Conf call 1t13_10052013

1.731 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.731
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.412
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • SLIDE 2 - RESSALVA BOM DIA SENHORAS E SENHORES, GOSTARIA DE AGRADECER A TODOS PELA PARTICIPAÇÃO EM MAIS UMA TELECONFERÊNCIA DA BRASKEM. HOJE DISCUTIREMOS OS RESULTADOS DO 4T11 E DO ANO DE 2011; INICIALMENTE LEMBRAMOS QUE, EM ATENDIMENTO À LEI 11.638/07, OS RESULTADOS AQUI DEMONSTRADOS REFLETEM A ADOÇÃO DE REGRAS CONTÁBEIS INTERNACIONAIS IFRS. ALÉM DISSO, A NÃO SER QUE EXPRESSO EM CONTRÁRIO, PARA TODOS OS PERÍODOS DEMONSTRADOS, O RESULTADO CONSOLIDADO DA BRASKEM REFLETE A CONSOLIDAÇÃO PRO FORMA, INCLUINDO 100% DOS RESULTADOS DE QUATTOR PARTICIPAÇÕES E SUNOCO CHEMICALS, ATIVOS ADQUIRIDOS EM ABRIL DE 2010. AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONTEMPLAM AINDA: - A CONSOLIDAÇÃO PROPORCIONAL DA RPR (REFINARIA DE PETRÓLEO RIO-GRANDENSE); - A CONSOLIDAÇÃO INTEGRAL DA CETREL A PARTIR DO 2T11, COM RETROATIVIDADE A JANEIRO DE 2011; - E, A PARTIR DO 4T11, O NEGÓCIO DE POLIPROPILENO ADQUIRIDO DA DOW. AS INFORMAÇÕES AQUI APRESENTADAS FORAM REVISADAS POR AUDITORES EXTERNOS INDEPENDENTES, COM EXCEÇÃO DA SUNOCO CHEMICALS NO 1T10. VAMOS ENTÃO PARA O SLIDE SEGUINTE, POR ONDE INICIAREMOS NOSSOS COMENTÁRIOS...  
  • NO SLIDE DE NÚMERO 3, FALAREMOS DO CENÁRIO GLOBAL E DOS PRINCIPAIS DESTAQUES DA COMPANHIA NO ÚLTIMO TRIMESTRE: O OTIMISMO EM RELAÇÃO À ECONOMIA MUNDIAL, QUE PERDUROU ATÉ MEADOS DE JULHO, FOI SUBSTITUÍDO POR UMA EXPECTATIVA DE RETRAÇÃO ECONÔMICA. A INEFICIÊNCIA DAS MEDIDAS ADOTADAS PARA CONTENÇÃO DA CRISE DA DÍVIDA SOBERANA EUROPEIA AFETOU NEGATIVAMENTE O CRESCIMENTO DOS MERCADOS DESENVOLVIDOS E EMERGENTES. A ALTA DOS PREÇOS DE PETRÓLEO, INFLUENCIADA PELAS QUESTÕES GEOPOLÍTICAS NOS PAÍSES DO NORTE DA ÁFRICA E ORIENTE MÉDIO, TAMBÉM IMPACTARAM NEGATIVAMENTE A DEMANDA. NESTE CONTEXTO, HOUVE UMA REDUÇÃO NA DEMANDA GLOBAL POR PETROQUÍMICOS E UM MOVIMENTO DE DESESTOCAGEM AO LONGO DA CADEIA, COM CONSEQUENTE REDUÇÃO NA RENTABILIDADE DO SETOR. A TAXA DE OPERAÇÃO DA INDÚSTRIA FOI REDUZIDA PARA UM PATAMAR EM TORNO DE 70 A 80%, COM O OBJETIVO DE MANTER O EQUILÍBRIO ENTRE O BALANÇO DE OFERTA E DEMANDA MUNDIAL. EM RESPOSTA AO CENÁRIO DE CURTO PRAZO, A BRASKEM ANTECIPOU UMA PARADA PROGRAMADA NO SEU CRACKER DA BAHIA E, EM DECORRÊNCIA DE UMA PARADA PROGRAMADA JÁ PREVISTA NO SEU SITE DE TRIUNFO, A TAXA DE UTILIZAÇÃO DA COMPANHIA NO 4º TRIMESTRE DO ANO FOI DE 80%. A RECEITA FOI DE R$ 8,7 BILHÕES, PRATICAMENTE EM LINHA COM O 3º TRIMESTRE, POSITIVAMENTE INFLUENCIADA PELA APRECIAÇÃO DE 10% DO DÓLAR NO PERÍODO. O EBITDA ATINGIU R$ 718 MILHÕES, IMPACTADO PELA CONTRAÇÃO DE MARGENS NO PERÍODO. TODAVIA, A COMPANHIA PERMANECEU FOCADA EM SUA ESTRATÉGIA DE LONGO PRAZO, COMPROMETIDA COM SEU CRESCIMENTO E CRIAÇÃO DE VALOR. EM LINHA COM SUA ESTRATÉGIA DE AGREGAÇÃO DE VALOR ÀS CORRENTES DOS ATIVOS ATUAIS, A BRASKEM ACELEROU O INVESTIMENTO NOS SEUS PROJETOS DE EXPANSÃO DE PVC E DE BUTADIENO. NO QUE TANGE AO SEU PROJETO GREENFIELD DO MÉXICO, QUE TEM A ATRATIVIDADE DO GÁS COMO MATÉRIA-PRIMA E O DEFICITÁRIO MERCADO MEXICANO DE POLIETILENO, A COMPANHIA DEU INÍCIO À PREPARAÇÃO DO TERRENO, DE MODO A GARANTIR A CONSTRUÇÃO CIVIL DAS PLANTAS INDUSTRIAIS EM 2012. A BRASKEM CONSOLIDOU SUA POSIÇÃO DE LIDERANÇA NAS AMÉRICAS, TORNANDO-SE A MAIOR EMPRESA DE POLIPROPILENO NOS EUA APÓS A CONSOLIDAÇÃO DO NEGÓCIO DE POLIPROPILENO DA DOW NO ÚLTIMO TRIMESTRE DE 2011. NESTE CENÁRIO DE VOLATILIDADE E FORTE CONCORRÊNCIA GLOBAL, O GOVERNO FEDERAL TEM EXERCIDO PAPEL IMPORTANTE COM O DESENVOLVIMENTO DA INDÚSTRIA NACIONAL. EM DEZEMBRO DE 2011, POR EXEMPLO, FOI REGULAMENTADO O PROGRAMA “REINTEGRA”, COM VALIDADE ATÉ DEZEMBRO DE 2012. O OBJETIVO É DE MELHORAR A COMPETITIVIDADE DOS PRODUTORES BRASILEIROS ATRAVÉS DA RESTITUIÇÃO DOS TRIBUTOS FEDERAIS INCIDENTES SOBRE SUAS VENDAS DESTINADAS AO MERCADO EXTERNO.   PASSANDO PARA O SLIDE DE NÚMERO 4,  
  • NO SLIDE DE NÚMERO 5 OBSERVAMOS O DESEMPENHO DO MERCADO BRASILEIRO DE RESINAS TERMOPLÁSTICAS, BEM COMO AS AÇÕES PARA FORTALECIMENTO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA. A DEMANDA POR RESINAS TERMOPLÁSTICAS ATINGIU 1,2 MILHÃO DE TONELADAS NO 4º TRIMESTRE DE 2011, UMA REDUÇÃO DE 10% EM RELAÇÃO AO TRIMESTRE ANTERIOR, EXPLICADA PELA SAZONALIDADE DO PERÍODO E PELO PROCESSO DE DESESTOCAGEM AO LONGO DA CADEIA, AFETADA PELA INCERTEZA EM RELAÇÃO AO CENÁRIO INTERNACIONAL. NO ANO, A DEMANDA FOI DE 4,9 MILHÕES DE TONELADAS, PRATICAMENTE EM LINHA COM 2010, AFETADA PELA MAIOR IMPORTAÇÃO DE PRODUTOS MANUFATURADOS. AS IMPORTAÇÕES DE RESINAS TAMBÉM MANTIVERAM PARTICIPAÇÃO RELEVANTE, COM MARKET SHARE DE 29%, INFLUENCIADAS (I) PELA MENOR DISPONIBILIDADE DE PRODUTOS DA COMPANHIA NO INÍCIO DE 2012, QUE TEVE SUA PRODUÇÃO IMPACTADA PELA QUEDA DE ENERGIA; (II) PELA APRECIAÇÃO DO REAL; (III) E PELA MAIOR ENTRADA DE PRODUTOS VIA PORTOS INCENTIVADOS, QUE CONCEDEM O BENEFÍCIO DE ICMS PARA O MATERIAL IMPORTADO. O CONSUMO DE PRODUTOS PLÁSTICOS NO MERCADO BRASILEIRO, TODAVIA, APRESENTOU ALTA EM TORNO DE 6%. ESTE AUMENTO FOI CAPTURADO PELA MAIOR IMPORTAÇÃO DE PRODUTOS TRANSFORMADOS, FRUSTRANDO A EXPECTATIVA DE CRESCIMENTO DA CADEIA PETROQUÍMICA E DE PLÁSTICOS NACIONAL. APRECIAÇÃO DO REAL E OS PORTOS INCENTIVADOS TAMBÉM INFLUENCIARAM ESTE CRESCIMENTO. NESTE CENÁRIO DE VOLATILIDADE E GRANDE CONCORRÊNCIA GLOBAL, O GOVERNO FEDERAL TEM DEMONSTRADO SUA PREOCUPAÇÃO COM O FORTALECIMENTO DA INDÚSTRIA NACIONAL, IMPLEMENTANDO AÇÕES QUE VISAM MELHORAR A COMPETITIVIDADE DOS PRODUTORES BRASILEIROS, PROMOVENDO CONDIÇÕES PARA SEU CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO. PODEMOS DESTACAR (I) O PLANO BRASIL MAIOR, QUE INCLUI O PROGRAMA REINTEGRA, QUE RESTITUI OS TRIBUTOS FEDERAIS INCIDENTES SOBRE AS VENDAS DESTINADAS AO MERCADO EXTERNO,; E (III) A LEI DO BEM, QUE VISA MOTIVAR OS INVESTIMENTOS EM INOVAÇÃO. PASSANDO PARA O SLIDE DE NÚMERO 6,
  • SLIDE 6 – EBITDA 4T12 VS 3T12 NESTE SLIDE, APRESENTAMOS OS FATORES QUE INFLUENCIARAM O EBITDA DO QUARTO TRIMESTRE DE 2012 NA COMPARAÇÃO COM O TRIMESTRE ANTERIOR. O EBITDA CONSOLIDADO DA COMPANHIA FOI DE R$ 1,4 BILHÃO, UM CRESCIMENTO DE 50% EM RELAÇÃO AO EBITDA DO TRIMESTRE ANTERIOR. EXCLUÍNDO-SE O IMPACTO POSITIVO DOS ITENS NÃO RECORRENTES QUE MONTARAM R$ 506 MILHÕES, PROVENIENTES DA ALIENAÇÃO DOS ATIVOS DA UNIDADE DE TRATAMENTO DE ÁGUA E DA CETREL, QUE NÃO ERAM FOCOS DE ATUAÇÃO DA COMPANHIA, E DA VENDA DOS RAILCARS DA BRASKEM AMERICA; O EBITDA DO 4T12 FOI DE R$ 883 MILHÕES, UMA QUEDA DE 5%. A ALTA DE 28% NOS SPREADS DE CO-PRODUTOS NÃO FOI SUFICIENTE PARA CONTER O MENOR VOLUME DE VENDAS, INFLUENCIADO PELA SAZONALIDADE DO PERÍODO, E A REDUÇÃO DOS SPREADS DE RESINAS TERMOPLÁSTICAS. DESSA FORMA TIVEMOS UMA MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO NEGATIVA DE R$ 64 MILHÕES. POR SUA VEZ, A APRECIAÇÃO DE 1% DO DÓLAR MÉDIO GEROU UM EFEITO POSITIVO DE R$ 17 MILHÕES, SENDO R$ 93 MILHÕES POSITIVOS NA RECEITA E R$ 76 MILHÕES NEGATIVOS NO CUSTO. AGUARDANDO ABERTURA DE CF + DVGA + OUTROS, POIS NÃO ESTÁ EM LINHA COM O DISCURSO DO RELEASE. PASSANDO PARA O PRÓXIMO SLIDE...
  • O SLIDE 8 ILUSTRA O ENDIVIDAMENTO DA BRASKEM EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012, QUANDO: A BRASKEM APRESENTOU DÍVIDA BRUTA CONSOLIDADA DE US$ 8.569 MILHÕES, UMA LEVE ALTA EM RELAÇÃO À REGISTRADA EM 30 DE SETEMBRO DE 2012, EXPLICADA, PRINCIPALMENTE, PELA CAPTAÇÃO ADICIONAL DE RECURSOS VIA BRIDGE LOAN PARA O PROJETO INTEGRADO NO MÉXICO. O BRIDGE LOAN, QUE TOTALIZOU US$ 317 MILHÕES NO ANO, SERÁ REPAGO NO MOMENTO DO DESEMBOLSO DA 1ª PARCELA DO PROJECT FINANCE. QUANDO MEDIDA EM REAIS, A DÍVIDA FOI 3% SUPERIOR. A DÍVIDA BRUTA ATRELADA AO DÓLAR FOI DE 68%. A BRASKEM, EM LINHA COM SUA ESTRATÉGIA DE LIQUIDEZ E HIGIDEZ FINANCEIRA, POSSUI TRÊS LINHAS DE CRÉDITO ROTATIVO (STAND BY), DUAS QUE TOTALIZAM US$ 600 MILHÕES E UMA NOVA NO VALOR DE R$ 450 MILHÕES, E QUE NÃO APRESENTAM CLÁUSULAS RESTRITIVAS DE SAQUE EM MOMENTOS ADVERSOS DE MERCADO (MATERIAL ADVERSE CHANGE – MAC CLAUSE). OS BANCOS QUE PARTICIPAM DESTAS OPERAÇÕES SÃO DE PRIMEIRA LINHA, COM BAIXO NÍVEL DE DEFAULT (CREDIT DEFAULT SWAP) E RATING ELEVADO. EM DECORRÊNCIA DESTA CAPTAÇÃO ADICIONAL DE R$ 450 MILHÕES, O SALDO DE CAIXA E APLICAÇÕES APRESENTOU QUEDA DE 10% EM RELAÇÃO AO 3T12, TOTALIZANDO US$ 1.710 MILHÕES. POR CONSEQÜÊNCIA, A DÍVIDA LÍQUIDA CONSOLIDADA DA BRASKEM, TANTO EM REAIS QUANTO EM DÓLARES, APRESENTOU ALTA EM TORNO DE 6%, ATINGINDO, R$ 14.017 MILHÕES E US$ 6.859 MILHÕES, RESPECTIVAMENTE. A DÍVIDA LÍQUIDA ATRELADA AO DÓLAR FOI DE 69%. A RETRAÇÃO DO EBIDA, QUE FOI DE 11% EM 2012, EXPLICADA PELA CONTRAÇÃO DOS SPREADS DE RESINAS E PETROQUÍMICOS BÁSICOS, EM LINHA COM O MERCADO INTERNACIONAL, FEZ COM QUE A ALAVANCAGEM FINANCEIRA MEDIDA PELA RELAÇÃO DÍVIDA LÍQUIDA/EBITDA PASSASSE DE 2,83X EM 2011 PARA 3,42X EM 2012, QUANDO MEDIDA EM DÓLARES. EM REAIS, A ALAVANCAGEM FOI DE 3,20X PARA 3,54X EM 2012. EXCLUINDO-SE O SALDO TOTAL DA COMPANHIA DO BRIDGE LOAN DO PROJETO MÉXICO E SEU RESPECTIVO CAIXA, A ALAVANCAGEM FINANCEIRA MEDIDA PELA RELAÇÃO DÍVIDA LÍQUIDA/EBITDA FOI DE 3,30X EM DÓLARES E 3,42X QUANDO MEDIDA EM REAIS. EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012, O PRAZO MÉDIO DO ENDIVIDAMENTO ERA DE APROXIMADAMENTE 15 ANOS, ACIMA DO PRAZO MÉDIO DE 12 ANOS REGISTRADO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011. SE CONSIDERARMOS APENAS A PARCELA DA DÍVIDA EM DÓLARES, O PRAZO MÉDIO FICA PRÓXIMO DE 20 ANOS. O CUSTO MÉDIO DA DÍVIDA DA COMPANHIA EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 ERA DE 6,24% EM DÓLARES E 7,58% EM REAIS VERSUS O ANO ANTERIOR DE 5,98% EM DÓLARES E 9,82% EM REAIS; SENDO QUE O MAIOR CUSTO EM DÓLARES É EXPLICADO PELA EXTENSÃO DE 3 ANOS NO PRAZO DA DIVIDA. APENAS 10% DO TOTAL DA DÍVIDA TÊM VENCIMENTO NO ANO DE 2013, E O ELEVADO PATAMAR DE LIQUIDEZ DA COMPANHIA GARANTE QUE SEU SALDO DE DISPONIBILIDADES CUBRA OS VENCIMENTOS DOS PRÓXIMOS 22 MESES. CONSIDERANDO AS LINHAS DE CRÉDITO ROTATIVO, A COBERTURA É DE 36 MESES. PASSANDO PARA O SLIDE 10...  
  • NO SLIDE DE NÚMERO 10 APRESENTAMOS O VALOR DO CAPEX DA BRASKEM NO ANO DE 2011: A COMPANHIA INVESTIU R$ 2,1 BILHÕES, ACIMA DA ESTIMATIVA INICIAL DE R$ 1,6 BILHÃO, E CERCA DE 300 MILHÕES SUPERIOR AO VALOR DESEMBOLSADO EM 2010. OS MAIORES DESVIOS EM RELAÇÃO AO PLANEJADO SÃO EXPLICADOS, PRINCIPALMENTE: PELO APORTE ADICIONAL DE R$ 102 MILHÕES DO PROJETO DO MÉXICO, EXPLICADO PELA ANTECIPAÇÃO DA PREPARAÇÃO DO TERRENO E COMPRA DE EQUIPAMENTOS DE LONGO PRAZO DE ENTREGA. O PROJETO, QUE ESTÁ PREVISTO PARA ENTRAR EM OPERAÇÃO NO 1º SEMESTRE DE 2015, ALÉM DE SUA ATRATIVIDADE DECORRENTE DO CUSTO DE MATÉRIA-PRIMA, VISA ATENDER O DEFICITÁRIO MERCADO MEXICANO DE POLIETILENO; PELO AVANÇO NO CRONOGRAMA DO PROJETO BUTADIENO, QUE TEVE DESEMBOLSO DE R$ 127 MILHÕES, MAS QUE RECEBEU ADIANTAMENTO DE CERCA R$ 200 MILHÕES VIA CONTRATOS DE PRÉ-VENDA DO PRODUTO; E PELA ANTECIPAÇÃO DOS GASTOS COM O PROJETO DE EXPANSÃO DA PLANTA DE PVC NO MONTANTE DE R$ 138 MILHÕES, QUE VISA AGREGAR VALOR AO SEGMENTO DE VINÍLICOS, SUBSTITUINDO AS EXPORTAÇÕES DE EDC POR VENDAS DE PVC, QUE SÃO DE MAIOR VALOR AGREGADO. PARA 2012, O INVESTIMENTO ESTIMADO É DE CERCA DE R$ 1,7 BILHÃO, SENDO CERCA DE 40% DIRECIONADO AOS PROJETOS DE AUMENTO DE CAPACIDADE. PASSANDO PARA O PRÓXIMO SLIDE...
  • NESTE ÚLTIMO SLIDE APRESENTAMOS AS PRINCIPAIS CONCENTRAÇÕES DA ADMINISTRAÇÃO. A BRASKEM, EM LINHA COM SUA ESTRATÉGIA DE FORTALECIMENTO DO SEU NEGÓCIO E DE ELEVAÇÃO DA SUA COMPETITIVIDADE, PERMANECE COMPROMETIDA COM O ABASTECIMENTO LOCAL, TRABALHANDO PARA A CONSTRUÇÃO DE UMA POLÍTICA INDUSTRIAL BRASILEIRA, QUE FORTALEÇA A CADEIA PETROQUÍMICA E DE PLÁSTICOS. A COMPANHIA PERMANECE FOCADA AINDA: NO AUMENTO DA PARCERIA COM SEUS CLIENTES E CONSEQUENTE EXPANSÃO DE SEU MARKET SHARE NO MERCADO BRASILEIRO; NA CONSTANTE BUSCA DE SUA EFICIENCIA OPERACIONAL, ATRAVÉS DA REDUÇÃO DE CUSTOS E DA ADIÇÃO DE VALOR AO SEU PORTFÓLIO DE PRODUTOS; NA CAPTURA DA CRIAÇÃO DE VALOR DAS NOVAS PLANTAS DE PVC E BUTADIENO; NO INÍCIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PROJETO DO MÉXICO, QUE LEVARÁ À MAIOR DIVERSIFICAÇÃO DO SEU MIX DE MATÉRIA-PRIMA, A PREÇOS COMPETITIVOS, ALÉM DE ATENDER O DEFICITÁRIO MERCADO MEXICANO DE POLIETILENO; NO MAIOR DETALHAMENTO DOS ESTUDOS PARA A CONSTRUÇÃO DO NOVO PROJETO PETROQUÍMICO NO RIO DE JANEIRO, COMPERJ, ATRAVÉS DO USO DE GÁS; E NA EXPANSÃO DO USO DE MATÉRIA-PRIMA RENOVÁVEL. SEM DESCUIDAR DA MANUTENÇÃO DE SUA HIGIDEZ FINANCEIRA. PARA ISSO, ESTAMOS COMPROMETIDOS EM REDUZIR NOSSO NÍVEL DE ENDIVIDAMENTO SEJA ATRAVÉS DA VENDAS DE ATIVOS QUE NÃO SEJAM ESSENCIAIS AO NOSSO NEGÓCIO, SEJA ATRAVÉS DE UMA MAIOR GERAÇÃO DE CAIXA. ENCERRAMOS AQUI A NOSSA APRESENTAÇÃO E PASSAMOS PARA A SESSÃO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS...  
  • NO SLIDE DE NÚMERO 10 APRESENTAMOS A PERSPECTIVA DA INDÚSTRIA PETROQUÍMICA. O CENÁRIO DE CURTO PRAZO AINDA É DE CAUTELA. A INSTABILIDADE POLÍTICA NOS PAÍSES ÁRABES, AGRAVADA PELAS QUESTÕES RELACIONADAS AO IRÃ, E AS INDEFINIÇÕES EM RELAÇÃO AO CRESCIMENTO DAS ECONOMIAS DA ZONA DO EURO, TROUXERAM MAIOR VOLATILIDADE AO MERCADO DE PETRÓLEO E À RECUPERAÇÃO DA DEMANDA MUNDIAL. EM DECORRÊNCIA DESTE CENÁRIO, A EXPECTATIVA É DE QUE OS SPREADS DA INDÚSTRIA MUNDIAL SIGAM VOLÁTEIS NO CURTO PRAZO. TODAVIA, A EXPECTATIVA DE RETOMADA DA DEMANDA PODERÁ LEVAR A UMA MELHORIA NA RENTABILIDADE DO SETOR AO LONGO DO ANO. NO CASO DO BRASIL, O AQUECIDO MERCADO DE TRABALHO E A CONTÍNUA MELHORIA DE RENDA DAS FAMÍLIAS BRASILEIRAS DEVERÃO INFLUENCIAR POSITIVAMENTE O DESEMPENHO DA ECONOMIA, COM POTENCIAL DE CRESCIMENTO NA DEMANDA POR PRODUTOS PLÁSTICOS, EXPLICADA PELA CRESCENTE DEMANDA POR PRODUTOS DE MAIOR VALOR AGREGADO. AS RECENTES MEDIDAS ADOTADAS PELO GOVERNO, COM O OBJETIVO DE IMPULSIONAR A DEMANDA E TRAZER MAIS COMPETITIVIDADE PARA OS PRODUTORES NACIONAIS, TAMBÉM PODERÁ AFETAR POSITIVAMENTE O SETOR. OS PRODUTOS IMPORTADOS, QUE AVANÇARAM EM DIVERSOS SETORES DO MERCADO BRASILEIRO EM 2011 E 2012, MOTIVADOS PELOS BENEFÍCIOS DE ICMS CONCEDIDOS PELOS PORTOS INCENTIVADOS, PELA APRECIAÇÃO DO REAL E PELA ATRATIVIDADE DO ROBUSTO CONSUMO DOMÉSTICO, DEVERÃO SUBIR A UM RITMO MENOR. AS RECENTES MEDIDAS ADOTADAS PELO GOVERNO FEDEREAL, CUJO OBJETIVO É DE TRAZER MAIS COMPETITIVIDADE À CADEIA NACIONAL, DEVERÃO AFETAR POSITIVAMENTE O SETOR. PASSANDO PARA O SLIDE 11...
  • NESTE ÚLTIMO SLIDE APRESENTAMOS AS PRINCIPAIS CONCENTRAÇÕES DA ADMINISTRAÇÃO. A BRASKEM, EM LINHA COM SUA ESTRATÉGIA DE FORTALECIMENTO DO SEU NEGÓCIO E DE ELEVAÇÃO DA SUA COMPETITIVIDADE, PERMANECE COMPROMETIDA COM O ABASTECIMENTO LOCAL, TRABALHANDO PARA A CONSTRUÇÃO DE UMA POLÍTICA INDUSTRIAL BRASILEIRA, QUE FORTALEÇA A CADEIA PETROQUÍMICA E DE PLÁSTICOS. A COMPANHIA PERMANECE FOCADA AINDA: NO AUMENTO DA PARCERIA COM SEUS CLIENTES E CONSEQUENTE EXPANSÃO DE SEU MARKET SHARE NO MERCADO BRASILEIRO; NA CONSTANTE BUSCA DE SUA EFICIENCIA OPERACIONAL, ATRAVÉS DA REDUÇÃO DE CUSTOS E DA ADIÇÃO DE VALOR AO SEU PORTFÓLIO DE PRODUTOS; NA CAPTURA DA CRIAÇÃO DE VALOR DAS NOVAS PLANTAS DE PVC E BUTADIENO; NO INÍCIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PROJETO DO MÉXICO, QUE LEVARÁ À MAIOR DIVERSIFICAÇÃO DO SEU MIX DE MATÉRIA-PRIMA, A PREÇOS COMPETITIVOS, ALÉM DE ATENDER O DEFICITÁRIO MERCADO MEXICANO DE POLIETILENO; NO MAIOR DETALHAMENTO DOS ESTUDOS PARA A CONSTRUÇÃO DO NOVO PROJETO PETROQUÍMICO NO RIO DE JANEIRO, COMPERJ, ATRAVÉS DO USO DE GÁS; E NA EXPANSÃO DO USO DE MATÉRIA-PRIMA RENOVÁVEL. SEM DESCUIDAR DA MANUTENÇÃO DE SUA HIGIDEZ FINANCEIRA. PARA ISSO, ESTAMOS COMPROMETIDOS EM REDUZIR NOSSO NÍVEL DE ENDIVIDAMENTO SEJA ATRAVÉS DA VENDAS DE ATIVOS QUE NÃO SEJAM ESSENCIAIS AO NOSSO NEGÓCIO, SEJA ATRAVÉS DE UMA MAIOR GERAÇÃO DE CAIXA. ENCERRAMOS AQUI A NOSSA APRESENTAÇÃO E PASSAMOS PARA A SESSÃO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS...  
  • Conf call 1t13_10052013

    1. 1. TeleconferênciaResultados 1T13Relações com InvestidoresSão Paulo, 13 de Maio de 2013
    2. 2. Ressalva sobre declarações futuras2Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não sãoapenas fatos históricos, mas refletem as metas e as expectativas da direção daBraskem. As palavras "antecipa", "acredita", "espera", "prevê", "pretende","planeja", "estima", "projeta", "objetiva" e similares são declarações prospectivas.Embora acreditemos que essas declarações prospectivas se baseiem empressupostos razoáveis, essas declarações estão sujeitas a vários riscos eincertezas, e são feitas levando em conta as informações às quais a Braskematualmente tem acesso.Esta apresentação está atualizada até 31 de março de 2013 e a Braskem não seobriga a atualizá-la mediante novas informações e/ou acontecimentos futuros.A Braskem não se responsabiliza por operações ou decisões de investimentotomadas com base nas informações contidas nesta apresentação.
    3. 3. Destaques3 Taxa média de utilização dos crackers de 90% no 1º trimestre de 2013. Alta de 6% nas vendas de resinas termoplásticas da Braskem em relação ao 4T12, em linha com atendência de crescimento da demanda local, totalizando 921 mil toneladas. Expansão do marketshare para 71% vs 70% no 4T12. O EBITDA 1T13 atingiu R$ 937 milhões ou US$ 470 milhões. Excluindo-se os efeitos extraordinários do4T12, a alta em dólar foi de 10%. Projeto integrado no México:– Expansão na construção (26% de progresso físico) e evolução do cumprimento das condiçõesprecedentes para o 1º desembolso do project finance, que ocorrerá no segundo trimestre;– Avanço nas atividades de pré-marketing. Incentivo a Indústria Química:– Aprovada, em maio, a medida do governo que reduz a tarifa de PIS/COFINS na compra dematéria-prima (de 5,6% para 1%) e insumos da 2ª geração (de 9,25% para 1%) com manutenção docrédito em 9,25%.– O objetivo é de retomar a competitividade da indústria e estimular o investimento em novascapacidades de produção, que deverão atender o crescimento da demanda brasileira e reduzir odéficit do setor.
    4. 4. Desempenho do mercado brasileiro de resinas termoplásticas4Fontes: Alice / Estimativas Braskem Mercado Brasileiro de Resinas Termoplásticas (em milhões de toneladas) e Market Share Braskem Resinas Termoplásticas: 1T13 x 1T121T12 2T12 3T12 4T12 1T139%5%Vendas BraskemMercadoBrasileiro Perfil de Vendas Braskem 1T1368%70% 70% 70% 71%1,21,31,31,11,268%70% 70% 70% 71%BraskemMarket Share28%8%7%10%18%6%5%9%9%AGRÍCOLAAUTOMOTIVOVAREJOOUTROSALIMENTÍCIOBENSDECONSUMOHIGIENEELIMPEZAINDUSTRIALCONSTRUÇÃOCIVIL1T13
    5. 5. Evolução EBITDA - 1T13 versus 4T125R$ milhões1.3995168836448 4030 937EBITDA 4T12 NãorecorrenteEBITDA 4T12recorrenteCâmbio Volume MargemdeContribuiçãoCF + DVGA +OutrosEBITDA 1T13Impacto docâmbionoscustosImpacto docâmbionareceita(287)223( )( ) A recuperação do EBITDA é explicada pelo maior volume de vendas, comdestaque para o mercado doméstico, e pela melhoria dos spreads, queseguiram em linha com o mercado internacional.
    6. 6. AgentesGov.Nacionais eEstrangeiros21%Mercado deCapitais50%Endividamento Brutopor CategoriaBridge Loan7%Dívida alongada e com fontes diversificadas de financiamento.Comprometimento na manutenção da liquidezAgência Rating Perspectiva DataFitch BBB- Negativa 25/04/2013S&P BBB- Estável 09/11/2012Moody’s Baa3 Negativa 24/04/2013Rating Braskem – Escala GlobalFonte diversificada de endividamentoDívida Líquida / EBITDA (US$)6US$ milhões 4T12 1T13 Dívida Líquida 6.859 7.376 +8%EBITDA (UDM) 2.003 2.036 +2%DívidaLíquida/EBITDA3,42x 3,62x*+6%*Ex-bridge loan do Projeto México = 3,34x no 1T13Bancos29%2013 2014 2015 2016 2017 2018/20192020/20212022em diante31/03/13Saldo dasDisponibilidades1.7578151.9271.568 1.5087672.7593.970 3.9881.298197 (3)1.658 (2)(4)11%10%8% 8%4%15%21% 21%4.911Agenda deAmortização (1)(R$milhões)31/03/2013(1) Não inclui os Custos de TransaçãoAplicado em US$Aplicado em R$3.056(2) Stand by de US$ 600 milhões e R$ 450 milhões(3) Caixa Projeto México(4) Bridge Loan México a ser repago com odesembolso do Project Finance1.265
    7. 7. 1.3322041735362013e2.24426111251T13297Projetos de crescimento e Capex7 Mantendo seu compromisso com a disciplina de capital a Braskem realizou investimentos operacionais quetotalizaram R$ 297 milhões no 1T13: ~90% do total ou R$ 261 milhões foram direcionados à manutenção e melhoria da produtividade dos ativos. Investimento México: O reembolso esperado de US$ 619 milhões referente ao Bridge Loan deve ocorrer até junho de 2013; Os investimentos via equity deverão ocorrer a partir do 2º trimestre.R$ milhões1.3322041735362013eManutenção/ Reposição/ Outros Produt./ SSMAComperj/Ac.Acrilico/Splitter México2.24470%
    8. 8. A Braskem está bem posicionada para capturar a vantagem do gásnorte-americano8Projeto Integrado para produção de 1 milhão de toneladasde PE (México) – JV Braskem (75%) e Idesa (25%) 1º desembolso deverá ocorrer até junho,após o cumprimento de obrigaçõescontratuais. Construção em linha com o cronogramaprevisto. Avanço físico de 26%. Mais de 6 mil trabalhadores no site(diretos e indiretos).Diferenciais do Projeto Matéria-prima competitiva. Gás norte-americano como referência de preço. Start-up do complexo no momento de altade spreads do ciclo petroquímico. Atendimento ao deficitário mercadomexicano.1º projetoa entraremoperaçãona regiãonorte-americana
    9. 9. Cenário global e a indústria petroquímicaFonte: IHS, Relatório dos Analistas Países emergentes deverão ser o principaldirecionador do crescimento econômico mundial. Expectativa de que o crescimento da demanda sejasuperior à oferta  recuperação gradual de spreads. Governo Brasileiro comprometido com odesenvolvimento da cadeia e fortalecimento dacompetitividade da indústria nacional:- Extensão do Reintegra;- Fim do incentivo às importações;- Desoneração da folha de pagamentos;- Plano Brasil Maior (REIQ).9Eteno: Capacidade Adicional (MM ton) Cenário global e a Indústria petroquímica2013e 2014e 2015e 2016e 2017eÁfrica & Índia Europa & Bálticos OrienteMédio Américas Ásia7,89,55,06,24,7ChinaChina ChinaChinaChinaIrãIrãIrãEUA China: Incertezas com relação a viabilidade dos novos projetos; Elevados custos / investimentos para acessar a matéria-prima disponível; Problemas de infraestrutura (logística, disponibilidadede agua para extração e etc). Irã: Dificuldade de comercialização do produto (embargoEUA). EUA: Novas capacidade entram apenas a partir de 2016/2017.Demanda de Eteno (MM ton)
    10. 10. Concentrações Braskem Focar no contínuo fortalecimento da relação com Clientes e ampliação de market share. Evoluir na política industrial da cadeia petroquímica com foco na desoneração dos investimentos,no desenvolvimento tecnológico e na química renovável. Ampliar a competitividade da Braskem, através da melhoria contínua da sua eficiênciaoperacional e diversificação da sua base de matéria-prima. Garantir que o projeto greenfield no México avance dentro do prazo e custo previstos: start-up2015. Avançar nos estudos de engenharia básica das unidades industriais do projeto Comperj (FEL3) edefinir as matérias-primas do complexo. Manter a liquidez e a higidez financeira em um cenário de crise global.10
    11. 11. TeleconferênciaResultados 1T13Relações com InvestidoresSão Paulo, 13 de Maio de 2013

    ×