CONSIDERAÇÕES,ENSAIOS/DETERMINAÇÃO DO GH/IGF-I,IGFBP-3

372 visualizações

Publicada em

Uma mesma amostra de sangue pode apresentar resultados distintos na dosagem de GH, quando determinados por ensaios diferentes (B). Tal discrepância pode chegar até 40% e pode ocorrer tanto entre ensaios policlonais e monoclonais, como entre 2 diferentes ensaios monoclonais (B). • O IGF-1 sofre grande influência do estado nutricional do indivíduo, além de ser um ensaio com maior complexidade metodológica (B).

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

CONSIDERAÇÕES,ENSAIOS/DETERMINAÇÃO DO GH/IGF-I,IGFBP-3

  1. 1. A BAIXA ESTATURA EM CRIANÇA, INFANTIL E JUVENIL; A INVESTIGAÇÃO LABORATORIAL DO DGH BASEIA- SE NA ANÁLISE DIRETA DA SECREÇÃO DO GH OU, INDIRETAMENTE, POR DOSAGENS DO FATOR DE CRESCIMENTO SEMELHANTE À INSULINA-1 (IGF-1 OU INSULIN-LIKE GROWTH FACTOR-1 OU SOMATOMEDINA-C) E DE SUA PROTEÍNA LIGADORA (IGFBP-3), QUE APRESENTAM AS SUAS CONCENTRAÇÕES SÉRICAS DEPENDENTES DA AÇÃO DO GH. Considerações Sobre os Ensaios para determinação do GH-hormônio de crescimento, IGF-I e IGFBP- 3: • Para a dosagem de GH é recomendada a utilização de ensaios que empregam anticorpos monoclonais específicos para a detecção do GH de 22-kDa e calibrados para o padrão de referência preparado com GH rDNA humano 22-kDa (WHO 88/ 624, potência 3UI = 1mg) (D). • Uma mesma amostra de sangue pode apresentar resultados distintos na dosagem de GH, quando determinados por ensaios diferentes (B). Tal discrepância pode chegar até 40% e pode ocorrer tanto entre ensaios policlonais e monoclonais, como entre 2 diferentes ensaios monoclonais (B). • O IGF-1 sofre grande influência do estado nutricional do indivíduo,
  2. 2. além de ser um ensaio com maior complexidade metodológica (B). • As dosagens de IGF-1 e IGFBP-3 devem ser analisadas utilizando-se valores de referência para sexo e idade do paciente (B). Avaliação da Secreção de GH: • A dosagem de GH basal não diferencia pacientes com ou sem DGH (B). • A determinação da secreção espontânea de GH pelo ritmo de GH noturno ou de 24 horas não acrescenta vantagens adicionais quando comparadas aos testes farmacológicos de liberação de GH, além de serem dispendiosos e pouco práticos (B). Testes de Estímulo da Secreção de GH: • Testes de liberação de GH fisiológico, como após o exercício físico (C) ou o sono (B), apresentam alta incidência de falsos positivos para DGH, não sendo mais empregados na prática clínica (B). • Os principais testes farmacológicos rotineiramente empregados (hipoglicemia, clonidina, arginina e glucagon) são comparáveis quanto à sensibilidade e à especificidade (B) e a escolha do teste a ser empregado depende da experiência de cada centro e da disponibilidade dos mesmos. • Dois testes de estímulos (sequenciais ou em dias separados) devem ser realizados para comprovar a DGH (D).
  3. 3. • Em crianças com diagnóstico de deficiência na região hipotálamo- hipofisária, com antecedente de cirurgia e/ou irradiação desta região, deficiência de outros hormônios hipofisários (FSH, LH, ACTH, TSH, PRL e ADH) ou, ainda, com causa genética comprovada de DGH (mutação nos genes GH-1, PROP-1, PIT-1, GHRH-R, etc.), apenas um teste de estímulo, associado a quadro clínico compatível, é suficiente para o diagnóstico de DGH (D). • Devemos ter em mente que de 10 a 35% das crianças sem DGH podem falhar em obter uma resposta adequada durante um teste de liberação de GH (C). E mesmo quando submetidos a dois testes distintos, 3 a 10% das crianças normais podem falhar em demonstrar uma resposta normal em ambos os testes (C). • O uso de medicações como corticóides, deprivação psicossocial, hipotireoidismo não tratado (B), obesidade (B) e crianças em idade peripuberal (B) são condições que podem aumentar a taxa de falso diagnóstico de DGH baseado apenas nos testes de estímulo. • Em crianças pré-púberes em idade próxima da entrada na puberdade, ocorre com maior frequência falha de resposta do GH aos testes de estímulo (B). Por esta razão, alguns autores advogam o tratamento com esteróides sexuais por poucos dias antes da realização dos testes de
  4. 4. liberação de GH (estrógenos equinos conjugados 0,3 mg 12/12 Hs por 2 dias antes do teste). Este uso diminuiria o número de falsos diagnósticos de DGH nestas faixas etárias (B). Contudo, não existem dados que estabeleçam valores normais de resposta aos testes de estímulo após este uso, o que não permite o uso dos esteróides sexuais antes da execução dos testes de estímulo rotineiramente (D). THE LOW-HEIGHT AND THE GROWTH IN CHILD, JUVENILE AND YOUTH; DETERMINATION OF TESTING CONSIDERATIONS GH, IGF-I AND IGFBP-3. LOW-HEIGHT AND THE GROWTH IN CHILD, JUVENILE AND YOUTH; THE GHD LABORATORY OF RESEARCH IS BASED ON ANALYSIS OF DIRECT GH SECRETION OR INDIRECTLY, IN STRENGTH GROWTH FACTOR LIKE- INSULIN-1 (IGF-1, INSULIN-LIKE GROWTH FACTOR-1 OR SOMATOMEDIN- C) AND ITS BINDING PROTEIN (IGFBP-3), PRESENTING IN THEIR SERUM CONCENTRATION DEPENDENT ACTION OF GH. PHYSIOLOGY- ENDOCRINOLOGY-NEUROENDOCRINOLOGY-GENETICS-ENDOCRINE- PEDIATRICS (SUBDIVISION OF ENDOCRINOLOGY): DR. JOÃO SANTOS CAIO JR. ET DRA. HENRIQUETA VERLANGIERI CAIO. Considerations about the Tests for determination of GH, IGF-1 and IGFBP-3: • For measuring GH using assays employing monoclonal antibodies specific for the detection of GH is recommended of 22-kDa and
  5. 5. calibrated to the reference standard prepared with GH rDNA human 22- kDa (WHO 88/624, power 3UI = 1mg) (D). • A single blood sample may have different results in measuring GH, when determined by different assays (B). This discrepancy can reach up to 40% and can occur among both polyclonal and monoclonal assays, as between 2 differents monoclonal assays (B). • The IGF-1 greatly was influenced by the nutritional status of the individual as well as being a trial with greater methodological complexity (B). • The levels of IGF-1 and IGFBP-3 should be analyzed using reference values for age and sex of the patient (B). Review Secretion of GH.: • The measurement of basal GH does not differentiate patients with or without GHD (B). • Determination of the spontaneous secretion of GH by the rhythm of GH in the night or during 24 hours does not add additional benefits when compared to pharmacological tests of GH release, in addition to being costly and impractical (B). Stimulation tests of GH secretion: • Testing the release of GH physiological, such as after exercise (C) or sleep (B), have a high incidence of false positives for GHD, no longer used in clinical practice (B).
  6. 6. • The main pharmacological routinely employed (hypoglycemiae, clonidine, arginine and glucagon) tests are comparable in terms of sensitivity and specificity (B) and the choice of the test to be applied depends on the experience of each center and availability. • Two tests stimuli (in sequential or separate days) must be conducted to prove the GHD (D). • In children diagnosed with disabilities in the hypothalamic-pituitary region, with previous surgery and/or irradiation of this region, other pituitary hormones (FSH, LH, ACTH, TSH, PRL and ADH) deficiency or even with proven genetic cause of GH deficiency (mutation in the genes GH-1, PROP-1, Pit-1, GHRH-R, etc.), only one test stimulus, associated with appropriate clinical setting, it is sufficient for the diagnosis of GHD (D). • We should keep in mind that 10 to 35% of children without GHD may fail to obtain an adequate response during a test of GH release (C). And even when subjected to two different tests, 3 to 10% of normal children may fail to demonstrate a normal response in both tests (C). • The use of drugs such as steroids, psychosocial deprivation, untreated hypothyroidism (B), obesity (B) and children in peripubertal age (B) are conditions that may increase the rate of false GHD diagnosis based only on stimulation tests. • In prepubertal children close in age of entry into puberty, occurs most
  7. 7. frequently failed GH response to stimulation tests (B). For this reason, some authors advocate treatment with sex steroids (priming) for a few days before the release of GH tests (equine conjugated estrogens 0.3 mg 12/12 Hs for two days before the test). This priming would decrease the number of false diagnoses of GHD in these age groups (B). However, there are no data to establish normal values of response to stimulus tests after priming, which does not allow the use of sex steroids before running tests routinely stimulus (D). Dr. João Santos Caio Jr. Endocrinologia – Neuroendocrinologista CRM 20611 Dra. Henriqueta V. Caio Endocrinologista – Medicina Interna CRM 28930 Como saber mais: 1. O diagnóstico é feito através da dosagem dos níveis de testosterona, hormônio luteinizante (LH) e hormônio folículo-estimulante (FSH) e por testes de estimulação com gonadotrofina coriônica humana ou hormônio liberador de gonadotrofinas... http://hormoniocrescimentoadultos.blogspot.com 2. O tratamento depende da causa, existem 3 tipos de hipogonadismo: primário ao qual daremos mais ênfase devido as complexidades dessa síndrome, secundária e um tipo causado pela ação dos androgênios defeituosos, principalmente devido à atividade do receptor de andrógeno defeituoso... http://longevidadefutura.blogspot.com 3. Primário: (hipergonadotrófico) hipogonadismo primário, apresenta danos nas células de Leydig, prejudica a produção de testosterona,
  8. 8. danifica os túbulos seminíferos, ou faz as duas coisas; oligospermia ou azoospermia e como resultado níveis elevados de gonadotrofinas... http://imcobesidade.blogspot.com AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA. Referências Bibliográficas: Caio Jr, João Santos, Dr.; Endocrinologista, Neuroendocrinologista, Caio,H. V., Dra. Endocrinologista, Medicina Interna – Van Der Häägen Brazil, São Paulo, Brasil; Guyda HJ 1996 O diagnóstico da deficiência de hormônio de crescimento em crianças com baixa estatura: é necessário? Isso é possível? HK J Paediatr (nova série) 1 :160-168; Juul A, Skakkebaek NE 1997 Previsão do resultado do hormônio de crescimento testes provocativos em crianças baixas por medição dos níveis séricos de IGF-I e IGFBP-3. J Pediatr 130 :197-204; Tillman V, Buckler JMH, Kibirige MS, Preço DA, Shalet SM, País de Gales JKH, Addison MG, MS Gill, Whatmore AJ, Clayton PE 1997 Testes bioquímicos para o diagnóstico da deficiência de hormônio de crescimento na infância. J Clin Endocrinol Metab 82 :531- 535; Mitchell MH, Dattani MT, Nanduri V, Hindmarsh PC, Preece MA, Brook CG 1999 Falha de IGF-I e IGFBP-3 para diagnosticar a deficiência de hormônio do crescimento. Arch Dis Child 80 : 443; Mauras N, P Walton, Nicar M, S Welch, 2000 Crescimento testes estimulação hormonal em crianças statured curtos e normais Rogol AD: O uso de um ensaio imuno. Pediatr Res 47 : 614; Rosenfeld RG, Albertsson-Wikland K, F Cassorla, Frasier SD, Hasegawa Y, Hintz RL, Lafranchi S, Lippe B, Loriaux L, Melmed S, Preece MA, Ranke MB, Reiter EO, Rogol AD, Underwood LE, Werther GA 1995 O diagnóstico da deficiência de hormônio de crescimento na infância revisitada. J Clin Endocrinol Metab 80 : 1532; Tanaka T 1,999 situação global do tratamento de hormônio de crescimento em hormona do crescimento deficiente crianças Horm Res 51 : 75; Maghnie M, Strigazzi C, C Tinelli, Autelli M, Cisternino M, S Loche, Severi F 1999 O hormônio do crescimento (GH) deficiência (DGH) de início na infância: reavaliação do status GH e avaliação dos critérios preditivos para GHD permanente em adultos jovens . J Clin Endocrinol Metab, 84 :1324-1328; Carel JC, Tresca JP, Letrait M, Chaussain JL, Lebouc Y, Job JC, Coste J 1.997 testes de hormônio de crescimento para o diagnóstico da deficiência de hormônio de crescimento na infância: um estudo baseado em registo da população. J Clin Endocrinol Metab 82 :2117-2121; Tanzella M, Guyda HJ, Van Vliet G, Tannenbaum GS 1996 somatostatina pré-tratamento melhora a capacidade de resposta do GH ao GHRH: Uma abordagem diagnóstica novo potencial de deficiência de GH. J Clin Endocrinol Metab 81 : 2487. Contato: Fones: 55 11 5087-4404 ou 96197-0305 Nextel: ID:111*101625 Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj. 121/122 Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002 e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
  9. 9. drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com Site Van Der Häägen Brazil www.vanderhaagenbrazil.com.br www.clinicavanderhaagen.com.br www.crescimentoinfoco.com www.obesidadeinfoco.com.br http://drcaiojr.site.med.br http://dracaio.site.med.br Joao Santos Caio Jr http://google.com/+JoaoSantosCaioJr Video http://youtu.be/woonaiFJQwY Google Maps: http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt &sll=-23.578256,46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie =UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t = h&z=17

×