IV Painel Setorial de Energia Elétrica – Foco na Distribuição
          O Futuro do Mercado de Distribuição no Brasil

   ...
Agenda




1- Evolução do Setor de Eletricidade e Gás no Mundo


2- Visão do Setor Elétrico no Brasil


3- Perspectivas e ...
Agenda




1- Evolução do Setor de Eletricidade e Gás no Mundo


2- Visão do Setor Elétrico no Brasil



3- Perspectivas e...
O setor de eletricidade e gás vem passando por grandes
                                               transformações no mu...
O setor de energia e gás passa por grandes transformações
                                                           no ce...
O setor de energia e gás passa por grandes transformações
                                                              no...
O setor de energia e gás passa por grandes transformações
                                                          no cen...
As alterações de natureza regulatória introduzidas nos Estados
                      Unidos para estimular a aberturado me...
A elevação de preços de commodities energéticas e a dependência
                       externa têm forte influência no com...
O setor de energia e gás passa por grandes transformações
                                                     no cenário ...
O setor de energia e gás passa por grandes transformações
                                                    no cenário i...
A busca por Fusões e Aquisições tem sido adotada como estratégia
                  para fortalecer a posição das empresas ...
A busca por Fusões e Aquisições tem sido adotada como estratégia
         para fortalecer a posição das empresas na Europa...
Entre 2002 e 2006 foram anunciadas aquisições e fusões no setor
                                  de eletricidade e gás, e...
Em 2006, também foi registrado um aumento significativo na
               participação de fundos de investimentos em trans...
As 5 maiores aquisições e fusões no setor de eletricidade e gás
                      anunciadas, em 2006, apontam para o ...
Apesar da adequação mais lenta às novas regras, as operações no
                                            mercado norte-...
Em 2006, dentre as 15 maiores empresas de eletricidade e gás no
                   mundo, 10 são européias, o que eleva se...
Agenda




1- Evolução do Setor de Eletricidade e Gás no Mundo



2- Visão do Setor Elétrico no Brasil


3- Perspectivas e...
No segmento de geração atuam 1.600 agentes. O setor estatal, no
                                            entanto, conce...
O segmento de transmissão, em que atuam 40 concessionários,
                                              tem predominânci...
O mercado de distribuição é atendido por 64 concessionárias
                                                 e 125 coopera...
As 125 cooperativas atuam em aproximadamente 1.400 municípios.
                    As regiões sul e nordeste concentram 77...
As dez maiores distribuidoras atendem 60% das unidades
                                                                  c...
E respondem por 63% da receita de fornecimento de energia
                                                                ...
As vendas das distribuidoras, no entanto, desde 2003, vêm sendo
                       afetadas pela migração de clientes ...
A migração de clientes para o mercado livre vem afetando a
                                    receita das distribuidoras....
Mesmo assim as 10 maiores distribuidoras apresentaram evolução
                                     significativa dos resu...
DESAFIOS PARA O SEGMENTO DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA




                                                      29
Desafios para os agentes que atuam no segmento de distribuição




1 – Mercado

 Cenário                                  ...
Desafios para as empresas do segmento de distribuição
                                                             de ener...
Desafios para as empresas do segmento de distribuição
                                                                    ...
Desafios para as empresas do segmento de distribuição
                                                                  de...
Agenda




1- Evolução do Setor de Eletricidade e Gás no Mundo



2- Visão do Setor Elétrico no Brasil



3- Perspectivas ...
As recentes alterações no mercado mundial e a evolução dos aspectos
         regulatórios, no Brasil, apontam para a tendê...
A movimentação de agentes do setor em direção ao mercado de capitais, por
            meio da oferta de ações reforça a te...
As operações de aquisição realizadas em 2006 apontam para a
               tendência de consolidação e ampliação do portfó...
Os movimentos recentemente anunciados no setor elétrico apontam
            para a possibilidade de novas operações de gra...
O processo de consolidação, no entanto, é limitado por questões regulatórias,
              que inibem a formação de grupo...
Agenda




1- Evolução do Setor de Eletricidade e Gás no Mundo



2- Visão do Setor Elétrico no Brasil



3- Perspectivas ...
CPFL Energia
                      Estratégia de Crescimento e Diversificação do Portfólio de Negócios




• Constituição ...
CPFL Energia
                      Evolução da estratégia de crescimento no setor elétrico brasileiro




                ...
CPFL Energia
                                                                                                             ...
O desempenho da CPFL Energia mostra evolução crescente




 Evolução da Venda de Energia                                  ...
O desempenho da CPFL Energia mostra evolução crescente




 Valorização das ações – BOVESPA¹                              ...
IV Painel Setorial de Energia Elétrica – Foco na Distribuição
          O Futuro do Mercado de Distribuição no Brasil

   ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Iv Painel Setorial De Energia EléTrica

1.095 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Iv Painel Setorial De Energia EléTrica

  1. 1. IV Painel Setorial de Energia Elétrica – Foco na Distribuição O Futuro do Mercado de Distribuição no Brasil Wilson Ferreira Junior Presidente da CPFL Energia São Paulo, 08 de outubro de 2007
  2. 2. Agenda 1- Evolução do Setor de Eletricidade e Gás no Mundo 2- Visão do Setor Elétrico no Brasil 3- Perspectivas e Tendências 4- Evolução da CPFL Energia 2
  3. 3. Agenda 1- Evolução do Setor de Eletricidade e Gás no Mundo 2- Visão do Setor Elétrico no Brasil 3- Perspectivas e Tendências 4- Evolução da CPFL Energia 3
  4. 4. O setor de eletricidade e gás vem passando por grandes transformações no mundo Motivadores 1. Aspectos Regulatórios 2. Preços 3. Questões Ambientais 4. Busca de Complementaridade e Escala 4
  5. 5. O setor de energia e gás passa por grandes transformações no cenário internacional Aspectos Regulatórios – União Européia Diretivas de Eletricidade: Abertura do Mercado • Desverticalização das atividades • Abertura à competição no atacado e Preços influenciados por varejo dependência externa e pela • Entrada de novos players tendência de aumento de preços de commodities energéticas • Acesso livre ao sistema de transmissão • Regulação por incentivos na transmissão Riscos à segurança no suprimento e na distribuição • Instituição de regulador central Fonte: União Européia 5
  6. 6. O setor de energia e gás passa por grandes transformações no cenário internacional Aspectos Regulatórios – União Européia 1996/98 2000 2003 2004 2007 • 1ª. Diretiva de • A maior parte dos • 2ª. Diretiva de • Ano-limite para a • Abertura do Eletricidade Estados Membros Eletricidade e Gás abertura do mercado de (96/92/EC) e Gás implementa a 1ª. (2003/54/EC) e mercado de eletricidade e gás (98/30/EC) Diretiva gás (2003/55/EC) eletricidade e gás para 100% dos Eletricidade e Gás para todos os consumidores • Abertura gradual • Decisão de consumidores não residenciais dos mercados e abertura completa residenciais (jul/07) introdução de do mercado concorrência • Transmissão e Distribuição (fio) submetidas à regulação regional. 6
  7. 7. O setor de energia e gás passa por grandes transformações no cenário internacional Aspectos Regulatórios – Estados Unidos Limitações do Public Utility Holding Energy Policy Act (EPAct 2005) facilita o Company Act (PUHCA/1935): início do processo de consolidação do • Holdings restritas à propriedade de setor: um sistema integrado de serviço • Eliminação das restrições à propriedade, ao público escopo e à estrutura das empresas • Limitação dos investimentos de non • Incentivo às fusões entre empresas de utilities no setor energia e aquisições por non utilities (bancos, petrolíferas, fundos de • Setor pulverizado e empresas de investimentos, corporações industriais) porte inferior às européias: 24 companhias elétricas • Estímulo à diversificação do suprimento de 42 empresas combinadas de combustíveis: US$ 85 bilhões eletricidade e gás 30 companhias integradas de gás, • Regulação da distribuição e comercialização distribuição e transmissão de energia com clientes finais permanece com estados 7
  8. 8. As alterações de natureza regulatória introduzidas nos Estados Unidos para estimular a aberturado mercado à competição vêm sendo adotadas lentamente pelos estados Aspectos Regulatórios – Estados Unidos A regulação da atividade de Competição na Comercialização no Mercado distribuição e comercialização com Varejista de Energia nos EUA e Situação os clientes finais permanece como Regulatória nos Estados tarefa dos estados 18 estados já adotaram a reestruturação que estimula a abertura da comercialização para a competição Outros 26 encontram-se em Adotaram Reestruturação 18 estágios diferentes de adequação Abertura Grandes Clientes 02 Atrasos na Data de Início 02 Reestruturação Revogada 02 Menor pressão competitiva vis a Reestruturação Suspensa 01 vis o contexto europeu Não Adotaram Reestruturação 26 Fonte: Edison Electric Institute e FERC. Situação em dezembro de 2006 8
  9. 9. A elevação de preços de commodities energéticas e a dependência externa têm forte influência no comportamento do mercado na Europa e Estados Unidos Preços – Estados Unidos e União Européia A elevada dependência externa conduz à necessidade de diversificação das fontes de suprimento e incentiva a utilização de fontes renováveis (eólica na Europa) e convencionais locais (nuclear nos EUA) Preços de Commodities Energéticas Dependência Externa Petróleo Brent Carvão Europa (US$/Barril) (US$/Tonelada) 56% 65 64 12% a.a. 10% a.a. 36 28 30% 2000 2006 2000 2006 Gás Natural EUA Gás Natural Europa 8,8 (US$/MM BTU) (US$/MM BTU) EUA Europa 6,8 8% a.a. 18% a.a. 4,2 Nota: Dependência externa: definida 3,3 como a divisão o entre as importações líquidas de energia e o consumo interno 2000 2006 2000 2006 Fontes: EIA, União Európéia, BP Stastistical Review 2006 9
  10. 10. O setor de energia e gás passa por grandes transformações no cenário internacional Aspectos Ambientais – União Européia Implantação de Novas Políticas Ambientais: • Diversificação das fontes de geração Setor é responsável por 80% das • Redução de emissões e elevação da emissões de gases de efeito estufa eficiência energética em 20% até 2020 Fontes renováveis respondem por • Capacitação para geração a partir de fontes renováveis para aumentar a apenas 7% da matriz participação de renováveis para 20%, até 2020 • Utilização de tecnologias de menor impacto ambiental 10
  11. 11. O setor de energia e gás passa por grandes transformações no cenário internacional Aspectos Ambientais – Estados Unidos Publicação de 3 novas regulamentações para redução de emissões de poluentes (SO2, NOx e Mercúrio): • Clear Air Instate Rule (CAIR) Pressões internas e externas pela redução de emissões de poluentes • Clear Air Mercury Rule (CAMR) • Clear Air Visibility (CAVR) Impactos de custo de US$ 47,8 bilhões na indústria elétrica, entre 2007 e 2025 11
  12. 12. A busca por Fusões e Aquisições tem sido adotada como estratégia para fortalecer a posição das empresas na Europa e nos Estados Unidos Busca de Complementaridade e Escala Estratégias Ganhos Buscar complementaridade na oferta Efeitos de Escala (pacotes gás/eletricidade) • Redução de custos de suprimento (maior poder Fortalecer da atuação nos mercados de negociação e portfólio mais variado) transnacionais • Economias de escala em compras Ampliar e diversificar o portfólio de • Eliminação de redundâncias e redução de custos negócios de O&M Ampliar a capacidade de investimento Efeitos de Complementaridade em novos ativos e na modernização das redes • Maior escopo de ofertas Buscar desenvolvimento acelerado de • Desenvolvimento comercial mais acelerado atividades no upstream de gás (E&P e • Mitigação de custos de adequação às novas GNL), infra-estrutura e geração de exigências ambientais energia Fonte: Relatório Anual das empresas 12
  13. 13. A busca por Fusões e Aquisições tem sido adotada como estratégia para fortalecer a posição das empresas na Europa e nos Estados Unidos CONSOLIDAÇÃO DO MERCADO NO MUNDO 13
  14. 14. Entre 2002 e 2006 foram anunciadas aquisições e fusões no setor de eletricidade e gás, envolvendo US$ 746 bilhões. Do total de US$ 299 bilhões em 2006, 46% foram referentes a operações internacionais Evolução das A&F em Gás e Eletricidade – US$ bilhões 299 196 136 56,0 124 85 57,2 163 26,7 43 140,0 58,3 17,0 66,8 26,0 2002 2003 2004 2005 2006 Doméstico Internacional (*) Valores incluem as operações anunciadas incluindo aquelas com pendências legais e financeiras e aquelas concluídas Fonte: Price Waterhouse Coopers, PowerDeals Annual Review, 2006 14
  15. 15. Em 2006, também foi registrado um aumento significativo na participação de fundos de investimentos em transações no setor de eletricidade e gás A participação dos fundos de investimento chegou a 17% em 2006, contra 14% em 2005 Evolução das A&F em Gás e Eletricidade – US$ bilhões 299 52 196 247 28 124 43 169 43 17 81 26 2003 2004 2005 2006 Fundo de investimento em infra-estrutura Companhias de serviço público Fonte: Price Waterhouse Coopers, PowerDeals Annual Review, 2006 15
  16. 16. As 5 maiores aquisições e fusões no setor de eletricidade e gás anunciadas, em 2006, apontam para o aumento crescente das operações também nos EUA As 5 maiores ofertas de aquisições e fusões representaram o valor total de US$ 167 bilhões Valor Ofertante Nacionalidade Alvo Nacionalidade US$ Status bilhões E.ON Alemanha Endesa Espanha 66 Paralisada Suez França Gaz de France França 43 Aprovada Iberdrola Espanha Scottish Power plc Reino Unido 23 Aprovada GS Capital Partners/AIG Global EUA Kinder Morgan Inc EUA 22 Aprovada Asset, etc. National Grid plc Reino Unido Key Span Corp EUA 13 Aprovada (1) Situação em outubro de 2007 Fonte: Price Waterhouse Coopers, PowerDeals Annual Review, 2006 16
  17. 17. Apesar da adequação mais lenta às novas regras, as operações no mercado norte-americano começaram a se acentuar Evolução do número e valor das transações: União Européia e Estados Unidos Transações Anunciadas no Mercado de Transações Anunciadas no Mercado de Eletricidade – Europa Eletricidade – EUA US$ bilhões US$ bilhões 2006 28 99 +22% 2006 14 11 -58% 2005 64 40 2005 56 nº de transações nº de transações 2006 90 72 -10% 2006 70 28 +5% 2005 102 77 2005 79 13 Domésticas Internacionais Fonte: Price Waterhouse Coopers, PowerDeals Annual Review, 2006 17
  18. 18. Em 2006, dentre as 15 maiores empresas de eletricidade e gás no mundo, 10 são européias, o que eleva seu porte vis a vis suas concorrentes Maiores empresas de Gás e Eletricidade em 2006 por Receita (US$ bilhões) E.On AG 83 EDF 77 Suez 58 Rwe AG 56 Enel Spa 49 Tokyo Electric Power 45 Gaz de France 36 Centrica 32 UES Russia 29 Endesa 26 Kansai 22 Chubu 19 Europa Exelon 16 Duke Energy 15 Ásia Iberdrola 14 EUA Fonte: Platts 18
  19. 19. Agenda 1- Evolução do Setor de Eletricidade e Gás no Mundo 2- Visão do Setor Elétrico no Brasil 3- Perspectivas e Tendências 4- Evolução da CPFL Energia 19
  20. 20. No segmento de geração atuam 1.600 agentes. O setor estatal, no entanto, concentra 72% dos ativos Geração de Energia Participação no Mercado por Empresa (%) 2006 Agentes (nº) 1.660 DUKE CPFL Energia 2% AES Tietê 2% v 3% Copel Outros Capacidade Instalada (GW) 104.822 4% 35% Tractebel 6% Cemig 6% Composição do Mercado Itaipu 7% Chesf 5 maiores agentes detêm 50% do mercado CESP 10% 7% Furnas 72% Estatal Eletronorte 9% 9% 28% Privado Agentes: Aneel - Capacidade Instalada: PDEE 2007-2016 Participação no Mercado: Acende Brasil 20
  21. 21. O segmento de transmissão, em que atuam 40 concessionários, tem predominância do setor estatal Transmissão de Energia Participação no Mercado por Empresa (%) 2006 Concessionários (nº) 40 Outras (incluindo privadas) Usuários (nº) 223v 10% CHESF 23% Rede Básica (km) 85.399 COPEL 2% CEMIG 7% Capacidade instalada (MVA) 183.099 CEEE 7% Furnas Composição do Mercado 22% CTEEP 11% 5 maiores agentes detêm 74% do mercado Eletrosul Eletronorte 9% 84% Estatal 9% 16% Privado Agentes: Aneel - Capacidade Instalada: PDEE 2007-2016 Participação no Mercado: Acende Brasil 21
  22. 22. O mercado de distribuição é atendido por 64 concessionárias e 125 cooperativas de eletrificação Distribuição de Energia Participação no Mercado por Grupo (%) 2006 Distribuidoras (nº) 64 COPEL CELESC EDP Neoenergia Consumidores (nº) 59,1 v 7,8% 6,6% 5,2% 4,6% ENDESA 4,1% Energia Distribuída (TWh) 347,4 CEMIG Companhia G. Rede 3,8% Energética Prisma 10,8% Energy 3,6% Brasiliana Composição do Mercado Energia 11,9% Demais 28,5% 5 maiores grupos detêm 50% do mercado CPFL Energia • 34% Estatal 13,1% • 66% Privado Agentes: Aneel - Capacidade Instalada: PDEE 2007-2016 Participação no Mercado: Acende Brasil 22
  23. 23. As 125 cooperativas atuam em aproximadamente 1.400 municípios. As regiões sul e nordeste concentram 77% das cooperativas em atuação no Brasil Cooperativas de Eletrificação Distribuição das Cooperativas por Região Norte Sul 1% 34% Nordeste 33% MA CE 1 12 8 RN v PI 7 PB Sudeste Centro-Oeste 1 11 PE RO 18% 14% 1 1 SE MT 1 GO Municípios de Atuação por Região 13 MG Norte MS 1 0,2% 4 SP 5 Sul Nordeste 17 RJ PR 7 39% 33% 5 estados com 21 SC RS maior nº. de Centro-Oeste 15 Sudeste cooperativas 14% 14% Fonte: Altas de Energia Elétrica do Brasil – Aneel, 2005 23
  24. 24. As dez maiores distribuidoras atendem 60% das unidades consumidoras do país Nº. de Clientes das 10 Maiores Distribuidoras - milhões CEMIG-D 6,3 Eletropaulo 5,5 COELBA 4,1 Light 3,5 COPEL-Dis. 3,4 10 maiores distribuidoras CPFL-Paulista 3,3 35,4 milhões de clientes = 60% CELPE 2,7 COELCE 2,4 Ampla 2,2 CELG 2,0 Outros 54 agentes 23,74 Estatais Privadas Estatais e Privadas Nota: O valor de outros foi estimado com base na média mensal do número de unidades consumidoras de janeiro a março de 2007 Fonte: Informações Gerenciais Julho de 2007 – Aneel julho de 2007 – Aneel 24
  25. 25. E respondem por 63% da receita de fornecimento de energia elétrica Receita de Fornecimento das 10 Maiores Distribuidoras – R$ bilhões Eletropaulo 0,71 CEMIG 0,53 Light 0,50 CPFL Paulista 0,42 10 maiores distribuidoras COPEL- Dis. 0,32 Receita de R$ 3,63 bilhões = CELESC – Dis. 0,27 63% do total Coelba 0,24 Elektro 0,24 Ampla 0,22 CELPE 0,18 Outros 54 agentes 2,11 Estatais Privadas Estatais e Privadas Nota: O valor de outros foi estimado com base na média mensal do número de unidades consumidoras de janeiro a março de 2007 Fonte: Informações Gerenciais julho de 2007 – Aneel, referente a março de 2007 25
  26. 26. As vendas das distribuidoras, no entanto, desde 2003, vêm sendo afetadas pela migração de clientes para o mercado livre, que responderam por 25% do mercado em 2007 Evolução das Vendas para os Mercados Cativo e Livre – TWh/mês 25% 21% 24% 4% 12% 1% 99% 96% 88% 79% 76% 75% 2002 2003 2004 2005 2006 2007 ACR – Ambiente de Contratação Regulada ACL – Ambiente de Contratação Livre Mercado Taxa de Crescimento 2002 2003 2004 2005 2006 2007 (TWh/mês) (2005 - 2007) ACL 0,2 1,1 3,2 5,8 7 7,8 15% ACR 24,0 24,5 23,5 22,1 21,9 22,8 1% Total 24,3 25,6 26,7 28,0 28,9 30,5 4% Fonte: EPE – Dados até abril de 2007 26
  27. 27. A migração de clientes para o mercado livre vem afetando a receita das distribuidoras. A taxa de crescimento, entre 2005 e 2007, foi de 4% Evolução da Receita das Distribuidoras de Energia – R$ bilhões/mês 8% a.a. 4% a.a. 5,6 5,7 5,3 4,8 4,2 2003 2004 2005 2006 2007 Fonte: Informações Gerenciais julho de 2007 – Aneel, referente a março/2007 27
  28. 28. Mesmo assim as 10 maiores distribuidoras apresentaram evolução significativa dos resultados entre 2002 e 2006 Evolução do Lucro de 10 Grandes Distribuidoras de Energia – 2002/2006 R$ bilhões 3,7 2002 2006 -5,3 Nota: O lucro líquido das empresas Eletropaulo, CEMIG, Light, CPFL Paulista, COPEL, CELESC, COELBA, ELEKTRO, AMPLA e CELPE. Essas empresas apresentaram as dez maiores receitas de fornecimento em março de 2007 Fonte: Relatório Financeiro das empresas 28
  29. 29. DESAFIOS PARA O SEGMENTO DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA 29
  30. 30. Desafios para os agentes que atuam no segmento de distribuição 1 – Mercado Cenário Desafios Base de Clientes: aumento pelo crescimento da economia a taxas mais Ligar 13 milhões de novos clientes elevadas até 2016: • 12,2 milhões residenciais Vendas e Receita: ajuste ao • 0,7 milhão de comerciais e outros movimento de migração de clientes Atender ao crescimento consumo: para o mercado livre • Consumo previsto: entre 582 e 610 TWh • De 67,7 a 75,9% de crescimento Investimentos: garantia de fluxo necessário para atendimento ao Investir R$ 43 bilhões até 2010 crescimento da base de clientes e para atender crescimento. requisitos de qualidade 30
  31. 31. Desafios para as empresas do segmento de distribuição de energia no Brasil 2 – Regulação Cenário Desafios Tabela de Preços de Referência ainda não definida Necessidade de gestão diferenciada de Buscar aumento de escala e ganhos Perdas Comerciais e Inadimplência de eficiência operacional WACC Regulatório - Redução de 11,26% (1º Ciclo) para 9,95% (2º Ciclo) Lei 10848 impede uso do caixa Buscar estrutura adequada de operacional para investimentos em capital para viabilizar atendimento outros segmentos ao crescimento do mercado. Enquadramento de 54 cooperativas como permissionárias. 31
  32. 32. Desafios para as empresas do segmento de distribuição de energia no Brasil 3 – Eficiência O desafio de melhorar a qualidade do fornecimento de energia DEC - Duração Equivalente de Interrupção por Consumidor (horas/ano) Pequenas, médias e grandes distribuidoras 2006 55,55 DEC Brasil: 16,28 DEC (Até 30 mil clientes): 12,90 46,75 48,67 DEC (de 30 a 400 mil clientes): 26,36 42,89 DEC (acima de 400 mil clientes): 15,74 Benchmarking 6,59 29,85 29,19 28,29 27,19 26,36 24,89 23,69 25,54 24,80 22,41 20,65 30-400 mil¹ 23,43 22,18 19,81 17,68 16,78 17,93 Média Brasil² 24,05 16,33 15,71 16,28 15,74 19,85 16,57 18,07 16,28 Acima de 400 mil¹ 17,44 16,66 15,81 16,83 15,20 15,67 8,63 13,63 12,28 12,02 12,90 Até 30 mil¹ 8,54 7,69 6,84 5,82 6,43 5,35 5,34 6,21 Benchmarking 6,59 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 ¹ DEC médio calculado por meio da ponderação das vendas de energia das distribuidoras ² Fonte Aneel 32
  33. 33. Desafios para as empresas do segmento de distribuição de energia no Brasil 3 – Eficiência O desafio de melhorar a qualidade do fornecimento de energia FEC - Duração Equivalente de Interrupção por Consumidor (vezes/ano) Pequenas, médias e grandes distribuidoras 2006 FEC Brasil: 11,69 57,59 55,55 FEC (Até 30 mil clientes): 15,87 51,91 FEC (de 30 a 400 mil clientes): 25,53 46,49 FEC (acima de 400 mil clientes): 10,93 Benchmarking 5,49 36,25 35,70 32,37 32,49 31,67 29,76 29,94 29,31 26,66 25,85 25,53 21,68 30,06 19,88 22,57 20,08 30-400 mil¹ 17,59 15,29 14,56 14,84 15,57 15,87 20,40 19,46 13,12 Até 30 mil¹ 17,23 12,12 12,62 11,69 Média Brasil² 15,01 14,24 14,35 7,15 6,98 12,46 11,51 11,78 10,93 Acima de 400 mil¹ 6,53 5,73 5,21 6,00 5,06 5,00 5,31 Benchmarking 5,49 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 ¹ FEC médio calculado por meio da ponderação das vendas de energia das distribuidoras ² Fonte Aneel 33
  34. 34. Agenda 1- Evolução do Setor de Eletricidade e Gás no Mundo 2- Visão do Setor Elétrico no Brasil 3- Perspectivas e Tendências do Mercado Brasileiro 4- Evolução da CPFL Energia 34
  35. 35. As recentes alterações no mercado mundial e a evolução dos aspectos regulatórios, no Brasil, apontam para a tendência de consolidação do mercado brasileiro de energia Motivadores Influência das alterações na estrutura da indústria na Europa e Estados Unidos Reposicionamento estratégico de grupos internacionais que atuam no País Ajuste às premissas regulatórias: • Eficiência em Custos de O&M (Empresa de Referência) • Limitações do WACC regulatório • Qualidade crescente Necessidade de aumento de escala para assegurar eficiência, competitividade e rentabilidade Diversificação do portfólio de negócios para mitigar riscos e capturar sinergias 35
  36. 36. A movimentação de agentes do setor em direção ao mercado de capitais, por meio da oferta de ações reforça a tendência de novas operações de aquisições no mercado brasileiro e a busca por fontes de financiamento de menor custo Parceria do Setor Elétrico com o Mercado de Capitais Desde dez/03, quatro companhias do setor elétrico captaram R$ 2,729 bilhões em Bolsas de Valores do Brasil e do exterior: CPFL Energia: R$ 941 milhões (Novo Mercado e NYSE) Energias do Brasil: R$ 1.185 milhões (Novo Mercado) Terna: R$ 418 milhões (Bovespa N2) Equatorial: R$ 186 milhões (Bovespa N2) Das 15 empresas do setor que fazem parte do IEE, 4 estão listadas no Novo Mercado: Segmento Empresas Novo Mercado Bovespa CPFL Energia | Tractebel Energia | Light | Energias do Brasil Bovespa Nível 2 AES Eletropaulo | Celesc | Terna | Equatorial Bovespa Nível 1 Eletrobras | Cemig | Cesp | Transmissão Paulista Bovespa Coelce | Copel | AES Tietê – Entre 2007 e 2010 o setor elétrico requer investimento de aproximadamente R$ 88,2 bilhões*: • Necessidade de assegurar retorno do capital investido, segurança e estabilidade regulatória * Fonte: BNDES – Visão do Desenvolvimento – Secretaria de Assuntos Econômicos – SAE – 2006 36
  37. 37. As operações de aquisição realizadas em 2006 apontam para a tendência de consolidação e ampliação do portfólio de negócios dos grupos que atuam no país Operações no Brasil: 2006 e 2007 2006 2007 VALOR DO COMPRADORA INVESTIMENTO VALOR VALOR ESTRATÉGIA US$ milhões EMPRESA EMPRESA US$ milhões US$ milhões PSEG (RGE) 185 CMS Energy Brasil 211 CPFL Energia 492 Consolidação C.L.F.Sta. Cruz 94 Cerfra(Cooperat) 2 Petrobrás 468 El Paso (UTE Macaé) 356 UTE Juiz de Fora 112 Consolidação CEMIG/RME 320 EDF (Light) 320 Expansão COPEL 190 El Paso (UTE Araucária) 190 Consolidação ENEL 199 Grupo Rede (Geração) 199 Expansão SOBRAPAR 152 Alliant/Cataguazes (50%) 152 Consolidação GRUPO ISA 597 CTEEP 597 Expansão ETEO 294 TERNA 371 GTESA 45 Consolidação ETAU 32 BRASCAN 156 Energisa PCA 156 Consolidação Informações públicas 37
  38. 38. Os movimentos recentemente anunciados no setor elétrico apontam para a possibilidade de novas operações de grande porte no setor elétrico CESP AES Brasiliana Quarta maior companhia de geração do Leilão de venda das ações (49,99% do Brasil: capital votante) que o (BNDES) possui na Brasiliana: • Potência instalada (7,5 GW) • Ativos: AES Tietê (2,6 GW), UTE • Passa por saneamento financeiro e Uruguaiana (0,6 GW) poderá ser privatizada pelo governo do estado de São Paulo • AES detém direito de preferência Outros Empresas de distribuição federalizadas Cooperativas de Eletrificação Permissionárias Grupos nacionais de porte médio 38
  39. 39. O processo de consolidação, no entanto, é limitado por questões regulatórias, que inibem a formação de grupos ainda mais sólidos e com padrão de eficiência comparável aos das melhores companhias do mundo Limites regulatório à participação dos agentes definidos em outro ambiente estão sendo revistos Limitações da Lei 10.848 à atuação das distribuidoras impedem o investimento do caixa operacional em outros segmentos Fortalecimento do estímulo à busca de eficiência de custos e aumento da qualidade dos serviços prestados aos consumidores de energia elétrica. 39
  40. 40. Agenda 1- Evolução do Setor de Eletricidade e Gás no Mundo 2- Visão do Setor Elétrico no Brasil 3- Perspectivas e Tendências 4- Evolução da CPFL Energia 40
  41. 41. CPFL Energia Estratégia de Crescimento e Diversificação do Portfólio de Negócios • Constituição de Plataforma • Ampliação da Capacidade de Geração Sólida de Distribuição • Participação em leilões • Distribuidoras sinérgicas • Aquisição de ativos existentes • Mercados atraentes Ganhos de Escala e Eficiência • Atuação competitiva no mercado livre • Diversificação do portfólio • Venda de SVA 41
  42. 42. CPFL Energia Evolução da estratégia de crescimento no setor elétrico brasileiro CPFL Jaguariúna 1997 1998 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 Privatização da CPFL Paulista Aquisições – 11 Constituições de empresas – 3 1998 – Bandeirante 2002 – CPFL Energia 2000 – Ceran 2003 – CPFL Brasil e CPFL Centrais Elétricas S.A. 2001 – RGE e Semesa 2002 – Foz do Chapecó, Baesa e Enercan Construção de 6 Usinas 2005 – Clion e CPFL Sul Ampliação de Participações – 2 2006 – CPFL Santa Cruz 2006 - RGE e Foz do Chapecó 2007 – C. Energy Reestruturações e Cisões – 2 Incorporações – 2 2000 – CPFL Geração 2007 – Semesa e CPFL Centrais Elétricas são 2001 – CPFL Piratininga Incorporadas na CPFL Geração 42
  43. 43. CPFL Energia Estrutura Societária atual Outros 28,97% 31,11% 12,65% 27,27% 100% 100% 99,76% 99,99% COMERCIALIZAÇÃO DISTRIBUIÇÃO 100% 100% GERAÇÃO 100% 65% 25,01% 48,72% 51% 93,20% 100% CPFL Leste Paulista 100% 90,15% Jaguari CPFL Planalto Geração 90,15% CPFL CPFL Jaguari 89,81% 59,93% CPFL Serviços Paulista Lajeado Jaguariúna 87,80% CPFL Sul Paulista 7% 9 PCHs 89,75% CPFL Mococa Base: 18 de setembro de 2007 43
  44. 44. O desempenho da CPFL Energia mostra evolução crescente Evolução da Venda de Energia Evolução da Receita Bruta GWh R$ Milhões + 24% + 184% 12.227 41.112 10.907 38.357 36.647 9.549 33.088 34.947 8.082 4.304 2002 2003 2004 2005 2006 2002 2003 2004 2005 2006 Evolução do Ebitda Evolução do Lucro Líquido R$ Milhões R$ Milhões + 120% 2.789 N/A 1.404 2.120 1.021 1.540 1.681 1.266 279 (297) 2002 2003 2004 2005 2006 (696) 2002 2003 2004 2005 2006 Valores originais das Demonstrações Financeiras sem correção monetária - CVM Exclui CCE, Transações entre empresas do grupo e vendas da geração (exceto mercado livre) 44
  45. 45. O desempenho da CPFL Energia mostra evolução crescente Valorização das ações – BOVESPA¹ Valorização das ações – NYSE¹ IPO até 2T07² IPO até 2T07² +170,3% +168,8% +305,6% +134,1% +197,1% +33,1% CPFE3 IEE IBOVESPA CPL DJ Br20 DJ Evolução do Market Cap (R$ bilhões) Evolução do Market Cap³ (US$ bilhões) + 162% + 288% 18,6 9,7 13,3 14,4 13,9 6,1 6,7 6,8 10,9 4,9 7,1 2,5 3T05 3T06 4T06 1T07 2T07 IPO- 3T05 3T06 4T06 1T07 2T07 IPO- IPO- 3T05 3T06 4T06 1T07 2T07 Set/04 Set/04 Set/04 1) Cotações com ajustes por proventos 2) Até 29/06/07: CPFE3: R$ 38,76 e CPL: US$ 60.73 3) Valores em moeda corrente 45
  46. 46. IV Painel Setorial de Energia Elétrica – Foco na Distribuição O Futuro do Mercado de Distribuição no Brasil Wilson Ferreira Junior Presidente da CPFL Energia São Paulo, 08 de outubro de 2007

×