O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

REDE POLIS - VOZ ATIVA

113 visualizações

Publicada em

REDE POLIS - VOZ ATIVA

Relatório final, UBS Vila Marli.

CADI Fazenda Rio Grande

Publicada em: Governo e ONGs
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

REDE POLIS - VOZ ATIVA

  1. 1. 1 CENTRO DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO INTEGRAL Programa Escola de Oportunidades Darrow Miller Responsável pela coleta de dados: Educadora Social: Isabela Pereira Alunos da oficina Voz Ativa (7 a 13 anos) Responsável Técnico: Danilo Ladentim Texto referencial de resultados e observações sobre Monitoramento de Políticas Públicas – Posto de Saúde Vila Marli INTRODUÇÃO: O CADI atua há 23 anos em Fazenda Rio Grande, oferecendo atividades focadas no desenvolvimento comunitário, para crianças e adolescentes e suas famílias em contexto de vulnerabilidade social. Hoje, somos uma coalizão de 12 organizações em 9 estados brasileiros, atendendo aproximadamente cerca de 18 mil pessoas por ano. Dentro das atividades sócio educativas que o CADI Fazenda Rio Grande oferece, está a oficina de Formação Sócio Política, chamada #VozAtiva, onde alunos de 7 a 13 anos, estudantes de escolas públicas atendidos pela organização, são capacitados e treinados para entender e monitorar políticas públicas em geral, aumentando conscientização e participação social da comunidade, colaborando nas melhorias dos serviços públicos. Corroborando para o entendimento de uma melhor e mais eficiente participação social, citamos a Constituição Federal de 1988, registrando o maior período de vida democrática no Brasil desde 1946, e marco do exercício da democracia. A participação social até então representativa, se transforma em participativa, no que tange a formulação de políticas públicas. Além da garantia dada pela Constituição, no que tange o direito à participação social, encontramos regulamentações em leis específicas, como a Lei Orgânica da
  2. 2. 2 Saúde (LOS), o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), a Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS) e o Estatuto das Cidades. Estas leis prevêem instâncias de consulta e deliberação cidadãs, especialmente por meio de conselhos de políticas públicas nos três níveis do Executivo (Federal, Estadual e Municipal). Além disso, o controle social pode ser exercido fora dos canais institucionais de participação, pela população em geral, acompanhando as políticas públicas em todos os níveis da federação. Além dos mecanismos de participação já citados, podemos citar também as conferências, ouvidorias, processos de participação no ciclo de planejamento e orçamento público, audiências e consultas públicas, ambientes virtuais de participação social, permitindo assim, maior possibilidade de adesão da sociedade civil na gestão da máquina pública, além de maior transparência nos processos. Como consequência dessa aproximação, os gestores passaram a se esforçar e trabalhar em prol de melhores resultados dentro de suas respectivas gestões. O CADI como organização da sociedade civil, acredita fielmente que um país mais justo e igualitário passa pelas mãos de todos e como dever de todos, a participação ativa e organizada da sociedade é ferramenta primordial para o alcançar de soluções e melhorias no nosso cotidiano. Sendo assim, diante de todas as oportunidades de participação social previstas pela legislação, somente teremos resultados expressivos à medida que cada cidadão assuma sua resposabilidade de cumprimento de seu dever cívico. A Educação Política, ausente na maioria dos planos pedagógicos no estado brasileiro, é o caminho para a criação de uma sociedade mais consciente de seus direitos e deveres, pois como queremos cobrar nossos direitos sem ao menos conhecê-los? Como entender a complexidade da máquina pública sem estudar o mesmo? Mesmo com a abertura de diálogo proveniente da Constituição, para reclamar é necessário informação e conhecimento, por isso investimos nossas energias como CADI, na capacitação de crianças e adolescentes, que ao cresecerem, se transformarão em agentes protagonistas de sua história, colaboradores e construtores de novas políticas públicas, mais eficientes, democráticas e justas para com a população em geral. Portanto, na perspectiva educacional e pedagógica, o CADI se propôs a oferecer uma atividade prática de Controle Social, através de uma Auditoria
  3. 3. 3 Cívica, onde os alunos da oficina #VozAtiva teriam a oportunidade de vivenciar um modelo simples de monitoramento, a partir de ferramentas de observações acerca da estrutura e funcionamento de uma política pública da saúde. Para tal, foi escolhida a Unidade Básica de Saúde, situada no bairro Nações I, denominada Vila Marli. Essa escoha foi pautada nas demandas apontadas pela população e pelos próprios alunos acerca de problemáticas na áera da saúde do município, levando em consideração o próprio site da Secretaria Municipal da Saúde Municipal, que deixa claro a importância da participação social na elaboração e monitoramento dessa política pública, dizendo: Formular e desenvolver a política municipal de saúde e a integração regional das redes de atenção, COM PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE, promovendo cuidado eficiente, efetivo, oportuno, com equidade para a população. Fonte: http://www.fazendariogrande.pr.gov.br/secretarias/saude/ OBJETIVOS: Municiar crianças, adolescentes e suas famílias quanto ao exercício de uma cidadania ativa, através da formação socio-política de base comunitária, e monitoramento da Unidade Básica de Saúde Vila Marli, colhendo informações e propondo soluções de melhorias para os orgãos competentes. METODOLOGIA: A auditoria cívica foi realizada por crianças e adolescentes, com faixa etária de 7 a 13 anos, estudantes de escolas públicas do município de Fazenda Rio Grande, nos meses de setembro e outubro de 2017, através de pesquisas com questionamentos abertos e fechados e uma outra parte direcionada por um questionário semi-estruturado. Foram entrevistados 50 usuários da UBS em questão, coletadas fotos dos locais e análise do funcionamento geral da unidade. Após a finalização da pesquisa de campo, a sociedade civil e o Poder Público foi convidado para uma Reunião Comunitária, onde apresentou-se um relatório parcial das observações coletadas pelos alunos responsáveis pela pequisa. Nessa mesma reunião, através de debate, outras demandas foram
  4. 4. 4 coletadas em ata e apontadas, agora, nesse relatório final. RESULTADOS: 1- Como você classifica o atendimento do posto de saúde? - 12% disseram que é ótimo - 65% disseram que é bom - 23% disseram que é ruim Observações e apontamentos: Para esse questionamento encontramos um bom nível de satisfação da comunidade usuária para com o atendimento nos serviços prestados pelos funcionários da UBS, o que deixa claro, o desejo de contribuir com o fortalecimento de uma boa prática de gestão local que supra as demandas e problemas da comunidade. Encontramos na pesquisa, funcionários com muita satisfação e amor pelo local de trabalho, exercendo a função dentro da unidade há muitos anos, como é o caso da maioria, e lutando pelas melhorias que são necessárias para o aperfeiçoamento do ambiente local e seus serviços. Cabe lembrar dos 23% que disseram que o atendimento precisa melhorar em alguns aspectos, como por exemplo, relatado por um usuário, a demora no atendimento para vacinação, mesmo sem ninguém na fila, dizendo que a responsável pela vacinação: “andava de um lado para outro bem devagar, ficava na cozinha por um bom tempo…como pode não ter ninguém na minha frente para vacinar e eu ficar esperando quase 1h para ser atendido?”. Outro ponto destacado e encontrado pela pesquisa é a demora no atendimento médico, que em média dura 3h (não estamos relatando sobre as pessoas que chegam de madrugada na fila). Outro apontamento feito pelos usuários corresponde a pouca simpatia na recepção em dias mais lotados: “…elas não tem paciência de responder o que a gente pergunta, respondem de maneira grosseira.” Como demanda posterior, pedimos que seja revisada a gestão de tempo
  5. 5. 5 e funcionamento da área de vacinação e os processos e protocolos de atendimento ao usuário em sua chegada a unidade. Sugere-se a construção de um protocolo básico de atendimento ao usuário, para que todos os que trabalham na recepção tenham o mesmo discurso e atuação, mesmo em dias de alta demanda. Outra sugestão pertinente, diz respeito a horários de lanche ou intervalo; deve-se atentar para horários de intervalo quando a demanda estiver toda coberta ou no minimo onde o usuário não necessite esperar por muito tempo, mesmo quando a unidade não estiver operando em dias de alta demanda. Finalizando este tema, sugerimos que seja construído no mínimo um protocolo ou projeto de lei municipal, parecido com o modelo bancário, que estabeleça um tempo máximo de espera dentro das Unidades de Saúde do município e trabahando posteriormente para a efetivação desta melhoria. 2- Como você classifica a estrutura física do local? - 76% - boa, mas precisa ser melhorada - 18% - ótima - 6% - ruim e nada funciona Observações e apontamentos: Aqui está a maior demanda encontrada dentro da auditoria realizada. A estrutura física do local, segundo usuários e obervações realizadas, está muito aquém do que deveria. Entendemos que uma estrutura pública de atendimento tem o poder de dignificar ou humilhar o usuário, além de dificultar todo o trabalho realizado pelos funcionários. Encontramos diversos focos que necessitam de reformas urgentes, ou ampliamentos da estrutura física da UBS, sendo elas citadas abaixo, através de fotos e sugestões de melhorias. Nesse caso, entendemos que são casos urgentes e necessitam de resposta o mais breve possível:
  6. 6. 6 - Calçamento inapropriado para os padrões de acessibilidade: Como pode-se perceber, não existe um piso apropriado para cadeirantes ou mãespais com carrinho de bebê, o que conceitua uma falta de respeito com essa população que utiliza os serviços públicos da UBS. Mesmo sem foto da área posterior da Unidade, foi relatada na Reunião Comunitária, que essa mesma área, que serve de estacionamento para funcionários, em dias de chuva, alaga com muita facilidade e transforma-se em um local com muita dificuldade de trãnsito devido ao barro e outras sujeiras. Como ali é o único acesso para os funcionários que utilizam o veículo como transporte, cobramos que seja realizada a colocação de piso adequado para minimizar os transtornos aos funcionários. Outro ponto relatado na Reunião Comunitária por um vizinha da UBS é a Câmera de Segurança que fica no poste em frente, que em momentos de necessidade não estava funcionando. A vizinha informa que no perído noturno,
  7. 7. 7 muitas vezes pessoas utilizam a lixeira de forma inadequada, sujando a frente de sua casa, além de outros relatarem a importância do bom funcionamento para a segurança da unidade, por isso mesmo sendo um caso para a área de segurança municipal, pedimos a verificação do porque do não funcionamento desse equipamento. - Paredes com aparência indevida:
  8. 8. 8 Como pode-se perceber nas fotos registradas pelos alunos, as paredes da UBS encontram-se com uma qualidade de pintura muito aquém do que deveriam oferecer aos usuários, descascadas em várias partes, com marcas de fitas e colas, o que corrobora para o que já falamos nas linhas cima, sobre o não dignifica o cidadão quando esse, adentra ao local. Necessita-se de uma pintura urgente, que traga limpeza e bem-estar para todos que utilizam a estrutura. Essa pintura não se refere apenas a parte interna da unidade, mas também toda a área externa, incluindo muros. Vale salientar, que em 2017, parte do muro foi pintado, por alunos voluntários do CADI, que participaram de um projeto de capacitação no mês de julho e na parte prática ofereceram parte desse serviço. É necessário o término da pintura do muro principal.
  9. 9. 9 - Reparos no piso interno Encontramos partes do piso interno com reformas inacabadas, com pequenos buracos e até canos aparecendo. Sugerimos a revisão de todos esses serviços já realizados ( vide exemplo na foto acima), com o acabamento adequado, não só para melhor visibilidade quanto para segurança dos usuários e funcionários. - Reformas de estofamentos das cadeiras da recepção:
  10. 10. 10 Foi encontrado demandas para reforma de estofados na área da recepção, em cadeiras onde o público espera para atendimento. Pedimos a reforma ou troca das cadeiras e verificação com antecedência de possíveis outros estofados que possam estar a ponto de apresentar rasgos e demais problemas. - Pintura da grade externa da porta principal: A grade externa da porta principal encontra-se em total estado de enferrujamento, o que, além da aparência física inadequada para atendimento da sociedade usuária, pode com o tempo trazer malefícios físicos a saúde caso não sejam tomadas as devidas providências. Pedimos a reforma imediata da mesma. Adequações de espaço: Nesse ítem verificamos importantes demandas na adequação de espaços físicos, compras de móveis ou outras soluções que comportem o que será relatado abaixo:
  11. 11. 11 - Disponibilização de local adequado para arquivos:
  12. 12. 12 Documentos, registros de pacientes e de consulta, além de demandas administrativas do dia-a-dia, são apenas alguns exemplos de que é realmente necessário, que a secretaria disponibilize local adequado para o arquivo desses documentos. Verificou-se, conforme fotos acima, que está sendo adaptado um móvel doado pelo exército para guardar arquivos da UBS e que o mesmo se encontra dentro da sala de recepção, junto as cadeiras de espera de atendimento, o que não é satisfatório, devido a vulnerabilidade do local e a possibilidade de perda dos mesmos. É necessário de forma urgente, que a recepção seja reformadaampliada, e que a UBS em questão receba novos móveis para arquivamento de documentos (inclusive arquivo morto). - Sala das ACSs com estrutura precária:
  13. 13. 13
  14. 14. 14 A sala da ACS – Agentes Comunitárias de Saúde talvez seja o caso mais difícil desse relatório, onde percebe-se um descaso incrivel com a estrutura de trabalho para o exercer da função de pessoas, em média, há mais de 10 anos no cargo. Ali verificou-se que em um espaço aproximado de 3m x 1,5m devem trabalhar 15 funcionários. Lógico que o espaço é todo adaptado, nunca permitindo que o trabalho seja exercido por todos eles, ocasionando a falta de motivação dos funcionários, falta de esperança na adequação digna do ambiente e possíveis atrasos nos processos devido também a apenas 3 computadores para os mesmos 15 funcionários. Dentre os maiores problemas verificados na auditoria, podemos citar: - Mesas adaptadas na altura com utilização de blocos de concreto; - Mesas de má qualidade; - Fiação solta na parede superior, com grande grau de risco elétrico; - Fiação adaptada nas tomadas abaixo das mesas; - Falta de local para guardar pertences e utensílios de trabalho; - Ventilação no local (único ventilador encontrado no local pertence a uma funcionária); - Computadores insuficientes para todos os funcionários; - Quantidade de mesas de trabalho insuficientes;
  15. 15. 15 Nossa sugestão e cobrança é para que de forma urgente, um novo local seja disponibilizado para o trabalho das Agentes Comunitárias. A estrutura de trabalho que é oferecida hoje, pela secretaria de saúde, é inadimissível, pois pela importância da função e a quantidade de funcionários, fica impossível que os processos sejam realizados de maneira correta, acarretando em consequências em todo o processo do serviço ao usuário. Além disso, constatou-se que a quantidade de funcionários é menor do que a demanda de atendimento da UBS, sendo que hoje existem 16 Agentes Comunitárias de Saúde para 17000 usuários, o que equivale a uma média de 1 ACS para 1.062 pessoas, sendo que o ideal, seria de 1 ACS para no máximo 750 pessoas. A contratação de mais 1 funcionário é indispensável para que o atendimento seja eficiente e cumpra todas as necessidades da população, sem sobrecarregar as demais agentes. - Sala de acolhimento improvisada Devido a utilização desse novo protocolo de atendimento, o de acolhimento, permitindo que o paciente passe por uma triagem com as enfermeiras, possibilitando assim, o encaminhamento e soluções, as vezes sem a necessidade de passar pelo médico, a UBS teve que improvisar um local para esse atendimento, pois não há, hoje, dentro da estrutura, uma sala para
  16. 16. 16 tal. Com isso, adaptou-se uma sala que fica na parte posterior do móvel de arquivos da recepção fechado com um biombo bem simples, em local totalmente exposto e sem nenhuma privacidade, o que é necessário em determinadas situações dos pacientes. Cobramos da Secretaria de Saúde, com urgência, a disponibilização de uma sala adequada e digna para o trabalho das enfermeiras e utilização dos pacientes. Além disso, a disponibilização de materiais adequados para esse tipo de atendimento, sem a necessidade de compra dos mesmos por parte dos funcionários. - Outra demandas relacionadas a estrutura física encontradas: • Sala para palestras e ações coletivas: não há espaço algum na estrutura atual para que as funcionárias possam oferecer aos usuários, palestras, capacitações ou algum tipo de ação coletiva mais específica; • Sala para odontologia: outra demanda muito citada na auditoria e na Reunião Comunitária. Não há atualmente, atendimento odontológico na Unidade, devido a falta de profissionais. Qualquer problema que o usuário tenha nessa área é feita apenas a medicação e em casos mais graves a tentativa de encaminhamento para outras UBSs da região, nem sempre realizadas com sucesso. Foi relatado ainda, que para uma chance maior de sucesso no encaminhamento ou no auxílio ao problema do paciente, o horário mais propício para tal seria na parte da manhã, o que chega a ser desrespeitoso com o usuário. Outro ponto levantado foi que uma cadeira odontológica está na parte externa da unidade de saúde, pois não há local para guardar a mesma. • Troca de telhado: há goteiras em dia de chuva mais forte, relatadas por usuários. Sugere-se a reforma e revisão do telhado urgentemente.
  17. 17. 17 3- Sobre encaminhamentos e atendimentos: - 21% disseram que sempre conseguem ser atendidas e/ou encaminhadas - 38% disseram que conseguem ser atendidas e/ou encaminhadas mas que demora bastante. - 41% disseram que nunca precisaram ser encaminhadas. Observações e apontamentos: Sobre a demora nos encaminhamentos foi relatado que estão sendo chamados, pacientes do mês de abril, o que acumula uma espera de 6 meses para exames laboratoriais: mesmo que os pacientes mais graves não estejam nessa fila, acreditamos que em casos de controle ou situações mais amenas, o usuário deve ter o direito de realizar o procedimento sem essa espera tão grande. Foi observado que existe apenas 1 laboratório apenas como parceiro para esses exames e que o mesmo, além de outras problemáticas, não comportam a demanda de exames pedidos. Sobre os encaminhamentos para consultas com especialistas (mesmo não sendo total responsabilidade da secretaria Municipal) estão a Oftalmologia, Reumatologia e Neurologia. No mesmo caso dos exames laboratoriais, onde os pacientes mais graves são encaminhados mais rapidamente, deve-se ter uma condição melhor e mais rápida para que, os usuários que não conseguem acesso via plano de saúde ou pagamento particular, possam ser atendidos e acompanhados de forma eficiente. Sabendo que a responsabilidade municipal está ligada a Atenção Básica, salientamos que a Secretaria de Saúde deve cobrar or órgãos estaduais, de maneira assertiva e contundente, para que a população possa ter seu direito respeitado. 4- Sobre o número de fichas de atendimento disponibilizados à população: - 81% disseram que o número de fichas não é suficiente para atender a comunidade. - 19 disseram que o número de fichas distribuídos é suficiente para
  18. 18. 18 atender a comunidade. Nesse caso, contatou-se que a demanda de usuários é muito maior do que a capacidade total da UBS, necessitando de uma apliação do local urgente ou a construção de uma nova Unidade de Saúde no bairro, o que na nossa visão, seria muito mais caro para o município. Posteriormente a uma ampliação, lógicamente que será necessário a ampliação do quadro de funcionários. 5- Sobre medicamentos: - 29% disseram que sempre conseguem medicamentos. - 26% disseram que conseguem mas que demora. - 45% disseram que nem sempre tem medicamentos no posto de saúde. Essa é mais uma constatação frequente em monitoramentos de políticas públicas da saúde, a faltade medicamentos. Para exemplificar isso, em determinado momento da coleta de dados, usuários reclamaram da falta de 3 medicamentos específicos: Omeprazol, Losartana e Enalapril, sendo os 2 últimos para controle de pressão arterial. Mesmo com a possibilidade de adquirir medicamentos via Farmácia Popular, com até 90% de desconto, salienta-se que se a política da saúde prevê o direito ao medicamento, ele deve ser garantido, até porque em determinados casos familiares, os 10% restantes no valor do pagamento via Farmacia Popular, por exemplo, muitas vezes não estão disponíveis, devido a renda per capta da família. 6- Você já fiscalizou alguma política pública? 83% falaram que não 9% falaram que já fiscalizaram 9% falaram que nunca fiscalizaram, mas que tem interesse.
  19. 19. 19 Inserimos essa questão na pesquisa para termos uma ideia sobre como o monitoramento de políticas públicas ainda é afastado do nosso dia-a-dia. Comprova-se isso através dos 83% dos usuários que nunca tiveram nenhuma experiência com essa prática. É necessário uma participação maior da sociedade na construção ou melhoria de políticas públicas mais eficientes, justas e igualitárias para a sociedade. 7- Cite 3 coisas que precisam ser melhoradas na Unidade de saúde Vila Marli: - Demora no atendimento - A aparência precária do local estrutura física - Falta de médicos - Falta de medicamentos - Funcionários insuficientes para a demanda; - Superlotação; 8- O que os usuários gostariam que acontecesse no posto de saúde: - Uma reforma para ampliar o local e comportar o número de pacientes que atendem; - Mais atenção das autoridades; - Mais condições de trabalho aos funcionários. 9- Se você encontrasse um representante político do povo o que você diria a ele? - Relatar os problemas que eles enfrentam na utilização do serviço; - “Que as autoridades públicas visitassem a unidade de saúde, e consultassem para ver como se sentem”. - “Que prestem mais atenção à saúde pública do município”.
  20. 20. 20 DEMANDAS E PRAZOS DEMANDA PRAZOS CALÇAMENTO NA ENTRADA PRINCIPAL 120 DIAS PISO ADEQUADO NO ESTACIONAMENTO DOS FUNCIONÁRIOS 120 DIAS CÂMERA DE SEGURANÇA NA FRENTE DA UBS 120 DIAS REFORMA E PINTURA DAS PAREDES INTERNAS 120 DIAS REFORMA E PINTURA DAS PAREDES EXTERNAS 120 DIAS PINTURA DO MURO 120 DIAS LIMPEZA DA CALÇADA 120 DIAS REFORMAS NO PISO INTERNO 120 DIAS REFORMA GERAL NO TELHADO 120 DIAS REFORMAS NOS ESTOFAMENTOS DA UBS 120 DIAS REFORMA E PINTURA DA GRADE DA PORTA PRINCIPAL 120 DIAS DISPONIBILIZAÇÃO DE MÓVEIS PARA ARQUIVOS 120 DIAS AMPLIAÇÃO DA RECEPÇÃO DA UBS 120 DIAS DISPONIBILIZAÇÃO DE LOCAL RESTRITO PARA ARQUIVO MORTO 120 DIAS REFORMA E AMPLIAÇÃO – SALA ACS 120 DIAS COMPRA DE MESAS PARA SALA ACS 120 DIAS COMPRA DE CADEIRAS PARA SALA ACS 120 DIAS VENTILADOR OU AR CONDICIONADO PARA SALA ACS 120 DIAS ADEQUAÇÃO DA FIAÇÃO – SALA ACS 120 DIAS MÓVEIS PARA GUARDAR DOCUMENTOS EM GERAL 120 DIAS COMPRA DE COMPUTADORES PARA SALA ACS 120 DIAS CONTRATAÇÃO DE NO MÍNIMO MAIS 1 ACS 120 DIAS DISPONIBILIZAÇÃO DE SALA PARA ACOLHIMENTO 120 DIAS
  21. 21. 21 DISPONIBILIZAÇÃO DE SALA PARA PALESTRAS 120 DIAS SALA PARA ODONTOLOGIA 120 DIAS PROTOCOLO DE ACELERAÇÃO PARA ENCAMINHAMENTOS: EXAMES E CONSULTAS COM ESPECIALISTAS 120 DIAS AUMENTO NO NÚMERO DE FICHAS PARA CONSULTA 120 DIAS CONTROLE DE MEDICAMENTOS – EVITANDO A FALTA 120 DIAS RECOMENDAÇÃO FINAL Recomenda-se a adoção das soluções para os problemas encontrados e relatados nesse relatório final. Dentro do prazo estipulado de 120 dias, os alunos e responsáveis da oficina de Formação e Monitoramento Poítico, estarão realizando nova auditoria para averiguar quais medidas foram adotadas em prol do melhor funcionamento da UBS. Contamos com a colaboração dos órgãos competentes para, juntos, melhorarmos a eficiência e funcionamento das Políticas Públicas do nosso amado município. Sem mais para o momento,me coloco a inteira disposição para quaisquer esclarecimentos. ______________________________________________ COORDENAÇÃO EXECUTIVA – CADI FAZENDA RIO GRANDE ___________________________________________________ RESPONSÁVEL TÉCNICO E GESTOR DE PROJETOS ___________________________________________________ REPRESENTANTE DOS ALUNOS FAZENDA RIO GRANDE, 28 DE NOVEMBRO DE 2017.

×