Sobre quem vamosfalar meninos??Sobre Almeida Garrett.
E QUEM É ALMEIDA GARRETT? João Baptista da Silva Leitão- AlmeidaGarrett Nasceu em 1799 no Porto e faleceu emLisboa em 18...
Ai! não te amo, não; e só te queroDe um querer bruto e feroQue o sangue me devora,Não chega ao coração.Não te amo. És bela...
http://www.youtube.com/watch?v=3T_XmB0uuKk
Na infância recebeu uma formação religiosa e clássica.Concluiu o curso de Direito em Coimbra, onde aderiu aos ideais do li...
http://www.youtube.com/watch?v=Sn1c8nslAu8
A OBRA :Tem o grande mérito de ser o introdutor do Romantismo emPortugal ao nível da criação textual.Processo que iniciou ...
http://www.youtube.com/watch?v=CUYkNZh0xaQ
O ROMANTISMO EM PORTUGALO Romantismo português tem de ser enquadradono cenário das guerras liberais .Forma-se à luz dos pr...
Almeida Garrett pelo escultor António Pinheiro.
 Costuma datar-se o início do Romantismo em1825 com a publicação, em Paris, do poemaCamões de Garrett. Todavia, esta obra...
http://www.youtube.com/watch?v=8PfOcA7t6EQ
O ROMANTISMO NA EUROPA Foi na Inglaterra que este movimento literárioteve a sua origem. WalterScott, Byron, Thompson, Wo...
 "A tudo se habitua o homem, a todo o estadose afaz; e não há dúvida por mais estranhaque o tempo e a repetição dos atos ...
 "Formou Deus o homem, e o pôs num paraíso dedelícias; tornou a formá-lo a sociedade, e o pôs numinferno de tolices. O ho...
 "Imaginar é sonhar, dorme e repousa a vidano entretanto; sentir é viverativamente, cansa-a e consome-a.“ Tema - Imagina...
 http://www.youtube.com/watch?v=Eo_ei5F-izo
PASSOS MANUELALMEIDA GARRETTALEXANDREHERCULANOJOSÉ ESTEVÃO DEMAGALHÃES
FREI LUIS DE SOUSA Drama –Pressupõe uma ação menos tensa quea tragédia, menos concentrado numacrise, mais submetida à inf...
ELEMENTOS TRÁGICOS E DRAMÁTICOS EM FREILUÍS DE SOUSA:TRÁGICOS: Tema – ilegitimidade de Maria ( adultério ) Personagens –...
 Drama: A peça é escrita em prosa.
 Espaço: O espaço vai-se reduzindo. África - Europa – Portugal - Lisboa - Alfeite -Almada - I palácio – II palácio
 Tempo : O tempo vai-se reduzindo, fechando-se dramaticamente empartes cada vez mais curtas. 1578 – Madalena casa com D...
 Divisão da peça : 3 atos escritos em prosa: 1 ato - Do início até ao incêndio do palácio deManuel de Sousa Coutinho. ...
PERSONAGENS: Manuel de SousaCoutinho – Segundomarido de madalena; paide Maria; teme que D.João possa regressar(ideia inco...
 D . João de Portugal –Casado com Madalena, masdesaparecido na batalha deAlcácer Quibir; austero;sentimento amoroso porMa...
 Maria de Noronha – Filhade D. Madalena e D.João; amorfilial, curiosidade;sonho, fantasia, idealismo, filha fatal, adoles...
 Telmo Pais – escudeiro de famíliados condes Vimioso, sofre pelavolta de D. João, pois esta tirará atranquilidade da sua ...
A CRENÇA DO SEBASTIANISMO: O mito do sebastianismo está espalhado por toda aobra. Logo no início: Madalena afirma a Telm...
 Cena I à IV – localização das personagens no tempo Ato 1 Cena V à VIII – preparação da acção para o que se aipassar a s...
A TRAGÉDIA CLÁSSICA: A todo o sistema de forças, que comprime e pesa sobre a liberdadeindividual, o cidadão, o homem opõe...
ESPECTADOR E ACÇÃO DRAMÁTICA: O agenciamento da ação dramática datragédia visava a exibição dasconsequências (pathos) do ...
http://www.youtube.com/watch?v=dIQfbcJUkVU
 Trabalho feito por: Bruno Soares; Daniel Pinto; Paulo Semedo. Português, sobre Almeida Garrett. 25/01/2013
Almeida garett
Almeida garett
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Almeida garett

415 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
415
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Almeida garett

  1. 1. Sobre quem vamosfalar meninos??Sobre Almeida Garrett.
  2. 2. E QUEM É ALMEIDA GARRETT? João Baptista da Silva Leitão- AlmeidaGarrett Nasceu em 1799 no Porto e faleceu emLisboa em 1854 .É provavelmente o escritor português maiscompleto de todo o século XIX. Deixou obras primas na: poesia; no teatro;na prosa e foi inovando na escrita e nacomposição de cada um destes génerosliterários.
  3. 3. Ai! não te amo, não; e só te queroDe um querer bruto e feroQue o sangue me devora,Não chega ao coração.Não te amo. És bela; e eu não te amo, óbela.Quem ama a aziaga estrelaQue lhe luz na má horaDa sua perdição?E quero-te, e não te amo, que é forçado,De mau, feitiço azadoEste indigno furor.Mas oh! não te amo, não.E infame sou, porque te quero; e tantoQue de mim tenho espanto,De ti medo e terror...Mas amar!... não te amo, não.Almeida Garrett:: Folhas CaídasTema: AmorNão te AmoNão te amo, quero-te:o amar vem d’alma.E eu n’alma -tenho a calma,A calma - dojazigo.Ai! não teamo, não.Não te amo, quero-te:o amor é vida.E a vida - nemsentidaA trago eu jácomigo.Ai, não teamo, não!
  4. 4. http://www.youtube.com/watch?v=3T_XmB0uuKk
  5. 5. Na infância recebeu uma formação religiosa e clássica.Concluiu o curso de Direito em Coimbra, onde aderiu aos ideais do liberalismo.Em 1823, após a subida ao poder dos absolutistas, é obrigado a exilar-se emInglaterra onde inicia o estudo do romantismo (inglês), movimento artístico-literário então já dominante na Europa.Regressa em 1826 e passa a participar na vida política, mas tem de se exilarnovamente em Inglaterra em 1828, depois da contra revolução de D. Miguel.Em 1832, na Ilha Terceira, incorpora-se no exército liberal de D. Pedro IV eparticipa no cerco do Porto.Exerceu funções diplomáticas em Londres, em Paris e em Bruxelas.Após a Revolução de Setembro (1836) foi Inspetor Geral dos Teatros e fundouo Conservatório de Arte Dramática e o Teatro Nacional.Com a ditadura cabralista (1842), Garrett é posto à margem da política e inicia operíodo mais fecundo da sua produção literária. Durante a Regeneração (1851)recebe o título de visconde e é nomeado Ministro dos Negócios Estrangeiros.A vida :
  6. 6. http://www.youtube.com/watch?v=Sn1c8nslAu8
  7. 7. A OBRA :Tem o grande mérito de ser o introdutor do Romantismo emPortugal ao nível da criação textual.Processo que iniciou com os poemas:Camões (1825);D. Branca (1826).Ainda no domínio da poesia são de destacar o Romanceiro (recolha depoesias de tradição popular cujo 1.º volume sai em 1843), Flores semFruto (1845) e a obra-prima da poesia romântica portuguesa FolhasCaídas (1853) que nos dá um novo lirismo amoroso.Na prosa, saliente-se O Arco de SantAna (1.º vol. em 1845 e 2.º em1851), romance histórico, e principalmente as suas célebres Viagens naMinha Terra (1846). Com este livro, a crítica considera iniciada a prosamoderna em Portugal.E quanto ao teatro, deve mencionar-se Um Auto de GilVicente (1838), O Alfageme de Santarém (1841) e sobretudo o famosodrama Frei Luís de Sousa (1844).
  8. 8. http://www.youtube.com/watch?v=CUYkNZh0xaQ
  9. 9. O ROMANTISMO EM PORTUGALO Romantismo português tem de ser enquadradono cenário das guerras liberais .Forma-se à luz dos princípios daliberdade, igualdade e fraternidade.Investido de uma dimensão idealista.Deve ainda referir-se que os nossos primeirosgrandes românticos foram exilados políticos econtactaram, na Europa, com outros escritoresjá empenhados na difusão das normas da novaestética.Continua…
  10. 10. Almeida Garrett pelo escultor António Pinheiro.
  11. 11.  Costuma datar-se o início do Romantismo em1825 com a publicação, em Paris, do poemaCamões de Garrett. Todavia, esta obra não tevesequência imediata e é mais correto datá-lo de1836, ano de publicação de A Voz do Profeta deHerculano. Este é também o ano em que PassosManuel, chefe do governo Setembrista, abrecaminho à reforma do teatro português porGarrett.
  12. 12. http://www.youtube.com/watch?v=8PfOcA7t6EQ
  13. 13. O ROMANTISMO NA EUROPA Foi na Inglaterra que este movimento literárioteve a sua origem. WalterScott, Byron, Thompson, Wordsworth, Macpherson, Coleridge e Shelley; são alguns dosescritores que abriram caminho para adescrição de uma naturezasaudosista, solitária, povoada de ruínas ecemitérios, para criação de uma atmosferasentimental, aventureira e até revolucionária.
  14. 14.  "A tudo se habitua o homem, a todo o estadose afaz; e não há dúvida por mais estranhaque o tempo e a repetição dos atos lhe nãofaça natural.“ Tema - Hábito
  15. 15.  "Formou Deus o homem, e o pôs num paraíso dedelícias; tornou a formá-lo a sociedade, e o pôs numinferno de tolices. O homem - não o homem queDeus fez, mas o que a sociedade temcontrafeito, apertando e forçando em seus moldes deferro aquela pasta de limo que no paraíso terrealafeiçoará à imagem da divindade -, o homem assimaleijado como nós o conhecemos, é o animal maisabsurdo, o mais disparatado e incongruente quehabita na terra.“ Tema - Homem
  16. 16.  "Imaginar é sonhar, dorme e repousa a vidano entretanto; sentir é viverativamente, cansa-a e consome-a.“ Tema - Imaginação
  17. 17.  http://www.youtube.com/watch?v=Eo_ei5F-izo
  18. 18. PASSOS MANUELALMEIDA GARRETTALEXANDREHERCULANOJOSÉ ESTEVÃO DEMAGALHÃES
  19. 19. FREI LUIS DE SOUSA Drama –Pressupõe uma ação menos tensa quea tragédia, menos concentrado numacrise, mais submetida à influência dosacontecimentos exteriores. Tragédia – poema dramático que desenvolveuma ação séria e completa, tirado dahistória, entre personagens ilustres com o fimde provocar na alma dos espectadores o terrore a piedade dados através do espetáculo dapaixões luares em luta entre si ou contra odestino
  20. 20. ELEMENTOS TRÁGICOS E DRAMÁTICOS EM FREILUÍS DE SOUSA:TRÁGICOS: Tema – ilegitimidade de Maria ( adultério ) Personagens – n.º reduzidos e nobres Presságios – ( predestinação ) referida por parte deMaria e de Telmo em que irá acontecer uma tragédia Coro – Frei Jorge e Telmo ( fatalismo/ Destino =Madalena ) representa o papel de uma pecadoraarrependida, pois amou Manuel de Sousa Coutinhona presença de D. João de Portugal. Acredita que odestino trará uma tragédia . Qualquer acção seráirremediável ( predestinação – fatalismo ). Estrutura Efeitos catárticos – piedade e terror
  21. 21.  Drama: A peça é escrita em prosa.
  22. 22.  Espaço: O espaço vai-se reduzindo. África - Europa – Portugal - Lisboa - Alfeite -Almada - I palácio – II palácio
  23. 23.  Tempo : O tempo vai-se reduzindo, fechando-se dramaticamente empartes cada vez mais curtas. 1578 – Madalena casa com D. João. Madalena conhece M. deSousa. 1578 e 1585 – Madalena procura assegurar-se da morte de D.João 1585 e 1599 – Madalena casa com M. de Sousa. 1598 a 1599 ( 1 ano ) – D. João é libertado dirige-se paraPortugal 28 de julho a 4 de Agosto ( 8 dias ) – Madalena vive de novo nopalácio de D. João. Agosto (3 dias ) – D. João apressa-se para chegar 4 de Agosto ( hoje ) – é um dia fatal para Madalena
  24. 24.  Divisão da peça : 3 atos escritos em prosa: 1 ato - Do início até ao incêndio do palácio deManuel de Sousa Coutinho. 2 ato – Até à chegada do Romeiro 3 ato – Até à morte de Maria
  25. 25. PERSONAGENS: Manuel de SousaCoutinho – Segundomarido de madalena; paide Maria; teme que D.João possa regressar(ideia inconfessada); quea saúde débil de sua filhaprogrida para umadoença grave ;decidido, patriota(incendeia o seu palácioporque este iria serocupado pelosgovernadores espanhóis;sofre, sente remorsos aopensar na cruel situaçãoem que ficara a suaquerida Maria; Amorpaternal.
  26. 26.  D . João de Portugal –Casado com Madalena, masdesaparecido na batalha deAlcácer Quibir; austero;sentimento amoroso porMadalena; sonhador; crente (quando pensa, pormomentos, que Madalena oama ).Dona Madalena – suporte viúva de D.João de Portugal; casa com Manuel de S.Coutinho; nasce Maria, filha de Manuel;Angustia em relação à situação insegurado seu casamento; remorso por tergostado de Manuel de S. enquanto eraainda casada com D . João; Inquietaçãoem relação a Manuel de Sousa e a Maria;Insegurança e hesitação;profunda, feminina; mulher p/ lágrimas epara o amor, ela sofre e sofrerásempre, porque a dúvida não a deixaráser feliz; perfil romântico; solidão.
  27. 27.  Maria de Noronha – Filhade D. Madalena e D.João; amorfilial, curiosidade;sonho, fantasia, idealismo, filha fatal, adolescentefantasista, sebastianistapor influência deTelmo, adivinhava " lianos olhos e nas estrelas "; sempre febril, cresceude repente, criançaprecoce; gosto pelaaventura, frágil, alta, magra, facesrosadas, patriota, intuitiva, inteligente.
  28. 28.  Telmo Pais – escudeiro de famíliados condes Vimioso, sofre pelavolta de D. João, pois esta tirará atranquilidade da sua " menina " ;sofre porque é forçado a ver o seuvelho amo como um intruso quenunca deveria ter vindo. Por amora Maria, dispõe-se a declarar oRomeiro como um impostor;confessor das personagensfemininas; o coro datragédia, sádico, fiel, confiante, desentendido, supersticioso, sebastianista, humilde, enormesabedoria.
  29. 29. A CRENÇA DO SEBASTIANISMO: O mito do sebastianismo está espalhado por toda aobra. Logo no início: Madalena afirma a Telmo "..mas astuas palavras misteriosas, as tuas alusões frequentesa esse desgraçado rei de D. Sebastião, que o seumais desgraçado povo ainda quis acreditasse quemorresse, por quem ainda espera em sua lealincredulidade ! " No sebastianismo, como ele é representado no FreiLuís de Sousa, por Telmo e Maria, reside somente acrença em que o rei ao voltar conduzira a uma épocamundial do direito e da grandeza, a qual será últimano plano de salvação dos Homens.
  30. 30.  Cena I à IV – localização das personagens no tempo Ato 1 Cena V à VIII – preparação da acção para o que se aipassar a seguir Cena IX à XII – o Incêndio A obra de Frei Luís de Sousa é ambas tragédia e drama, étragédia pelo conteúdo do texto e é drama pela forma. Cena 1 – solução adotada Ato 3 até à 10º cena temos a preparação do desenlace. Cena 11 até à 12º temos o desenlace com morte de Maria empalco Ato 3: Cena 1 – Manuel debate-se com um dilema enorme, a doença defilha, a ilegitimidade. Maria ficava ilegítima cheia de infâmia tal e qual como Garret. Sempre que alguém pergunta a D. João quem ele é, eleresponde espontaneamente "ninguém", este ninguém significaque D. João de Portugal já não tinha Pátria, não tinhafamília, não tinha lugar na sociedade, não tinha o seupalácio, pois perdeu-o .
  31. 31. A TRAGÉDIA CLÁSSICA: A todo o sistema de forças, que comprime e pesa sobre a liberdadeindividual, o cidadão, o homem opõe o seu vivo protesto e lança umdesafio ( hybris ). À hybris responde a vingança, a punição, o ressentimento, uma espéciede ciúme ferido pela corajosa atitude assumida pelo homem –a nemesis divina. O coro actua como um trovão ao ímpeto libertário do indivíduoaconselhado a moderação, o comedimento, a serena contenção, etraduz as ideias e os sentimentos da média humana. Osacontecimentos desenrolam-se segundo as cotas das personagens e oslogros do destino, de necessidade do fatum; encadeiam-se uns nosoutro se, por vezes, precipitam a acção no seu curso através deperipécias ( acontecimentos ), que acabam por voltar o rumo do dramaem sentido inesperado ( catástrofe ). Esta mudança brusca é muitasvezes levada a cabo por um reconhecimento ( agnórise ) de laçosparentescos até então insuspeitos. As consequências patéticas, avolumam-se num crescendo inquietante (climax ), até se resolver numa reviravolta brusca e brutal dosacontecimentos – a catástrofe.
  32. 32. ESPECTADOR E ACÇÃO DRAMÁTICA: O agenciamento da ação dramática datragédia visava a exibição dasconsequências (pathos) do descomedimentohumano de modo a sugerir no espectador otemor religioso ou sua simpatia.
  33. 33. http://www.youtube.com/watch?v=dIQfbcJUkVU
  34. 34.  Trabalho feito por: Bruno Soares; Daniel Pinto; Paulo Semedo. Português, sobre Almeida Garrett. 25/01/2013

×