Sujeito e PredicadoTipos de sujeito:-Determinado: quando é identificado na frase por meio de seus núcleos ou de umaelipse....
Posposição do sujeito: quando o sujeito é colocado depois do verbo:-Em orações infinitivas (introduzidas com verbo no infi...
-Objeto direto/indireto pleonástico: mesma pessoa, mesma ideia, mas não mesmoradical. Exemplo: As meninas, eu as vi o páti...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sujeito, predicado e classificação dos verbos

4.694 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.694
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sujeito, predicado e classificação dos verbos

  1. 1. Sujeito e PredicadoTipos de sujeito:-Determinado: quando é identificado na frase por meio de seus núcleos ou de umaelipse. Há dois tipos:*Simples: quando há um só núcleo, o qual pode ser substantivo, pronome ou numeral(singular ou plural);*Composto: quando há dois ou mais núcleos;*Elíptico: quando o sujeito foi oculto por estar expresso anteriormente;-Indeterminado: quando o verbo não se refere a uma pessoa determinada, ou por nãose conhecer a pessoa que pratica a ação (3ª pessoa do plural – eles), ou pelo desinteresseno conhecimento (3ª pessoa do singular). Exemplo: Necessita-se de água (3ª pessoa dosingular) ou Levaram cinco objetos (3ª pessoa do plural);-Inexistente (oração sem sujeito): quando não há quem pratica a ação. Principaiscasos:*Verbos ou expressões relacionadas a fenômenos da natureza. Exemplo: Faz calor?;*Com os verbos “haver” e “fazer” no sentido de tempo decorrido. Exemplo: Faz 10minutos que chove, há pouco não chovia;*Com o verbo “haver” no sentido de existir, acontecer, ocorrer. Exemplo: Há tantasoutras coisas a fazer;OBS: em linguagem coloquial, o verbo “ter” pode ser empregado no sentido de existir.Exemplo: Tem tanto museu bonito;Tipos de inversão:-Hipérbato: quando há a inversão natural das palavras na oração. Exemplo: O coraçãono peito, que estremece -> o coração, que estremece no peito;-Anástrofe: quando há a inversão de palavras vizinhas, diferente do hipérbato, o qual éa inversão de toda a oração. Exemplo: Sonho através das cores (oração normal)->Sonho das cores através (anástrofe)-Sínquise: consiste numa inversão de tal ordem tão violenta, que a frase se tornaambígua ou ininteligível. Exemplo: Um cãozinho tinha o Paulo fofinho e mansinho;
  2. 2. Posposição do sujeito: quando o sujeito é colocado depois do verbo:-Em orações infinitivas (introduzidas com verbo no infinitivo), com verbos intransitivosou passivos (que sofrem a ação). Exemplo: Declarou não existir burocracia;-Quando algum elemento da oração, que não o sujeito, ocorre na primeira posição:*Interrogativas com pronome: Onde estão meus camaradas?*Topicalizações (com objeto, complemento do verbo ou predicativo): Isso disse ele!Louca é você;*Com pronomes relativos (que, onde, aonde, o qual): Não sabia onde moravam os seusamigos;*Com verbos no particípio: Detido todos os ladrões, os policiais voltaram à delegacia;*Em orações intercaladas (no meio de outra): O sonho, dizia um amigo, é construído aolongo da vida;Coloquialismo de “eu” e “tu”: esses pronomes funcionam como sujeito na oração,se sua colocação for no predicado, é uma colocação coloquial;Verbo “chover” aceitando sujeito: quando é aplicado no sentido figurado.Exemplo: Choveu canivetes.Termos da Oração ligados ao verboPredicação Verbal:-Verbo intransitivo: não necessita de complemento. Exemplo: viajar, sair, dormir;-Verbo transitivo: necessita de complemento. Exemplos: achar, trazer, encontrar.Possui 2 classificações:*Transitivo direto: precisa de um complemento sem o uso da preposição. Exemplo:Admiro (quem?) os escritores realistas O.D., porém pode ocorre o uso do objeto diretopreposicionado, o qual possui preposição, porém liga-se ao verbo transitivo direto.Exemplo: Eu amo a Deus acima de todas as coisas.VTD o.d. preposicionadoEle bebeu dessa água.*Transitivo indireto: complemento com o auxílio de preposição. Exemplo: Confiamos(em quem?) em nossos amigos O.I.*Transitivos direto e indireto: admite os dois complemento, um sem auxílio e outro comauxílio de preposição. Exemplo: Oferecemos (o quê?/a quem?) flores aoshomenageados-Objeto direto cognato: verbo e núcleo são cognatos (da mesma família). Exemplo:Chorou um choro de desespero. O.D. Cognato
  3. 3. -Objeto direto/indireto pleonástico: mesma pessoa, mesma ideia, mas não mesmoradical. Exemplo: As meninas, eu as vi o pátio.O.D. PleonásticoA ele, cabe-lhe esta tarefa.O.I. PleonásticoAgente da passiva: é aquele que pratica a ação, sendo formado por 2 verbos, o 1ºverbo auxiliar e o 2º é o verbo principal no particípio passado (ado/edo/ido). Exemplo:A prova foi corrigida pela banca de professores:A prova – sujeito pacienteFoi corrigida- voz passivaPela banca de professores: agente da passiva, sendo o “pela” o pronome responsávelFunção sintática dos pronomes oblíquos:-o, a, os, as: O.D.-lhe, lhes: O.I.-me, te, se, nos, vos: O.D./O.I.

×