Herbologia: a magia das plantas

43.296 visualizações

Publicada em

LIVRO EXCLUSIVO PARA O USO DOS ALUNOS DE HOGWARTS DO GRUPO https://www.facebook.com/groups/escolademagiaebruxaria/

Publicada em: Educação
2 comentários
81 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
43.296
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
70
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2.109
Comentários
2
Gostaram
81
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Herbologia: a magia das plantas

  1. 1. 1 Herbologia: a magia das plantas
  2. 2. 2 Herbologia: a magia das plantas O que é Herbologia? Herbologia é a matéria que estuda as plantas mágicas, fungos e suas propriedades, incluindo como cuidar delas , suas propriedades e seu uso. Muitas dessas plantas mágicas são ingredientes básicos para poções e outras fazem efeito por conta própia. Herbologia é uma matéria fácil, mas exige atenção e cuidado, pois muitas das plantas com que os alunos lidam são venenosas ou atacam quem as toca. Com o passar dos anos os alunos passam a estudar plantas de manuseio cada vez mais difícil e delicado. Capítulos: 1. Feitiços uteis em Herbologia.....................................................página 3 2. Características gerais e classificação das plantas................página 4 3. Como reconhecer uma planta mágica..................................página 6 4. Cultivo.........................................................................................página 7 5. Mandrágoras..............................................................................página 8 6. Bubotúberas................................................................................página 10 7. Ditamno............................................................................... .......página 12 8. Visco do Diabo...........................................................................página 13 9. Mimbulus Mimbletonia...............................................................página 14 10. Guelricho....................................................................................página 15 11. Arbusto Tremulante ...................................................................página 16 12. Orquídea Dentada.....................................................................página 17
  3. 3. 3 Capítulo 1: Feitiços uteis em Herbologia Aquamenti: O Feitiço Aquamenti, faz com que, depois de um movimento brusco da sua varinha, que saia da sua varinha um jato de água límpida, que é controlado pela sua mente, e claro, também pelo seu Potencial. Herbivicus: O Feitiço Herbivicus, faz com que saia da sua varinha um lampejo verde, que, quando acerta alguma planta ou erva, faz com que seu amadurecimento seja reduzido, ou seja, que a planta cresça rapidamente. Orchideous: O Feitiço Orchideous, faz com que um aceno de varinha, que surja flores em uma planta, ou um ramo de flores no local desejado. Aqua Erupto: O Feitiço Aqua Erupt, faz com que um forte jato de água saia da sua varinha com velocidade, e molhe o que quer. Não pode ser controlado pela mente. Imobillus: O Feitiço Imobillus pode ter efeito paralisante em plantas que se movem com velocidade, faz com que a planta fique imóvel, paralisada como estava. Lummus Sollem: O Feitiço pode ser usado contra plantas que não resistem a luz (Ex: Visgo do Diabo). Produz luz e raios ultravioletas. Pode prejudicar a Visão. O Feitiço deve ser Pronunciado junto de um movimento Brusco. Incendio: O Feitiço Produz um Fogo Alaranjado que queima instantaneamente. E Pode ser usados em Plantas que não Resistem ao Calor ou ao Fogo em si mesmo. OBS: Não AGRIDA as Plantas sem que seja Necessário! Lacarnum Inflamarae: O Encantamento faz com que um fogo ardente de cor azulada, acerte algo e faça arder em chamas rapidamente. Deve ser acompanhado de um giro de varinha. OBS: Não AGRIDA as Plantas sem que seja Necessário!
  4. 4. 4 Capítulo 2: Características e Classificação das Plantas Ciclo evolutivo: nascimento, crescimento, reprodução (nem todos) e morte. Fixas com sentido: são as plantas que não se movem sem a interferência de algo ou alguém e tem sentidos (pensam, falam e/ou emitem sons), algumas se tornam muito agressivas submetidas a dor ou constrangimento; Móveis sem sentido: são as plantas que se movem (andam, voam, saltam,...) e não tem sentidos (não pensam, não falam e não emitem sons); Fixas sem sentido: são as plantas que não se movem sem a interferência de algo ou alguém e não tem sentidos (não pensam, não falam e não emitem sons), Móveis com sentido: são as plantas que se movem (andam, voam, saltam,...) e tem sentidos (pensam, falam e/ou emitem sons), essas plantas podem se tornar muito perigosas, podem atacar seu alvo com facilidade; Classificação das Ervas Adstringentes - quando contraem os tecidos, combatendo diversas moléstias inflamatórias. Anticépticas - quando são desinfetantes. Aperientes - quando abrem o apetite. Béquicas - quando combatem a tosse. Calmantes ou sedativas - quando exercem função calmante sobre o sistema nervoso. Carminativas - quando combatem as flatulências. Depurativas - quando purificam o sangue e limpam os humores. Desobstruentes - quando combatem as obstruções.
  5. 5. 5 Diuréticas - quando aumentam a urinação. Emenagoga - quando provocam ou restabelecem a menstruação. Eméticas - quando provocam vômitos. Emolientes - quando, em qualquer parte do corpo, abrandam o tecido endurecido por abscessos, úlceras, inflamações,contusões, etc. Estiulantes - quando aumentam as energias das funções vitais, exercendo ação vivificante sobre os órgãos e normalizando seu funcionamento. Estomacais - quando agem diretamente no estomago. Esurinas - quando excitam a fome. Expectorantes - quando exercem ação especial sobre as vias respiratórias. Febrífugas - quando combatem as febres. Hemostáticas - quando combatem as hemorragias. Purgativas, laxativas, catárticas, drásticas - quando provocam ou aceleram evacuações. Resolutivas - quando fazem cessar inflamações. Sudoríficas ou diaforéticas - quando provocam a transpiração. Tônicas - quando fortificam o organismo, combatendo debilidades em geral. Vermífugas ou antelmínticas - quando combatem lombrigas. Vulnerárias - quando são próprias para curas feridas.
  6. 6. 6 Capítulo 3: Como reconhecer uma planta mágica Para reconhecer uma planta mágica deve perguntar para ela se ela pode te ouvir e falar, se ela der sinal, ela é mágica. Mas se ela não der nenhum sinal você pode tentar colocar um legume na terra e se o legume sumir, a planta é mágica. Mas se ele não sumiu você ainda pode fazer uma última tentativa, leve a planta para um lugar com um pouco de água e se ela beber ou fizer algum movimento, ela é mágica, mas não fizer, ela não é mágica. O inventor desse método foi o Mago Fhash.
  7. 7. 7 Capítulo 4: Cultivo Envasamento • Apenas plantas de porte pequeno ou médio podem ser colocadas dentro de um vaso. • As plantas de maior porte não devem ser colocadas num vaso pois a raiz não vai ter espaço para se desenvolver correctamente. Assim, é obrigatório que plantas de maior porte sejam colocadas num terreno vasto, como um descampado. Fertilizantes • Existe uma variedade de fertilizantes possíveis de utilizar, porém, o mais recomendado no Mundo Mágico é o fertilizante que contém, majoritariamente, excrementos de dragão, devido à quantidade abundante de nutrientes. • A quantidade de fertilizante a utilizar irá depender, obviamente, do porte da planta. É claro que uma planta de maior porte irá necessitar do uso de mais fertilizante do que uma planta de porte pequeno. Método de fertilização 1. Colocar terra no fundo do vaso; 2. Colocar a medida de um dedo, de fertilizantes, no vaso; 3. Medir o tamanho da raiz da planta; 4. Colocar a planta no vaso e preencher o resto com terra. O 3º passo é um passo bastante importante pois, se a raiz da planta medir mais que 3 centímetros, é necessário que façam alguns buracos na terra em volta da planta (até meio do vaso) e preencher o resto com fertilizante. Isto para que a raiz tenha mais espaço e mais nutrientes ao qual possa recorrer para um melhor desenvolvimento.
  8. 8. 8 Capítulo 5: Mandrágoras Esta planta pode ser encontrada em alguns locais diversificados. Podemos encontrar em lagos profundos no Sul da Europa. Existem outro continentes que possuem Mandrágoras tais como Ásia e África. Pode-se ainda encontrar (com mais raridade) em terras frescas. Esta plana apresenta várias características idênticas ao de um ser humano. A nível estrutural podemos deparar-nos com as seguintes parecenças: A sua raiz bifurcada que se assemelha ao corpo e rosto de um ser humano. Tal como os humanos elas também possuem um método de reprodução um pouco idêntico ao nosso e o seu ciclo de vida também é dividido em quatro fases: Infância, Adolescência, Adulta e Velhice. Modo de Uso Antigamente a raiz desta planta era utilizada muitas vezes como um analgésico ou calmante bastante forte. Se a quantidade utilizada fosse a aconselhada conseguiam fazer uma espécie de chá que conseguia até parar as dores de uma mulher durante o parto. Se a quantidade de raiz fosse utilizada a cima da recomendada poderia causar delírios ou até mesmo levar a pessoa à loucura. Hoje em dia a raiz é bastante utilizada em poções, sendo que uma das mais conhecidas é a poção utilizada para despetrificar as pessoas previamente petrificadas. Reenvasamento É bastante importante que uma pessoa que deseje cultivar uma Mandrágora que reenvase-las mensalmente para poder ver o estado da raiz, se já está suficientemente boa para a utilidade pretendida. Deverá se tomar alguns cuidados quando se decide reenvasar uma Mandrágora. Em primeiro lugar deverá possuir o equipamento necessário: *Macacão; *Luvas;
  9. 9. 9 *Abafadores de som; *Pá de jardinagem; *Terra adubada; *Um vaso. Após possuir o equipamento necessário deverá seguir os seguintes passos: a) Pegue o ramo de folhas que se situa no fim da Mandrágora (sendo esse o ponto que entra em contacto com a raiz); b) Com toda a sua força puxe a Mandrágora para fora do vaso; c) Coloque a Mandrágora num outro vaso vazio e que possua bastante terra adubada. Dever ter em atenção quando puxar a Mandrágora para fora do vaso de conter os abafadores de som bem colocados nos ouvidos, pois se não poderá desmaiar. Modo de reprodução Artificial: através da semente. Natural: quando mantinham relações sexuais umas com as outras.
  10. 10. 10 Capítulo 6: Bubotúberas Quando o bruxo desejar retirar o pus desta planta deverá tomar muita atenção, pois se todo o pus da bubotúbera for extraído a planta irá morrer por falta de nutrientes no corpo. Também deverá tomar precauções para executar o processo, são elas: 1º - Deverá colocar um par de luvas de couro de dragão. 2º - Em seguida deverá utilizar um feitiço de imobilização para prevenir que a planta não envie o pus para fora com o intuito de o atacar. 3º - Com cuidado, deve-se aproximar um frasco junto de uma das pústulas (local onde se remove o pus) e pressioná- la com todo o cuidado para o pus não saltar. 4º - Por fim, deverá fechar o frasco (para que o cheiro intenso a gasolina não se espalhe pela sala) e guardar o frasco num local escuro e seco (Prazo máximo de 2 anos). Caso as seguintes indicações não sejam tomadas o bruxo/a poderá sofrer (como foi referido em cima) queimaduras ou bolhas. Essas queimaduras iram durar até que todo o pus seja removido da pele do bruxo/a. Após ser exposto ao pus o bruxo/a deverá colocar o local exposto de baixo de água durante aproximadamente 20 minutos. Existem algumas poções que se podem tomar para acelerar o processo, como por exemplo, a Essência de Ditamno. Como vai falado em cima o pus desta plante tem propriedades embelezadoras. Pode ser utilizado em poções (como a poção embelezadora) ou, se diluído em água, ser utilizado de seguida na cara para tratamento de acne. Sacharissa Tugwood foi a Bruxa que descobriu as propriedades do Pus de Bubotúbera. Ela fazia uso constante da Poção Embelezadora e por isso, com o passar do tempo, o seu corpo ganhou uma resistência a mesma. E assim ela teve que aumentar a quantidade de ingestão da poção bem como sua concentração. Pus de bubotúbera O pus de bubotúbera foi alvo dos estudos de Sacharissa Tugwood, bruxa holandesa que estudou por cerca de 30 anos o pus, desenvolvendo a partir dele as poções
  11. 11. 11 embelezadoras. Uma curiosidade interessante é que no epitáfio do túmulo de Sacharissa havia escrito os seguintes dizeres: “Obrigado Tugwood, por ter feito do mundo um lugar mais bonito”. Sacharissa morreu aos 92 anos, em 1966, com uma aparência invejável para muitas das mulheres da época. O pus de bubotúbera possui propriedades tanto embelezadoras quanto curativas. A bubotúbera é também usada na fabricação da poção capilar alisante, que é utilizada para alisar os cabelos, e da Poção Sacebak que ajuda a combater dores de cabeça. O pus de bubotúbera possui propriedades tanto embelezadoras quanto curativas. A bubotúbera é também usada na fabricação da poção capilar alisante, que é utilizada para alisar os cabelos, e da Poção Sacebak que ajuda a combater dores de cabeça. Para retirar o pus das Bubotúberas é preciso imobiliza-la (recomenda-se a utilização do Petrificus Totalus para a tarefa), aproximar um frasco de uma de suas pústulas e apertá- las com cautela. O pus deverá escorrer para o frasco que, dependendo do tamanho, não deve exceder o limite de pus. (não se pode encher e retirar muito, já que o pus é como se fosse o sangue da planta e, quando perde os sinais vitais, não produz mais).
  12. 12. 12 Capítulo 7: Ditamno Ditamno é um fungo mágico parecido com um cogumelo. Esta planta tem algumas utilidades no mundo bruxo. Pode ser utilizada com o fim medicinal, ou seja, curar alguns cortes e ferimentos menos grave. Outra possibilidade de uso da planta é em poções. Existem várias poções que utilizam esta planta, como por exemplo: Poção Wiggenweld ou a Essência de Ditamno. Antes de utilizar a planta os bruxos têm de ter em conta algumas considerações. Em primeiro lugar têm de ter bastante cuidado quando manusearem a planta. Evitar que as “bombinhas” que estão em redor na planta não sejam afectadas pois se não, um pus poderá ser libertado e se esse pus entrar em contacto com a pele irá originar queimaduras no local. •pH 5. •Grupo de plantas curativas. •Grau de maleabilidade 2. •Planta fria. •Nível de dificuldade de uso 3
  13. 13. 13 Capítulo 8: Visgo do Diabo O visgo do diabo é um “cipó” Que é muito usado na proteção de tesouros bruxos, estima-se que os visgos eram uma das armadilhas das pirâmides dos faraós egípcios. O visgo do diabo estrangula e quebra os ossos das suas vitimas até as mesma morrerem, O visgo do Diabo é atraído pela "tensão" dos músculos e tendões de um organismo, assim, quanto mais relaxado, menos chance de ser apanhado pelo Visgo do Diabo. Outra forma de se escapar do Visgo do Diabo é usando um feitiço simples como o "Lumus Solem", pois o Visgo do Diabo odeia à luz solar, ele se contrai até morrer em espasmos de agonia quando exposto à luz. Em caso de estar sem varinha, o fogo também espanta o visgo do diabo. O visgo tem uma aparência pegajosa e gosmenta. Assemelha-se com um visgo normal, apesar de ter hábitos mais violentos. É uma planta mágica que não faz fotossíntese. Não suporta a luz e, por isto, vive em lugares escuros e muito úmidos, sendo a umidade o seu 'alimento'. Quando atinge sua idade adulta (a partir dos 3 / 4 anos de idade) consegue atingir dimensões e pesos bastante elevados. Uma curiosidade desta planta é que a mesma não precisa de terra para sobreviver, o que a torna uma planta móvel, sendo ainda mais perigosa para os bruxos que se deparam com ela. Modo de Defesa O visgo do diabo possui um mecanismo de defesa e detecção de inimigos muito apurado: quando a presa toca a planta, instantaneamente ela começa a se remexer e apertar o corpo da vítima, sufocando-a/estrangulando-a. Caso o bruxo possua sua varinha pode utilizar um dos seguintes feitiços: Incendio ou Lumus Solem. Caso o bruxo não possua sua varinha e for pego pela planta, o melhor a fazer é relaxar e, eventualmente, ela acabará por larga-lo.
  14. 14. 14 Capítulo 9: Mimbulus Mimbletonia • Espécie de Escrofulária Rara (Escrofulárias são as plantas que possuem bolsas de pus); • Nativa da Abissínia; • O pus não apresenta risco à pele, e tem cheiro de estrume, além de uma coloração verde amarelada. E trabalha como excelente adubo natural; • Hoje em dia, a Mimbulus Mimbletonia (ainda em extinção) é utilizada como enfeites, embora tenha uma aparência desagradável de um grande pedaço de fígado repleto de pústulas verde- esmeralda no lugar de espinhos; • Para retirar o pus da Mimbulus Mimbletonia é preciso imobiliza-la (recomenda-se a utilização do Petrificus Totalus para a tarefa), aproximar um frasco de uma de suas pustulas e apertá- las com cautela. O pus deverá escorrer para o frasco que, dependendo do tamanho, não deve exceder o limite de pus. (não pode-se encher e retirar muito, já que o pus é como se fosse o sangue da planta e, quando perde os sinais vitais, não produz mais); • Sofre de mudanças comportamentais de acordo com a sua idade: Quando jovem: Tem poucos movimentos, não produz som algum e desperdiça uma grande concentração de pus, o que pode atrapalhar o seu desenvolvimento. Quando adultas: O som produzido se assemelha ao da pomba, os movimentos são periódicos e o mecanismo de defesa está ativo (o pus não é desperdiçado). Quando velhas: Já não produzem tantos sons e movimentos, raramente libera pus e se tornam enrugadas e feias.
  15. 15. 15 Capítulo 10: Guelricho O Guelricho é uma planta bruxa, que cresce na beira de lagos. Ele se assemelha a um pequeno tentáculo viscoso e borrachudo. Quem descobriu o Guelricho foi a bruxa Elladora Ketteridge quando ela acidentalmente comeu a erva e não conseguia respirar até colocar a cabeça em um balde de água. Mas quem levou os créditos por essa descoberta foi a quando conhecedora da Herbologia, Beautmont Marjoribanks (1742 – 1845). O guelricho tem a capacidade de deixar a pessoa respirando de baixo da água durante 1 hora. Ele também faz algumas alterações no corpo, alonga cria membranas entre os dedos para ajudar na locomoção dentro da água.
  16. 16. 16 Capítulo 11: Arbusto Tremulante Deve ser podado cautelosamente, por poder ferir aos bruxos que se aproximam do mesmo. É aconselhado o uso de um feitiço imobilizador para a tarefa. Já que a planta poderá ferir quem for podá-la. Essa planta libera uma essência cheirosa, utilizada na produção de perfumes e com propriedades aperientes. Esse é outro motivo para podá-la. Uma bruxa, Filida Spore, já sofreu com o ataque de um arbusto tremulante em sua primeira aula com a planta. Ao podá-la, é necessário utilizar todo equipamento de poda, inclusive a tesoura. A utilização do feitiço "Diffindo" pode ter resultados catastróficos. Prática O aluno deve podar o arbusto tremulante. Passos: 1- Imobilizar a planta. 2- Com o material de poda, cortar as folhas e galhos para que fiquem uniforme e não tão grandes. 3- Recolher as folhas e galhos com um grande saco e fechá-lo bem.
  17. 17. 17 Capítulo 12: Orquídea Dentada Uma orquídea normal de tom normalmente verde-amarelado, com pequenos e afiados dentes. Uma mordida pode ser muito dolorosa, dependendo do tamanho, da idade e do tom da cor. Uma mordida desta orquídea pode ter que ficar vários dias passando produtos especiais na ferida para sarar. O tempo de vida em média desta orquídea, vai de 10 a 20 anos. Nas listas abaixo segue da mais simples a mais complexa Orquídea Dentada. Classificação de mordida por cor Verde-amarelada Mordida média, com dores de agulhas fincando Azul-esverdeada Mordida fraca, tipo uma picada de formiga Vermelho-acinzentada Mordida forte, como um punhal cortando a mão Marrom-azulada Mordida mais fraca, nem se sente Verde Mordida média, um pouco mais forte Classificação de mordida por idade. 1 a 5 anos Mordida fraca, não se sente muito 6 a 8 anos Mordida fraca, mas se sente uma dorzinha 9 a 10 anos Mordida média, mais fraca 11 a 13 anos Mordida média, mais forte 14 a 15 anos Mordida forte, não muito forte 16 a 20 anos Mordida mais forte que possui
  18. 18. 18 Para se ter uma Orquídea Dentada saudável siga os seguintes passos: 1°- Pegue um vaso de tamanho grande, pois a planta pode ficar grande, coloque terra de tom avermelhado (que é o preferido dela). 2º- Faça um pequeno buraco na terra e coloque a muda da planta cuidadosamente (ela pode te morder, lembrando que a mordida dela quando ainda é nova não é dolorosa). 3º- Coloque bastante excremento de dragão, comprado em lojas especializadas em Herbologia. 4º- Regue a planta diariamente, no período da manhã (não com muita água) e no período da tarde (com mais água). Deve-se colocar mais água de tarde, pelo motivo de ser o período mais quente do dia. Reenvasamento de Orquídeas Dentadas: Só se reenvasa um orquídea dentada a cada 5 anos, sempre com muito cuidado para não tomar uma mordida desta, pois pode ser muito dolorosa. Para reenvasar uma orquídea dentada siga os seguintes passos: 1º- Com cuidado pegue o vaso em que se encontra a orquídea dentada. 2º- Pegue outro vaso maior. 3º- Ponha uma luva protetora para evitar as mordidas (lembrando que ela pode morder o braço, por isso tomem cuidado com o braço). 4º- Segure a orquídea dentada cuidadosamente, ela vai tentar morder sua mão frequentemente, a segure com mais força e puxe rapidamente. 5º- Com rapidez a coloque em outro vaso e jogue terra nela, coloque o adubo e regue (se não for com demasiada rapidez a planta morre).

×