UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA     DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA IDESENHO INDUSTRIAL - HABILITAÇÃO EM PROJET...
PAULO VÍTOR PEREIRA TOURINHOMASCOTES PARA COOPERATIVA AMIGOS DO PLANETA                          Trabalho de conclusão da ...
4Este memorial é resultado de estudos realizados em cumprimento da tarefa deavaliação da matéria Desenvolvimento do Projet...
5cidade, por menor que esta possa ser, a quantidade de cartazes, objetos, cadeiras,postes, luzes, etc., é absurda. A consc...
6Antes de escrever um livro, é necessário estudar bem não só o assunto, mastambém o idioma e as letras. Para se falar sobr...
7certa um produto de forma marcante e simples? Essa pergunta foi o ponto de partidapara a solução apresentada neste docume...
8Objetivo geral:      Tornar mais atrativo e incrementado o conteúdo impresso da CooperativaAmigos do Planeta.Objetivos es...
9      Projetos em geral são repletos de pontos fortes e fracos. Até os mais bemplanejados, se forem estudados a fundo vão...
10Personagem ilustrativo para o Programa Neblina ReciclaPrograma implantado “no dia 04 de Dezembro de2008, tem como objeti...
11Recicladinho, da “ONG” Amigos da ReciclagemSegundo       o   blog   onde       encontrei   essa figura(amigosdareciclaem...
12Um mascote, antes de mais nada representa uma empresa, um propósito, umaidéia. Portanto, deve ser bem claro o seu objeti...
13Mascote do projeto Universo Bem Me QuerEncontrei o site www.universobemmequer.com.br e me deparei com um bommascote. O I...
14Mascote do PROLA Sabesp, como uma empresa de soluções ambientais,desenvolveu um projeto para amenizar os entupimentosnos...
15Camatan, do Shopping Esplanada (Sorocaba)O shopping gera cerca de 25 m³ de lixo por dia, então o quefizeram? Um Projeto ...
16Zakumi, o mascote da Copa do Mundo 2010, Africa do SulQuanto à origem do nome da mascote, encontrei na internet que em v...
17habita o sentimento de que é algum boneco estrangeiro.Os pontos mais interessantes de Zakumi se apresentam em sua estéti...
18Uma pequena pesquisa de preferênciaLiguei para Manoel (presidente da cooperativa Amigos do Planeta), pedindo paraque per...
19Pica-pauPersonagem presente em várias gerações. Foi criado na década de 40 e conseguecativar as crianças de hoje. O traç...
20Asas Livros, mascote do SISB (Sistema de Bibliotecas do Estado da Bahia)        A UNEB (Universidade do Estado da Bahia)...
21possível entender, sim. Mas, na condição de mascote, será vista em diferentessituações. Seria possível entender com clar...
22Personagens do jogo Worms       Inicialmente feito para computador, o jogo Wormsvem desde a década de noventa fazendo su...
23membros, uma atenção que influiria e muito. Sem braços, não percebemos tanto apresença da mão, fundamental no jogo.     ...
24Bibendum, mascote da MichelinBibendum é incrivelmente antigo. Foi desenvolvido em sua primeira forma no final doséc. XIX...
25      Um ponto diferente dos mascotes comumente vistos, é que ele não apresentaproporções infantis. Muito pelo contrário...
26      Fiz uma entrevista com o intuito de me contextualizar. Não adianta terconhecimento de desenho e criatividade, deve...
27melhora na estrutura da cooperativa, outros eram mais ambiciosos, sonhavam comuma melhora geral da cooperativa. O fato é...
28      Antes da entrevista fiz esboços não muito contundentes. Faço isso comométodo de produção, até mesmo para ver depoi...
29        Fiz mais esboçosdo robô feito de materialreciclado,      personagemdescartado. Adicionei aele    um     aspecto ...
30      Pus a garotinha literalmente vestindo a camisa da cooperativa e carregandoum instrumento (produzido com materiais ...
31      Um certo dia, vi no telhado de minha casa, um pássaro. Pensei como erainteressante o fato de certas espécies aprov...
32(Nesse esboço arrisquei patas diferentes, semelhantes a botas. Não causou o sentimento que buscava.      “Natureza” era ...
33(Buscava um traço. Erro. Deveria estudar a anatomia com um traço mais realista para só depois pensar em   distorcer com ...
34(Começava a observar um pouco mais. Queria uma garrincha com apelo emocional, com aspecto mais infantil.  Notei que pôr ...
35  (Iniciei o estudo de rostos de ave observando. Existem cerca de cinco rostos observados acima. Os demaisforam criação....
36
37(Estudo de asas do meu caderno de rascunhos)
38(Tentativa de desenvolver um filhote de garrincha e busca por um traço.)
39(Nesse esboço já pus uma camisa maior para dar um aspecto infantil a ave. Fiz também uma versão feminina eestudo de ângu...
40(Tentei dar uma forma mais semelhante à ave original. Não estava satisfeito. A quantidade de cores porém era            ...
41(Fiz mais esboços, continuava insatisfeito. Estudando a ave percebi que ela mesma tinha proporções infantis.            ...
42(Ilustração encontrada no site “www.portalsaofrancisco.com.br”, feita por Rolf Grantsau, ilustrador científico)         ...
43      O trabalho braçal sempre foi um trabalho desvalorizado. Ao longo da históriavemos muitos trabalhadores braçais mal...
44Tratando-se de reciclagem e resíduos, é involuntária a associação ao elementoterra. E quando se fala “terra”, imagina-se...
45      A idéia de se por várias garrinchas compondo a programação visual dacooperativa se torna ainda mais interessante q...
46Criança é universalmente associada ao futuro. A proposta de uma criança trajandoo uniforme dos cooperados atinge os prin...
47      Me reuni com os cooperados num dia de sexta-feira, para ser mais exato nodia 02 de setembro. Acontecia um evento d...
48
49      Creio que com essa versão consegui reunir bem as três palavras-chaves quecitei no início deste documento: reciclag...
50      Pode-se notar no traço pontos pretos ou hachuras ao longo das ilustrações.Pus isso para transmitir o sentimento do...
51
52
53
54
55
56
57
58
59
60
61
62(Banner feito com vetor: Outro ponto positivo do mascote è que não há muitas perdas de qualidadequando convertido a veto...
63(Capa de um projeto da cooperativa)
64(Cartaz)
65(Estampas de camisa)
66 (Cartão de visita da cooperativa, 9cm x 5cm)(Ilustração montada para o site da cooperativa)
67(Simulação do site com a ilustração)
68(Versão do mascote vetorial com cores sólidas para técnica de serigrafia ou impressão com gama                          ...
69      Fui o mais amplo que consegui ser em tão pouco tempo de confecção desseprojeto. Não reduzi o tempo de estudo, nem ...
70CURSO COMPLETO DE DESENHO. São Paulo: Editora EscalaPASSARINHANDO.         Corruíra     –   Troglodytes      aedeon     ...
Mascotes
Mascotes
Mascotes
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Mascotes

1.738 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.738
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
15
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mascotes

  1. 1. UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA IDESENHO INDUSTRIAL - HABILITAÇÃO EM PROJETO DE PRODUTO PAULO VITOR PEREIRA TOURINHO
  2. 2. PAULO VÍTOR PEREIRA TOURINHOMASCOTES PARA COOPERATIVA AMIGOS DO PLANETA Trabalho de conclusão da disciplina Desenvolvimento de Projeto de Produto IV do curso de Design da Universidade do Estado da Bahia – UNEB Orientadora: Ana B. Simon
  3. 3. 4Este memorial é resultado de estudos realizados em cumprimento da tarefa deavaliação da matéria Desenvolvimento do Projeto do Produto IV, ministrada ao sextosemestre do curso de Bacharelado em Desenho Industrial da Universidade doEstado da Bahia, pela professora Ana Beatriz Simon. Cada aluno foi encarregado dese especializar em uma situação e desenvolver soluções para os problemasapresentados em determinado contexto. Eu, Paulo Vítor Pereira Tourinho, autor desse material, optei pelo contexto daCooperativa Amigos do Planeta. Para ser mais exato, devido à minha experiênciaindividual com o desenho, me encarreguei de desenvolver algo próximo a ummascote. Referente à minha vivência profissional,fui vencedor do Concurso deIlustrações na categoria Preto & Branco do Anipolitan (Encontro de cultura PopOriental) de 2009 e do Concurso de Elaboração de Personagem da Coelba emparceria com Fala Menino, em 2007. Tenho experiência também no cenário deilustração para tatuagem, com uma Série de Desenhos (espécie de catálogo) emcirculação e vários freelances na área. Criei o Laboratório de Quadrinhos eIlustrações da UNEB (Universidade do Estado da Bahia), juntamente com maisquatro colegas e o professor Alan Sampaio. O Laboratório publicará a nova ediçãoda histórica revista baiana Tudo com Farinha, em dezembro de 2011. Fiz a arte desua capa, contracapa e o roteiro e desenho de uma das histórias contidas na edição.Atualmente, sou estagiário pela UATI (Universidade Aberta à Terceira Idade) efreelancer na área da ilustração e programação visual. Em outubro serei publicadono site da Zupi – revista expoente de arte gráfica e ilustração em geral.Para mim, aliás, para qualquer espécie projetista ou artista, o desenho é a base detudo, sempre. Desde os croquis iniciais, até os dimensionamentos técnicos finais.Isso sem contar com os testes e tentativas que foram descartados ao longo dabusca pela forma final. Para se ter uma idéia de quão presente é o desenho, bastaolhar para qualquer paisagem urbana e seus componentes. Analisando-se uma
  4. 4. 5cidade, por menor que esta possa ser, a quantidade de cartazes, objetos, cadeiras,postes, luzes, etc., é absurda. A consciência de que cada item deste cenário éformado a partir de, no mínimo, um esboço inicial nos dá uma noção da importânciado desenho. Sua aplicação é infinita. Em síntese, o desenho é a linguagem daimagem criada. E é de criação e desenho que se trata esse documento.Ao longo das páginas que compõem esse documento, será apresentado odesenvolvimento de soluções que inferem na imagem da Cooperativa Amigos doPlaneta. Os esboços e todo fundamento teórico contido aqui foram indispensáveispara a elaboração do produto final.
  5. 5. 6Antes de escrever um livro, é necessário estudar bem não só o assunto, mastambém o idioma e as letras. Para se falar sobre qualquer outra coisa, não édiferente. É fundamental aprender os termos, as formas e o viés utilizado. Essaregra é comum no mercado de ilustrações. Nele, cada traço quer dizer algo, seja doautor ou da obra. O resultado se expressa de forma infinita misturando mensagensobjetivas com subjetivas.A Cooperativa Amigos do Planeta iniciou sua jornada em 2004, reunindo um grupode trabalhadores desempregados e catadores de materiais recicláveis, com oobjetivo de promover a coleta seletiva no bairro. Desde o início não contavam comapoio governamental e até hoje seus cooperados passam por dificuldades na buscade uma melhor qualidade de vida, não apenas para eles como indivíduos, mas paratodos nós, no âmbito global. Seja em eventos de surf, fazendo coleta, ou em oficinasde música para crianças carentes, com instrumentos reciclados, lá está aCooperativa.A idéia de desenvolver mascotes para a Cooperativa Amigos do Planeta surgiu deuma carência notada no seu padrão de arte gráfica. Notei a necessidade de agregarmais sentimento e de criar um contexto dinâmico e atrativo para o espectador einiciei minhas pesquisas.Olhar o cenário, o mercado e as tendências do segmento sempre é o primeiro passopara quem objetiva desenhar algo. A cada dia surgem uma infinidade de novosprodutos (físicos ou não) que buscam a ascensão ou estabilidade, o que vai setornando, cada vez mais, uma tarefa difícil. A diferença entre atingir o sucesso ounão, no mercado, pode ser estabelecida por minúcias. Em meio a um incessável ecrescente duelo de interesses, informações, cores e formas do mercado, o maismemorável e mais simples pode tornar-se o melhor. Mas, como traduzir na medida
  6. 6. 7certa um produto de forma marcante e simples? Essa pergunta foi o ponto de partidapara a solução apresentada neste documento.A criação de um mascote não é só relativizada pelo meio, mas também interferenele. Cada traço de seu desenho deve explicitar o seu intuito. Foi de extremaimportância voltar-se ao contexto dos catadores e tentar estabelecer uma ponteentre eles e a imagem almejada. Essa criação direcionaria toda a atmosfera estéticado material gráfico do grupo, todo o contexto e formato. As palavras chaves foram:reciclagem, natureza e sociedade.
  7. 7. 8Objetivo geral: Tornar mais atrativo e incrementado o conteúdo impresso da CooperativaAmigos do Planeta.Objetivos específicos: Condensar, com considerável sucesso, as qualidades de educativo,expressivo e divertido em um ou mais mascotes para a Cooperativa Amigos doPlaneta. O intuito é traduzir ao máximo a imagem almejada pela mesma e tentarquebrar o preconceito vivido pelos catadores. Sentimento é a alma do projeto.Busco um porta-voz carismático para atuar no site, em cartazes, em sinalizações,banners, nas peças gráficas da cooperativa em geral. O traço almejado é algo defácil reprodução, uma vez que se torna interessante a quantidade quando se querdifundir. Mascotes muito complexos correm o risco de serem muito mal reproduzidose se tornarem piada pela má qualidade, inferindo na imagem da marca. O que buscoé algo que seja simples, relativamente fácil (para ser reproduzido nas maisdiferentes técnicas, de serigrafia à grafitti) e ao mesmo tempo profissional.Seriam fundamentais entrevistas, para depois partir para esboços mais consistentes.Em seguida, para o sucesso desse projeto, devo realizar a eleição através devotação quantitativa entre os cooperados. Nela, escolheriam uma das duaspropostas criadas por mim, que seria finalizada, junto com suas possibilidades deaplicação.
  8. 8. 9 Projetos em geral são repletos de pontos fortes e fracos. Até os mais bemplanejados, se forem estudados a fundo vão ter pontos de insatisfação em algumaárea. A mesma regra acontece em sentido contrário. Os mal executados, se foremestudados a fundo, revelarão grandes preciosidades criativas. O objetivo do estudode similares é questionar e aprender em cima dos erros e acertos alheios. Os mascotes selecionados para essa análise de similares foram os maisvariados, seja no intuito ou no desenho. Podem não ser em sua maioria brilhantesou péssimos, mas com certeza forneceram um questionamento necessário naconstrução da proposta desse documento. Foram escolhidos a dedo por motivosdistintos. Alguns estão de acordo com o tema (reciclagem, derivados), outros sãopopulares ou apenas esteticamente agradáveis.
  9. 9. 10Personagem ilustrativo para o Programa Neblina ReciclaPrograma implantado “no dia 04 de Dezembro de2008, tem como objetivo melhorar o ambiente detrabalho, a qualidade de vida e principalmentepreservar o meio ambiente.Separando os restos do lixo, além de diminuirimpactos na natureza, também se gera empregos,beneficiando assim a toda população.” A Neblina éuma empresa distribuidora de materiais elétricos.O personagem foi feito com o intuito de ser o maisclaro possível. É um recipiente de coleta que passacom eficácia a mensagem de reciclagem, cuidados, etc.Não são personagens marcantes, definitivamente, masfuncionam com sua cor e forma altamente explícitos.Parecem terem sido construídos através de um giffpronto de um recipiente. Giffs são arquivos de imagemde baixa qualidade e muito leves. As mãos parecem serpartes grosseiras encaixadas no corpo. Referente às mãos, esteticamente elaspossuem traços muito minuciosos e minimalistas, exemplo: o espaço entre os dedos,uma estética que não concorda com o restante do corpo das personagens, bemlimpo e direto.A expressão costumeira de empolgação em meio à boca semi-aberta cai bem, maso olhar não conversa com o expectador. Parece um olhar distante e levementeartificial. Isso aconteceu por conta de um erro mínimo de posicionamento da íris e dapupila.Analisando esses dois personagens em sua composição e em seu contexto,funcionam bem. Transmitem o que precisam dentro do que pode ser considerado amédia.
  10. 10. 11Recicladinho, da “ONG” Amigos da ReciclagemSegundo o blog onde encontrei essa figura(amigosdareciclaem.blogspot.com/2009/04/ong-amigos-da-reciclagem), a ONG Amigos daReciclagem tem quatro objetivos. Destaquei elessem poupar os erros ortográficos. São:“1. Fazer propagandas nas ruas,distribuindopanfletos2. Levar profissionais às escolas para dar palestrassobre a importância de reciclagem do lixo3. Lixeiras específicas para a reciclagem4. Montar exposições com materiais recicláveis"Não consegui encontrar muito a respeito da ONG Amigos da reciclagem. A únicainformação disponível é que se localizam em Canoas, Brasil. Provavelmente, peloserros de ortografia e ingenuidade na organização do blog, é de algum grupo decrianças bem intencionadas que aplicaram ingenuamente o termo “ONG”. Masvamos ao que interessa: o mascote.Dentro de um projeto de mascote como este, aparentemente mal-sucedido, pode-setirar muitas coisas boas. A coloração realmente atraente, a finalização delicada e otraço claramente direcionam os intuitos ao publico infantil. Apesar desses pontospositivos, não se pode dizer que clareza é o ponto forte. Por que o mundo em suasmãos está sendo carregado dessa forma? Tudo bem que seria legal umposicionamento protetor, mas, o que ele pretende fazer com a Terra? Ele estáapontando para a lixeira, será que pretende reciclar a Terra? Deveria estar maisclaro isso. Mas antes de qualquer coisa, que criatura é essa? Uma centopéia? Umaborboleta sem asas? Ou seria uma formiga? O quê afinal? A propósito, o que sãoaquelas botas? Por que a ênfase nela com aquelas hachuras ao redor?
  11. 11. 12Um mascote, antes de mais nada representa uma empresa, um propósito, umaidéia. Portanto, deve ser bem claro o seu objetivo. Deve ser um “texto bem escrito”.Esse pode gerar muitas dúvidas e questões inexplicadas. Mas se for analisado nogeral, cumpre a função de passar a mensagem de reciclagem, planeta, global,mesmo que com “palavras soltas”, com os elementos e ícones soltos. O aspectomais interessante desse mascote é que por ser singular e até um pouco tosco emsuas singularidades, talvez se destaque em seu meio.
  12. 12. 13Mascote do projeto Universo Bem Me QuerEncontrei o site www.universobemmequer.com.br e me deparei com um bommascote. O Instituto de Compromisso com o Desenvolvimento Urbano se aliou aogrupo Os Independentes, de Barretos efundaram o projeto. O objetivo éconscientizar as pessoas nas festas daimportância da coleta seletiva do resíduogerado. O Instituto inclui tambémcatadores.Vamos ao mascote. Nome: Bem MeQuer. Interessante. Ele faz uma pontecom o nome do projeto. Quanto às cores, funcionam bem. Cores primárias,marcantes, vivas. O corpo não chama a atenção, passando despercebido, para darênfase no rosto, onde se encontra a mensagem principal do mascote. Mensagemessa que é passada com velocidade para os que passam por ele nos eventos emque costuma atuar. O mascote foi construído a partir da humanização do símbolo dareciclagem, tornando mais simpática (ainda) a mensagem e o objetivo.
  13. 13. 14Mascote do PROLA Sabesp, como uma empresa de soluções ambientais,desenvolveu um projeto para amenizar os entupimentosnos esgotos e a poluição gerada pelo óleo de cozinhajogado em lugares impróprios. O óleo coletado édescartado em grandes bombas plásticas de 50 litros.Referente ao mascote, é claramente direcionado aopúblico adulto. Apresenta proporções infantis, como amaioria esmagadora dos mascotes, para causar empatia com o público. Seuconceito é simples e direto,como o da maioria das campanhas que visam atingir asmassas. Não é nada poético, nada muito inteligente, é um boneco feito de águacarregando um recipiente contendo óleo. Assim, transmite com excelência a idéia deseparação das substâncias e armazenamento do óleo, no frasco. Foi usado o menornúmero de cores possíveis, para ser reproduzido em inúmeras técnicas e mídias. Asluvas são previsíveis, brancas, quase que convencionadas no meio dos mascotes.São interessantes na composição, uma vez que o boneco é azul, sendo as mãostambém azuis, seria muito difícil a visualização delas. Isso afetaria e muito avariação dos contextos do boneco, da expressão. A cor do recipiente com óleo ésimplesmente perfeita. Uma cor sólida no tom do óleo de fritura após o uso,tendendo ao marrom. Ainda nele, o símbolo da reciclagem.URL em que encontrei oconteúdo: http://site.sabesp.com.br/site/interna/Default.aspx?secaoId=82
  14. 14. 15Camatan, do Shopping Esplanada (Sorocaba)O shopping gera cerca de 25 m³ de lixo por dia, então o quefizeram? Um Projeto de Reciclagem, que consiste em umasérie de medidas a fim de reduzir o lixo gerado peloempreendimento e conscientizar funcionários e clientes emrelação ao uso da água.O nome do mascote é Cataman. O nome com certeza nãoconcorda com a estética infantil. É uma criança, deveria seralgo do tipo “Catakid”. É interessante do ponto de vista demarketing induzir a idéia da empresa atrás do mascote com o nome dele. Mas nessecaso, não deu muito certo. O objetivo não é rapidamente associado ao verboescolhido “catar”. Poderia ser um “coletar”, “reciclar”, etc. Na verdade, como já foicitado, o projeto de reciclagem que o mascote representa engloba uma s érie demedidas, e não uma só.A campanha desse mascote parece apelar aos adultos com a imagem de umacriança, o que quase sempre funciona. Esse é um ponto positivo do projeto. Criança,novo, mudança, melhora, se tornam sinônimos. Um lado negativo é que o boneconão inova em absolutamente nada. É um garoto caucasiano, infelizmente paramuitos, ainda, linguagem visual universal: cabelo conservador para o lado, camisabranca, um tênis sem personalidade, aliás, nada nele tem personalidade.Analisando-o melhor, lembramos de uma figurinha que tem feito muito sucesso, oBen 10. Com tudo isso, é capaz de passarmos por mil placas com ele, chegarmosem casa e não conseguirmos lembrar de nenhuma delas. Falta singularidade nele.(ilustração do Ben 10)
  15. 15. 16Zakumi, o mascote da Copa do Mundo 2010, Africa do SulQuanto à origem do nome da mascote, encontrei na internet que em vários dialetosafricanos “Za” significa “África” e “Kumi”, “10”. Ou seja, “África 10”. Tudo a ver com ofutebol, camisa 10 e o sucesso.Andries Odendaal, o designer criador dele, escolheu um animal típico africano, oleopardo. Acertou. Pôs verde em sua composição para concordar com o gramadodos campos de futebol. Andries acertou também. Porem, não sei até onde vão seusacertos. O mangá, estilo de desenho oriental, vem ganhando o mundo. O Brasil, porcuriosidade, é o maior exportador de mangá fora do oriente! Existem váriasvertentes de mangá. O american mangá por exemplo, traço hoje em diapredominante nos desenhos animados. Exemplo de desenhos: “Três EspiãsDemais”, “Bem 10”, “Turma da Mônica Jovem” e “As Aventuras de Jack Chan”. Omangá Dentro desse contexto, do mangá como um traço universal em ascensão, onosso Andries Odendaal acertou. Mangá é jovem e atual, talvez esse tenha sido osentimento maior que ele quis passar. Conseguiu. Porém o mascote tem um errograve.O nome “Zakumi”, para os mais leigos, unido ao estilo de desenho tendendo aomangá, reforça o sentimento de que a copa se passa no Japão. A África do Sul,aliás, a África no geral, para os que não tem opinião embasada (e contamos simcom eles para direcionar a criação de um mascote!) é famosa pela arte com linhasangulosas e retas. Acredito que essas linhas tãomarcantes da cultura Africana poderiam serexploradas e aparecerem no mascote. Não se vêisso. Vê-se formas orgânicas e arredondadas.Achei interessante o cabelo liso, quebrando opreconceito de que na áfrica só existem negros,rastafáris, carecas, etc. O Zakumi é uma criaçãointeligente, mas até essa inovação causa um certodesconforto no espectador desconhecedor. Talvezum desconforto necessário, mas ainda assim,
  16. 16. 17habita o sentimento de que é algum boneco estrangeiro.Os pontos mais interessantes de Zakumi se apresentam em sua estética inteligente,poupando cores e em suas formas orgânicas, com poucos dedos, simplificada, parareprodução em diferentes mídias.
  17. 17. 18Uma pequena pesquisa de preferênciaLiguei para Manoel (presidente da cooperativa Amigos do Planeta), pedindo paraque perguntasse às crianças duas coisas: 1. Qual a banda ou músico que mais gosta? 2. Qual o desenho animado que mais gosta?A resposta da pesquisa, recebi por email dia 18 de julho de 2011 (este domingo).Foi:NOME BANDA OU CANTOR DESENHONATALIA LUAN SANTANA MADAGASCARFLAVIA LUAN SANTANA PICA PAUEMILIA LUAN SANTANA PICA PAURAONE LUAN SANTANA PICA PAUJÉFESON LUAN SANTANA PICA PAUGUILHERME REPP DRAGON BALL ZYURI BLACK STYLE DRAGON BALL ZPEDRO INFANTIL PICA PAUYASMIN REBELDE MADAGASCARObs: o desenho que mais aparece é o Pica-pau.
  18. 18. 19Pica-pauPersonagem presente em várias gerações. Foi criado na década de 40 e conseguecativar as crianças de hoje. O traço da ave é o cartoon tradicional. Claro que aolongo do tempo sofreu mudanças. A ave, que tinha um tom grotesco, foi se tornandomais bela e refinada, ascendendo para novos públicos. Note, na ilustração abaixo,que os anos se passaram e a cabeça da ave foi aumentada, assemelhando-se aproporção de uma criança, o que causa mais empatia com o público. Apesar dasalterações, a fórmula é a mesma, cores quentes vermelho e amarelo, um azul vivo eluvas brancas.
  19. 19. 20Asas Livros, mascote do SISB (Sistema de Bibliotecas do Estado da Bahia) A UNEB (Universidade do Estado da Bahia) realizou um concurso para aescolha do mascote do SISB. O vencedor foi este. Asas Livros carrega em si a poesia de que o livro e o conhecimento nos dáasas e possibilita voar. Mensagem que passa relativamente bem c om sua estéticafantasiosa. As cores são certeiras. Associamos facilmente o azul e o vermelho àmarca da UNEB. O amarelo entra com um atrativo quente, acendendo e nãoanulando o corpo e o rosto do bonequinho. Nas “asas”, otexto “SISB UNEB”é diagramado deforma irreverente.Isso funcionou muitobem. Aproveitou opouco espaço edisponibilizou otexto de forma clara.Ainda nas “asas”,formas azuis ebrancas circularesque nos remetem aos desenhos de asas de borboletas. As antenas ganharamformas espiraladas dando mais graça e movimento à mascote. Colorido, vivo e, em certo aspecto, infantil. Talvez fosse mais fácil associá-lo auma escola. É interessante, até para incentivar a leitura em diferentes grupos, ummascote que dialogue com o maior número deles. Sabe-se que mascotes comproporções infantis estabelecem essa ponte com eficácia. No caso, foi ampliada acabeça da borboleta para isso. Porém, não acredito que tenha sido o suficiente. A leitura de seus sentimentos e expressão fica comprometida devido aotamanho de seus olhos, sobrancelhas e da boca confusa em meio à textura aplicadaao longo do corpo da borboleta. Analisando a imagem em tamanho grande é
  20. 20. 21possível entender, sim. Mas, na condição de mascote, será vista em diferentessituações. Seria possível entender com clareza o que ela quer passar se estivesseem alguma placa um pouco distante? E em algum impresso, em tamanho reduzido?Outro aspecto, talvez o mais importante e prejudicial quando se fala em expressões,é a ausência de mãos. Nos desenhos, como os da Disney, as mãos são valorizadasacrescentando luvas brancas. A expressão corporal de um mascote se deve muito asuas mãos. Nesse caso, muito mesmo. Como colocaríamos essa borboletacarregando livros? Como ensinaríamos a cuidar deles? A propósito, como estemascote indicaria alguma direção em meio às prateleiras das bibliotecas? A idéia decolocar placas em sua boca seria interessante se a composição já não apresentassetantas informações. O resultado seria poluído. O mascote também não deixa clarauma personalidade, e com isso o posicionamento da empresa não é explicitado. O grande erro desse mascote é o limite expressivo dele. E de fato, o mascotedo SISB parece ter se limitado em toda a sua existência apenas a essa ilustração. Ébonito, bem executado, mas não funciona como um mascote e não interage com assituações de um. Funciona muito bem como uma ilustração.
  21. 21. 22Personagens do jogo Worms Inicialmente feito para computador, o jogo Wormsvem desde a década de noventa fazendo sucesso. Claroque foi redesenhado e aprimorado ao longo do tempo.Mas, o sucesso se deve principalmente a formula inicial. Como tornar a idéia de guerra com morte eviolência uma coisacômica, engraçada eprincipalmente, vendávelpara crianças, comclassificação livre?Usando minhocascaricatas. O conceito dojogo é bem simples:guerra de minhocas. Issomesmo, guerra deminhocas! E para torná-las mais engraçadas e cômicas, ganharam proporções infantis. A jogabilidade foiinovadora, mas foi graças ao desenho que o jogo atingiu o que é hoje. Worms é basicamente um jogo de estratégia com vista lateral. Os bonecossão vistos bem longe. A cabeça enorme do boneco comporta olhos tambémenormes com sobrancelhas flutuantes. Eles ajudam na compreensão de suasexpressões, que por sinal, é um dos grandes atrativos do jogo. Eles riem, atiçam unsaos outros, contam piadas, choram, fazem caras de maus, e muito mais. O bonecoem seu estado normal não possui boca nem mãos (como na imagem no topo),tornando o visual mais limpo. Somente quando necessário eles surgem. Surgetambém um ponto de incoerência. Minhocas não têm mãos! Pois é, foramadicionadas mãos a esses personagens e mesmo assim é aceita a condição deminhoca. Por quê? Note que não existem braços, apenas mãos. A idéia de mãosflutuantes faz sentido. Se fossem adicionados braços chamaríamos atenção para os
  22. 22. 23membros, uma atenção que influiria e muito. Sem braços, não percebemos tanto apresença da mão, fundamental no jogo. Referente à cor, a minhoca de Worms possui um tom mais quente e atrativo,diferente das minhocas que conhecemos. Somado a isso, a cor ficou mais limpanesses personagens, garantindo o sucesso e a clareza da proposta. Ospersonagens do jogo Worms sem dúvida foram muito bem projetados, garantindo osucesso do jogo.
  23. 23. 24Bibendum, mascote da MichelinBibendum é incrivelmente antigo. Foi desenvolvido em sua primeira forma no final doséc. XIX, para ser mais exato, em 1898. Como todas as empresas inteligentes, aMichelin o redesenhou ao longo dos tempos, dando-lhe um contexto atual. Um dos mais antigos mascotes do mundo, Bibendum foi criado em 1898. Onome tem origem na frase latina " nunc est bibendum" (bebamos agora), devido aocontexto comemorativo de um cartaz da Michelin. O boneco ganhou o gosto popular,firmando-se na empresa. É lógico que ao longo dos anos foi redesenhado.Inicialmente as dobras presentes ao longo de seu corpo eram mais finas(assemelhava-se a umamúmia), foramaumentadas para tornaro desenho mais limpo emenos complexovisualmente. Issopossibilitou também aredução do personagemsem perda deinformações em escalasmais reduzidas. A cor do Bibendum não foi alterada com o tempo. Continua branca, nãoperdendo sua identidade. Um ponto positivo da sua cor branca é que enfatiza opreto dos pneus (produto vendido pela marca) nas ilustrações. O boneco tambémcontinuou com cinco dedos. A mão apesar de possuir uma quantidade de dedosrelativamente alta para um mascote (que geralmente possui três, numerosimplificado) é bem limpa e clara. Assim, não polui visualmente sua composição. Orosto do Bibendum é pouco expressivo, deixando que a mensagem toda do mascoteseja passada com o corpo. A mão acenando, na ilustração, salda o cliente epraticamente o convida.
  24. 24. 25 Um ponto diferente dos mascotes comumente vistos, é que ele não apresentaproporções infantis. Muito pelo contrário, o Bibendum é dotado de uma certarobustez. Com a aparência adulta e o porte, ele nos transmite tradição, seriedade eforça. Seu corpo também parece ser composto por pneus. Isso é muito interessante.Quando o mascote induz o produto que almeja vender, combinando o sentimentoque quer passar, ele se torna um mascote muito bem-sucedido. Por isso oBibendum continua representando a Michelin.
  25. 25. 26 Fiz uma entrevista com o intuito de me contextualizar. Não adianta terconhecimento de desenho e criatividade, deve-se focar tudo isso. A pesquisa diriaaonde. Manoel Basílio, presidente da Cooperativa Amigos do Planeta, havia seencontrado com a prefeita de Lauro de Freitas, casualmente, na rua. Aproveitoupara falar das dificuldades da cooperativa. Como boa política, ela pediu para que eleaparecesse na prefeitura. Sem esperar, Manoel apareceu, em frente à PrefeituraMunicipal de Lauro de Freitas, durante um dia de semana, trajando o uniforme daAmigos do Planeta, juntamente com mais quatro cooperadas, a fim de conseguirsubsídios.Cheguei lá por volta das nove e dez da manhã. Só consegui iniciar minha entrevistauma hora e meia depois, quando os cooperados saíram de uma reunião com umsecretário da prefeita, pois esta não se encontrava na prefeitura. Foram cinco entrevistados, de 22 a 41 anos. Entrevistei cooperados da áreafinanceira, administração e catadores. Estavam na cooperativa por um período decinco meses a seis anos. Dei início a entrevistas individuais, trazendo o entrevistadopara um lugar separado dos demais, a fim de não induzir respostas semelhantes.Claro que foi tudo muito precário, não sou jornalista e, pelo visto, não tenho talentopara tal. Inicialmente, caracterizou-se como entrevista formal, com vídeo e um roteirode perguntas, e, aos poucos foi assumindo a forma de um bate papo, mantendo aspautas. Apesar de minha pouca experiência no ramo da reportagem, conseguicaptar os pontos mais importantes. De início, todos estavam empolgados com a idéia de um mascote. Me falaramda rotina de trabalho, que se iniciava logo cedo, por volta das oito da manhã, comfinal às cinco da tarde, de segunda a sexta. Tinham consciência da importância dotrabalho que faziam, mas explicitavam a necessidade de se obter uma renda. Eraunânime o desejo de ascensão na sociedade. Alguns almejavam pequenas coisas,
  26. 26. 27melhora na estrutura da cooperativa, outros eram mais ambiciosos, sonhavam comuma melhora geral da cooperativa. O fato é que sofriam muito preconceito por seremcatadores em sua maioria, e queriam demonstrar sua revolta e luta através domascote. Desejaram também fugir da imagem de “coitadinhos”, para que possíveispatrocinadores e parceiros se aproximassem deles pelo sucesso e qualidade. Obtive informações valiosas depois da entrevista, numa conversa informal.Soube que havia uma rotatividade intensa de catadores, devido à falta de subsídios.Muitos entravam e saíam por não conseguirem se sustentar financeiramente. Aprópria comunidade em que se localizavam muitas vezes subestimava a ação dacooperativa por ser uma instituição de dentro, feita por moradores. Infelizmente noBrasil, temos o costume de subestimar o que é nosso. Na comunidade, projetosfeitos pelo governo ou empresas de fora, fazem mais sucesso e têm mais brilho aosolhos dos moradores. Meu dever era buscar esse brilho para a cooperativa na formade um mascote. Resolvi criar duas alternativas.(Presidente da Cooperativa Amigos do Planeta, Manoel Basílio, frente à Prefeitura Municipal de Lauro de Freitas)(membros da cooperativa, frente à Prefeitura Municipal de Lauro de Freitas, Edilene dos Santos e Marlene Cruz)
  27. 27. 28 Antes da entrevista fiz esboços não muito contundentes. Faço isso comométodo de produção, até mesmo para ver depois o quão necessário é acontextualização. Depois da entrevista notei a inviabilidade das primeiras propostase mantive alguns itens. Inicialmente mantive os esboços em preto e branco, evitei ascores, para seguir um uma linha mais séria. É claro que as cores seriamadicionadas, mas queria na essência de sua construção a seriedade da CooperativaAmigos do Planeta. Pensei na forma de um robô feitode materiais recicláveis, uma vez que umdos pedidos dos cooperados era o detransmitir tais valores em sua estética.Pensei numa garotinha também para darmais força ao apelo emocional.
  28. 28. 29 Fiz mais esboçosdo robô feito de materialreciclado, personagemdescartado. Adicionei aele um aspecto maiscircense, inspirado noCirc de Soleil Faltavaseriedade. Ainda não erao que buscava.Abandonei a idéia eresolvi investir na figurada garotinha.
  29. 29. 30 Pus a garotinha literalmente vestindo a camisa da cooperativa e carregandoum instrumento (produzido com materiais reciclados). Busquei economizar aomáximo nas cores. O traço, porém, continua ainda de difícil reprodução. Muito exato,e ainda exige muito da coordenação motora. Não era o que eu buscava.
  30. 30. 31 Um certo dia, vi no telhado de minha casa, um pássaro. Pensei como erainteressante o fato de certas espécies aproveitarem o espaço para habitarem. Foi aíque tive a idéia para compor minha segunda alternativa.Conversando com meu pai, soube de uma espécie típica com tais hábitos, agarrincha. Consultei amigos que cursam veterinária na UFBA. Pesquisaram espéciescom esses hábitos e confirmaram. É claro que a essa altura do campeonato já liauma série de artigos sobre garrincha na internet. Aos poucos, me interessava mais emais pela idéia dessa ave como mascote. Fiz esboços: (Mantive a idéia de “vestir a camisa”. Acima esboços rudimentares de testes de cor)
  31. 31. 32(Nesse esboço arrisquei patas diferentes, semelhantes a botas. Não causou o sentimento que buscava. “Natureza” era uma das palavras chaves. Queria exaltar mais o lado animal do mascote.)
  32. 32. 33(Buscava um traço. Erro. Deveria estudar a anatomia com um traço mais realista para só depois pensar em distorcer com coerência. Ainda não aparenta ser uma garrincha. Se assemelha mais a uma coruja.)
  33. 33. 34(Começava a observar um pouco mais. Queria uma garrincha com apelo emocional, com aspecto mais infantil. Notei que pôr a camisa da cooperativa mais justa no corpo da ave fazia com que ela aparentasse ser mais robusta.)
  34. 34. 35 (Iniciei o estudo de rostos de ave observando. Existem cerca de cinco rostos observados acima. Os demaisforam criação. Optei por fazer aves diferentes para soltar mais o meu traço, uma vez que não costumo desenhar pássaros.)
  35. 35. 36
  36. 36. 37(Estudo de asas do meu caderno de rascunhos)
  37. 37. 38(Tentativa de desenvolver um filhote de garrincha e busca por um traço.)
  38. 38. 39(Nesse esboço já pus uma camisa maior para dar um aspecto infantil a ave. Fiz também uma versão feminina eestudo de ângulos para o bico. Ampliei o brilho nos olhos para reforçar a emoção. Havia gostado do resultado até então. Só depois vi que não se parece com uma garrincha.)
  39. 39. 40(Tentei dar uma forma mais semelhante à ave original. Não estava satisfeito. A quantidade de cores porém era bem resumida, como eu intencionava.)
  40. 40. 41(Fiz mais esboços, continuava insatisfeito. Estudando a ave percebi que ela mesma tinha proporções infantis. Não precisava retratar um filhote, a identificação com a criança era inevitável.) Imagens que serviram de base para a construção da alternativa:
  41. 41. 42(Ilustração encontrada no site “www.portalsaofrancisco.com.br”, feita por Rolf Grantsau, ilustrador científico) (fotografia encontrada no site “www.wikipedia.com.br”)
  42. 42. 43 O trabalho braçal sempre foi um trabalho desvalorizado. Ao longo da históriavemos muitos trabalhadores braçais mal pagos e uns poucos gerenciadores bempagos. Nós brasileiros, em especial, temos o histórico da humilhação e dadiscriminação sofrida pelos escravos. Eles foram explorados física e moralmente,nas mãos dos senhores de engenho. Por muito tempo, se transformaram nos braçose pernas que moviam a economia. Abolida a escravidão, o que ganharam em troca?Racismo, preconceito e nenhum incentivo de integração social. Hoje, a quantidade de lixo produzido nas grandes cidades é imensa.Tentando reduzir os impactos gerados por essa superprodução, nasceu acooperativa Amigos do Planeta. Conseguem tirar das ruas uma infinidade de lixo,desviar crianças da periferia do caminho das drogas e dar uma mínima condição desobrevivência às famílias. Apesar do trabalho magnífico o que ganham em troca?Pois é, quase mesmo que os ex-escravos. A cooperativa Amigos do Planeta sofre o preconceito de ser movida pelotrabalho braçal e, além disso, de ter como base, a produção a partir de resíduos. Foipartindo principalmente da vontade de romper com esses preconceitos que foramdesenvolvidas as duas propostas de personagens.
  43. 43. 44Tratando-se de reciclagem e resíduos, é involuntária a associação ao elementoterra. E quando se fala “terra”, imagina-se o contexto de tudo que se relaciona a ela:os animais terrestres, o homem, as árvores, etc. O objetivo da proposta de uma avecomo mascote é quebrar essa associação inicial, saindo desse âmbito terrestre.Uma ave é um animal que, por percorrer os ares, nos passa o sentimento deliberdade espacial e de ser global. Também está mais associada à beleza e leveza,saindo da obviedade de tudo que é associado ao elemento terra, quebrando aingrata associação aos resíduos trabalhados na cooperativa à sujeira. A garrincha (Troglodytes aedeon) é uma ave pequena, com cerca de 12 cm. Éencontrada ao longo do território brasileiro, principalmente no litoral. Na Bahia, évista em abundância. Seu canto é ouvido principalmente de manhã cedo, no horárioem que os catadores costumam começar a sua jornada. A escolha da garrinchacomo ave mascote da cooperativa se deve principalmente a uma característicadigna de um membro da Cooperativa Amigos do Planeta: a adaptação. A lista de moradasincomuns das garrinchas éenorme. Os ninhos sãoencontrados em lugarescomo telefones públicos,tratores, caixas de músicas,instalações elétricas,telhados, etc. Para construiros ninhos eles aproveitamtudo que encontramdisponível. Alteram deforma limpa e ecológica oambiente, para torná-lohabitável, assim como aCooperativa Amigos doPlaneta.
  44. 44. 45 A idéia de se por várias garrinchas compondo a programação visual dacooperativa se torna ainda mais interessante quando essas aves estão vestindo ouniforme. A camisa padrão dos cooperados representa a força da instituição. Ospássaros que a comporiam, nos mostrariam a dimensão global que suas atividadesatingem, atentando à sua importância. O fato de serem muitos nos permitiriamrepresentá-los em várias situações. Exemplo: se for necessário ilustrar .
  45. 45. 46Criança é universalmente associada ao futuro. A proposta de uma criança trajandoo uniforme dos cooperados atinge os principais pontos objetivados. Carrega oenorme potencial de transparecer sentimentos e nos detalhes estéticos, explicita oseu motivo. Sabe-se que criança causa mais empatia com o espectador, por isso amaioria dos mascotes apresentam proporções infantis. Poderia citar o mascote daCopa do Mundo de 2010, o Zakumi; o Mickey; ou até mesmo o mascote da IG, que éum cãozinho com proporções infantis fotografado. O fato da mascote dessaproposta, a garotinha, vestir a camisa da cooperativa, além de fortalecer aidentidade visual do cooperado, sensibilizaria os espectadores para a causa. Umavez que as crianças de hoje serão asprincipais afetadas pelasimprudências cometidas pelahumanidade, amanhã. O apeloecológico no caso é exaltado naimagem da figura mais frágil e amadapelo cidadão comum: a criança. Como a criança em sirepresenta o futuro, a mascotegarotinha passaria uma mensagemotimista em relação a ele com suapostura proativa e ecologicamentecorreta. Além disso, essa propostafirma implicitamente como moderna apostura da Amigos do Planeta.
  46. 46. 47 Me reuni com os cooperados num dia de sexta-feira, para ser mais exato nodia 02 de setembro. Acontecia um evento de surf na praia de Jaguaribe e aCooperativa estava lá para fazer coleta e promover o nome. Nos sentamos na areia com as justificativas e as imagens das duas propostasimpressas (havia mandado previamente os mascotes por email e estava lá paraapresentar e tirar duvidas). Infelizmente não puderam comparecer todos oscooperados. Apresentei, mas, no intuito de ser o mais democrático possível, pedipara que fizessem uma votação interna e computassem para mim os votos. No dia 5de setembro, recebi um email da cooperativa com o resultado:VOTAÇÃO DO MASCOTE Garrincha Criança 1 Manoel Basilio O. Rodrigues 1 2 Marineide Silva Alves 1 3 Everaldo Texeira Macena 1 4 Jairo Almeida da Paixão 1 5 Edlene Rosario dos Santos 1 6 Miraci Pereira Melo 1 7 Marilene da Cruz dos Santos 1 8 Joel Silva Pinheiro 1 9 Marlene Cruz dos Santos 110 Moacir dos Santos 111 Maria Luiza Alves Silva 112 Nayara Araujo Santos 113 Elizio Batista Gomes 114 Ana Marta Ferreira dos Santos 115 Carla 1 Total 14 1Vitória da Garrincha.
  47. 47. 48
  48. 48. 49 Creio que com essa versão consegui reunir bem as três palavras-chaves quecitei no início deste documento: reciclagem, natureza e sociedade. A natureza está evidenciada não só nas intenções da mascote, mas em suaespécie. Quis realçar o seu lado animal evitando a parte branca dos olhos,costumeira em mascotes humanizados. Realcei ainda mais o sentimento dela com ogrande brilho em seus olhos. O traço permanece simples e fácil de reproduzir, tornando admissível errosmotores ou até mesmo pequenos deslizes de proporção. Uma vez que o mascotenão é uma garrincha e sim várias, se tornam aceitáveis diferenças entre eles. É naidéia de multiplicidade que sentimos os valores de uma sociedade. O trabalho emequipe estará evidente em suas aplicações. Nelas aparecerão suas atividades,voltadas principalmente para a reciclagem, o reaproveitamento e o respeito ànatureza. Quanto às cores, optei pela escala da segunda opção do teste de cor. Essaescala em especial foi tirada de uma ilustração científica da garrincha que nãoretratou os efeitos de fontes de luzes coloridas. Nas cores do uniforme não pudeinovar muito, uma vez que sua referência é o uniforme dos cooperados. Pus umcirculo pequeno verde para fazer menção a logo da cooperativa. O posicionamentodesse circulo resolvi não limitar a um lado apenas, pois muitas vezes gera umaproblemática na construção que não vai ser sentida pelo espectador. Além dissofacilitará a reprodução, uma vez que espelhar uma imagem é mais fácil quereconstruir ela ou apagar o circulo. Facilitará também o reconhecimento do uniformeda cooperativa no desenho. Se a esfera estivesse apenas em um lado, em algumassituações não seria vista, fazendo com que o passarinho aparentemente vestisseapenas uma camisa azul. Quanto à iluminação dos desenho finais, optei por uma luzcolorida para tornar o traço mais rico. A cor escolhida tende ao verde da logo dacooperativa, para que aconteça a junção do mascote e marca com mais harmonia.
  49. 49. 50 Pode-se notar no traço pontos pretos ou hachuras ao longo das ilustrações.Pus isso para transmitir o sentimento do papel reciclado e sua estéticacomercialmente forte, agregando ainda mais valores ao mascote.
  50. 50. 51
  51. 51. 52
  52. 52. 53
  53. 53. 54
  54. 54. 55
  55. 55. 56
  56. 56. 57
  57. 57. 58
  58. 58. 59
  59. 59. 60
  60. 60. 61
  61. 61. 62(Banner feito com vetor: Outro ponto positivo do mascote è que não há muitas perdas de qualidadequando convertido a vetor. Isso acontece devido ao seu acabamento rústico intencional, gerado pelo brush ( pincel do Photoshop) duro).
  62. 62. 63(Capa de um projeto da cooperativa)
  63. 63. 64(Cartaz)
  64. 64. 65(Estampas de camisa)
  65. 65. 66 (Cartão de visita da cooperativa, 9cm x 5cm)(Ilustração montada para o site da cooperativa)
  66. 66. 67(Simulação do site com a ilustração)
  67. 67. 68(Versão do mascote vetorial com cores sólidas para técnica de serigrafia ou impressão com gama limitada de cores)
  68. 68. 69 Fui o mais amplo que consegui ser em tão pouco tempo de confecção desseprojeto. Não reduzi o tempo de estudo, nem de desenvolvimento do mascote.Reduzi as horas de sono e lazer que eu tinha. Aos poucos o projeto se tornou minharotina. Carreguei sua forma de dias, noites, de todo sentimento que captava no dia-a-dia no geral. Pude construí-lo em posições variadas, que fossem facilmenteaplicadas em diferentes situações. Acredito ter criado um leque de posturas úteis.Consegui usá-las na pratica como visto em “aplicações”. Apesar de ter projetado esses mascotes para que fossem o maisindependente possível, o meu objetivo como designer e ilustrador é dar seqüência àvida dele. Deixo aberto a novas possibilidades e posições e interpretações de outrosdesenhistas. Acredito ter criado mascotes que traduzam de forma otimista a postura daCooperativa Amigos do Planeta. Mascotes que descrevam a história e a luta dessegrupo de cooperados quando aprofundado os olhares. E além de tudo,inquestionavelmente atrativos para o cidadão comum. Por falar em “comum”, omascote busca atingir o cidadão comum e também tornar comum todos os cidadãos.Ele é um convite para toda a humanidade olhar para o planeta, igualando diferençasem prol de um ideal. Me senti realizado nesse projeto em especial, pois a evolução que sofri nãofoi apenas técnica, mas, acima de tudo, humana.
  69. 69. 70CURSO COMPLETO DE DESENHO. São Paulo: Editora EscalaPASSARINHANDO. Corruíra – Troglodytes aedeon Disponível em: <http://cirinodesign.com.br/passarinhando/index.php?option=com_content&view=article&id=209:corruira&catid=82:ordem-alfabetica&Itemid=217>. Acesso em: 15 ago.2011.PASSARINHANDO. Corruíra ou Cambaxirra Disponível em: <dimaserose.blogspot.com>. Acesso em: 15 ago. 2011.TOURINHO, Paulo Vitor. Galeria de P. Torinno Disponível em: <http://www.flickr.com/ptorinno>. Acesso em: 15 ago. 2011.WIKI AVES. Corruíra Disponível em: < http://www.wikiaves.com.br/corruira>.Acesso em: 15 ago. 2011.

×