SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
Baixar para ler offline
1. Qual é a técnica?
escultura
2. Qual é o nome do
Autor da obra? Rodin
3. Faz parte de que
movimento artístico?
Realismo/
Impressionismo
4. Descreva a imagem
A obra possui a característica de ter
partes sem polimento na sua superfície
e marcas de modelagem visíveis, o que
faz com que ela fique com uma aparência
de inacabada.
1
2
3
5. Qual da imagens é mais estilizada? I
6. Qual delas é mais naturalista? II e III
• 7. O que significa estilizado? forma estética diferente do original,
geralmente mai geometrizado e simplificado. representado por
meio de símbolos.
8. O que significa naturalista? Refere para a descrição de objetos
realísticos ambientes naturais. Representação fiel à realidade
9. Qual delas é mais linear? I
10. Qual delas é mais bidimensional? Porque? I, pois não possui o
trabalho de luz e sombra obervado na outra duas
11. Qual delas nos proporciona maior sensação de volume? II e III
12. Qual é o gênero dessas pinturas? Retrato (pessoa)
13. Qual é o nome dos principais artistas do movimento
impressionista? Monet, Manet, Renoir e Degas
14. Qual é a relação dos impressionistas com as descobertas
da física óptica sobre a luz? A percepção e representação
da variação da cor de acordo com a mudança da iluminação
solar.
15. Como eram os contornos das pinturas impressionistas?
Não eram definidos
16. Como eram as sombras nas pinturas impressionistas?
Coloridas e luminosas. Os artistas criavam os seus
contrastes a partir das cores complementares
17. Como era feita a mistura de cores pelos impressionistas?
Diretamente na tela
18. A palavra vinda do latim “colere” deu origem a
que palavra da nossa língua? cultura
19. Quais as características da cultura erudita?
Clássica, elitista, de origem europeias,
intelectualizada
20. Quais as características da cultura popular?
Tradicional, passada através da oralidade
21. Quais as características da cultura de massa?
Superficial, efêmera, ligada ao consumismo
22. Novembro é o mês da consciência negra e tomando esse assunto
como ponto de partida para as reflexões na nossa disciplina nos
damos conta que conhecemos poucos ou nenhum artista plástico
negro renomado, quando se trata de artista mulher e negra esse
número é ainda menor. Sobre esse assunto marque a alternativa
incorreta:
A. A história da arte tradicional estudada na escola ainda despreza
alguns assuntos em função do machismo, racismo e classicismo
presentes na nossa sociedade.
B. O ideal de beleza observados nas revistas de moda e na televisão
ainda possui um racismo “velado”, que pode ser percebido em
comerciais com slogans preconceituosos do tipo: “Alise sua juba,
com o nosso produto para cabelos revoltados!”
C. Não conhecemos artistas plásticos negros, pois o negro
biologicamente não possui a sensibilidade necessária para
produzir obras de arte.
D. Sempre existiram artistas negros, o fato de não possuírem
visibilidade não significa que seus trabalhos não possuem
qualidade.
23. O Brasil é um dos países mais ricos em pinturas rupestres. Nas
regiões de Lagoa Santa e Serra do Cipó (MG), encontra-se grande
número dessas pinturas, muitas ainda não estudadas. Nessas obras,
em que são retratadas cenas do cotidiano dos povos pré-
cabralinos, estão presentes animais de espécies extintas e de
espécies ainda existentes. Infelizmente, tais pinturas, não apenas
em Minas Gerais, mas em todo o Brasil, têm sido alvo de
vandalismo, o que, algumas vezes, resulta na completa destruição
de algumas dessas pinturas.
• Entre as opções a seguir, assinale aquela que expressa a estratégia
mais viável e mais eficiente para a conservação de pinturas
rupestres, de forma a se preservar a sua importância e a se
promover a disseminação da cultura.
A. Impedir que as pessoas tenham acesso aos sítios arqueológicos.
B. Promover ação educativa de esclarecimento do significado e da
importância dessas pinturas.
C. Remover as pinturas para o acervo de colecionadores particulares.
D. Punir, na forma da lei, pessoas que destruam essas pinturas.
Jean Baptiste Debret. Enterro de uma mulher negra. In: Viagem pitoresca e
histórica ao Brasil. São Paulo: EdUsp. Belo Horizonte: Itatiaia, 1989.
Julgue certo ou errado:
24. Na cena ilustrada, a igreja está de portas abertas e os escravos
concentrados do lado de fora, o que retrata o fato de que estes
rejeitavam os rituais cristãos de morte e realizavam os seus próprios
rituais, de acordo com as suas tradições. E
25. Há, na cena ilustrada, escravos portando tabuleiros com alimentos, o que
indica o afastamento do artista em relação à fidedignidade dos fatos
retratados, visto que os escravos urbanos eram impedidos por lei de
realizar comércio. E
26. Elementos da cultura escrava foram decisivos na formação da chamada
cultura musical brasileira, a exemplo do samba, estilo musical brasileiro,
com variações e denominações diferenciadas. C
27. A estética trazida pela Missão Artística Francesa no Brasil não encontrou
rejeição, pois o barroco já era um movimento artístico superado no
Brasil. E
28. Qual é a cor complementar das
cores:
• Azul- laranja
• Vermelho - verde
• Amarelo - roxo
O século XIX no Brasil presencia mudanças profundas
na história das artes plásticas em relação aos séculos
anteriores, cujo sentido não pode ser compreendido
sem referência à chamada Missão Artística Francesa.
Em 26 de março de 1816 aporta no Rio de Janeiro
um grupo de artistas franceses, liderados por Joachim
Lebreton (1760-1819), secretário recém-destituído do
Institut de France.1
Acompanham-no o pintor histórico
Debret (1768-1848), o paisagista
Nicolas Antoine Taunay (1755-1830) e seu irmão, o
escultor Auguste-Marie Taunay (1768-1824), o
arquiteto Grandjean de Montigny (1776-1850) e o
gravador de medalhas Charles-Simon Pradier (1783-
1847).2
O objetivo é fundar a primeira Academia de
Arte no Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves.
Artistas viajantes são aqueles cuja produção
encontra-se inexoravelmente ligada ao ato de
viajar; os desenhos e pinturas que realizam, de
franca vocação documental, acompanham
deslocamentos no espaço, descobertas de
paisagens e tipos humanos. De modo geral, esses
artistas integram
expedições artísticas e científicas que, nas
Américas, desde sua descoberta, no século XVI,
atravessam os territórios recém-conquistados,
com a finalidade de registrar a flora, a fauna e
seu povos.
No caso do Brasil, vastas literatura e iconografia são
produzidas desde a chegada dos portugueses no
século XVI até o século XIX: os relatos e registros
pictóricos descrevem as novas paisagens projetando
imagens variadas da terra e do homem. Espécimes
naturais desconhecidos, animais estranhos e homens
"primitivos" (às vezes "bons selvagens", outras,
"selvagens-canibais") compõem o imaginário europeu
acerca do Novo Mundo, descrito ora como "inferno",
ora como "paraíso terreal". A riqueza da produção dos
artistas viajantes - seja pelo seu valor artístico, seja por
conta de seus pontos de vista e suas descrições acerca
das novas terras e gentes - desperta a atenção de
analistas de diversas áreas: geógrafos, antropólogos,
historiadores da arte e da cultura.
A Missão Artística Francesa, que chega ao Rio de Janeiro em
1816, conta com a participação de muitos artistas estrangeiros,
entre eles Debret (1768-1848). Se Debret e os demais membros
da missão não são artistas viajantes do mesmo feitio que os
anteriores, pelo vínculo prolongado que estabelecem com o
Brasil, contribuem como os demais para a construção de um
repertório visual acerca do país. Professor de pintura histórica
na Academia Imperial de Belas Artes (Aiba), Debret é
responsável por descrições detalhadas da vida social brasileira
em suas múltiplas dimensões: a vida na corte, o trabalho
escravo, a cidade do Rio de Janeiro, o cotidiano, a família etc.
Sua Viagem Pitoresca e Histórica do Brasil, de 1834 (1ª edição
brasileira, 1840), é um dos mais importantes exemplos de
registros de valor documental realizados, amplamente utilizada
como fonte iconográfica para o estudo da vida social brasileira
no século XIX e, mais recentemente, interpretada do ponto de
seus desafios propriamente pictóricos, como expressão das
dificuldades de aclimatação do modelo neoclássico no Brasil.
O pintor Nicolas Antoine Taunay (1755-
1830) é outro integrante da missão
contratada para inaugurar a Escola Real de
Ciências, Artes e Ofícios, futura Aiba.
Mesmo que tenha feito retratos e pintura
histórica, Taunay se notabiliza pelas paisagens
(Cascatinha da Tijuca e Paisagem do Brasil,
entre outras), no que é seguido por seu
filho Félix Taunay (1795-1881), autor de Vista
da Mãe d'Água e Mata Reduzida a Carvão.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A arte brasileira no final do império e inicio da república
A arte brasileira no final do império e inicio da repúblicaA arte brasileira no final do império e inicio da república
A arte brasileira no final do império e inicio da repúblicaCéu Barros
 
História da Arte: Arte brasileira 3
História da Arte: Arte brasileira 3História da Arte: Arte brasileira 3
História da Arte: Arte brasileira 3Raphael Lanzillotte
 
Breve estudo da história da arte
Breve estudo da história da arteBreve estudo da história da arte
Breve estudo da história da arteEliana Frade
 
História da Arte: Arte brasileira - Séc XIX
História da Arte: Arte brasileira - Séc XIXHistória da Arte: Arte brasileira - Séc XIX
História da Arte: Arte brasileira - Séc XIXRaphael Lanzillotte
 
Revisão - História da Arte Brasileira
Revisão - História da Arte BrasileiraRevisão - História da Arte Brasileira
Revisão - História da Arte Brasileiraescola
 
Século xix no brasil a modernização da arte
Século xix no brasil  a modernização da arteSéculo xix no brasil  a modernização da arte
Século xix no brasil a modernização da arteArtesElisa
 
Arte no Brasil século XIX
Arte no Brasil século XIXArte no Brasil século XIX
Arte no Brasil século XIXWagner Louza
 
Criatividade e ruturas
Criatividade e ruturasCriatividade e ruturas
Criatividade e ruturasAna Barreiros
 
Prova Artes 1 ano médio
Prova Artes 1 ano médioProva Artes 1 ano médio
Prova Artes 1 ano médioGeo Honório
 
Apresentação artes visuais – arte brasileira
Apresentação   artes visuais – arte brasileiraApresentação   artes visuais – arte brasileira
Apresentação artes visuais – arte brasileiraEduardo Becker Jr.
 
Arte a partir dos anos 1950 contemporânea
Arte  a partir dos anos 1950  contemporânea Arte  a partir dos anos 1950  contemporânea
Arte a partir dos anos 1950 contemporânea CLEBER LUIS DAMACENO
 
Arte rupestre, arte nos muros, grafite e pichação
Arte rupestre, arte nos muros, grafite e pichaçãoArte rupestre, arte nos muros, grafite e pichação
Arte rupestre, arte nos muros, grafite e pichaçãoAline Raposo
 

Mais procurados (20)

A arte brasileira no final do império e inicio da república
A arte brasileira no final do império e inicio da repúblicaA arte brasileira no final do império e inicio da república
A arte brasileira no final do império e inicio da república
 
História da Arte: Arte brasileira 3
História da Arte: Arte brasileira 3História da Arte: Arte brasileira 3
História da Arte: Arte brasileira 3
 
Breve estudo da história da arte
Breve estudo da história da arteBreve estudo da história da arte
Breve estudo da história da arte
 
História da Arte: Arte brasileira - Séc XIX
História da Arte: Arte brasileira - Séc XIXHistória da Arte: Arte brasileira - Séc XIX
História da Arte: Arte brasileira - Séc XIX
 
Revisão - História da Arte Brasileira
Revisão - História da Arte BrasileiraRevisão - História da Arte Brasileira
Revisão - História da Arte Brasileira
 
Missao artística francesa
Missao artística  francesaMissao artística  francesa
Missao artística francesa
 
Revisão HISTÓRIA DA ARTE - 04
Revisão HISTÓRIA DA ARTE - 04Revisão HISTÓRIA DA ARTE - 04
Revisão HISTÓRIA DA ARTE - 04
 
Século xix no brasil a modernização da arte
Século xix no brasil  a modernização da arteSéculo xix no brasil  a modernização da arte
Século xix no brasil a modernização da arte
 
Evolução da Arte
Evolução da ArteEvolução da Arte
Evolução da Arte
 
Arte no Brasil século XIX
Arte no Brasil século XIXArte no Brasil século XIX
Arte no Brasil século XIX
 
Grafite
GrafiteGrafite
Grafite
 
25 arte anos 1950 2020
25 arte anos 1950 202025 arte anos 1950 2020
25 arte anos 1950 2020
 
Fundamentos da arte
Fundamentos da arteFundamentos da arte
Fundamentos da arte
 
Criatividade e ruturas
Criatividade e ruturasCriatividade e ruturas
Criatividade e ruturas
 
Renascimento 2020
Renascimento 2020Renascimento 2020
Renascimento 2020
 
Prova Artes 1 ano médio
Prova Artes 1 ano médioProva Artes 1 ano médio
Prova Artes 1 ano médio
 
Apresentação artes visuais – arte brasileira
Apresentação   artes visuais – arte brasileiraApresentação   artes visuais – arte brasileira
Apresentação artes visuais – arte brasileira
 
Aula 2 Novo Colégio
Aula 2 Novo ColégioAula 2 Novo Colégio
Aula 2 Novo Colégio
 
Arte a partir dos anos 1950 contemporânea
Arte  a partir dos anos 1950  contemporânea Arte  a partir dos anos 1950  contemporânea
Arte a partir dos anos 1950 contemporânea
 
Arte rupestre, arte nos muros, grafite e pichação
Arte rupestre, arte nos muros, grafite e pichaçãoArte rupestre, arte nos muros, grafite e pichação
Arte rupestre, arte nos muros, grafite e pichação
 

Semelhante a Revisão 4ºbim respondida

Aula 3 ef - artes
Aula 3   ef - artesAula 3   ef - artes
Aula 3 ef - artesWalney M.F
 
Tendências artísticas do pós segunda guerra nos eua e
Tendências artísticas do pós segunda guerra nos eua eTendências artísticas do pós segunda guerra nos eua e
Tendências artísticas do pós segunda guerra nos eua eEd de Souza
 
Panorama Momentos Artísticos da História
Panorama Momentos Artísticos da HistóriaPanorama Momentos Artísticos da História
Panorama Momentos Artísticos da HistóriaAntonio Abreu
 
Arte popular brasileira na arte contemporanea
Arte popular brasileira na arte contemporaneaArte popular brasileira na arte contemporanea
Arte popular brasileira na arte contemporaneaMartha Rodrigues
 
arte-no-enem-2015.pptx
arte-no-enem-2015.pptxarte-no-enem-2015.pptx
arte-no-enem-2015.pptxOzielSoares2
 
Missão artistica francesa ideias de pesquisa- e levantamento bibliográfico ...
Missão artistica francesa  ideias de pesquisa- e  levantamento bibliográfico ...Missão artistica francesa  ideias de pesquisa- e  levantamento bibliográfico ...
Missão artistica francesa ideias de pesquisa- e levantamento bibliográfico ...Lucas Schuab Vieira
 
Pré renascimento
 Pré renascimento Pré renascimento
Pré renascimentogreghouse48
 
Apresentação plano de curso artes autonomia 2011
Apresentação plano de curso artes autonomia 2011Apresentação plano de curso artes autonomia 2011
Apresentação plano de curso artes autonomia 2011biabouch
 
MATERIAL4-QUESTÕES DE ARTE-novembro.docx
MATERIAL4-QUESTÕES DE ARTE-novembro.docxMATERIAL4-QUESTÕES DE ARTE-novembro.docx
MATERIAL4-QUESTÕES DE ARTE-novembro.docxBeto Cavalcante
 
Arte - Missão artística francesa
Arte - Missão artística francesa Arte - Missão artística francesa
Arte - Missão artística francesa Mary Alvarenga
 
Seminários história da arte 03
Seminários história da arte   03Seminários história da arte   03
Seminários história da arte 03Gabriela Lemos
 

Semelhante a Revisão 4ºbim respondida (20)

NEOCLÁSSICO.pdf
NEOCLÁSSICO.pdfNEOCLÁSSICO.pdf
NEOCLÁSSICO.pdf
 
Aula 3 ef - artes
Aula 3   ef - artesAula 3   ef - artes
Aula 3 ef - artes
 
ENEM - Competência 4
ENEM - Competência 4ENEM - Competência 4
ENEM - Competência 4
 
Arte contemporanea
Arte contemporaneaArte contemporanea
Arte contemporanea
 
Arte sec xix viajantes e academia 2016
Arte sec xix viajantes e academia 2016Arte sec xix viajantes e academia 2016
Arte sec xix viajantes e academia 2016
 
2004 - 2 etapa
2004 - 2 etapa2004 - 2 etapa
2004 - 2 etapa
 
Tendências artísticas do pós segunda guerra nos eua e
Tendências artísticas do pós segunda guerra nos eua eTendências artísticas do pós segunda guerra nos eua e
Tendências artísticas do pós segunda guerra nos eua e
 
Panorama Momentos Artísticos da História
Panorama Momentos Artísticos da HistóriaPanorama Momentos Artísticos da História
Panorama Momentos Artísticos da História
 
Arte popular brasileira na arte contemporanea
Arte popular brasileira na arte contemporaneaArte popular brasileira na arte contemporanea
Arte popular brasileira na arte contemporanea
 
Romantismo 2
Romantismo 2Romantismo 2
Romantismo 2
 
arte-no-enem-2015.pptx
arte-no-enem-2015.pptxarte-no-enem-2015.pptx
arte-no-enem-2015.pptx
 
Missão artistica francesa ideias de pesquisa- e levantamento bibliográfico ...
Missão artistica francesa  ideias de pesquisa- e  levantamento bibliográfico ...Missão artistica francesa  ideias de pesquisa- e  levantamento bibliográfico ...
Missão artistica francesa ideias de pesquisa- e levantamento bibliográfico ...
 
8ºano
8ºano8ºano
8ºano
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
 
Pré renascimento
 Pré renascimento Pré renascimento
Pré renascimento
 
Apresentação plano de curso artes autonomia 2011
Apresentação plano de curso artes autonomia 2011Apresentação plano de curso artes autonomia 2011
Apresentação plano de curso artes autonomia 2011
 
MATERIAL4-QUESTÕES DE ARTE-novembro.docx
MATERIAL4-QUESTÕES DE ARTE-novembro.docxMATERIAL4-QUESTÕES DE ARTE-novembro.docx
MATERIAL4-QUESTÕES DE ARTE-novembro.docx
 
Arte - Missão artística francesa
Arte - Missão artística francesa Arte - Missão artística francesa
Arte - Missão artística francesa
 
Seminários história da arte 03
Seminários história da arte   03Seminários história da arte   03
Seminários história da arte 03
 
Aula 5 art em
Aula 5   art emAula 5   art em
Aula 5 art em
 

Mais de CEF16

Arte politica
Arte politicaArte politica
Arte politicaCEF16
 
Revisão barroco
Revisão barrocoRevisão barroco
Revisão barrocoCEF16
 
Arte colonial brasileira
Arte colonial brasileiraArte colonial brasileira
Arte colonial brasileiraCEF16
 
O barroco no brasil
O barroco no brasilO barroco no brasil
O barroco no brasilCEF16
 
Feminismo
FeminismoFeminismo
FeminismoCEF16
 
A arte barroca na europa
A arte barroca na europaA arte barroca na europa
A arte barroca na europaCEF16
 
Exercicio romantismo corrigido
Exercicio romantismo corrigidoExercicio romantismo corrigido
Exercicio romantismo corrigidoCEF16
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
RomantismoCEF16
 
Mulheres artistas
Mulheres artistasMulheres artistas
Mulheres artistasCEF16
 
Impressionismo cd
Impressionismo cdImpressionismo cd
Impressionismo cdCEF16
 
Ilusão de ótica
Ilusão de óticaIlusão de ótica
Ilusão de óticaCEF16
 
Revisão oitavo ano respondido
Revisão oitavo ano respondidoRevisão oitavo ano respondido
Revisão oitavo ano respondidoCEF16
 
Drogas (2)
Drogas (2)Drogas (2)
Drogas (2)CEF16
 
Arquitetura realista
Arquitetura realistaArquitetura realista
Arquitetura realistaCEF16
 
Pagina
PaginaPagina
PaginaCEF16
 
Realismo
RealismoRealismo
RealismoCEF16
 
Realismo
RealismoRealismo
RealismoCEF16
 
Função da arte
Função da arteFunção da arte
Função da arteCEF16
 
Função da arte
Função da arteFunção da arte
Função da arteCEF16
 
Muralismo mexicano
Muralismo mexicanoMuralismo mexicano
Muralismo mexicanoCEF16
 

Mais de CEF16 (20)

Arte politica
Arte politicaArte politica
Arte politica
 
Revisão barroco
Revisão barrocoRevisão barroco
Revisão barroco
 
Arte colonial brasileira
Arte colonial brasileiraArte colonial brasileira
Arte colonial brasileira
 
O barroco no brasil
O barroco no brasilO barroco no brasil
O barroco no brasil
 
Feminismo
FeminismoFeminismo
Feminismo
 
A arte barroca na europa
A arte barroca na europaA arte barroca na europa
A arte barroca na europa
 
Exercicio romantismo corrigido
Exercicio romantismo corrigidoExercicio romantismo corrigido
Exercicio romantismo corrigido
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Mulheres artistas
Mulheres artistasMulheres artistas
Mulheres artistas
 
Impressionismo cd
Impressionismo cdImpressionismo cd
Impressionismo cd
 
Ilusão de ótica
Ilusão de óticaIlusão de ótica
Ilusão de ótica
 
Revisão oitavo ano respondido
Revisão oitavo ano respondidoRevisão oitavo ano respondido
Revisão oitavo ano respondido
 
Drogas (2)
Drogas (2)Drogas (2)
Drogas (2)
 
Arquitetura realista
Arquitetura realistaArquitetura realista
Arquitetura realista
 
Pagina
PaginaPagina
Pagina
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
 
Função da arte
Função da arteFunção da arte
Função da arte
 
Função da arte
Função da arteFunção da arte
Função da arte
 
Muralismo mexicano
Muralismo mexicanoMuralismo mexicano
Muralismo mexicano
 

Revisão 4ºbim respondida

  • 1. 1. Qual é a técnica? escultura 2. Qual é o nome do Autor da obra? Rodin 3. Faz parte de que movimento artístico? Realismo/ Impressionismo 4. Descreva a imagem A obra possui a característica de ter partes sem polimento na sua superfície e marcas de modelagem visíveis, o que faz com que ela fique com uma aparência de inacabada.
  • 3. 5. Qual da imagens é mais estilizada? I 6. Qual delas é mais naturalista? II e III • 7. O que significa estilizado? forma estética diferente do original, geralmente mai geometrizado e simplificado. representado por meio de símbolos. 8. O que significa naturalista? Refere para a descrição de objetos realísticos ambientes naturais. Representação fiel à realidade 9. Qual delas é mais linear? I 10. Qual delas é mais bidimensional? Porque? I, pois não possui o trabalho de luz e sombra obervado na outra duas 11. Qual delas nos proporciona maior sensação de volume? II e III 12. Qual é o gênero dessas pinturas? Retrato (pessoa)
  • 4. 13. Qual é o nome dos principais artistas do movimento impressionista? Monet, Manet, Renoir e Degas 14. Qual é a relação dos impressionistas com as descobertas da física óptica sobre a luz? A percepção e representação da variação da cor de acordo com a mudança da iluminação solar. 15. Como eram os contornos das pinturas impressionistas? Não eram definidos 16. Como eram as sombras nas pinturas impressionistas? Coloridas e luminosas. Os artistas criavam os seus contrastes a partir das cores complementares 17. Como era feita a mistura de cores pelos impressionistas? Diretamente na tela
  • 5. 18. A palavra vinda do latim “colere” deu origem a que palavra da nossa língua? cultura 19. Quais as características da cultura erudita? Clássica, elitista, de origem europeias, intelectualizada 20. Quais as características da cultura popular? Tradicional, passada através da oralidade 21. Quais as características da cultura de massa? Superficial, efêmera, ligada ao consumismo
  • 6. 22. Novembro é o mês da consciência negra e tomando esse assunto como ponto de partida para as reflexões na nossa disciplina nos damos conta que conhecemos poucos ou nenhum artista plástico negro renomado, quando se trata de artista mulher e negra esse número é ainda menor. Sobre esse assunto marque a alternativa incorreta: A. A história da arte tradicional estudada na escola ainda despreza alguns assuntos em função do machismo, racismo e classicismo presentes na nossa sociedade. B. O ideal de beleza observados nas revistas de moda e na televisão ainda possui um racismo “velado”, que pode ser percebido em comerciais com slogans preconceituosos do tipo: “Alise sua juba, com o nosso produto para cabelos revoltados!” C. Não conhecemos artistas plásticos negros, pois o negro biologicamente não possui a sensibilidade necessária para produzir obras de arte. D. Sempre existiram artistas negros, o fato de não possuírem visibilidade não significa que seus trabalhos não possuem qualidade.
  • 7. 23. O Brasil é um dos países mais ricos em pinturas rupestres. Nas regiões de Lagoa Santa e Serra do Cipó (MG), encontra-se grande número dessas pinturas, muitas ainda não estudadas. Nessas obras, em que são retratadas cenas do cotidiano dos povos pré- cabralinos, estão presentes animais de espécies extintas e de espécies ainda existentes. Infelizmente, tais pinturas, não apenas em Minas Gerais, mas em todo o Brasil, têm sido alvo de vandalismo, o que, algumas vezes, resulta na completa destruição de algumas dessas pinturas. • Entre as opções a seguir, assinale aquela que expressa a estratégia mais viável e mais eficiente para a conservação de pinturas rupestres, de forma a se preservar a sua importância e a se promover a disseminação da cultura. A. Impedir que as pessoas tenham acesso aos sítios arqueológicos. B. Promover ação educativa de esclarecimento do significado e da importância dessas pinturas. C. Remover as pinturas para o acervo de colecionadores particulares. D. Punir, na forma da lei, pessoas que destruam essas pinturas.
  • 8. Jean Baptiste Debret. Enterro de uma mulher negra. In: Viagem pitoresca e histórica ao Brasil. São Paulo: EdUsp. Belo Horizonte: Itatiaia, 1989.
  • 9. Julgue certo ou errado: 24. Na cena ilustrada, a igreja está de portas abertas e os escravos concentrados do lado de fora, o que retrata o fato de que estes rejeitavam os rituais cristãos de morte e realizavam os seus próprios rituais, de acordo com as suas tradições. E 25. Há, na cena ilustrada, escravos portando tabuleiros com alimentos, o que indica o afastamento do artista em relação à fidedignidade dos fatos retratados, visto que os escravos urbanos eram impedidos por lei de realizar comércio. E 26. Elementos da cultura escrava foram decisivos na formação da chamada cultura musical brasileira, a exemplo do samba, estilo musical brasileiro, com variações e denominações diferenciadas. C 27. A estética trazida pela Missão Artística Francesa no Brasil não encontrou rejeição, pois o barroco já era um movimento artístico superado no Brasil. E
  • 10. 28. Qual é a cor complementar das cores: • Azul- laranja • Vermelho - verde • Amarelo - roxo
  • 11. O século XIX no Brasil presencia mudanças profundas na história das artes plásticas em relação aos séculos anteriores, cujo sentido não pode ser compreendido sem referência à chamada Missão Artística Francesa. Em 26 de março de 1816 aporta no Rio de Janeiro um grupo de artistas franceses, liderados por Joachim Lebreton (1760-1819), secretário recém-destituído do Institut de France.1 Acompanham-no o pintor histórico Debret (1768-1848), o paisagista Nicolas Antoine Taunay (1755-1830) e seu irmão, o escultor Auguste-Marie Taunay (1768-1824), o arquiteto Grandjean de Montigny (1776-1850) e o gravador de medalhas Charles-Simon Pradier (1783- 1847).2 O objetivo é fundar a primeira Academia de Arte no Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves.
  • 12. Artistas viajantes são aqueles cuja produção encontra-se inexoravelmente ligada ao ato de viajar; os desenhos e pinturas que realizam, de franca vocação documental, acompanham deslocamentos no espaço, descobertas de paisagens e tipos humanos. De modo geral, esses artistas integram expedições artísticas e científicas que, nas Américas, desde sua descoberta, no século XVI, atravessam os territórios recém-conquistados, com a finalidade de registrar a flora, a fauna e seu povos.
  • 13. No caso do Brasil, vastas literatura e iconografia são produzidas desde a chegada dos portugueses no século XVI até o século XIX: os relatos e registros pictóricos descrevem as novas paisagens projetando imagens variadas da terra e do homem. Espécimes naturais desconhecidos, animais estranhos e homens "primitivos" (às vezes "bons selvagens", outras, "selvagens-canibais") compõem o imaginário europeu acerca do Novo Mundo, descrito ora como "inferno", ora como "paraíso terreal". A riqueza da produção dos artistas viajantes - seja pelo seu valor artístico, seja por conta de seus pontos de vista e suas descrições acerca das novas terras e gentes - desperta a atenção de analistas de diversas áreas: geógrafos, antropólogos, historiadores da arte e da cultura.
  • 14. A Missão Artística Francesa, que chega ao Rio de Janeiro em 1816, conta com a participação de muitos artistas estrangeiros, entre eles Debret (1768-1848). Se Debret e os demais membros da missão não são artistas viajantes do mesmo feitio que os anteriores, pelo vínculo prolongado que estabelecem com o Brasil, contribuem como os demais para a construção de um repertório visual acerca do país. Professor de pintura histórica na Academia Imperial de Belas Artes (Aiba), Debret é responsável por descrições detalhadas da vida social brasileira em suas múltiplas dimensões: a vida na corte, o trabalho escravo, a cidade do Rio de Janeiro, o cotidiano, a família etc. Sua Viagem Pitoresca e Histórica do Brasil, de 1834 (1ª edição brasileira, 1840), é um dos mais importantes exemplos de registros de valor documental realizados, amplamente utilizada como fonte iconográfica para o estudo da vida social brasileira no século XIX e, mais recentemente, interpretada do ponto de seus desafios propriamente pictóricos, como expressão das dificuldades de aclimatação do modelo neoclássico no Brasil.
  • 15. O pintor Nicolas Antoine Taunay (1755- 1830) é outro integrante da missão contratada para inaugurar a Escola Real de Ciências, Artes e Ofícios, futura Aiba. Mesmo que tenha feito retratos e pintura histórica, Taunay se notabiliza pelas paisagens (Cascatinha da Tijuca e Paisagem do Brasil, entre outras), no que é seguido por seu filho Félix Taunay (1795-1881), autor de Vista da Mãe d'Água e Mata Reduzida a Carvão.