Luis Marcio Spinosa - Planejamento e Inovação - CICI2011

1.480 visualizações

Publicada em

Planejamento e inovação - Contribuição das Agências de inovação das Universidades no desenvolvimento sustentável das Cidades Inovadoras
Palestrante: Luís Marcio Spinosa - CICI2011

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.480
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
55
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Luis Marcio Spinosa - Planejamento e Inovação - CICI2011

  1. 1. Prof. Luiz Marcio Spinosa, Dr. ès Sci.Diretor Executivo
  2. 2. Prioridade da Inovação • Fonte: Boston Consulting Group 2006.
  3. 3. Desempenho de Empresas Inovadoras• Fonte: Boston Consulting Group 2006.
  4. 4. Inovação no Brasil 97,6% 81,0% 100,0% 80,0% 57,6% 45,9% 60,0% 33,4% 31,7% 28,4% 40,0% 15,9% 13,8% 13,3% 13,1% 11,9% 8,4% 6,5% 5,8% 4,8% 20,0% 0,0% Produto e Processo Só Produto Só Processo Que implementaram inovações Indústria Telecomunicações Informática P&D• Fonte: Pintec 2005
  5. 5. Inovação no BrasilDispêndios com Inovação • Pintec 2005
  6. 6. PUCPREstudantes (stricto e Lato): 35.000Graduados por ano (stricto e lato): 2.200 60 cursos 115 especializações#1 em P&D no Paraná, e #3 no Brasil entre 14 MestradosUniversidades Privadas. 8 DoutoradosNota 5 no recredenciamento MEC 1.500 Professores (80% Ph.D. e M.Sc.) 500 PesquisadoresGrupo 1% das melhores IES do Brasil
  7. 7. WORLDWIDE MARISTPRESENCE Mission: Full Education 80 countries: schools, universities, hospitals, media, social works and other; 50 thousand employees; 600 units of education (schools, colleges, universities); 500 thousand students.
  8. 8. Habitats de Inovação• Tipicamente representados por parques científicos ou Governo tecnológicos ou ainda tecnópolis.• Organizações especializadas que têm por objetivos: ▫ promoção da cultura da inovação, da competitividade das empresas e das instituições de pesquisa. ▫ estimular e gerenciar o fluxo de conhecimento e tecnologia entre as universidades, centros de P&D, empresas e Academia Empresas seus mercados, ▫ facilitar a criação e consolidação de empreendimentos através da Ativo de Competitividade na incubação e processo de "spin-off", Economia do Conhecimento além de prover outros valores agregados com espaço de qualidade e infra- estrutura. ▫ gerar sinergia entre os diversos atores, O que é um identificando as vocações locais e regionais, buscando viabilidade econômica e Habitat de tecnológica. Inovação Aberta ?
  9. 9. O conceito deInovação Aberta Pesquisa Desenvolvimento Comercialização Licenciamento Internalização de de patentes Protótios para scale-up Diferentes organizações têm diferentes perfis Internalização Internalização Spin-offs de idéias e de patentes/ tecnologias know-how Tempo Henry Chesbrough, Open Innovation 2003
  10. 10. Universidade orientadapara P&d Pesquisa Desenvolvimento Comercialização Produção Científica e Tecnológica Licenciamento Internalização de de patentes Protótios para scale-up Internalização Internalização Spin-offs de idéias e de patentes/ (incubação) tecnologias know-how Tempo
  11. 11. ICTs e Universidades dep&D&T Pesquisa Desenvolvimento Comercialização Produção Científica e Tecnológica Licenciamento Internalização de de patentes Protótios para scale-up Internalização Internalização Spin-offs de idéias e de patentes/ (incubação) tecnologias know-how Tempo
  12. 12. Empresas Inovadorase autônomas Pesquisa Desenvolvimento Comercialização Licenciamento Internalização de de patentes Protótios para scale-up Internalização Internalização Spin-offs de idéias e de patentes/ tecnologias know-how Tempo
  13. 13. Empresas Inovadorase semi-autônomas Pesquisa Desenvolvimento Comercialização Licenciamento Internalização de de patentes Protótios para scale-up Internalização Internalização Spin-offs de idéias e de patentes/ tecnologias know-how Tempo
  14. 14. Brokers/Governo/ONGs Pesquisa Desenvolvimento Comercialização Licenciamento Internalização de de patentes Protótios para scale-up Internalização Internalização Spin-offs de idéias e de patentes/ tecnologias know-how Tempo
  15. 15. Como integrar tais perfis ? HABITAT DE INOVAÇÃO ABERTA !
  16. 16. A abordagem assumida pelaPUCPR ...
  17. 17. HABITAT DE INOVAÇÃO ABERTA 25%** 25% 50% Humanas Tecnoló Sociais Aplicadas (criativida gica (práticas de gestão, de, design, (TICs) processos, …) …) Solução sociotécnica
  18. 18. 25% Humanas 50% Sociais Aplicadas HABITAT DE(criatividade, design, …) (práticas de gestão, processos, …) INOVAÇÃO ABERTA
  19. 19. 50% Sociais Aplicadas 25% Tecnológica HABITAT DE (práticas de gestão, processos, …) (TICs) INOVAÇÃO ABERTA ?Spinosa, L. M., Quandt, C., An IT-Based Framework for NetworkedEnterprises and Knowledge Management. PRO-VE 2000.
  20. 20. Colocando em prática na PUCPR...
  21. 21. ESTRUTURAPRINCIPAL PUCPR PUCPR Incubadora Tecnoparque
  22. 22. PUCPR Tecnoparque
  23. 23. FASE 1•CARDIOPROTESE•BIOGEN
  24. 24. FASE 1•ASSESPRO - SBGC-Pr•GEHA•FTD/GAMES•AUTOMA•IOS•TRINITY
  25. 25. FASE 1•NSN•PUCWEB
  26. 26. FASE 1CENTRO DESIMULACAO CLINICA
  27. 27. • AMPLIAÇÂO
  28. 28. PLATAFORMADE INOVAÇÃOABERTA
  29. 29. ObrigadoProf. Luiz Márcio Spinosa, Dr. ès Sci.Agência PUC de Ciência, Tecnologia e InovaçãoDiretor Executivo

×