CRESCER INFANTIL/JUVENIL:INFLUÊNCIA DO EXERCÍCIO FÍSICO NO CRESCER ESTATURAL/ALTURA,SAIBA PORQUE

411 visualizações

Publicada em

A influência de uma única sessão de exercícios de resistência ou treinamento de resistência sobre a secreção de GH, 24 horas não foi estudado. Dieta pré-exercício de modulação (especialmente modulação da ingestão de gordura) também pode influenciar a liberação de GH durante o exercício de resistência. Estudos que medem de 12 a 24 horas nas resposta do GH ao exercício de resistência após a ingestão de várias dietas de macro nutrientes não foram concluídos.

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

CRESCER INFANTIL/JUVENIL:INFLUÊNCIA DO EXERCÍCIO FÍSICO NO CRESCER ESTATURAL/ALTURA,SAIBA PORQUE

  1. 1. A INFLUÊNCIA DO EXERCÍCIO FÍSICO SOBRE O HORMÔNIO DO CRESCIMENTO-GH E TESTOSTERONA NOS MENINOS CRIANÇAS, INFANTIS, JUVENIS E ADOLESCENTES PRÉ-PÚBERES A LIBERAÇÃO DO HORMÔNIO DO CRESCIMENTO-GH É SENSÍVEL A MUITOS ESTÍMULOS FARMACOLÓGICOS E FISIOLÓGICOS, INCLUINDO O EXERCÍCIO FÍSICO. EMBORA A FUNÇÃO DO AUMENTO DA QUANTIDADE DE GH LIBERADA DURANTE O EXERCÍCIO NÃO SEJA TOTALMENTE COMPREENDIDA, É MUITO PROVÁVEL QUE CONTRIBUI PARA ADAPTAÇÕES DE COMBUSTÍVEIS METABÓLICOS DURANTE O EXERCÍCIO FÍSICO, E A REPARAÇÃO DE TECIDOS APÓS A SESSÃO DE EXERCÍCIO FÍSICO. A resposta do GH–hormônio de crescimento é alterada por muitos fatores, incluindo as concentrações de esteróides sexuais, nível de condicionamento físico, e a intensidade das sessões de exercícios anteriores. Para tanto, exercícios de resistência, para maior ativação da glicólise anaeróbia e formação de lactato aumenta a quantidade de GH liberada. Se uma sessão de exercícios de resistência ou um regime de treinamento de endurance (endurance: auto- rendimento, um atleta de endurance é um atleta de auto rendimento, atleta de elite, de resistência, um atleta bem preparado para o exercício) influencia a quantidade total de GH liberado durante um período de 24 horas não está claro; isso pode depender do sexo da pessoa, da
  2. 2. intensidade do exercício, bem como a duração do treinamento físico. A influência de uma única sessão de exercícios de resistência ou treinamento de resistência sobre a secreção de GH, 24 horas não foi estudado. Dieta pré-exercício de modulação (especialmente modulação da ingestão de gordura) também pode influenciar a liberação de GH durante o exercício de resistência. Estudos que medem de 12 a 24 horas nas resposta do GH ao exercício de resistência após a ingestão de várias dietas de macro nutrientes não foram concluídos. Embora o GH seja um dos hormônios mais estudados, estudos mais recentes têm aumentado o conhecimento a respeito dos mecanismos de ação do GH, podendo ser divididos em: 1) Ações diretas, mediadas pela rede de sinalizações intracelulares, desencadeadas pela ligação do GH ao seu receptor na membrana plasmática.
  3. 3. 2) E ações indiretas, mediadas principalmente pela regulação da síntese dos fatores de crescimento semelhantes à insulina (IGF). Tem sido demonstrado que o exercício físico é um potente estimulador da liberação do GH. A magnitude deste aumento sofre influência de diversos fatores, em especial, da intensidade e do volume do exercício, além do estado de treinamento. Atletas, normalmente, apresentam menor liberação de GH induzida pelo exercício que indivíduos sedentários ou pouco treinados. Evidências experimentais demonstram que o GH: 1) Favorece a mobilização de ácidos graxos livres (AGL) do tecido adiposo para geração de energia; 2) Aumenta a capacidade de oxidação de gordura 3) Aumenta o gasto energético. a)Para determinar os níveis de parâmetros hormonais que estão relacionados com o crescimento e a maturação sexual (T, SHBG, FAI, GH) em 66 rapazes pré-púberes e em início da puberdade criança, infantil, (11 a 13 anos de idade) que se engajam sistematicamente em atividades esportivas individuais e de equipe de resistência, força, velocidade e habilidade, respectivamente, b)Para investigar o efeito de duas formas diferentes de exercício
  4. 4. aeróbico, ou seja, (AG) e musculação (GT) sobre os níveis de andrógenos em 19 meninos pré-púberes sedentários. Os grupos controle (GC) foi composto por meninos da mesma idade que participaram apenas dos programas de educação física escolar. Os indivíduos incluídos no estudo participaram voluntariamente depois que seus pais foram informados e tinham dado o seu consentimento por escrito. Concentrações hormonais foram determinadas por radioimunoensaio e ensaios imunorradiométricos. Não foram observadas diferenças entre os grupos dos vários atletas que se referem aos estágios de Tunner, altura e peso. Os valores médios do grupo controle T e FAI não diferem daqueles do grupo de atletas correspondente. Foram observadas diferenças significativas entre os grupos em relação ao IMC, % de gordura corporal, T, SHBG, FAI e GH (p <0,05). Os valores de T e FAI no grupo de WG foram significativamente maiores do que as concentrações correspondentes: a) No grupo de AG por 338 e 609%, p <0,05 b) No grupo de controle por CG por 91 e 96%, p <0,05, respectivamente. As diferenças hormonais detectadas entre os vários grupos de atletas devem ser atribuídas tanto ao tipo de exercício físico e fatores de desenvolvimento, quanto aos critérios de seleção utilizados para os diferentes talentos esportivos. Foi demonstrada a importância da especificidade do estímulo de treinamento nas adaptações hormonais de indivíduos sedentários pré-púberes. CHILD AND YOUTH GROWTH; INFLUENCE OF EXERCISE ON GROWTH HEIGHT (HEIGHT), KNOW WHY...
  5. 5. THE INFLUENCE OF EXERCISE ON GROWTH HORMONE-GH AND TESTOSTERONE IN BOYS INFANT, CHILD, YOUTH AND TEEN PREPUBERTAL AND EARLY-PUBERTAL THE RELEASE OF GROWTH HORMONE (GH) IS SENSITIVE TO MANY CLINICAL AND PHYSIOLOGICAL STIMULI, INCLUDING EXERCISE. ALTHOUGH THE FUNCTION OF INCREASING THE AMOUNT OF GH RELEASED DURING EXERCISE IS NOT FULLY UNDERSTOOD, IT IS VERY LIKELY TO CONTRIBUTE TO METABOLIC FUEL ADJUSTMENTS DURING EXERCISE AND REPAIR OF TISSUE AFTER A WORKOUT. PHYSIOLOGY- ENDOCRINOLOGY-NEUROENDOCRINOLOGY-GENETICS-ENDOCRINE- PEDIATRICS (SUBDIVISION OF ENDOCRINOLOGY): DR. JOÃO SANTOS CAIO JR. ET DRA. HENRIQUETA VERLANGIERI CAIO. The answer GH-growth hormone exerts is altered by many factors, including sex steroid concentrations, fitness level, and the intensity of the previous exercise sessions. For both the endurance and the resistance exercise, increased activation of anaerobic glycolysis and lactate formation increases the amount of GH released. If a session of resistance exercises or a system of endurance training influences the total amount of GH released during a period of 24 hours is not clear; it
  6. 6. may depend on the sex of the person, the exercise intensity and duration of exercise training. The influence of a single bout of resistance exercise or resistance training on the secretion of GH during 24 hours has not been studied. Pre-exercise diet modulation (especially modulation of fat intake) may also influence the release of GH during endurance exercise. Studies that measure 12 to 24 hours in response to GH to resistance exercise after ingestion of various diets macro nutrients were not completed. Although GH is one of the most studied hormones, more recent studies have increased knowledge about the mechanisms of action of GH, can be divided into: 1) Direct actions mediated by intracellular signaling network triggered by the binding of GH to its receptor in the plasma membrane 2) Indirect actions mediated primarily by regulating the synthesis of insulin-like growth factor (IGF). It has been shown that exercise is a potent stimulator of GH release. The magnitude of this increase is influenced by several factors, in particular the intensity and volume of exercise, in addition to training status. Athletes typically have lower GH release induced by exercise than sedentary or untrained individuals. Experimental evidence shows that GH:
  7. 7. 1) Favors the mobilization of free fatty acids from adipose tissue for energy generation; 2) Increases the capacity of fat oxidation 3) Increases energy expenditure. a) To determine the levels of hormonal parameters that are related to growth and sexual maturation (T, SHBG, FAI, GH) in 66 prepubertal and early-pubertal boys in childhood and youth (11 to 13 years of age) who engage systematically in individual sports and team endurance, strength, speed and skill, respectively b) To investigate the effect of two different forms of aerobic exercise, e.g., (AG) and weight (GT) on androgen levels in 19 prepubertal boys sedentary. The control group (CG) consisted of boys of the same age who attended only the physical education programs. Individuals included in the study participated voluntarily after his parents were informed and had given their written consent. Hormone concentrations were determined by radioimmunoassay and immunoradiometric assays. No
  8. 8. differences were observed between groups of several athletes who refer stages Tunner, height and weight. EIXO HIPOTÁLAMO PITUITÁRIA TESTÍCULOS T and FAI mean values of the control group did not differ from those of the corresponding group of athletes. Significant differences between the groups in terms of BMI, body fat%, T, SHBG, FAI and GH (p <0.05). T and FAI values in WG group were significantly higher than corresponding concentrations: a) The group of AG by 338 and 609%, p <0.05 b) In the control group GC 91 and 96%, p <0 05, respectively. Hormonal differences detected between the various groups of athletes should be attributed both to the type of exercise and development factors, as the selection criteria used for different sporting talents. The importance of the specificity of the training stimulus and hormonal adaptations in sedentary individuals prepubertal been demonstrated.
  9. 9. Dr. João Santos Caio Jr. Endocrinologia – Neuroendocrinologista CRM 20611 Dra. Henriqueta V. Caio Endocrinologista – Medicina Interna CRM 28930 Como saber mais: 1. Determinantes do hormônio de crescimento puberal e suas inferências na fase infantil e juvenil bem como em adolescentes... http://hormoniocrescimentoadultos.blogspot.com 2. Os resultados de crescimento puberal por aumento de esteróides sexuais e secreção do hormônio do crescimento-GH... http://longevidadefutura.blogspot.com 3. Nas meninas, no entanto, os estrógenos podem não ser os únicos esteróides sexuais responsáveis pelo crescimento na puberdade, como os estrogênios exógenos não iniciam um surto de crescimento completo... http://imcobesidade.blogspot.com AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA. Referências Bibliográficas: Caio Jr, João Santos, Dr.; Endocrinologista, Neuroendocrinologista, Caio,H. V., Dra. Endocrinologista, Medicina Interna – Van Der Häägen Brazil, São Paulo, Brasil; Tanner JM. Auxologia. In: Kappy MS, a Blizzard RM, Migeon CJ, eds. O diagnóstico e tratamento de doenças endócrinas na infância e adolescência.4th ed. Springfield, IL: Charles C Thomas, 1995:137-92; Rogol AD, Lawton EL. Medidas corporais. In: Lohr JA, ed. Procedimentos ambulatoriais pediátricos. Philadelphia: JB Lippincott, 1990:1-9; Baumgartner RN, Roche AF, Himes JH. Tabelas crescimento incremental: suplementares para gráficos publicados anteriormente. Am J Clin Nutr 1986; 43 : 711 -22; Tanner JM. Feto no homem: o crescimento físico, desde a concepção até o vencimento. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1989; Crescimento Sinclair D. humana após o nascimento. London: Oxford University Press, 1978; Smith DW. Crescimento e seus distúrbios. Philadelphia: WB Saunders, 1977; Tanner JM, Healy MJR,
  10. 10. Lockhart RD, et al. Aberdeen Estudo Crescimento, I: a previsão de medição corpo adulto a partir de medições realizadas a cada ano desde o nascimento até cinco anos. Arch Dis Child 1956 ; 31 : 372 ; Marshall WA, Tanner JM. Variações nos padrões de mudanças da puberdade em meninas. Arch Dis Child 1969 ; 44 : 291 -303; Marshall WA, Tanner JM. Variações nos padrões de mudanças da puberdade em meninos. Arch Dis Child 1970 ; 45 : 13 -23; Berkey CS, Wang X, Dockery DW, Ferris B. Adolescente crescimento em altura das crianças americanas Ann Hum Biol 1994 ; 21 : 435 -42; Malina RM. Maturação esquelética estudou longitudinalmente ao longo de um ano em brancos e negros seis a 13 anos de idade americanos. Hum Biol1970 ; 42 : 377 -90; Tanner JM, Whitehouse RH, Marshall WA, Carter BS. Previsão da altura adulta, idade óssea e ocorrência da menarca, na idade de 4 a 16 com provisão para créditos de altura midparental. Arch Dis Child 1975 ; 50 : 14-26. Contato: Fones: 55 11 5087-4404 ou 96197-0305 Nextel: ID:111*101625 Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj. 121/122 Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002 e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com Site Van Der Häägen Brazil www.vanderhaagenbrazil.com.br www.clinicavanderhaagen.com.br www.crescimentoinfoco.com www.obesidadeinfoco.com.br http://drcaiojr.site.med.br http://dracaio.site.med.br Joao Santos Caio Jr http://google.com/+JoaoSantosCaioJr Video http://youtu.be/woonaiFJQwY Google Maps: http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl= pt&sll=-23.578256,46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie =UTF8&ll=-23.575591,- 46.650481&spn=0,0&t = h&z=17

×