SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
Geração Distribuída de Energia
Elétrica e Geração Solar
Seminário franco-brasileiro de Energia Solar - FIESP
25/08/2016
Roberto Castro
Conselheiro de Administração
Agenda
Desenvolvimento da Geração Distribuída de Energia Elétrica
Comercialização de Energia Elétrica
Estudo de mecanismo simplificado para comercialização de
excedentes de geração distribuída no ACL
2
Comercialização de Energia Elétrica
3
Comercialização de Energia Solar - Possibilidades
Gerador Solar
ACR ACL Geração Distribuída
 Leilões do
mercado regulado
 3 leilões realizados
(2014 e 2015)
 Outros geradores
 Comercializadores
 Consumidores livres
e especiais (fonte
incentivada*)
*desconto TUSD / TUST)
 REN ANEEL 482/2012
e REN 687/2015
 ProGD / MME
 Desenho para
viabilizar a inclusão
no ACL / CCEE
4
Leilão de usinas solares
 3 Leilões realizados com participação de usinas solares
 31 Usinas contratadas
5
6º Leilão de Energia de Reserva (em 2014)
7º Leilão de Energia
de Reserva (em 2015)
8º Leilão de Energia de Reserva (em 2015)
 Contratação de 202 MW médios
 Deságio 17,69% (105 rodadas de lances)
 Preço médio de venda foi de R$ 215,12
 30 Usinas contratadas
 Primeiro leilão exclusivo de solar
 Contratação de 231,5 MW médios
 Deságio 13,53% (87 rodadas)
 33 Usinas contratadas
 Contratação de 245,3 MW médios
 Deságio 21,85% (77 rodadas)
 Preço médio de venda foi de R$ 297,75
• 16/12 (11º LER)
Próximo leilão
Solar representa 2% das contratações nos leilões de expansão
Leilões – Preço Médio por Fonte (R$)
 Leilões de Energia Nova, Energia de Reserva, Fontes Alternativas e
Projetos Estruturantes (de 2005 a 2016)
Valores financeiros atualizados com o IPCA de jun/16
Sumário
6
Leilões – Fotovoltaicas
 94 usinas solares já leiloadas para iniciar o suprimento
entre 2017 e 2018
Usinas Solares Nº de Empreendimentos Potência GF
Incremento 2017 61 1.723,46 435,20
Incremento 2018 33 929,34 246,00
 Total previsto de capacidade instalada (MW):
Usinas Solares Capacidade Instalada
2017 1.744
2018 2.674
7
BA - 32 SP - 10 PI - 9MG- 17
PB - 5
CE - 6
RN - 6 TO - 4 PE - 4 GO - 1
(MW) (MW Médios)
Pontos de atenção nos projetos
8
 A variação cambial foi expressiva após o leilão (aprox. 32%) e investidores
que não realizaram proteção cambial estão enfrentando problemas para
construir os projetos
 O BNDES exige elevado grau de nacionalização para financiar os projetos
(de 50% a 80%, dependendo do ano, módulo e sistema), o que ainda não
é possível no caso da solar que está em estágio inicial
 Empresas que ganharam contratos para vender energia de projetos que
estão previstos para 2017 solicitaram a postergação da entrega em dois
anos. Situação está sendo analisada pelo MME e Aneel
 Os empreendimentos possuem uma garantia de fiel cumprimento de 5%
do total do investimento, que pode ser executado no caso de atrasos
Desenvolvimento da Geração Distribuída
de Energia Elétrica
9
Resolução Normativa ANEEL 482/12
 A Resolução Normativa ANEEL 482/2012 estabeleceu as condições gerais
para a conexão à rede da microgeração e minigeração distribuída e criou
o Sistema de Compensação de Energia
 Sistema de Compensação de Energia
 Caso a geração seja maior que o consumo,
o excedente é injetado na rede elétrica,
gerando créditos de energia. Quando a
geração for menor do que o consumo, será
utilizada a energia da própria rede elétrica.
Os créditos podem ser utilizados para
abater o consumo, diminuindo assim o
valor da conta de energia
10
Geração Distribuída de Grande Porte
 Estabelece os Valores de Referência Específicos
(VREs)
 Portaria 538/2015 assinada pelo Ministério de Minas e Energia
Solar fotovoltaica
R$ 454,00/ MWh
Cogeração a gás natural
R$ 329,00/ MWh
Esse valor define a remuneração paga pela
distribuidora ao gerador pela energia que ele
entregar à rede de distribuição
 Atualização automática do VRE, anualmente pelo IPCA, durante vigência do
contrato, garantindo manutenção dos custos
 Atualmente, as empresas de distribuição de energia podem comprar até
10% de seu mercado de fontes de geração de energia distribuída para
compor seu portfólio.
11
Estudo de mecanismo simplificado para
comercialização de excedentes de geração
distribuída no ACL
12
Alternativa ao sistema de compensação de energia elétrica, ou seja, o
consumidor opta por comercializar toda a energia injetada na rede
(líquida depois do consumo), sem compensar seu consumo
Comercializador
“usina virtual”
contabilizada
na CCEE
agregação
Contrato de venda
Contrato de venda
Estudo em andamento
13
 A CCEE não manteria cadastro individualizado de cada consumidor, assim
como de suas relações contratuais de venda de excedente para o
comercializador. A relação entre comercializador e consumidor seria
registrada junto à distribuidora local
 A distribuidora passaria a atuar como agente de medição e de agregação
de dados, informando à CCEE somente o total de excedentes de geração
em sua área de concessão relacionada a cada comercializador
 Sistema de medição já estabelecido na REN 482/12 atende as
necessidades para a coleta e agregação dos dados de medição pela
distribuidora
 A distribuidora seria remunerada pelo serviço de coleta, agregação e
registro da medição na CCEE. Para tanto, deve ser estabelecida regulação
específica
 Utilizando sua estrutura, a distribuidora poderia oferecer serviços
adicionais de informações e sistemas voltados à gestão da micro e
minigeração pelos próprios consumidores ou pelos comercializadores
Estudo em andamento
14
 Impulsiona novos modelos de negócios, de modo a facilitar o
financiamento dos projetos, além de gerar benefícios sociais e para a
indústria nacional
 Empreendedores especializados - viabilização do projeto por meio
da combinação de atendimento ao consumidor e venda de
excedentes
 Investidores parceiros
 Aluguel de telhados
 Comunidades elétricas
 Promover o desenvolvimento da micro e minigeração baseado na
competitividade dos projetos, sem subsídios oficiais ou encarecimento
das tarifas dos demais consumidores
Estudo em andamento
15
Conheça nossas páginas na internet
ccee.org.br
Site oficial com notícias, documentos e informações de mercado
linkedin.com/company/298493
Conheça nossa página corporativa!
slideshare.net/cceeoficial
Acervo de apresentações da CCEE
em conferências em geral
vimeo.com/ccee
Reúne vídeos institucionais e
eventos gravados pela instituição

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Geração de Energia Solar Fotovoltaica
Geração de Energia Solar Fotovoltaica Geração de Energia Solar Fotovoltaica
Geração de Energia Solar Fotovoltaica Luryan da Silva F.
 
Introdução a energia solar fotovoltaica
Introdução a energia solar fotovoltaicaIntrodução a energia solar fotovoltaica
Introdução a energia solar fotovoltaicaRobson Josué Molgaro
 
Energia Solar Fotovoltaica
Energia Solar FotovoltaicaEnergia Solar Fotovoltaica
Energia Solar FotovoltaicaVoltaicas
 
AULA 01 - ESPORTES E CORPO HUMANO.pptx
AULA 01 - ESPORTES E CORPO HUMANO.pptxAULA 01 - ESPORTES E CORPO HUMANO.pptx
AULA 01 - ESPORTES E CORPO HUMANO.pptxEDNEIDEMARCIASILVA
 
Apresentacao escola sustentavel
Apresentacao escola sustentavelApresentacao escola sustentavel
Apresentacao escola sustentavelRicardo Ferrao
 
Apresentação Trabalho SIN
Apresentação Trabalho SINApresentação Trabalho SIN
Apresentação Trabalho SINJim Naturesa
 
Desafios e oportunidades para as energias renováveis no Brasil - Wilson Ferreira
Desafios e oportunidades para as energias renováveis no Brasil - Wilson FerreiraDesafios e oportunidades para as energias renováveis no Brasil - Wilson Ferreira
Desafios e oportunidades para as energias renováveis no Brasil - Wilson FerreiraFundação Fernando Henrique Cardoso
 
Energia Eólica - Cenário no Brasil
Energia Eólica  - Cenário no BrasilEnergia Eólica  - Cenário no Brasil
Energia Eólica - Cenário no Brasilmonica silva
 
Apresentação sobre energia eólica e solar
Apresentação sobre energia eólica e solarApresentação sobre energia eólica e solar
Apresentação sobre energia eólica e solarFernando Sarmento
 
ApresentaçãO De Eficiencia Energetica
ApresentaçãO De Eficiencia EnergeticaApresentaçãO De Eficiencia Energetica
ApresentaçãO De Eficiencia Energeticarubinho13
 
Projeto e Ações de Sustentabilidade em Unidade de Alimentação e Nutrição Hosp...
Projeto e Ações de Sustentabilidade em Unidade de Alimentação e Nutrição Hosp...Projeto e Ações de Sustentabilidade em Unidade de Alimentação e Nutrição Hosp...
Projeto e Ações de Sustentabilidade em Unidade de Alimentação e Nutrição Hosp...Adélia Chaves
 

Mais procurados (20)

Eficiência Energética
Eficiência EnergéticaEficiência Energética
Eficiência Energética
 
Geração de Energia Solar Fotovoltaica
Geração de Energia Solar Fotovoltaica Geração de Energia Solar Fotovoltaica
Geração de Energia Solar Fotovoltaica
 
Energia eolica
Energia eolicaEnergia eolica
Energia eolica
 
Introdução a energia solar fotovoltaica
Introdução a energia solar fotovoltaicaIntrodução a energia solar fotovoltaica
Introdução a energia solar fotovoltaica
 
Energia Solar Fotovoltaica
Energia Solar FotovoltaicaEnergia Solar Fotovoltaica
Energia Solar Fotovoltaica
 
Eficiência Energética
Eficiência EnergéticaEficiência Energética
Eficiência Energética
 
Energia eólica
Energia eólicaEnergia eólica
Energia eólica
 
AULA 01 - ESPORTES E CORPO HUMANO.pptx
AULA 01 - ESPORTES E CORPO HUMANO.pptxAULA 01 - ESPORTES E CORPO HUMANO.pptx
AULA 01 - ESPORTES E CORPO HUMANO.pptx
 
Apresentacao escola sustentavel
Apresentacao escola sustentavelApresentacao escola sustentavel
Apresentacao escola sustentavel
 
Apresentação Trabalho SIN
Apresentação Trabalho SINApresentação Trabalho SIN
Apresentação Trabalho SIN
 
Desafios e oportunidades para as energias renováveis no Brasil - Wilson Ferreira
Desafios e oportunidades para as energias renováveis no Brasil - Wilson FerreiraDesafios e oportunidades para as energias renováveis no Brasil - Wilson Ferreira
Desafios e oportunidades para as energias renováveis no Brasil - Wilson Ferreira
 
Eficiência energética
Eficiência energéticaEficiência energética
Eficiência energética
 
Energia eletrica e uso social
Energia eletrica e uso socialEnergia eletrica e uso social
Energia eletrica e uso social
 
Energia Eólica - Cenário no Brasil
Energia Eólica  - Cenário no BrasilEnergia Eólica  - Cenário no Brasil
Energia Eólica - Cenário no Brasil
 
Apresentação sobre energia eólica e solar
Apresentação sobre energia eólica e solarApresentação sobre energia eólica e solar
Apresentação sobre energia eólica e solar
 
ApresentaçãO De Eficiencia Energetica
ApresentaçãO De Eficiencia EnergeticaApresentaçãO De Eficiencia Energetica
ApresentaçãO De Eficiencia Energetica
 
Gerador e receptor
Gerador e receptorGerador e receptor
Gerador e receptor
 
Projeto e Ações de Sustentabilidade em Unidade de Alimentação e Nutrição Hosp...
Projeto e Ações de Sustentabilidade em Unidade de Alimentação e Nutrição Hosp...Projeto e Ações de Sustentabilidade em Unidade de Alimentação e Nutrição Hosp...
Projeto e Ações de Sustentabilidade em Unidade de Alimentação e Nutrição Hosp...
 
Eficiencia energetica apresentação
Eficiencia energetica apresentaçãoEficiencia energetica apresentação
Eficiencia energetica apresentação
 
Fisica eficiencia energetica
Fisica eficiencia energeticaFisica eficiencia energetica
Fisica eficiencia energetica
 

Destaque

Ntc 905200 2014 - acesso de micro e minigeração distribuida ao sistema copel;
Ntc 905200 2014  - acesso de micro e minigeração distribuida ao sistema copel;Ntc 905200 2014  - acesso de micro e minigeração distribuida ao sistema copel;
Ntc 905200 2014 - acesso de micro e minigeração distribuida ao sistema copel;Marcelo Godoy
 

Destaque (20)

Princípios da comercialização de energia aplicados aos projetos de energia so...
Princípios da comercialização de energia aplicados aos projetos de energia so...Princípios da comercialização de energia aplicados aos projetos de energia so...
Princípios da comercialização de energia aplicados aos projetos de energia so...
 
Overview of the Brazilian Electricity Industry
Overview of the Brazilian Electricity IndustryOverview of the Brazilian Electricity Industry
Overview of the Brazilian Electricity Industry
 
Desafios do Mercado de Energia no Brasil
Desafios do Mercado de Energia no BrasilDesafios do Mercado de Energia no Brasil
Desafios do Mercado de Energia no Brasil
 
Como migrar para o mercado livre de energia elétrica? (FIESP - Workshop Energ...
Como migrar para o mercado livre de energia elétrica? (FIESP - Workshop Energ...Como migrar para o mercado livre de energia elétrica? (FIESP - Workshop Energ...
Como migrar para o mercado livre de energia elétrica? (FIESP - Workshop Energ...
 
Comercialização Varejista e a Simplificação da Medição e Faturamento (SMF)
Comercialização Varejista e a Simplificação da Medição e Faturamento (SMF)Comercialização Varejista e a Simplificação da Medição e Faturamento (SMF)
Comercialização Varejista e a Simplificação da Medição e Faturamento (SMF)
 
Panorama e perspectivas da comercialização de energia elétrica
Panorama e perspectivas da comercialização de energia elétricaPanorama e perspectivas da comercialização de energia elétrica
Panorama e perspectivas da comercialização de energia elétrica
 
Direcionamento, Desafios e Perspectivas do Setor no Brasil em Curto, Médio e ...
Direcionamento, Desafios e Perspectivas do Setor no Brasil em Curto, Médio e ...Direcionamento, Desafios e Perspectivas do Setor no Brasil em Curto, Médio e ...
Direcionamento, Desafios e Perspectivas do Setor no Brasil em Curto, Médio e ...
 
Aperfeiçoamento dos mercados livre e regulado
Aperfeiçoamento dos mercados livre e reguladoAperfeiçoamento dos mercados livre e regulado
Aperfeiçoamento dos mercados livre e regulado
 
Gestão de riscos na administração do mercado brasileiro
Gestão de riscos na administração do mercado brasileiroGestão de riscos na administração do mercado brasileiro
Gestão de riscos na administração do mercado brasileiro
 
Panorama e perspectivas da comercialização de energia elétrica - Reunião UBS
Panorama e perspectivas da comercialização de energia elétrica - Reunião UBSPanorama e perspectivas da comercialização de energia elétrica - Reunião UBS
Panorama e perspectivas da comercialização de energia elétrica - Reunião UBS
 
Integração dos Mercados Elétricos na Europa e América Latina: desafios e avan...
Integração dos Mercados Elétricos na Europa e América Latina: desafios e avan...Integração dos Mercados Elétricos na Europa e América Latina: desafios e avan...
Integração dos Mercados Elétricos na Europa e América Latina: desafios e avan...
 
Perspectivas do Setor Elétrico 2016 a 2020 - Comercialização (ENASE 2016 - 13...
Perspectivas do Setor Elétrico 2016 a 2020 - Comercialização (ENASE 2016 - 13...Perspectivas do Setor Elétrico 2016 a 2020 - Comercialização (ENASE 2016 - 13...
Perspectivas do Setor Elétrico 2016 a 2020 - Comercialização (ENASE 2016 - 13...
 
Desafios e perspectivas para a abertura e expansão do Mercado Livre de Energia
Desafios e perspectivas para a abertura e expansão do Mercado Livre de EnergiaDesafios e perspectivas para a abertura e expansão do Mercado Livre de Energia
Desafios e perspectivas para a abertura e expansão do Mercado Livre de Energia
 
Mercado Livre de Energia Elétrica - Visão Geral - 2ª Reunião conjunta do COEM...
Mercado Livre de Energia Elétrica - Visão Geral - 2ª Reunião conjunta do COEM...Mercado Livre de Energia Elétrica - Visão Geral - 2ª Reunião conjunta do COEM...
Mercado Livre de Energia Elétrica - Visão Geral - 2ª Reunião conjunta do COEM...
 
Conjuntura da Comercialização de Energia no Brasil
Conjuntura da Comercialização de Energia no BrasilConjuntura da Comercialização de Energia no Brasil
Conjuntura da Comercialização de Energia no Brasil
 
Evolução do mercado brasileiro de energia elétrica: agenda CCEE 2016 - 3º Enc...
Evolução do mercado brasileiro de energia elétrica: agenda CCEE 2016 - 3º Enc...Evolução do mercado brasileiro de energia elétrica: agenda CCEE 2016 - 3º Enc...
Evolução do mercado brasileiro de energia elétrica: agenda CCEE 2016 - 3º Enc...
 
As novas tecnologias e arquiteturas de mercado e o futuro do ACL - 7º Encontr...
As novas tecnologias e arquiteturas de mercado e o futuro do ACL - 7º Encontr...As novas tecnologias e arquiteturas de mercado e o futuro do ACL - 7º Encontr...
As novas tecnologias e arquiteturas de mercado e o futuro do ACL - 7º Encontr...
 
A atuação da CCEE como operadora do mercado brasileiro
A atuação da CCEE como operadora do mercado brasileiroA atuação da CCEE como operadora do mercado brasileiro
A atuação da CCEE como operadora do mercado brasileiro
 
Panorama da comercialização de energia elétrica no Brasil
Panorama da comercialização de energia elétrica no BrasilPanorama da comercialização de energia elétrica no Brasil
Panorama da comercialização de energia elétrica no Brasil
 
Ntc 905200 2014 - acesso de micro e minigeração distribuida ao sistema copel;
Ntc 905200 2014  - acesso de micro e minigeração distribuida ao sistema copel;Ntc 905200 2014  - acesso de micro e minigeração distribuida ao sistema copel;
Ntc 905200 2014 - acesso de micro e minigeração distribuida ao sistema copel;
 

Semelhante a Geração Distribuída de Energia Elétrica e Geração Solar - Seminário franco-brasileiro de Energia Solar - FIESP

Câmara de comercialização de energia elétrica ccee - luiz eduardo barata
Câmara de comercialização de energia elétrica   ccee - luiz eduardo barataCâmara de comercialização de energia elétrica   ccee - luiz eduardo barata
Câmara de comercialização de energia elétrica ccee - luiz eduardo barataIsrael Cabral
 
Geração Distribuida_.ppsx
Geração Distribuida_.ppsxGeração Distribuida_.ppsx
Geração Distribuida_.ppsximairodallacosta
 
Operacao_comercializacao_energia (1).pptx
Operacao_comercializacao_energia (1).pptxOperacao_comercializacao_energia (1).pptx
Operacao_comercializacao_energia (1).pptxdadadda1
 
Os Impactos da Lei 13.280/2016 no Programa de Eficiência Energética
Os Impactos da Lei 13.280/2016 no Programa de Eficiência EnergéticaOs Impactos da Lei 13.280/2016 no Programa de Eficiência Energética
Os Impactos da Lei 13.280/2016 no Programa de Eficiência Energéticaslides-mci
 
Corporate Presentation CPFL Energia - Agosto 2017
Corporate Presentation CPFL Energia - Agosto 2017Corporate Presentation CPFL Energia - Agosto 2017
Corporate Presentation CPFL Energia - Agosto 2017CPFL RI
 
Corporate Presentation CPFL Energia - Maio 2017
Corporate Presentation CPFL Energia - Maio 2017Corporate Presentation CPFL Energia - Maio 2017
Corporate Presentation CPFL Energia - Maio 2017CPFL RI
 
Apresentacão - sunergia | energia solar
Apresentacão - sunergia | energia solarApresentacão - sunergia | energia solar
Apresentacão - sunergia | energia solarWilson Soares
 
VIII Encontro com Investidores - CPFL Energia
VIII Encontro com Investidores - CPFL EnergiaVIII Encontro com Investidores - CPFL Energia
VIII Encontro com Investidores - CPFL EnergiaCPFL RI
 

Semelhante a Geração Distribuída de Energia Elétrica e Geração Solar - Seminário franco-brasileiro de Energia Solar - FIESP (20)

Mercado de Geração Distribuída no Brasil
Mercado de Geração Distribuída no BrasilMercado de Geração Distribuída no Brasil
Mercado de Geração Distribuída no Brasil
 
Geração Distribuída de Energia Elétrica (Seminário Internacional - Impactos d...
Geração Distribuída de Energia Elétrica (Seminário Internacional - Impactos d...Geração Distribuída de Energia Elétrica (Seminário Internacional - Impactos d...
Geração Distribuída de Energia Elétrica (Seminário Internacional - Impactos d...
 
Modelos de negocio_gd_cela
Modelos de negocio_gd_celaModelos de negocio_gd_cela
Modelos de negocio_gd_cela
 
Perspectivas do Setor Elétrico
Perspectivas do Setor ElétricoPerspectivas do Setor Elétrico
Perspectivas do Setor Elétrico
 
Geração Distribuida - Oportunidades
Geração Distribuida - OportunidadesGeração Distribuida - Oportunidades
Geração Distribuida - Oportunidades
 
Câmara de comercialização de energia elétrica ccee - luiz eduardo barata
Câmara de comercialização de energia elétrica   ccee - luiz eduardo barataCâmara de comercialização de energia elétrica   ccee - luiz eduardo barata
Câmara de comercialização de energia elétrica ccee - luiz eduardo barata
 
Mercado Brasileiro: estrutura e mecanismos de incentivo
Mercado Brasileiro: estrutura e mecanismos de incentivoMercado Brasileiro: estrutura e mecanismos de incentivo
Mercado Brasileiro: estrutura e mecanismos de incentivo
 
Contribuição das energias renováveis para a mitigação de GEE: oportunidades e...
Contribuição das energias renováveis para a mitigação de GEE: oportunidades e...Contribuição das energias renováveis para a mitigação de GEE: oportunidades e...
Contribuição das energias renováveis para a mitigação de GEE: oportunidades e...
 
Mercado brasileiro de energia elétrica - O papel das renováveis de grande esc...
Mercado brasileiro de energia elétrica - O papel das renováveis de grande esc...Mercado brasileiro de energia elétrica - O papel das renováveis de grande esc...
Mercado brasileiro de energia elétrica - O papel das renováveis de grande esc...
 
Geração Distribuida_.ppsx
Geração Distribuida_.ppsxGeração Distribuida_.ppsx
Geração Distribuida_.ppsx
 
Operacao_comercializacao_energia (1).pptx
Operacao_comercializacao_energia (1).pptxOperacao_comercializacao_energia (1).pptx
Operacao_comercializacao_energia (1).pptx
 
Os Impactos da Lei 13.280/2016 no Programa de Eficiência Energética
Os Impactos da Lei 13.280/2016 no Programa de Eficiência EnergéticaOs Impactos da Lei 13.280/2016 no Programa de Eficiência Energética
Os Impactos da Lei 13.280/2016 no Programa de Eficiência Energética
 
Mercado Brasileiro Fotovoltaico
Mercado Brasileiro FotovoltaicoMercado Brasileiro Fotovoltaico
Mercado Brasileiro Fotovoltaico
 
Assuntos em Destaque na Regulação do Setor Elétrico
Assuntos em Destaque na Regulação do Setor ElétricoAssuntos em Destaque na Regulação do Setor Elétrico
Assuntos em Destaque na Regulação do Setor Elétrico
 
Panorama e perspectivas da comercialização de energia elétrica - UBS Utilitie...
Panorama e perspectivas da comercialização de energia elétrica - UBS Utilitie...Panorama e perspectivas da comercialização de energia elétrica - UBS Utilitie...
Panorama e perspectivas da comercialização de energia elétrica - UBS Utilitie...
 
Corporate Presentation CPFL Energia - Agosto 2017
Corporate Presentation CPFL Energia - Agosto 2017Corporate Presentation CPFL Energia - Agosto 2017
Corporate Presentation CPFL Energia - Agosto 2017
 
Corporate Presentation CPFL Energia - Maio 2017
Corporate Presentation CPFL Energia - Maio 2017Corporate Presentation CPFL Energia - Maio 2017
Corporate Presentation CPFL Energia - Maio 2017
 
Apresentacão - sunergia | energia solar
Apresentacão - sunergia | energia solarApresentacão - sunergia | energia solar
Apresentacão - sunergia | energia solar
 
Encontro Nacional do Setor Elétrico - ENASE
Encontro Nacional do Setor Elétrico - ENASEEncontro Nacional do Setor Elétrico - ENASE
Encontro Nacional do Setor Elétrico - ENASE
 
VIII Encontro com Investidores - CPFL Energia
VIII Encontro com Investidores - CPFL EnergiaVIII Encontro com Investidores - CPFL Energia
VIII Encontro com Investidores - CPFL Energia
 

Mais de Câmara de Comercialização de Energia Elétrica

Mais de Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (20)

Perspectivas do Setor Elétrico 2018 a 2022 - A ótica do mercado (ENASE 2018)
Perspectivas do Setor Elétrico 2018 a 2022 - A ótica do mercado (ENASE 2018)Perspectivas do Setor Elétrico 2018 a 2022 - A ótica do mercado (ENASE 2018)
Perspectivas do Setor Elétrico 2018 a 2022 - A ótica do mercado (ENASE 2018)
 
Overview of the Brazilian electricity sector
Overview of the Brazilian electricity sectorOverview of the Brazilian electricity sector
Overview of the Brazilian electricity sector
 
Aprimoramento na metodologia de cálculo do PLD
Aprimoramento na metodologia de cálculo do PLDAprimoramento na metodologia de cálculo do PLD
Aprimoramento na metodologia de cálculo do PLD
 
A visão da CCEE sobre o mercado de energia - Fórum Pernambuco Energia
A visão da CCEE sobre o mercado de energia - Fórum Pernambuco EnergiaA visão da CCEE sobre o mercado de energia - Fórum Pernambuco Energia
A visão da CCEE sobre o mercado de energia - Fórum Pernambuco Energia
 
Desafios e mudanças no setor elétrico
Desafios e mudanças no setor elétricoDesafios e mudanças no setor elétrico
Desafios e mudanças no setor elétrico
 
Brazilian Market Operator (ONU)
Brazilian Market Operator (ONU)Brazilian Market Operator (ONU)
Brazilian Market Operator (ONU)
 
Panel #3: Transforming the energy grid (Califórnia)
Panel #3: Transforming the energy grid (Califórnia)Panel #3: Transforming the energy grid (Califórnia)
Panel #3: Transforming the energy grid (Califórnia)
 
Fórum de Debates: Modernização do Setor Elétrico - A implantação do Preço Hor...
Fórum de Debates: Modernização do Setor Elétrico - A implantação do Preço Hor...Fórum de Debates: Modernização do Setor Elétrico - A implantação do Preço Hor...
Fórum de Debates: Modernização do Setor Elétrico - A implantação do Preço Hor...
 
Fórum de Debates: Modernização do Setor Elétrico
Fórum de Debates: Modernização do Setor Elétrico Fórum de Debates: Modernização do Setor Elétrico
Fórum de Debates: Modernização do Setor Elétrico
 
Painel 2: CCEE e a operação do mercado (Agenda Setorial 2018)
Painel 2: CCEE e a operação do mercado (Agenda Setorial 2018)Painel 2: CCEE e a operação do mercado (Agenda Setorial 2018)
Painel 2: CCEE e a operação do mercado (Agenda Setorial 2018)
 
Projeto de Lei para Reforma do Setor Elétrico: a proposta de abertura do merc...
Projeto de Lei para Reforma do Setor Elétrico: a proposta de abertura do merc...Projeto de Lei para Reforma do Setor Elétrico: a proposta de abertura do merc...
Projeto de Lei para Reforma do Setor Elétrico: a proposta de abertura do merc...
 
Mercado Brasileiro de Energia: Agenda 2018
Mercado Brasileiro de Energia: Agenda 2018Mercado Brasileiro de Energia: Agenda 2018
Mercado Brasileiro de Energia: Agenda 2018
 
O mercado livre de energia elétrica e os aprendizados para o setor de gás
O mercado livre de energia elétrica e os aprendizados para o setor de gásO mercado livre de energia elétrica e os aprendizados para o setor de gás
O mercado livre de energia elétrica e os aprendizados para o setor de gás
 
Risco hidrológico - Mecanismo de Realocação de Energia (MRE)
Risco hidrológico - Mecanismo de Realocação de Energia (MRE)Risco hidrológico - Mecanismo de Realocação de Energia (MRE)
Risco hidrológico - Mecanismo de Realocação de Energia (MRE)
 
Structure of the Brazilian electricity market
Structure of the Brazilian electricity marketStructure of the Brazilian electricity market
Structure of the Brazilian electricity market
 
Visão de futuro do mercado de energia elétrica - Planejamento da Geração
Visão de futuro do mercado de energia elétrica - Planejamento da GeraçãoVisão de futuro do mercado de energia elétrica - Planejamento da Geração
Visão de futuro do mercado de energia elétrica - Planejamento da Geração
 
Panorama e perspectivas da comercialização de energia elétrica
Panorama e perspectivas da comercialização de energia elétricaPanorama e perspectivas da comercialização de energia elétrica
Panorama e perspectivas da comercialização de energia elétrica
 
Aprimoramentos regulatórios e planejamento governamental para o setor elétrico
Aprimoramentos regulatórios e planejamento governamental para o setor elétricoAprimoramentos regulatórios e planejamento governamental para o setor elétrico
Aprimoramentos regulatórios e planejamento governamental para o setor elétrico
 
Perspectivas para Aprimoramento da Formação de Preços no Brasil
Perspectivas para Aprimoramento da Formação de Preços no BrasilPerspectivas para Aprimoramento da Formação de Preços no Brasil
Perspectivas para Aprimoramento da Formação de Preços no Brasil
 
Expansão do Mercado Livre - Workshop da Fiesp
Expansão do Mercado Livre - Workshop da FiespExpansão do Mercado Livre - Workshop da Fiesp
Expansão do Mercado Livre - Workshop da Fiesp
 

Geração Distribuída de Energia Elétrica e Geração Solar - Seminário franco-brasileiro de Energia Solar - FIESP

  • 1. Geração Distribuída de Energia Elétrica e Geração Solar Seminário franco-brasileiro de Energia Solar - FIESP 25/08/2016 Roberto Castro Conselheiro de Administração
  • 2. Agenda Desenvolvimento da Geração Distribuída de Energia Elétrica Comercialização de Energia Elétrica Estudo de mecanismo simplificado para comercialização de excedentes de geração distribuída no ACL 2
  • 4. Comercialização de Energia Solar - Possibilidades Gerador Solar ACR ACL Geração Distribuída  Leilões do mercado regulado  3 leilões realizados (2014 e 2015)  Outros geradores  Comercializadores  Consumidores livres e especiais (fonte incentivada*) *desconto TUSD / TUST)  REN ANEEL 482/2012 e REN 687/2015  ProGD / MME  Desenho para viabilizar a inclusão no ACL / CCEE 4
  • 5. Leilão de usinas solares  3 Leilões realizados com participação de usinas solares  31 Usinas contratadas 5 6º Leilão de Energia de Reserva (em 2014) 7º Leilão de Energia de Reserva (em 2015) 8º Leilão de Energia de Reserva (em 2015)  Contratação de 202 MW médios  Deságio 17,69% (105 rodadas de lances)  Preço médio de venda foi de R$ 215,12  30 Usinas contratadas  Primeiro leilão exclusivo de solar  Contratação de 231,5 MW médios  Deságio 13,53% (87 rodadas)  33 Usinas contratadas  Contratação de 245,3 MW médios  Deságio 21,85% (77 rodadas)  Preço médio de venda foi de R$ 297,75 • 16/12 (11º LER) Próximo leilão Solar representa 2% das contratações nos leilões de expansão
  • 6. Leilões – Preço Médio por Fonte (R$)  Leilões de Energia Nova, Energia de Reserva, Fontes Alternativas e Projetos Estruturantes (de 2005 a 2016) Valores financeiros atualizados com o IPCA de jun/16 Sumário 6
  • 7. Leilões – Fotovoltaicas  94 usinas solares já leiloadas para iniciar o suprimento entre 2017 e 2018 Usinas Solares Nº de Empreendimentos Potência GF Incremento 2017 61 1.723,46 435,20 Incremento 2018 33 929,34 246,00  Total previsto de capacidade instalada (MW): Usinas Solares Capacidade Instalada 2017 1.744 2018 2.674 7 BA - 32 SP - 10 PI - 9MG- 17 PB - 5 CE - 6 RN - 6 TO - 4 PE - 4 GO - 1 (MW) (MW Médios)
  • 8. Pontos de atenção nos projetos 8  A variação cambial foi expressiva após o leilão (aprox. 32%) e investidores que não realizaram proteção cambial estão enfrentando problemas para construir os projetos  O BNDES exige elevado grau de nacionalização para financiar os projetos (de 50% a 80%, dependendo do ano, módulo e sistema), o que ainda não é possível no caso da solar que está em estágio inicial  Empresas que ganharam contratos para vender energia de projetos que estão previstos para 2017 solicitaram a postergação da entrega em dois anos. Situação está sendo analisada pelo MME e Aneel  Os empreendimentos possuem uma garantia de fiel cumprimento de 5% do total do investimento, que pode ser executado no caso de atrasos
  • 9. Desenvolvimento da Geração Distribuída de Energia Elétrica 9
  • 10. Resolução Normativa ANEEL 482/12  A Resolução Normativa ANEEL 482/2012 estabeleceu as condições gerais para a conexão à rede da microgeração e minigeração distribuída e criou o Sistema de Compensação de Energia  Sistema de Compensação de Energia  Caso a geração seja maior que o consumo, o excedente é injetado na rede elétrica, gerando créditos de energia. Quando a geração for menor do que o consumo, será utilizada a energia da própria rede elétrica. Os créditos podem ser utilizados para abater o consumo, diminuindo assim o valor da conta de energia 10
  • 11. Geração Distribuída de Grande Porte  Estabelece os Valores de Referência Específicos (VREs)  Portaria 538/2015 assinada pelo Ministério de Minas e Energia Solar fotovoltaica R$ 454,00/ MWh Cogeração a gás natural R$ 329,00/ MWh Esse valor define a remuneração paga pela distribuidora ao gerador pela energia que ele entregar à rede de distribuição  Atualização automática do VRE, anualmente pelo IPCA, durante vigência do contrato, garantindo manutenção dos custos  Atualmente, as empresas de distribuição de energia podem comprar até 10% de seu mercado de fontes de geração de energia distribuída para compor seu portfólio. 11
  • 12. Estudo de mecanismo simplificado para comercialização de excedentes de geração distribuída no ACL 12
  • 13. Alternativa ao sistema de compensação de energia elétrica, ou seja, o consumidor opta por comercializar toda a energia injetada na rede (líquida depois do consumo), sem compensar seu consumo Comercializador “usina virtual” contabilizada na CCEE agregação Contrato de venda Contrato de venda Estudo em andamento 13
  • 14.  A CCEE não manteria cadastro individualizado de cada consumidor, assim como de suas relações contratuais de venda de excedente para o comercializador. A relação entre comercializador e consumidor seria registrada junto à distribuidora local  A distribuidora passaria a atuar como agente de medição e de agregação de dados, informando à CCEE somente o total de excedentes de geração em sua área de concessão relacionada a cada comercializador  Sistema de medição já estabelecido na REN 482/12 atende as necessidades para a coleta e agregação dos dados de medição pela distribuidora  A distribuidora seria remunerada pelo serviço de coleta, agregação e registro da medição na CCEE. Para tanto, deve ser estabelecida regulação específica  Utilizando sua estrutura, a distribuidora poderia oferecer serviços adicionais de informações e sistemas voltados à gestão da micro e minigeração pelos próprios consumidores ou pelos comercializadores Estudo em andamento 14
  • 15.  Impulsiona novos modelos de negócios, de modo a facilitar o financiamento dos projetos, além de gerar benefícios sociais e para a indústria nacional  Empreendedores especializados - viabilização do projeto por meio da combinação de atendimento ao consumidor e venda de excedentes  Investidores parceiros  Aluguel de telhados  Comunidades elétricas  Promover o desenvolvimento da micro e minigeração baseado na competitividade dos projetos, sem subsídios oficiais ou encarecimento das tarifas dos demais consumidores Estudo em andamento 15
  • 16. Conheça nossas páginas na internet ccee.org.br Site oficial com notícias, documentos e informações de mercado linkedin.com/company/298493 Conheça nossa página corporativa! slideshare.net/cceeoficial Acervo de apresentações da CCEE em conferências em geral vimeo.com/ccee Reúne vídeos institucionais e eventos gravados pela instituição