O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Obesidade

67 visualizações

Publicada em

Levando em consideração todos os comprometimentos dessas doenças, diante desses riscos com uma série de comprometimentos, não é de admirar que você queira saber quanto você deve pesar

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

Obesidade

  1. 1. OBESIDADE; PORQUE A OBESIDADE INTRA-ABDOMINAL OU VISCERAL É MAIS GRAVE DO QUE A OBESIDADE PERIFÉRICA, EMBORA AMBAS SÃO ABSOLUTAMENTE INCONVENIENTES. EXCESSO DE GORDURA CORPORAL TEM CONSEQUÊNCIAS GRAVES PARA A SAÚDE. É ASSOCIADO COM ALTOS NÍVEIS DE COLESTEROL LDL ("RUIM") E TRIGLICÉRIDES E BAIXOS NÍVEIS DE COLESTEROL HDL ("BOM"). ELA PREJUDICA A CAPACIDADE DE RESPOSTA DO ORGANISMO À INSULINA, AUMENTANDO OS NÍVEIS DE AÇÚCAR NO SANGUE E DE INSULINA. MAS A OBESIDADE VISCERAL ABDOMINAL CUJO EFEITO É MARCANTE POR COMPROMETER ORGÃOS VITAIS COM AUMENTO DOS RISCOS DE INCAPACIDADE, MORBIDADE E MORTALIDADE. EXCESSO DE GORDURA CORPORAL CONTRIBUI PARA AS PRINCIPAIS CAUSAS DE MORTE E INCAPACIDADE, INCLUINDO ATAQUES CARDÍACOS, DERRAMES, PRESSÃO ARTERIAL ELEVADA, CÂNCER, DIABETES, OSTEOARTRITE, FÍGADO GORDO E DEPRESSÃO. FISIOLOGIA– ENDOCRINOLOGIA–NEUROCIÊNCIA ENDÓCRINA (NEUROENDOCRINOLOGIA) – GENÉTICA–ENDÓCRINO PEDIATRIA (SUBDIVISÃO DA ENDOCRINOLOGIA): DR. JOÃO SANTOS CAIO JR. ET DRA. HENRIQUETA VERLANGIERI CAIO. Obesidade, obesidade intra-abdominal, visceral, central (gordura). Levando em consideração todos os comprometimentos dessas doenças, diante desses riscos com uma série de comprometimentos, não é de admirar que você queira saber quanto você deve pesar. Mas esta questão comum e importante é na verdade a pergunta errada. Para a saúde e qualidade de vida, a questão não é o quanto você pesa, mas quanta gordura abdominal você tem. Os métodos mudaram ao longo dos anos, através de pesquisas exaustivas, mas quando os cientistas reconheceram que o que importa não é o peso corporal, mas a gordura corporal, os padrões começaram a mudar com novos conceitos muito mais sérios do que até então a maioria dos profissionais encaravam, o que hoje é uma complexa doença que abrange uma gama de hormônios recém descobertos que podem estar ligados a doenças até então vistas de forma simplistas. O índice de massa corporal (IMC), permanece consagrado como a forma padrão para diagnosticar sobrepeso e obesidade.
  2. 2. O IMC fornece uma boa estimativa da gordura corporal, e é mais preciso do que as medidas de dobras cutâneas. Embora o IMC seja o padrão oficial, ele tem várias falhas. Por um lado, atletas altamente treinados com músculos grandes podem ter IMC de 30, com pouca gordura corporal. No outro extremo, o IMC pode falhar em refletir com precisão a gordura corporal em adultos que perderam quantidades substanciais de massa muscular. Mas o problema mais importante é que o IMC reflete a gordura corporal total, independentemente de como a gordura é distribuída. E embora nenhum excesso de gordura é bom, um tipo de excesso de gordura é muito mais perigoso do que os outros, que é a gordura visceral. Pesquisas mostram que a gordura abdominal é a pior das piores. O que torna a gordura abdominal tão prejudicial? Os cientistas não sabem com certeza, mas a pesquisa está fornecendo pistas fortes. Para entender essas pistas, você deve primeiro entender que a gordura abdominal vem em duas formas diferentes. Algumas delas estão localizados no tecido adiposo logo abaixo da pele. Esta gordura subcutânea comporta-se como a gordura em outra parte do corpo; não é amigo para a saúde, mas também não é uma ameaça especial embora também leve a doenças inconvenientes com as doenças articulares e até mesmo a hipertensão e mudanças do shape (contorno corporal), muito desagradável. Gordura dentro do abdômen é outra história. Esta gordura visceral está localizada em torno dos órgãos internos, e é o verdadeiro vilão da peça. Uma das primeiras explicações para isso foi que a obesidade visceral estava ligada à hiperatividade dos mecanismos de resposta ao estresse do corpo, que aumentam a pressão arterial, níveis de açúcar no sangue e risco cardíaco. Para saber mais acesse: https://sobrepesoof.wordpress.com/2019/03/29/obesidade-porque-a-obesidade-intra- abdominal-ou-visceral-e-mais-grave-do-que-a-obesidade-periferica-embora-ambas-sao- absolutamente-inconvenientes/

×