O GH E O IGF-I NO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO CONGÊNITO (PRIMÁRIO)

393 visualizações

Publicada em

Essas anormalidades de crescimento incluem um cérebro pequeno (conforme expresso pela circunferência da cabeça), um coração pequeno (cardiomicria) e acromicria (queixo pequeno, resultante do subdesenvolvimento dos ossos faciais, mãos e pés pequenos). A deficiência de IGF-I também provoca o subdesenvolvimento e a fragilidade do sistema muscular e prejudica e enfraquece o cabelo e o crescimento das unhas.

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

O GH E O IGF-I NO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO CONGÊNITO (PRIMÁRIO)

  1. 1. A CRIANÇA, INFANTIL, JUVENIL E ADOLESCENTE COM DEFICIÊNCIA DE IGF-I DESDE O NASCIMENTO APRESENTAM MATURAÇÃO ESQUELÉTICA ATRASADA, CÉREBRO PEQUENO, CORAÇÃO E QUEIXO PEQUENOS, PROVOCA DEFICIÊNCIAS ACENTUADAS, COMO O RETARDAMENTO DO CRESCIMENTO NA PRESENÇA DE VALORES ELEVADOS DE GH Foram estudados 52 pacientes (muitos desdeonascimento) durante toda a infância, puberdade e na idade adulta. Foi descoberto que os recém-nascidos com deficiênciade IGF-I (LS) são ligeiramente mais curtos no nascimentomedindoem tornode 42 a 47 cm do que os bebês saudáveis que mediam emtorno de 49 a 52 cm, sugerindo que o IGF-I tem alguma influênciasobre ocrescimentolinear intrauterino. Este fatoé reforçadopelos resultados que jáno momento do nascimento, e durante toda a infância, a maturação esqueléticaé retardada, assimcomo é o crescimentodos órgãos. Essas anormalidades de crescimentoincluemumcérebropequeno(conforme expressopela circunferênciadacabeça), um coração pequeno (cardiomicria) e acromicria(queixopequeno, resultante dosubdesenvolvimentodos ossos faciais, mãos e pés pequenos). A deficiênciade IGF-I também provoca o subdesenvolvimentoe afragilidade do sistemamuscular e prejudicae enfraquece o cabeloe o crescimentodas unhas. Estes resultados sãoidênticos aos descritos nadeficiênciade hormôniode crescimento(DGH). A deficiênciade IGF-I durante toda a infância
  2. 2. provoca o nanismo (que se não for tratadoa altura final não passade 100 a 135 cm na fêmea e 110 a 142 cm, em pacientes dosexo masculino), com um anormalmente elevadotamanho do da porção superior docorpo (tronco) em relaçãoà porção inferior do corpo. Um paciente doReinoUnido apresentouuma deleçãode exons 4 e 5 do gene IGF-I e ele tambémapresentougrave retardode crescimento. O comprometimentodocrescimentoe desenvolvimentodoesqueletona ausênciade IGF-I foram confirmados em roedores usandonocaute (KO) do gene IGF-1 ou do gene do receptor de IGF-I. Knockout do gene de IGF- I ou do gene do receptor de IGF-I reduz o tamanho dos roedores em cercade 40 a 45%. A faltado receptor de IGF-I é letal no nascimentoem roedores, devidoàinsuficiênciarespiratóriacausadapor anomalias do desenvolvimentododiafragma e dos músculos intercostais. Emoutro modelo, os roedores permaneceramvivos e seucrescimentopós-natal foi reduzido. Em conclusão, os resultados emseres humanos e em animais mostraram que o IGF-I provoca deficiências acentuadas, comoo retardamentodo crescimentonapresençade valores elevados de GH. Quando a resposta de crescimentoaotratamentocom GH em crianças com DGH foi comparado com o de IGF-I em crianças com LS descobrimos que as crianças com DGH responderammais rápido e melhor ao tratamentodo que aqueles comLS. Ambos os hormônios estimularamo crescimentolinear, mas oGH pareceumais eficaz do que o IGF-I. Uma causa pode ser o maior déficit de crescimentodos recém-nascidos com LS do que aqueles com DGH, uma dose insuficientede IGF-I, ouque há uma necessidade de algumGH
  3. 3. para fornecer uma população adequada de células estaminais de precondrócitos parapermitir aexpressãomáximado crescimentodevido às ações de IGF-I, como postuladopor Greene seus colegas e Ohlsonet al. Todos os resultados acimacom base em alguns estudos clínicos com pequenos grupos de pacientes e alguns estudos experimentais permanecemno momentocontroversos. A questão crucial é se há receptores suficientes de IGF-1 nazona da cartilagemepifisária. Para responder aoendocrinologistaoresultadodautilizaçãoexógenade IGF- I. Usando o côndilode roedores comdois dias de idade ICR, Maor et al. mostraramque estes côndilos, que se assemelhamas placas da epífise dos ossos longos, contêmIGF-I com afinidade elevadatambém pelos receptores nas camadas celulares condroprogenitoras, oque lhes permite verificar aação do IGF-I “in vitro”. Sims et al, utilizando roedores como receptor de GH KO mostraramque a administraçãodo IGF-I estimulao crescimento(largura) daplacade crescimentotibial e que o IGF-I tem um efeitoindependente doGH sobre a placa de crescimento. Estes resultados sãosemelhantesaos encontrados quando se tratam roedores hipofisectomizados comIGF-I. Em conclusão, o IGF-I é um importante hormôniode crescimento, mediandooefeitoanabólico e o crescimentolinear doGH da pituitária. Temum efeitoestimulante do crescimentoindependente de GH, o que diz respeitoacélulas de cartilagemé possivelmente otimizadopelaação sinérgicacomGH. GH AND IGF-I ON GROWTH AND DEVELOPMENTCONGENITAL (PRIMARY);DR.CAIO JR./DRA. CHILD, CHILDREN, YOUTH AND TEEN WITH DISABILITIES OF IGF-I PRESENTSINCE BIRTH SKELETAL MATURITY LATE, LITTLE BRAIN, SMALL HEARTAND SMALL CHIN, ACCENTED CAUSES DEFECTS AS THE DELAY OF GROWTH IN THE PRESENCEOF HIGH VALUES OF GH; PHYSIOLOGY- ENDOCRINOLOGY-NEUROENDOCRINOLOGY-GENETICS-ENDOCRINE- PEDIATRICS (SUBDIVISION OF ENDOCRINOLOGY):DR. JOÃO SANTOS CAIO JR. ET DRA. HENRIQUETA VERLANGIERI CAIO.
  4. 4. 52 patients (many from birth) were studiedthroughout childhood, puberty and adulthood. We found that infants withIGF-I (LS) deficiency are slightly shorter at birthmeasuring about 42-47 cmthan healthy babies that measured around 49-52 cm, suggesting that IGF-I has some influence on the intrauterine linear growth. This fact is reinforcedby the results already at birthand throughout childhood, skeletal maturationis delayed, as is the growth of organs. These growth abnormalities include asmall brain (as expressedby the circumference of the head), a small heart (cardiomicria) andacromicria(small chin resulting fromunderdevelopment of the facial bones, small hands and feet). The IGF-I deficiency alsocauses underdevelopment andweakness of muscle and impairs systemand weakens the hair and nail growth. These results are identical tothose describedinchildrenwithgrowth hormone deficiency (GHD). The deficiency of IGF-I throughout childhood causes dwarfism(whichif untreatedfinal height is just 100-135 cmin female and 110-142 cminmales), withan abnormally large size the upper body (trunk) relative tothe lower body. One patient inthe UK showeda deletionof exons 4 and 5 of IGF-I gene and he alsohad severe growthretardation. The impairedgrowthand skeletal developmentin the absence of IGF-I in rodents were confirmedusing knockout (KO) of the IGF-1 gene or the IGF-I receptor gene. Knockout of IGF-I or the IGF-I receptor gene reduces the size of rodents inabout 40 to 45%. Failure of the IGF-I receptor is lethal at birthin rodents, due torespiratory failure causedby developmental abnormalitiesof the diaphragm and
  5. 5. intercostal muscles. Inanother model, the mice remainedalive and their postnatal growthwas reduced. Inconclusion, the results inhumans and animals have shown that IGF-I causes markeddeficiencies, suchas growthretardationinthe presence of highlevels of GH. Whenthe growthresponse toGH treatment inchildrenwithGHD was compared withthat of IGF-I in childrenwithLS found that childrenwithGHD respondfaster and better totreatment thanthose withLS. Bothstimulatedlinear growth, GH but appearedmore effective than IGF-I. One cause may be the biggest growthdeficit of newborns withLS than those withGHD, an insufficient dose of IGF-I, or that there is a needfor some GH to provide an adequate populationof stemcells toallow prechondrocytes maximum expressionof growthdue to the actions of IGF-I, as postulated by Greenand his colleagues and Ohlsonet al. All the above results based on some clinical studies withsmall groups of patients andexperimental studies remaincontroversial at the time. The crucial questionis whether there is sufficient IGF-1 receptors inthe epiphyseal cartilage zone. To respondto an endocrinologist the result of the use of exogenous IGF-I. Using the condyle of rodents withtwoday old ICR, Maor et al. showed that these condyles, whichresemble the plates of the epiphysis of long bones, containing IGF-I withhigh affinity for receptors oncell also chondrogenic progenitor layers, allowing themtoverify the actionof IGF-I "in vitro". Sims et al, rodents using the GH receptor knockout showedthat administrationof IGF-I stimulates growth(width) of the tibial growthplate and IGF-I have an independent effect of GH on the growthplate. These results are similar tothose foundwhentreating hypophysectomizedrodents withIGF-I. Inconclusion, the IGF-I is a major
  6. 6. growthhormone mediating the linear growthanabolic effect of GH and pituitary. Has a stimulating effect of GH independent growth, which relates tocartilage cellsis possibly optimizedby the synergistic action withGH. Dr. João Santos Caio Jr. Endocrinologia – Neuroendocrinologista CRM 20611 Dra. Henriqueta V. Caio Endocrinologista – Medicina Interna CRM 28930 Como saber mais: 1. A secreçãodo hormôniodo crescimento(GH), espontâneaouevocada por estímulos provocantes, é marcadamente atenuadana obesidade... http://hormoniocrescimentoadultos.blogspot.com 2. Os pacientes obesos exibem, emcomparação com indivíduos com pesonormal, uma meia-vidareduzida, afrequência de episódios de secreçãoe da taxa de produção diária do hormônio... http://longevidadefutura.blogspot.com 3. Os compostos que inibema somatostatinahipotalâmica(SRIH) release (piridostigmina, arginina, galanin) melhoramde forma consistente, embora não normalizam a respostaaoGHRH na obesidade... http://imcobesidade.blogspot.com AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA. Referências Bibliográficas: Caio Jr, João Santos, Dr.; Endocrinologista, Neuroendocrinologista, Caio,H. V., Dra. Endocrinologista, Medicina Interna – Van Der Häägen Brazil, São Paulo, Brasil; Tannenbaum 1 GS, Ling N. A inter-relação
  7. 7. do hormônio de crescimento (GH), factor de libertação de somatostatina e na geração do ritmo ultradiano de secreção de GH Endocrinology 1984;.115 :1952-7.Laron Crescimento Z. secretagogos de hormônio.:. Experiência clínica e potencial terapêutico Drogas 1995;50 :595-601; Ghigo E, Boghen M, Casanueva FF, et al., Eds. Secretagogos de GH. Resultados básicos e implicações clínicas. Amsterdam: Elsevier, 1994; Jaffe CA, Ho PJ, Demott-Friberg R, et al. Efeitos da hormona prolongada do crescimento (GH), péptido de libertação da infusão na secreção de GH pulsátil em homens normais J Clin Endocrinol Metab 1993;.. 77 :1641-7; M Kojima, Hosada H, Data Y, et al. A grelina é um crescimento hormônio liberador de peptídeo acilado de estômago Nature 1999;.. 402 :656-60; Devesa J, Lima L, Tresquerres AF. Controle neuroendócrino da secreção do hormônio do crescimento em seres humanos Tendências Endocrinol Metab 1992;.3 :175-83; Laron Z. A somatostatina-GHRH-GH-IGF-I do Eixo. In: Merimee T, Laron Z, eds hormônio do crescimento, IGF-I e de crescimento:. Novos pontos de vista de conceitos antigos. Endocrinologia moderna e diabetes, vol. . 4 Londres-Tel Aviv: Freund Publishing House Ltd, 1996:5-10; Salmon WD, Jr, incorporação de sulfato por cartilagem in vitro J Lab Clin Med 1957; Salmon WD, Jr, Daughaday W, Um fator soro hormonalmente controlada que estimula a incorporação de sulfato por cartilagem in vitro J Lab Clin Med 1957;. 49 :825-36; Froesch ER, Burgi H, ramseier EB, et al. Anticorpo supressível e atividades similares à insulina nonsuppressible no soro humano e seu significado fisiológico. Um ensaio de insulina com tecido adiposo de maior precisão e especificidade J Clin Invest 1963;.. 42 :1816-34; Daughaday WH, Hall K, Raben MS, et al. Somatomedina: uma proposta de designação para o fator de sulfatação Nature 1972; 235:107. Contato: Fones: 55 11 5087-4404 ou96197-0305 Nextel: ID:111*101625 Rua Estela, 515 - BlocoD - 12ºandar - Conj. 121/122 Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002 e-mails:drcaio@vanderhaagenbrasil.com drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com Site Van Der Häägen Brazil www.vanderhaagenbrazil.com.br www.clinicavanderhaagen.com.br www.crescimentoinfoco.com www.obesidadeinfoco.com.br http://drcaiojr.site.med.br http://dracaio.site.med.br Joao Santos Caio Jr http://google.com/+JoaoSantosCaioJr Video
  8. 8. http://youtu.be/woonaiFJQwY Google Maps: http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl= pt&sll=-23.578256,46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie =UTF8&ll=-23.575591,- 46.650481&spn=0,0&t = h&z=17

×