SIM, CRESCER NORMAL É EXCELÊNCIA NA INDICAÇÃO QUALIDADE METABÓLICA.

396 visualizações

Publicada em

Ele não progride na mesma taxa e cada fase da vida e é afetado pelos tipos anteriores de desenvolvimento. Como essas mudanças no desenvolvimento podem ser fortemente influenciadas por fatores genéticos, eventos durante a vida pré-natal são normalmente incluídos como parte do estudo do desenvolvimento da criança. Entretanto, os fatores anômalos nunca são desejados mas, infelizmente, podem ocorrer e comprometer a prole.

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

SIM, CRESCER NORMAL É EXCELÊNCIA NA INDICAÇÃO QUALIDADE METABÓLICA.

  1. 1. O CRESCIMENTO DE CRIANÇA, INFANTIL E JUVENIL É UM IMPORTANTE INDICADOR DA SAÚDE FÍSICA E MENTAL E DA QUALIDADE DO AMBIENTE BIOPSICOSSOCIAL, ALÉM DAS FUNÇÕES METABÓLICAS, POIS O EIXO HIPOTÁLAMO- HIPOFISÁRIO-NÚCLEO ARQUEADO, SECRETOR DAS PRINCIPAIS SUBSTÂNCIAS HORMONAIS E RECEPTORAS ESTÃO INTIMAMENTE INTERLIGADOS ENTRE SI O estado de boa qualidade orgânica pode ser observada através de crescimento estatural e (altura) longitudinal (linear) de criança, infantil, juvenil e adolescente pois nesta fase se faz a investigação clínica da fenomenologia, fatores biológicos, psicossociais, genéticos, demográficos, ambientais, história pessoal e familiar através da propedêutica completa, e a intervenção de distúrbios psiquiátricos em crianças e em adolescentes traduzem ótima qualidade de vida e saúde se estiver dentro de padrões de normalidade (Kaplan e Saddock). O desenvolvimento infantil refere- se ao desenvolvimento biológico, psicológico e alterações emocionais que ocorrem nos seres humanos entre o nascimento e o fim da adolescência, como o indivíduo progride da dependência para o aumento da autonomia. É um processo contínuo, com uma sequência previsível, embora seja um curso único para cada criança, sendo que cada uma delas apresenta um curso de desenvolvimento em cada setor de formas diferentes. Ele não progride na mesma taxa e cada fase da vida e é afetado pelos tipos anteriores de desenvolvimento. Como essas mudanças no desenvolvimento podem ser
  2. 2. fortemente influenciadas por fatores genéticos, eventos durante a vida pré-natal são normalmente incluídos como parte do estudo do desenvolvimento da criança. Entretanto, os fatores anômalos nunca são desejados mas, infelizmente, podem ocorrer e comprometer a prole, entre eles a baixa estatura longitudinal ou linear independente dos gráficos confirmarem ou não. Se levarmos em consideração esses fatores o mais adequado é tomarmos atitude no sentido de procurarmos auxílio profissional, pois se trata de intervenções específicas e detalhadas e jamais se automedicar pela complexidade das eventuais disfunções. A somatotropina (hormônio do crescimento-GH) de origem do rDNA tem proporcionado uma droga símile ao de humanos, disponível e segura que tem melhorado muito a gestão de crianças e adolescentes com deficiência de DGH e outros distúrbios do crescimento. Além disso, estudos têm demonstrado benefícios anabólicos do GH em crianças que apresentam doença inflamatória subjacente, à base e eficácia do GH, na superação de atrasos de crescimento em pessoas tratadas cronicamente com corticosteróides. Essas áreas estão abertas para possíveis novos usos desta substância. A gestão de diversas situações e fases do crescimento de criança, infantil, juvenil e adolescente tem sido estudada para dirimir todas as
  3. 3. dúvidas eventuais apesar da segurança no tratamento mas de complexidade razoável, a gestão de pacientes púberes, a transição para a vida adulta de pacientes pediátricos, a gestão de crianças com baixa estatura idiopática e o papel do rIGF-1 no tratamento. A somatotropina GH rDNA está disponível para uso desde 1985. A grande confusão que às vezes persiste e que é absolutamente equivocada por falta de atualização científica é que não se usa mais e foi substituída, é o GH derivado da pituitária humana, que foi retirado para uso por questões de segurança pois o DNA de cada individuo é único e em persistindo o fator de reconhecimento no DNA do hormônio poderá não ser seguro, pois através da engenharia genética com o lançamento do GH rDNA esta falta de segurança foi eliminada com relação a DCJ ou príons em 1985. Portanto, hoje é perfeitamente possível a utilização do GH rDNA desde que haja indicação, principalmente em criança, infantil, juvenil e adolescente assim como em adulto que eventualmente apresente DGH piorando a qualidade de vida. LOW HEIGHT CHILD AND YOUTH: YES, THE NORMAL GROWTH IS THE EXCELLENCE IN QUALITY METABOLIC STATEMENT. THE GROWTH OF CHILDREN, CHILD AND YOUTH IS AN IMPORTANT INDICATOR OF PHYSICAL AND MENTAL HEALTH AND ENVIRONMENTAL QUALITY BIOPSYCHOSOCIAL BEYOND THE METABOLIC FUNCTIONS AS THE HYPOTHALAMIC-PITUITARY-CORE BANDY, SECRETOR OF MAJOR HORMONES AND RECEPTORS THAT ARE CLOSELY INTERLINKED: PHYSIOLOGY-ENDOCRINOLOGY-NEUROENDOCRINOLOGY-GENETICS- ENDOCRINE-PEDIATRICS (SUBDIVISION OF ENDOCRINOLOGY): DR. JOÃO SANTOS CAIO JR. ET DRA. HENRIQUETA VERLANGIERI CAIO.
  4. 4. The state of quality through organic growth and longitudinal or linear height of children, as well as children, young and adolescents and their families in child and adolescent phase encompasses the clinical investigation of phenomenology, biologic factors, psychosocial factors, genetic factors, demographic factors, environmental factors, personal and family history through the complete workup, and response to interventions of child and adolescent psychiatric disorders reflect great quality of life and health if it is within normal limits (Kaplan and Saddock). Child development refers to the biological, psychological and emotional changes that occur in human beings between birth and the end of adolescence, as the individual progresses from dependency to increasing autonomy. It is a continuous process with a predictable sequence still has one course for each child. It does not progress at the same rate and each stage is affected by the previous types of development. Because these developmental changes may be strongly influenced by genetic factors and events during prenatal life, genetics and prenatal development are usually included as part of the study of child development. However, anomalous factors are never allowed more unfortunately may occur and compromise the offspring, including this low height independent of graphs confirm or not. If we take into consideration these factors is the most appropriate attitude we take towards seek professional assistance, because it is specific and detailed assistance and never self-medicating the complexity of any
  5. 5. malfunctions. The somatotropin-GH of rDNA origin has provided a drug simile to human, available and secure which has greatly improved the management of child and adolescent with GHD and other growth disorders. Furthermore, studies have shown anabolic benefits of GH in child who has underlying basis inflammatory disease and efficacy of GH in overcoming growth retardation in people chronically treated with corticosteroids. These areas are open to possible new uses of this substance. The management of various situations and stages of growth of juvenile, infant and children has been studied to resolve all doubts despite any security but in the treatment of reasonable complexity, the management of pubertal patients, the transition to adulthood in pediatric patients, the management of children with idiopathic short stature and the role of rIGF-1 treatment. The somatotropin-GH rDNA has been available since 1985. The great confusion that sometimes persists and it is absolutely wrong for lack of scientific update does not use anymore and has been replaced, is GH derived from human pituitary that was withdrawn for safety reasons because the DNA of each individual is unique and persisting factor in DNA recognition of the hormone may not be safe, because through genetic engineering and the release of GH by rDNA this lack of security was eliminated with respect to CJD prions in 1985 or the use of rGH so today is perfectly possible provided you have indicated, especially in juvenile, adolescent and child as well as adult who may show GHD and poor quality of life.
  6. 6. Dr. João Santos Caio Jr. Endocrinologia – Neuroendocrinologista CRM 20611 Dra. Henriqueta V. Caio Endocrinologista – Medicina Interna CRM 28930 Como saber mais: 1. A resposta do GH–hormônio de crescimento é alterada por muitos fatores, incluindo as concentrações de esteróides sexuais, nível de condicionamento físico, e a intensidade das sessões de exercícios anteriores... http://hormoniocrescimentoadultos.blogspot.com 2. Para tanto, exercícios de resistência, para maior ativação da glicólise anaeróbia e formação de lactato aumenta a quantidade de GH liberada... http://longevidadefutura.blogspot.com 3. Se uma sessão de exercícios de resistência ou um regime de treinamento de endurance (endurance: auto-rendimento, um atleta de endurance é um atleta de auto rendimento, atleta de elite, de resistência, um atleta bem preparado para o exercício) influencia a quantidade total de GH liberado durante um período de 24 horas não está claro... http://imcobesidade.blogspot.com AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA. Referências Bibliográficas: Caio Jr, João Santos, Dr.; Endocrinologista, Neuroendocrinologista, Caio,H. V., Dra. Endocrinologista, Medicina Interna – Van Der Häägen Brazil, São Paulo, Brasil; Participants in the Growth Hormone Research Society Workshop on Adult Growth Hormone Deficiency, Port Stevens, New South Wales, Australia, April 14–18, 1997: Dr. Andrea Attanasio, Lilly Research Center (England); Dr. Kenneth Attie, Genentech, Inc. (USA); Dr. Rob Baxter, Kollings Institute of Medical Research (Australia); Dr. Bengt-
  7. 7. Ake Bengtsson, Sahlgrenska University Hospital (Sweden); Dr. Allan Black, Therapeutic Goods Administration (Australia); Dr. Sandra Blethen, Genentech, Inc. (USA); Dr. Lena Carlsson, Sahlgrenska University Hospital (Sweden); Dr. Filipe Casaneuva, Santiago de Compostela University (Spain); Dr. John Chipman, Lilly Research Laboratories (USA); Dr. Jens Sandahl Christiansen, Aarhus Kommunehospital (Denmark); Dr. David Clemmons, University of North Carolina (USA); Dr. Ross Cuneo, Princess Alexandra Hospital (Australia); Mr. Dirk De Rijdt, Pharmacia & Upjohn (Belgium); Dr. Ezio Ghigo, University of Turin (Italy); Dr. Mark Hartman, University of Virginia (USA); Ms. Elizabeth Hernberg-Stahl, Pharmacia & Upjohn (Sweden); Dr. Raymond Hintz, Stanford University Medical Center (USA); Dr. Ken Ho Garvan, Institute of Medical Research (Australia); Dr. David Hoffman, Garvan Institute of Medical Research (Australia); Dr. Minoru Irie, Toho University (Japan); Dr. Jens Otto Jorgensen, Aarhus Kommunehospital (Denmark); Ms. Anne-Marie Kappelgaard, Novo Nordisk A/S (Denmark); Dr. Zvi Laron, Children’s Medical Center of Israel (Israel); Dr. Saul Malozowski, FDA (USA); Dr. David Russell-Jones, St. Thomas’ Hospital (England); Dr. Steve Shalet, Christie Hospital (England); Dr. Pierre Sizonenko, University of Geneva (Switzerland); Dr. Peter H. Sonksen, St. Thomas’ Hospital (England); Dr. Christian Strasburger, Innenstadt University Hospital (Germany); Dr. K. Takano, Tokyo Women’s Medical College (Japan); and Dr. Michael Thorner, University of Virginia Health Sciences Center (USA). Contato: Fones: 55 11 5087-4404 ou 96197-0305 Nextel: ID:111*101625 Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj. 121/122 Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002 e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com Site Van Der Häägen Brazil www.vanderhaagenbrazil.com.br www.clinicavanderhaagen.com.br www.crescimentoinfoco.com www.obesidadeinfoco.com.br http://drcaiojr.site.med.br http://dracaio.site.med.br Joao Santos Caio Jr http://google.com/+JoaoSantosCaioJr Video http://youtu.be/woonaiFJQwY
  8. 8. Google Maps: http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt &sll=-23.578256,46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie =UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t = h&z=17

×