Antologia poética em pp

1.212 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Antologia poética em pp

  1. 1. Antologia Poética
  2. 2. ANTOLOGIADe acordo com o Dicionário Houaiss, antologia é a coleção detextos em prosa e/ou em verso, geralmente de autoresconsagrados, organizados segundo tema, época, autoria etc.
  3. 3. A OBRAA obra indicada como leitura obrigatória para os vestibularesFUVEST e UNICAMP é Antologia poética (com base na 2ª ed.Aumentada), de Vinícius de Moraes.
  4. 4. De acordo com o Informe a Imprensa nº 02/2010 de 28/01/2009(disponível no site oficial da FUVEST):Ao indicar a 2ª edição revista e aumentada, de 1960, como texto dereferência da mencionada Antologia, teve-se em vista proporcionaraos candidatos o contato com uma seleção de poemas feita pelopróprio autor, o qual fixou, naquela data, o conjunto de poemasdepois reproduzido, com alterações de pormenor, nas ediçõessucessivas da Livraria José Olympio Editora S.A., a partir de 1967.Posteriormente, nos anos de 1990, a mesma seleção passou a serpublicada pela Editora Companhia das Letras, também compequenas modificações. De todas essas edições, consta uma"Advertência" do Autor, na qual ele expõe seus critérios de seleçãoe o sentido que atribui ao conjunto.
  5. 5. ESTRUTURA DA OBRAA obra apresenta poemas de fases distintas do poeta, assimrepresentadas:– 27 poemas correspondentes à fase transcendental do poeta (1933-1936);– 05 elegias que ilustram a fase de transição do poeta (1943);– 112 poemas correspondentes à fase de maior aproximação domundo material.
  6. 6. De acordo com o próprio poeta, sua obra pode ser assim classificada:• 1ª faseFase transcendental, resultante de sua educação cristã, é uma fasede profundo misticismo e, portanto, marcada pela preocupaçãoreligiosa, pela angústia existencial diante da condição humana e pelodesejo de superar o pecado e a culpa, inerentes ao homem, pela viada transcendência mística.Em geral, os poemas deste período são longos e se utilizam delinguagem abstrata. Esta fase se inicia com a obra O caminho para adistância (1933) e se finaliza com a obra Ariana, a mulher (1936).
  7. 7. Durante a produção poética das obras dessa primeira fase, Viníciusapresenta certa singularidade essencial em não ter pertencido,realmente, a uma geração, no sentido convencional da palavra, mas aum grupo ideológico: o dos escritores católicos, que juntamente comJorge de Lima, Murilo Mendes, Octávio de Faria, Otto Lara Resende,Pedro Nava, Augusto Frederico Schmidt e outros procuravamrestaurar em Cristo não só a poesia, mas também o pensamentobrasileiro em geral, construindo uma restauração que se pretendia,não arcaizante, mas sim, modernizante.Sob esse aspecto, a restauração católica tinha algo de desesperado,procurando reconquistar a intelectualidade, corrigindo-lhe a perigosaderiva esquerdista. Vinícius, a esse tempo, mostrava-se resistente aoModernismo de 22, repelindo, principalmente, o que considerava umanarquismo formal.
  8. 8. FASE DE TRANSIÇÃONo próprio dizer do poeta, as Cinco elegias são representativas doperíodo de transição entre as duas tendências contraditórias desua produção poética, uma mais mística e a outra mais cotidiana.Nas Elegias, notamos o início dessa transformação não só nastemáticas, mas também na estruturação mais livres dos poemas,tanto em relação às rimas como às métricas, como veremos aseguir.*Elegia: tipo de poesia lírica (que teve origem na Grécia antiga)declamada pelo próprio poeta, acompanhada, geralmente, por uminstrumento musical. Utilizada em diferentes épocas e literaturas,costuma expressar lamento, melancolia e dor. A elegia possuimetrificação específica, no entanto, seu uso, com o passar dotempo, foi se atendo mais ao conteúdo do que à forma.
  9. 9. • 2ª faseNesta fase, há grande aproximação da poética de Vinícius com omundo real. É quando o poeta passa a se interessar por temascotidianos, por uma abordagem mais simples da vida e maissensual dos temas que versam sobre o amor e a mulher.Também a linguagem empregada pelo poeta se transforma,tendendo mais à simplicidade, com utilização do verso livre, parauma comunicação mais direta e mais dinâmica com o leitor. Apesarde sua poesia, desde cedo, ter tido como características certa dicçãoclássica e a predileção pelo soneto, pela primeira vez podemosperceber que a poética de Vinícius mostra uma aproximação maioràs propostas dos modernistas de 1922.
  10. 10. O soneto, forma clássica do poema, adquire roupagem maismoderna e mais real nas mãos de Vinícius. Em seus sonetos, opoeta faz largo uso de termos simples e cotidianos, expedientepouco comum neste tipo de composição.Os poemas mais conhecidos do poeta estão reunidos nessa parte daobra (Soneto de fidelidade, Soneto do amor total, Soneto deseparação). Adotando uma postura mais voltada para a realidade,seu interesse volta-se para os aspectos do cotidiano e para orelacionamento amoroso, muito influenciado pela lírica camoniana.
  11. 11. Poesia socialA poesia de cunho social também foi característica da obra deVinícius. Neste tipo de poema, o poeta se utiliza de uma linguagemainda mais simples e mais direta, chegando quase ao didatismo. Oseu objetivo é despertar a consciência social no leitor por via dequem o lê ou o ouve.O melhor exemplo dessa poesia social é o poema Operário emconstrução, que fecha sua antologia poética. Na epígrafe utilizadano poema, estabelece uma comparação ao momento deconscientização política do operário, que, pela primeira vez,percebendo-se explorado, diz não ao patrão
  12. 12. Outro poema importante a ser destacado da obra é O dia dacriação, em que o poeta, tomando com base a gênese humana, apartir de um ótica religiosa, elege o “sábado” como o dia em quetudo acontece. O poema apresenta três partes: introdução aotema “Hoje é o dia do presente”, desenvolvimento “Porque hojeé sábado” e conclusão “de que Deus criou o homem no sábado”.
  13. 13. Na Antologia Poética deparamo-nos, de fato, com poemas plurais, estas poesiastratam do espírito e da matéria, cantam mulheres sacralizadas, mulheres vistasnas ruas e mulheres prostitutas, cantam o amor, o desejo, a alegria e a dor dosamantes, aludem ao amor fraterno e incondicional – por todos os seres, portodas as coisas −, falam da vida e da morte, traduzem imagens oníricas, trazemimagens de um dia a dia, cantam a pátria, homenageiam amigos do poeta egrandes nomes da arte mundial. E contam, para isso, com grandes recursosformais, harmonizados tanto com a frase coloquial quanto com referência à vidado cotidiano. Na Antologia, encontramos sonetos bem ao estilo do poeta clássicoLuiz Vaz de Camões, elegias, baladas e, ainda, estrofação irregular, versos curtose livres. Dessa forma, o que vemos é um cruzamento muito interessante: versosem irregularidade, curtos e livres expressam não só o comum do dia a dia, mastambém temas mais sublimes, elevados; por outro lado, formas clássicasexpressam não apenas os temas clássicos, sublimes, como também os assuntostriviais, ou até os que formam inimaginável material poético, como aprostituição.
  14. 14. A seguir, os poemas mais conhecidos da Antologia daquele que foio maior “poetinha” da 2ª fase do Modernismo brasileiro: Viníciusde Moraes.– Soneto de fidelidade– A um passarinho– Soneto do maior amor– Soneto de separação– Poema de Natal– Poema enjoadinho– A rosa de Hiroshima– Pátria minha– Poética (I)– Receita de mulher
  15. 15. Site oficial do autor http://www.viniciusdemoraes.com.br/Documentário: Vinícius (2005 - Direção: Miguel Faria Jr.)O documentário mostra a vida, a obra, a família, os amigos e osamores de Vinícius de Moraes; apresenta também a essênciacriativa do artista e filósofo do cotidiano e as transformações doRio de Janeiro, por meio de raras imagens de arquivo, entrevistase interpretações de muitos de seus clássicos.

×