BAIXA ESTATURA E CRESCIMENTO; INTERAÇÃO ANORMAL ENTRE PAIS E CRIANÇAS É DEPRIVAÇÃO MATERNA.

410 visualizações

Publicada em

Hoje temos consciência que o problema é muito mais abrangente do que as teorias que o precederam, pois a interação neuroendócrina hipotálamo-hipofisária e o núcleo arqueado estão intimamente em contiguidade com sistemas neurais que também afetam diversas áreas psicogênicas. Discute-se a relação do estresse sobre a função reprodutiva, considerando que a infertilidade pode ter causas psicológicas (hipótese da psicogênese) ou pode ser a origem do estresse psicológico.

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

BAIXA ESTATURA E CRESCIMENTO; INTERAÇÃO ANORMAL ENTRE PAIS E CRIANÇAS É DEPRIVAÇÃO MATERNA.

  1. 1. A DEPRIVAÇÃO CALÓRICA DEVIDO A UMA NEGLIGÊNCIA PARENTAL PODE SER DE GRANDE SIGNIFICÂNCIA NESSE GRUPO DE FAIXA ETÁRIA PRECOCE; POR EX.: A NÃO AMAMENTAÇÃO COM SUBSTITUIÇÃO INADEQUADA POR MAMADEIRA FATALMENTE IRÁ COMPROMETER A ESTATURA DE CRIANÇA, INFANTIL, JUVENIL POR ESSES E OUTROS PROBLEMAS. Baixa estatura longitudinal ou linear: mesmo na ausência de restrição nutricional ou nanismo psicossocial completo, as interações negativas em uma família podem inibir o crescimento de criança, infantil e juvenil. É essencial levar em consideração a dinâmica familiar na avaliação de uma criança com crescimento inadequado. Bowlby (Edward John Mostyn Bowlby foi um psicólogo, psiquiatra e psicanalista britânico, notável por seu interesse no desenvolvimentoinfantil e por seutrabalhopioneirona teoria do apego) reuniu tal evidência empírica como existia na época em toda a Europa e nos EUA, incluindo Spitz (1946) e Goldfarb (1943 1945). Suas principais conclusões, que "lactentes e crianças devem experimentar uma relação calorosa, íntima e contínua com a mãe (ou mãe substituta permanente, babá) emque ambos encontramsatisfaçãoe prazer", e quemnão fazê-lo pode ter significativas e irreversíveis consequências mentais para a saúde, eram ambos controversos e influentes. A publicação da OMS 1951 foi muitoinfluente em causar mudanças generalizadas nas práticas e prevalência de cuidado institucional para bebês e crianças, e na
  2. 2. mudança das práticas referentes às estadias de crianças em hospitais para que os pais fossem autorizados em visitas mais frequentes e mais longas. Embora o estudo estivesse especialmente preocupado com a retirada de crianças de seus lares também foi usado para fins políticos para desencorajar as mulheres em trabalhar e deixar seus filhos na creche oferecidos por governos preocupados com a maximização do emprego por retorno e retornando a ações militares devido à época em que foi proposta. Os dados e falta de teoria abrangente para dar conta das conclusões na Atenção Materna e Saúde Mental empírico limitado levou à formulação posterior da teoria do apego de Bowlby. Após a publicação de Atenção Materna e Saúde Mental Bowlby procurou nova compreensão de tais campos da teoria dos sistemas de biologia evolutiva, etologia, psicologia do desenvolvimento, ciência e controle cognitivo e chamou-os a formular a proposta inovadora que os mecanismos subjacentes de uma criança surgiram como resultado da pressão evolutiva. Bowlby alegou ter feito bem as “deficiências dos dados e a falta de teoria de ligação alegada causa e efeito” “em cuidados maternos e saúde mental em seu Anexo, trabalho posterior e perda, publicada entre 1969 e 1980”. Hoje temos consciência que o problema é muito mais abrangente do que as teorias que o precederam, pois a interação neuroendócrina hipotálamo-hipofisária e o núcleo arqueado estão intimamente em contiguidade com sistemas neurais que também afetam diversas áreas psicogênicas. Discute-se a relação do estresse sobre a função reprodutiva, considerando que a infertilidade pode ter causas psicológicas (hipótesedapsicogênese) ou pode ser a origem do estresse
  3. 3. psicológico. A presença do estresse tem o potencial de ativar o eixo hipotálamo-hipófise-adrenal, o qual inibe o eixo hipotálamo-hipófise- ovariano, levando à paralisação temporária das menstruações. Esse processopode resultar eminfertilidade transitória para as mulheres. Os autores enfatizam a necessidade de uma abordagem psicológica nos serviços de reprodução, objetivando trabalhar as tensões e frustrações advindas da infertilidade e do seu tratamento. Estresse precoce é um dos fatores de risco ambientais mais explícitos e indiscutíveis para a doença mais tarde na vida, incluindo doenças metabólicas e psiquiátricas, ou seja, problemas biopsicossociais que afetam de forma importante o crescimento provocando baixa estatura até a fase adulta. O tempo de desenvolvimento e contexto dos estímulos estressantes é assim essencial e determina as consequências adaptativas ou mal adaptativas. Estaavaliação, que homenageiaas conquistas inestimáveis de um dos pioneiros no campo, o falecido Seymour "Gig" Levine, centra- se na contribuição de modelos de roedores para a compreensão dos mecanismos moleculares que governamos efeitos agudos e persistentes de estresse precoce. A importância do período pós-natal e o papel complexo de cuidados maternos na regulação da atividade do sistema de estresse da prole são especificamente dirigidos. Alémdisso, discutir os possíveis mecanismos moleculares que podemser responsáveis pelosefeitos persistentes de estresse precoce, incluindoaimportante questãodacapacidade de resistênciae susceptibilidade aeventos adversosdavida. A complexidade é tamanha que o complexohipotálamo-hipofisário-núcleo arqueado se imbrincamem uma interaçãoabrangente impossívelde
  4. 4. seremseparados os problemas comprometedoressequenciais. Demonstrou-se aindaque o pequenotamanho de pituitáriaanterior reflitaaperda de expressãode neurofibrinanohipotálamo, levandoo hormônio de liberaçãodo hormônio de crescimento(GHRH) ase tornar reduzido, a pituitáriaresponsável pelohormôniode crescimento(GH) e de fator de crescimentosemelhanteàinsulinafator-I (IGF-I) também levaa diminuiçãoda sua produção. Em outras palavras, a baixa estatura longitudinal ou linear possui muitas variantes comprometedoras que se iniciamna genética, intraútero, neonatal, criança, infantil, juvenil, adolescente comprometendotodaa fase adulta, e não se deve esperar uma possível fase de estirãoque pode ser de estímulos variados ou mesmonem ocorrerem, quando se fossemtomadas atitudes preventivas as chances de não comprometimentosãomais difíceis, até porque uma criança com estatura normal, com os alvos genéticos dentrode parâmetros protocolares, temumforte significadode ser uma criança saudável. Deprivaçãomaternaé inconcebível naatual fase conjuntural civilizada, emboraexistae de forma significativa. LOW HEIGHT AND GROWTH; BAD INTERACTION BETWEEN PARENTS AND CHILDREN MOTHER IS DEPRIVATION. THE DEPRIVATION CALORIC DUETO PARENTAL NEGLECTCAN BEOF GREATSIGNIFICANCEOF THIS EARLY AGEGROUP; FOR EXAMPLE:NOT BREASTFEEDING WITH REPLACEMENTINADEQUATEWITH BOTTLE. INEVITABLY WILL COMPROMISETHEHEIGHT OF CHILD, INFANTAND YOUTH FOR THESE AND OTHER PROBLEMS:PHYSIOLOGY- ENDOCRINOLOGY-NEUROENDOCRINOLOGY-GENETICS-ENDOCRINE- PEDIATRICS (SUBDIVISION OF ENDOCRINOLOGY):DR. JOÃO SANTOS CAIO JR. ET DRA. HENRIQUETA VERLANGIERI CAIO. Longitudinal or linear low stature:eveninthe absence of nutritional deficiency or complete psychosocial dwarfism, inanegative family interactionmay inhibit the growthof child, infant and youth.
  5. 5. It is essential toconsider the family dynamics in the evaluation of a child with inadequate growth. Bowlby met such empirical evidence as existed at the time across Europe and the U.S., including Spitz (1946) and Goldfarb (1943 1945). Its main conclusions, that "infants and children should experience a warm, intimate and continuous relationship with his mother (or permanent mother substitute) inwhichbothfind satisfaction and enjoyment" and that not doing so may have significant and irreversible mental consequences health, were both controversial and influential. The 1951 WHO publication was highly influential in causing widespreadchanges in practices and prevalence of institutional care for infants and children, and in changing practices relating to the stay of childrenin hospitals so that parents were allowed in more frequent and longer visits. Although the study was particularly concerned with the removal of children from their homes was also used for political purposes to discourage women to work and leave their children in daycare by governments concerned about maximizing employment for returning andreturning tomilitary actiondue to seasonit was proposed. The lack of comprehensive dataand theory to account for the findings in Maternal Mental Healthandledto limitedempirical later formulation of Bowlby's attachment theory. After the publication of Maternal Care and Mental Health Bowlby sought new understanding of the theory of such fields as evolutionary systems biology, ethology, developmental psychology, cognitive science and control, and called them to formulate
  6. 6. the innovative proposition that the mechanisms underlying bonds of a child came as a result of evolutionary pressure. Bowlby claimed to have made good the "deficiencies of the data and the lack of theory to link alleged cause and effect" in Maternal Care and Mental Health in its Annex, loss and subsequent work published between 1969 and 1980 ". "Today we realize that the problem is much broader than the theories that preceded it, because the hypothalamus and pituitary neuroendocrine interactions arcuate nucleus are closely contiguous with neural systems that also affect several areas psychogenic. Discusses - the relationship of stress on reproductive function, considering that infertility may have psychological causes (hypothesis of psychogenesis) or can be the source of psychological stress. The presence of stress has the potential to activate the hypothalamic-pituitary-adrenal axis, which inhibits the hypothalamic-pituitary-ovarian axis, leading to temporary stoppage of menses. This process may result in temporary infertility for women. The authors emphasize the need for a psychological approach to reproductive services, aiming to address the tensions and frustrations stemming from infertility and its treatment. Early stress is one of the most explicit and indisputable for the disease later in life, including metabolic and psychiatric disorders, e.g., biopsychosocial problems that affect significantly the growth causing stunting until adulthood environmental risk factors. The development time and context of
  7. 7. stressful stimuli is so essential and determines the adaptive or maladaptive consequences. This review, which honors the invaluable achievements of one of the pioneers inthe field, the late Seymour "Gig" Levine focuses on the contributionof rodent models to understand the molecular mechanisms governing the acute and persistent effects of early stress. The importance of the postnatal period and the complex role of maternal care in regulating the stress system of the offspring activity are specifically addressed. Also, discuss the possible molecular mechanisms that may be responsible for persistent effects of early stress, including the important issue of resilienceandsusceptibility toadverse life events. The complexity is such that the hypothalamic-pituitary-arcuate nucleus complex is in an impossible imbrincam comprehensive interaction being separated compromising the sequential problems. It has been demonstrated that even small anterior pituitary reflects the loss of neurofibromin expression in the hypothalamus, leading hormone releasing growth hormone (GHRH) to become reduced, responsible for pituitary growth hormone (GH) and insulin-like growth factor-I (IGF-I) to reduce production also. In other words, the low longitudinal or linear compromising stature has many variants which starts in genetics, intra utero, neonatal, child, infant, juvenile and teenager committing throughout adulthood, and you shouldnot expect apossible spurt phase that can be varied stimuli or even not occur when it was taken preventive measures do not compromise the chances are more difficult, because a childwithnormal stature, withgenetic targets withinprotocol parameters, has a strong meaning of being a healthy child . Maternal
  8. 8. deprivation is inconceivable in the current cyclical phase civilized, and although there significantly. Dr. João Santos Caio Jr. Endocrinologia – Neuroendocrinologista CRM 20611 Dra. Henriqueta V. Caio Endocrinologista – Medicina Interna CRM 28930 Como saber mais: 1. Os inibidores daaromatase têmsido usados em combinação com o tratamentocom GH-hormôniode crescimentoemcriança, infantil, juvenil emestudos clínicos afim de reduzir o progressodaidade ósseae maximizar a estaturaadulta... http://hormoniocrescimentoadultos.blogspot.com 2. A preocupação com a baixa estatura, especialmenteemmeninos, tem se tornado uma verdadeiraobsessãoe, emgeral, passa-se afalsa noção de que os pais podem"escolher"a alturafinal de seus filhos... http://longevidadefutura.blogspot.com 3. A partir de uma indicação muitoprecisacomo terapêuticade reposiçãohormonal em crianças com DGH, passaram a surgir novas indicações, e estudos mostraramque erapossível atingir umaalturafinal consideravelmente melhor empacientesque, mesmosemuma DGH "clássica", demonstradapelos testes convencionais, beneficiavam-se de seuuso... http://imcobesidade.blogspot.com AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA. Referências Bibliográficas:
  9. 9. Caio Jr, João Santos, Dr.; Endocrinologista, Neuroendocrinologista, Caio,H. V., Dra. Endocrinologista, Medicina Interna – Van Der Häägen Brazil, São Paulo, Brasil; Nwosu BU, Lee MM ; Avaliação da baixa estatura e altura em crianças. Am Fam Physician. 2008 01 de setembro, 78 (5) :597-604; FerryJr et al ; A baixa estatura, Medscape, Abr 2010; Spadoni GL, Cianfarani S ; Avaliação da idade óssea na propedêutica de crianças com distúrbios endócrinos. Horm Res Paediatr. 2010,73 (1): 2-5. Epub 2010 Jan 15; Hormona de crescimento humana (somatropina) para o tratamento da insuficiência de crescimento em crianças ; AGRADÁVEL Tecnologia Appraisal, maio de 2010; Um Deodati, Cianfarani S ; Impacto da terapêutica hormonal de crescimento em altura adulta de crianças com idiopática BMJ. 2011 Mar 11; 342: c7157. doi: 10.1136/bmj.c7157; Bryant J, L Baxter, Caverna CB, et al ; Hormônio de crescimento recombinante para baixa estatura idiopática em crianças e Banco de Dados Cochrane Syst Rev. 2007 18 julho, (3): CD004440; Britânico Formulário Nacional; 62 Edição (Set 2011) Associação Médica Britânica e Sociedade Farmacêutica Real da Grã-Bretanha, Londres. Contato: Fones: 55 11 5087-4404 ou96197-0305 Nextel: ID:111*101625 Rua Estela, 515 - BlocoD - 12ºandar - Conj. 121/122 Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002 e-mails:drcaio@vanderhaagenbrasil.com drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com Site Van Der Häägen Brazil www.vanderhaagenbrazil.com.br www.clinicavanderhaagen.com.br www.crescimentoinfoco.com www.obesidadeinfoco.com.br http://drcaiojr.site.med.br http://dracaio.site.med.br Joao Santos Caio Jr http://google.com/+JoaoSantosCaioJr Video http://youtu.be/woonaiFJQwY Google Maps: http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl= pt&sll=-23.578256,46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie =UTF8&ll=-23.575591,- 46.650481&spn=0,0&t = h&z=17

×