Polímeros de AdiçãoQUÍMICA   César Rodrigues – Eric Meireles – Lorena Bandeira – Nava Júnior – Rafaela Farias
Polímeros Sintéticos   A idade do plástico Polímeros ou macromoléculas naturais:  Carboidratos, lipídeos e proteínas. Pol...
Curiosidades da históriaAs macromoléculas são usadas hámilênios     pela     humanidade      nafabricação de tecidos, atra...
Curiosidades da história       • Jhon Wesley Hyatt submete uma mistura (nitrocelulose + cânfora1870     + álcool) a uma pr...
Curiosidades da história       • Leo Hendrik Baekeland produz a baquelite a partir de fenol e forma         aldeído, sendo...
As diferenças: Adição/Condensação       Adição:              Condensação:       O polímero é a       Obtidos       pela   ...
Lineares/Tridimensionais POLÍMEROS LINEARESOs polímeros lineares são termoplásticos, isto é, podem ser amolecidospelo cal...
O que são polímeros?          Definição     Polímeros (do grego: poli, “muitas”; meros, “partes”) são compostos de     mol...
Polímeros Etilênicos  Condições para cadeias longas: Polietileno de alta densidade (PEAD)  Condições para cadeias menores:...
Polímeros Etilênicos                       (PEAD)                       (PEBD)                            Polímeros de Adi...
Reação de adição 1,4Exemplo:                       Polímeros de Adição
Polímeros Diênicos        A borracha natural é um polímero resultante da       polimerização de monômero 2-metil-buta-1,6-...
Polímeros Diênicos O POLIISOPRENO tem exatamente as mesmas propriedades da borracha natural. Evidentemente, nas árvores qu...
Polímeros Diênicosn   H2C = CH – CH = CH2                    [CH2 –     CH = CH - CH2 ]n        Buta-1,3-dieno            ...
CopolímerosÉ o caso em que o polímero é obtido a partir de dois (ou mais)) monômeros diferentes.Simbolicamente, podemos im...
CopolímerosEvidentemente, pode haver regularidade do tipo – A –B – A – B – A – ou não, como, porexemplo, - A – A –A – B – ...
CopolímerosA Buna-S e a Buna-N são empregadas na fabricação de pneus de motocicletasn CH2 = CH        +    y CH2 = CH     ...
CopolímerosCom o ABS são fabricados brinquedos, computadores, geladeiras, etc.x CH2 = CH            +   y CH2 = CH      – ...
Copolímeros                                 Uma empresa com 600 metros quadrados e apenas                                 ...
Copolímeros              Polímeros de Adição
Copolímeros              Polímeros de Adição
VulcanizaçãoEm 1493, a tripulação de Cristóvão Colombo já tinha observado nativos doatual Haiti brincarem com bolas que “a...
VulcanizaçãoAs borrachas cruas possuem características que restringem seu uso industrial, comobaixa resistência ao calor e...
Vulcanização         Definição    Vulcanização é a adição de 2% de enxofre à borracha, sob aquecimento e na    presença de...
Vulcanização  As ligações duplas na molécula da borracha natural são importantes no  processo de vulcanização porque torna...
Vulcanização As pontes de enxofre, em proporções não muito acentuada, constituem ligações flexíveis entre as moléculas, pe...
Vulcanização A quantidade de agentes vulcanizantes em uma borracha varia com o tipo de aplicação do material:  aumentando-...
Algo a mais!
Polímeros
Polímeros
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Polímeros

11.649 visualizações

Publicada em

Apresentação de slides em Português. Polímeros de adição, condensação, copolímeros, vulcanização da borracha e breve história da Krona.
Baseado no livros do Feltre, Tito & Canto e Martha Reis.

Publicada em: Educação
0 comentários
18 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.649
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
18
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Polímeros

  1. 1. Polímeros de AdiçãoQUÍMICA César Rodrigues – Eric Meireles – Lorena Bandeira – Nava Júnior – Rafaela Farias
  2. 2. Polímeros Sintéticos A idade do plástico Polímeros ou macromoléculas naturais:  Carboidratos, lipídeos e proteínas. Polímeros ou macromoléculas sintéticas:  Plásticos, fibras têxteis ou borrachas sintéticas.  Começaram a ser produzidos no final do séc. XIX e tiveram um grande desenvolvimento no século XX Vivemos hoje o que poderia se chamar idade do plástico.
  3. 3. Curiosidades da históriaAs macromoléculas são usadas hámilênios pela humanidade nafabricação de tecidos, através de cascose chifres de animais para fazer pentesou botões ou com o marfim obtido naspresas do elefantes.No século XIX o preço do marfim,utilizado para fabricar bolas de bilhar,subiu vertiginosamente o que levouuma fábrica ianque a prometer um bomprêmio a quem descobrisse umsubstituto para o marfim. A partir dissoinicia-se uma longa corrida à procura demateriais sintéticos.
  4. 4. Curiosidades da história • Jhon Wesley Hyatt submete uma mistura (nitrocelulose + cânfora1870 + álcool) a uma pressão elevada, obtendo celuloide. • Produz-se celefane.1892 • Ross e Beven produzem a viscose, a partir do algodão . • Plásticos de Caseína.1897 • Chardonnet obtém a primeira seda sintética artificial, à base de1885 nitroceluse. • Despeissis conseguiu um primeiro tipo de raiom, a partir de1890 algodão.
  5. 5. Curiosidades da história • Leo Hendrik Baekeland produz a baquelite a partir de fenol e forma aldeído, sendo usada no final do século XX na produção dos discos1907 musicas de 78 rpm. • Utilizado em larga escala, com tecnologia de produção bastante>2000 avançada.
  6. 6. As diferenças: Adição/Condensação Adição: Condensação: O polímero é a Obtidos pela soma de moléculas reação de dois pequenas monômeros, com (monômeros), todas eliminação de iguais entre si. uma substância mais simples.
  7. 7. Lineares/Tridimensionais POLÍMEROS LINEARESOs polímeros lineares são termoplásticos, isto é, podem ser amolecidospelo calor e endurecidos pelo resfriamento, repetidas vezes, sem perdersuas propriedades.Ex.: celulose, poliamida, polietileno, policloreto devinila, poliestireno, entre outros. POLÍMEROS TRIDIMENSIONAISOs polímeros tridimensionais são termofixo0s, isto é, uma vezpreparados, eles não podem ser amolecidos, sob pena de sedescomporem.Ex.: caseína, baquelite, borracha vulcanizada, epóxi, silicone. Cristais de Fenol Polímeros de Adição
  8. 8. O que são polímeros? Definição Polímeros (do grego: poli, “muitas”; meros, “partes”) são compostos de moléculas muito grandes, formados pela repetição de uma unidade molecular pequena, chamada monômero.Por exemplo:n CH2 = CH2 (... – CH2 – CH2 - ...)n Etileno Polietileno MONÔMERO POLÍMERO
  9. 9. Polímeros Etilênicos Condições para cadeias longas: Polietileno de alta densidade (PEAD) Condições para cadeias menores: Polietileno de baixa densidade (PEBD) Polímeros de Adição
  10. 10. Polímeros Etilênicos (PEAD) (PEBD) Polímeros de Adição
  11. 11. Reação de adição 1,4Exemplo: Polímeros de Adição
  12. 12. Polímeros Diênicos A borracha natural é um polímero resultante da polimerização de monômero 2-metil-buta-1,6-dieno (isopreno) que é um alcadieno. Por exemplo: n H 2C = C– CH = CH2 [CH2 – C = CH - CH2 ]n CH3 CH3 Isopreno Poli-isopreno Polímeros de Adição
  13. 13. Polímeros Diênicos O POLIISOPRENO tem exatamente as mesmas propriedades da borracha natural. Evidentemente, nas árvores que produzem a borracha, as reações são muito mais complexas do que a equação exposta anteriormente. No entanto, os químicos conseguiram realizar não só a reação anterior, mas também uma série de reações análogas, que serão mostradas a seguir. Polímeros de Adição
  14. 14. Polímeros Diênicosn H2C = CH – CH = CH2 [CH2 – CH = CH - CH2 ]n Buta-1,3-dieno Polibutadieno n H 2C = C – CH = CH2 [CH2 – C = CH - CH2 ]n Cl Cl Cloroprenopreno Policloropreno Esses polímeros são denominados POLÍMEROS DIÊNICOS porque seus monômeros têm a estrutura de um dieno conjugado. Todos têm propriedades elásticas semelhantes às da borracha natural, sendo por esse motivo denominadas elastômeros. Polímeros de Adição
  15. 15. CopolímerosÉ o caso em que o polímero é obtido a partir de dois (ou mais)) monômeros diferentes.Simbolicamente, podemos imaginar esse tipo de monômeros: Polímeros de Adição
  16. 16. CopolímerosEvidentemente, pode haver regularidade do tipo – A –B – A – B – A – ou não, como, porexemplo, - A – A –A – B – B – A – A – B – B – B – B – , fatos esses que modificarão aspropriedades do polímero final. Exemplos importantes são:n CH2 = CH + y CH2 = CH – CH = CH2 CN Acronitrila Buta-1,3-dieno[ - CH2 – CH ] -( x CH2 – CH = CH – CH2 -)y. CN Buna-N ou perbunan (Borracha sintética) Polímeros de Adição
  17. 17. CopolímerosA Buna-S e a Buna-N são empregadas na fabricação de pneus de motocicletasn CH2 = CH + y CH2 = CH – CH = CH2 Estireno Buta-1,3-dieno[ - CH2 – CH ] -( x CH2 – CH = CH – CH2 -)y. Buna-NSou Borracha GRS Polímeros de Adição
  18. 18. CopolímerosCom o ABS são fabricados brinquedos, computadores, geladeiras, etc.x CH2 = CH + y CH2 = CH – CH = CH2 + zCH2 = CH CN Acrilonitrila Buta-1,3-dieno Estireno [ - CH2 – CH ] x - (CH2 – CH = CH – CH2 -)y - [- CH2 – CH ] z CN Polímero acrilonitrila-butadieno-estireno (ABS) Polímeros de Adição
  19. 19. Copolímeros Uma empresa com 600 metros quadrados e apenas quatro funcionários. Esse foi o início da trajetória da Krona Tubos e Conexões, em setembro de 1994. Essa história de sucesso rendeu bons frutos e, atualmente, a empresa joinvilense é reconhecida nacionalmente no segmento de tubos e conexões de PVC para instalações hidráulicas prediais. A Krona completa 18 anos de atuação em 2012, com cerca de 600 itens em seu portfólio, uma ampla linha de acessórios para construção civil.A linha de produtos mais vendida atende ao setor predial e é constituída pelas conexõesroscáveis, soldáveis e para esgoto.Mais uma vez, a empresa figura na terceira colocação entre as empresas mais votadas nosegmento de Tubos e Conexões de PVC para Água Fria, eleita entre lojistas de todo oBrasil. A participação em conexões de PVC para condução de água fria é de 30% nospontos de venda do país, segundo a pesquisa Anamaco/Ibope de 2012. Polímeros de Adição
  20. 20. Copolímeros Polímeros de Adição
  21. 21. Copolímeros Polímeros de Adição
  22. 22. VulcanizaçãoEm 1493, a tripulação de Cristóvão Colombo já tinha observado nativos doatual Haiti brincarem com bolas que “ao tocarem o solo subiam a grandealtura”, formadas por uma goma chamada cauchu. Na Europa, o materialdessas bolas foi chamado de borracha.A borracha natural é um produto da coagulação do látex, líquido branco eviscoso extraído da várias árvores, tais como a balata, a maniçoba e aseringueira, também conhecida no Brasil como “árvore da borracha” (Heveabrasilienses). Polímeros de Adição
  23. 23. VulcanizaçãoAs borrachas cruas possuem características que restringem seu uso industrial, comobaixa resistência ao calor e à variação de temperatura. Além disso apresentampequena resistência à tração, solubilidade em solventes orgânicos e facilidade deserem oxidas. Para serem mais bem aproveitadas industrialmente, é necessáriosubmetê-las a um processo denominado vulcanização.O processo feito por Goodyear é continuamente usado atualmente industrialmente. CHARLIE GOODYEAR Polímeros de Adição
  24. 24. Vulcanização Definição Vulcanização é a adição de 2% de enxofre à borracha, sob aquecimento e na presença de catalisadores como litárgio, PbO, formando um polímero tridimensional com o enxofre servindo de ponte entre as cadeias carbônicas. A borracha é um polímero do Isopreno! n H 2C = C – CH = CH2 [CH2 – C = CH - CH2 ]n CH3 CH3 Isopreno Poli-isopreno Polímeros de Adição
  25. 25. Vulcanização As ligações duplas na molécula da borracha natural são importantes no processo de vulcanização porque tornam os hidrogênios alílicos – que estão ligados ao carbono da dupla ligação – altamente reativos. Na vulcanização os átomos de enxofre tomam o lugar desses hidrogênios alílicos estabelecendo as pontes de enxofre que ligam as cadeias de poliisopreno. Polímeros de Adição
  26. 26. Vulcanização As pontes de enxofre, em proporções não muito acentuada, constituem ligações flexíveis entre as moléculas, permitindo o deslizamento de uma força externa estique o objeto; de certa forma agem como amortecedores. Cessada a força, a borracha volta à sua forma inicial. Polímeros de Adição
  27. 27. Vulcanização A quantidade de agentes vulcanizantes em uma borracha varia com o tipo de aplicação do material: aumentando-se a elasticidade a proporção de enxofre, a elasticidade diminui e a dureza da borracha aumenta. Ώ Borrachas comuns para a fabricação de artefatos em geral: o teor de enxofre varia de 2% a 10% Ώ Borrachas usadas na fabricação de câmaras de ar de pneus: o teor varia de 1,5 a 5% Ώ Borrachas empregadas em revestimentos protetores de máquinas e de aparelhos da indústria química (ebonite ou caucho duro): o teor de enxofre alcança valores de aproximadamente 30% Polímeros de Adição
  28. 28. Algo a mais!

×