formando a hifa.
Basidiomicetos - Reprodução Sexuada 
1. Germinação dos esporos e 
fusão dos micélios 
monocarióticos haplóides (n) 
2. Formação de hifas dicarióticas 
as quais formam o corpo de 
frutificação. 
3. Algumas hifas dicarióticas no 
corpo de frutificação se 
desenvolvem em basídios os 
quais fundem os núcleos 
formando um zigoto (2n). 
4. O zigoto (2n) sofre meiose 
originando 4 basidiósporos ou 
esporos (n). Estes quando 
amadurecem são liberados no 
ambiente reiniciando o ciclo.
AAssccoommiicceettooss
Ascomycota 
 Compreendem cerca de 32.200 espécies. 
- Inclui vários fungos familiares e economicamente importantes. 
- A maioria dos bolores verdes azulados, vermelhos e escuros que 
estragam os alimentos.
• Exemplo de bolor em laranja. Bolor verde azulado.
Ascomycota 
 São a causa de doença vegetais sérias como a podridão escura. 
 Muitas leveduras também são ascomicetos como as morchelas e 
as trufas comestíveis 
 Há muitas espécies a serem descobertas.
a) Morchella esculenta – as verdadeiras morchelas estão entre os fungos comestíveis preferidos. 
b) Tuber melanosporum – turfa comestível altamente apreciada. 
a) b)
Ascomycota 
 Possui formas unicelulares e filamentosas 
 Suas hifas possuem septos perfurados que permitem uma maior 
movimentação de uma célula para outra. 
 As células do micélio vegetativo podem ser uninucleadas ou 
multinucleadas.
• Hifas com septos transversais, um núcleo e parede composta por 
quitina.
Ascomycota 
 Na maioria das espécies a reprodução assexuada é feita por 
meio da formação de conídios que são usualmente nucleados 
 Lembrando que os conídios são formados a partir de células 
canidiogênicas que nascem no ápice de hifas modificadas 
que são denominadas conidióforos 
• Verredura de conídios em 
Nomuraea rileyi em várias 
etapas de desenvolvimento
Ascomycota 
 A reprodução sexuada sempre envolve a formação de um asco, 
estrutura semelhante a um saco que produz ascósporos. 
 Ascósporos estes que são haploide e são formados após uma meiose. 
 Os ascos e ascósporos são estruturas exclusivas que distinguem os 
ascomicetos dos outros filos. 
 A formação de ascos usualmente ocorre dentro de uma estrutura de 
hifas entrelaçadas e compactadas o ascoma que são macroscópica. 
 Os ascos se desenvolvem na superfície interior do ascoma, essas 
camadas de ascos são chamadas himênios ou camada himenial.
Ascomycota
• Um ascoma de Coniochaeta, mostrando ascos e ascósporos no seu 
interior.
Ascomycota
CCoommppoonneenntteess:: 
• AAnnnnaa PPaauullaa LLooppeess GGoonnççaallvveess 
• EEnnzzoo SSiillvvaa DDiiaass 
• JJoosséé EEdduuaarrddoo RRiibbeeiirroo 
• RRaayyaannee CCaammiinnhhaass FFeerrrreeiirraa

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
emanuel
 
Identificação convencional de fungos filamentosos1
Identificação convencional de fungos filamentosos1Identificação convencional de fungos filamentosos1
Identificação convencional de fungos filamentosos1
Marcos Alan
 
Unidade 02 formação e desenvolvimento das sementes
Unidade 02 formação e desenvolvimento das sementesUnidade 02 formação e desenvolvimento das sementes
Unidade 02 formação e desenvolvimento das sementes
Bruno Rodrigues
 
Aula 7º ano - Reino Fungi
Aula 7º ano - Reino FungiAula 7º ano - Reino Fungi
Aula 7º ano - Reino Fungi
Leonardo Kaplan
 
Replicacao e transcriçao DNA procariotos
Replicacao e transcriçao DNA procariotosReplicacao e transcriçao DNA procariotos
Replicacao e transcriçao DNA procariotos
UERGS
 
Morfologia das angiospermas
Morfologia das angiospermasMorfologia das angiospermas
Morfologia das angiospermas
Fatima Comiotto
 

Mais procurados (20)

Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
 
Os Fungos
Os FungosOs Fungos
Os Fungos
 
Protozoários e protozooses
Protozoários e protozoosesProtozoários e protozooses
Protozoários e protozooses
 
Botânica aula2 fungos
Botânica aula2 fungosBotânica aula2 fungos
Botânica aula2 fungos
 
Fungos -2.ppt
Fungos -2.pptFungos -2.ppt
Fungos -2.ppt
 
Fitocromos e Desenvolvimento
Fitocromos e DesenvolvimentoFitocromos e Desenvolvimento
Fitocromos e Desenvolvimento
 
Identificação convencional de fungos filamentosos1
Identificação convencional de fungos filamentosos1Identificação convencional de fungos filamentosos1
Identificação convencional de fungos filamentosos1
 
Fisiologia vegetal
Fisiologia vegetalFisiologia vegetal
Fisiologia vegetal
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
 
Unidade 02 formação e desenvolvimento das sementes
Unidade 02 formação e desenvolvimento das sementesUnidade 02 formação e desenvolvimento das sementes
Unidade 02 formação e desenvolvimento das sementes
 
Reino dos fungos
Reino dos fungosReino dos fungos
Reino dos fungos
 
Aula 7º ano - Reino Fungi
Aula 7º ano - Reino FungiAula 7º ano - Reino Fungi
Aula 7º ano - Reino Fungi
 
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetaisTaxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
 
Replicacao e transcriçao DNA procariotos
Replicacao e transcriçao DNA procariotosReplicacao e transcriçao DNA procariotos
Replicacao e transcriçao DNA procariotos
 
Fungos 2º ano
Fungos 2º anoFungos 2º ano
Fungos 2º ano
 
DIFERENÇAS FISIOLÓGICAS
DIFERENÇAS FISIOLÓGICASDIFERENÇAS FISIOLÓGICAS
DIFERENÇAS FISIOLÓGICAS
 
Micorrizas
MicorrizasMicorrizas
Micorrizas
 
Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 002
Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 002Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 002
Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 002
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
 
Morfologia das angiospermas
Morfologia das angiospermasMorfologia das angiospermas
Morfologia das angiospermas
 

Destaque (20)

Basidiomicetos
BasidiomicetosBasidiomicetos
Basidiomicetos
 
Basidiomycota
BasidiomycotaBasidiomycota
Basidiomycota
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Hongos imperfectos o deuteromycota
Hongos imperfectos o deuteromycotaHongos imperfectos o deuteromycota
Hongos imperfectos o deuteromycota
 
Reino Hongo.
Reino Hongo.Reino Hongo.
Reino Hongo.
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Basidiomycetes
BasidiomycetesBasidiomycetes
Basidiomycetes
 
14.clase de basidiomycota
14.clase de basidiomycota14.clase de basidiomycota
14.clase de basidiomycota
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
 
Microbiologia aplicada aula03 microrganismos
Microbiologia aplicada aula03 microrganismosMicrobiologia aplicada aula03 microrganismos
Microbiologia aplicada aula03 microrganismos
 
Basidiomycota
BasidiomycotaBasidiomycota
Basidiomycota
 
Deuteromycota
Deuteromycota Deuteromycota
Deuteromycota
 
Clase de hongos y bacterias como seres, cuarto año ciencias naturales, primaria
Clase de hongos y bacterias como seres, cuarto año ciencias naturales, primariaClase de hongos y bacterias como seres, cuarto año ciencias naturales, primaria
Clase de hongos y bacterias como seres, cuarto año ciencias naturales, primaria
 
Principales tipos de hongos
Principales tipos de hongosPrincipales tipos de hongos
Principales tipos de hongos
 
Reino fungi2 ano
Reino fungi2 anoReino fungi2 ano
Reino fungi2 ano
 
Hongo Penicillium
Hongo Penicillium Hongo Penicillium
Hongo Penicillium
 
2 s fungi_ maio 2014
2 s fungi_ maio 20142 s fungi_ maio 2014
2 s fungi_ maio 2014
 
Mutações em microorganismos
Mutações em microorganismosMutações em microorganismos
Mutações em microorganismos
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
 

Semelhante a Ascomicetos e Basidiomicetos - Filos Basidiomycota e Ascomycota - Reino Fungi (20)

Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Fungi
FungiFungi
Fungi
 
5 fungi
5   fungi5   fungi
5 fungi
 
Aula 7º ano - Os Fungos.pptx
Aula 7º ano - Os Fungos.pptxAula 7º ano - Os Fungos.pptx
Aula 7º ano - Os Fungos.pptx
 
Biologia - O Reino Fungi.
Biologia - O Reino Fungi.Biologia - O Reino Fungi.
Biologia - O Reino Fungi.
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Fungos noturno 3 D
Fungos  noturno 3 D Fungos  noturno 3 D
Fungos noturno 3 D
 
Reino fungi.
Reino fungi.Reino fungi.
Reino fungi.
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Frente 3 Aula 6 Reino fungi.pptx
Frente 3 Aula 6 Reino fungi.pptxFrente 3 Aula 6 Reino fungi.pptx
Frente 3 Aula 6 Reino fungi.pptx
 
Morfologiafisiologiaeclassificaodosfungos
MorfologiafisiologiaeclassificaodosfungosMorfologiafisiologiaeclassificaodosfungos
Morfologiafisiologiaeclassificaodosfungos
 
Ppoint.Fungos.2009 C Nat.#
Ppoint.Fungos.2009 C Nat.#Ppoint.Fungos.2009 C Nat.#
Ppoint.Fungos.2009 C Nat.#
 
Generalidades De MicologìA
Generalidades De MicologìAGeneralidades De MicologìA
Generalidades De MicologìA
 
Reinofungi
ReinofungiReinofungi
Reinofungi
 
1239460666 reinofungi
1239460666 reinofungi1239460666 reinofungi
1239460666 reinofungi
 
5 fungi
5   fungi5   fungi
5 fungi
 
5 fungi
5   fungi5   fungi
5 fungi
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 

Último

Último (20)

ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoasInsegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 

Ascomicetos e Basidiomicetos - Filos Basidiomycota e Ascomycota - Reino Fungi

  • 2. Basidiomycota (Os basidiomicetos) Características  Formam corpos de frutificação denominados basidiocarpos, mais popularmente conhecidos como cogumelos.  Possuem hifas septadas  Alguns eliminam substâncias mal cheirosas para atrair insetos, os quais dispersam seus esporos.  Alguns cogumelos possuem substâncias alucinógenas e são utilizados por tribos de indígenas em rituais religiosos. (GêneroPsilocybe).  Muitos são utilizados na gastronomia (champingnon)  Principais representantes: o Psilocybe mexicana – Alucinógeno o Agaricus campestris – Comestível, conhecido como champingnon. o Polyporus sp. – Orelha de pau
  • 3. HIFAS As hifas filamentosas cilíndricas são elementos característicos da maioria dos fungos. Eles consistem em uma linha de células alongadas e fechadas pela parede da célula, reunidos, formam o micélio.
  • 4. HIFAS SEPTADAS Células de uma hifa podem formar um citoplasma contínuo (um sincício), caso em que falamos também das hifas sinfonadas , ou separadas por divisórias ou septos (hifas septadas).
  • 5. SEPTOS O septo é uma parede que divide de modo completo ou incompleto uma cavidade ou estrutura em outras mais pequenas. Fluxos protoplasmáticos através das aberturas dos septos fornecem nutrientes para as células, que são armazenados nas paredes das hifas como glicogênio.
  • 6. FÍBULA Entre duas células separadas por um septo pode também ocorrer junções celulares em forma de fíbula, ocorre entre duas células binucleadas adjacentes de uma mesma hifa.  Elas ajudam durante a mitose de uma célula com dois núcleos (A e B), as cópias de ambos núcleos (A 'e B') se mantém na nova célula
  • 7. MICÉLIO O micélio é a massa de hifas que constituem o corpo vegetativo de cogumelos. O micélio primário sofre dicariotização (somatogamia ou espermatização) produzindo hifas dicarióticas que correspondem ao micélio secundário. Nos fungos de caráter homotálico um basidiósporo produz um micélio dicariótico. A quitina está presente nas paredes celulares. MICELIO VEGETATIVO MICELIO AEREO
  • 8. BASIDIOCARPO É visível a olho nú. É o esporocarpo dos basidiomicetos.
  • 9. ESPOROCARPO (corpo frutífero do corpo de frutificação) É uma estrutura multicelular em que se formam basídios que produzem os esporos. É parte da fase sexual do ciclo de vida de um cogumelo, com o restante do seu ciclo reprodutivo caracterizado por um crescimento vegetativo micelial .
  • 10. BASIDIOCARPOS Todos os basidiocarpos se ajustam a um estrutura que os himênio (camada de tecido de um corpo frutífero de um fungo) é produzido. Os basídios se encontram BASIDIOCARPO na superfície do himênio (camada de tecido de um corpo frutífero de um fungo) e são, em última instância, os produtores de esporos.
  • 11. TIPOS DE BASíDIOS____________ Heterobasidiomicetos Quando os basídios estão septados e muito divididos. Os esporos são mais resistentes por possuírem uma parede muito grossa. Apresentan mais de um tipo de conídio. Homobasidiomicetos Quando os basídios são mais uniformes e não septados com forma claviforme. Nestes o basidiósporos germinam formando a hifa.
  • 12. Basidiomicetos - Reprodução Sexuada 1. Germinação dos esporos e fusão dos micélios monocarióticos haplóides (n) 2. Formação de hifas dicarióticas as quais formam o corpo de frutificação. 3. Algumas hifas dicarióticas no corpo de frutificação se desenvolvem em basídios os quais fundem os núcleos formando um zigoto (2n). 4. O zigoto (2n) sofre meiose originando 4 basidiósporos ou esporos (n). Estes quando amadurecem são liberados no ambiente reiniciando o ciclo.
  • 14. Ascomycota  Compreendem cerca de 32.200 espécies. - Inclui vários fungos familiares e economicamente importantes. - A maioria dos bolores verdes azulados, vermelhos e escuros que estragam os alimentos.
  • 15. • Exemplo de bolor em laranja. Bolor verde azulado.
  • 16. Ascomycota  São a causa de doença vegetais sérias como a podridão escura.  Muitas leveduras também são ascomicetos como as morchelas e as trufas comestíveis  Há muitas espécies a serem descobertas.
  • 17. a) Morchella esculenta – as verdadeiras morchelas estão entre os fungos comestíveis preferidos. b) Tuber melanosporum – turfa comestível altamente apreciada. a) b)
  • 18. Ascomycota  Possui formas unicelulares e filamentosas  Suas hifas possuem septos perfurados que permitem uma maior movimentação de uma célula para outra.  As células do micélio vegetativo podem ser uninucleadas ou multinucleadas.
  • 19. • Hifas com septos transversais, um núcleo e parede composta por quitina.
  • 20. Ascomycota  Na maioria das espécies a reprodução assexuada é feita por meio da formação de conídios que são usualmente nucleados  Lembrando que os conídios são formados a partir de células canidiogênicas que nascem no ápice de hifas modificadas que são denominadas conidióforos • Verredura de conídios em Nomuraea rileyi em várias etapas de desenvolvimento
  • 21. Ascomycota  A reprodução sexuada sempre envolve a formação de um asco, estrutura semelhante a um saco que produz ascósporos.  Ascósporos estes que são haploide e são formados após uma meiose.  Os ascos e ascósporos são estruturas exclusivas que distinguem os ascomicetos dos outros filos.  A formação de ascos usualmente ocorre dentro de uma estrutura de hifas entrelaçadas e compactadas o ascoma que são macroscópica.  Os ascos se desenvolvem na superfície interior do ascoma, essas camadas de ascos são chamadas himênios ou camada himenial.
  • 23. • Um ascoma de Coniochaeta, mostrando ascos e ascósporos no seu interior.
  • 25. CCoommppoonneenntteess:: • AAnnnnaa PPaauullaa LLooppeess GGoonnççaallvveess • EEnnzzoo SSiillvvaa DDiiaass • JJoosséé EEdduuaarrddoo RRiibbeeiirroo • RRaayyaannee CCaammiinnhhaass FFeerrrreeiirraa

Notas do Editor

  1. En biología, un sincitio, es una célula que contiene muchos núcleos.
  2. Este tipo de estructuras se originan cuando se produce la división de las células dicarióticas de las hifas de algunas especies. Durante el proceso, uno de los núcleos se divide en el eje principal de la hifa, mientras que el otro lo hace dentro de una prolongación de la célula, formándose a continuación dos muros celulares o septos, de manera perpendicular a ambos ejes de división. Posteriormente, la parte prominente que dará lugar a la fíbula, y que contiene uno de los núcleos, se fusiona con la célula subapical, que vuelve a ser binucleada.
  3. Dicariotización: fenómeno de duplicación de núcleos en los hongos. Somatogamia hay una fusión de hifas somáticas; curiosamente, este método tan simple es el empleado por los hongos más complejos. También hay que tener en cuenta que no todas las fusiones de hifas tienen un propósito sexual. Espermatización: tipo de reproducción sexual (plasmogamia) en la que se unen un espermacio con una estructura receptora. Micelo aereo Micelo vegetativo La quitina es un polisacárido compuesto de unidades de N-acetilglucosamina (exactamente, N-acetil-D-glucos-2-amina). Éstas están unidas entre sí con enlaces β-1,4, de la misma forma que las unidades de glucosa componen la celulosa.2 Así, puede pensarse en la quitina como en celulosa con el grupo hidroxilo de cada monómero reemplazado por un grupo de acetilamina. Esto permite un incremento de los enlaces de hidrógeno con los polímeros adyacentes, dándole al material una mayor resistencia.