Presentazione maria cristinamilani mdic pt

548 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Presentazione maria cristinamilani mdic pt

  1. 1. II Seminário Internacional do Programa Brasil Próximo A Política de APL no Brasil: Atualidade e Perspectivas Brasília, 13 de dezembro de 2012 1
  2. 2. Arranjos Produtivos Locais:Estruturação da Política de APLs no Brasil • Instituição, no âmbito do Governo Federal, do Grupo de Trabalho Permanente para Arranjos Produtivos Locais (GTP APL): 33 instituições de abrangência nacional. • Metodologia baseada na construção de um Plano de Desenvolvimento Preliminar/Produtivo . • Instalação dos Núcleos Estaduais de Apoio aos APLs: 27 NEs. • Esforço de mobilização e de inserção do tema na agenda de políticas: 5 Conferências Nacionais. 2
  3. 3. Instituições do GTP APL
  4. 4. Arranjos Produtivos Locais:Política de APLs no Brasil – 1ª Geração• Avanços: • Incorporação de novos atores, atividades e regiões. • Reconhecimento do enfoque de APLs como importante estratégia de promoção do desenvolvimento. • Amadurecimento das visões das instituições acerca do tema, com sua inclusão nas agendas de políticas. • Avanço da competitividade nas empresas dos APLs, individualmente e em coletivos, levando a um ambiente de busca contínua do conhecimento.
  5. 5. Arranjos Produtivos Locais :Novas Formas de Olhar o Espaço Produtivo 5
  6. 6. Arranjos Produtivos Locais: 2ª Geração de Políticas Públicas para APLs• Elementos Principais: • Compromisso com o desenvolvimento econômico, social, cultural, político e ambiental. • Perspectiva de longo prazo e integradora das prioridades nacionais, regionais, estaduais e locais. • Capacidade de incluir e de estimular propostas, pactos e processos locais de desenvolvimento.• Escopo (dimensões com as quais a política para APLs deve guardar coerência): • Plano Brasil Maior – PBM. • Plano Brasil Sem Miséria – PBSM. • Política Nacional de Desenvolvimento Regional – PNDR. 6
  7. 7. DESDOBRAMENTO DO PLANO BRASIL MAIOR – PBM NA POLÍTICA DE APLS DIMENSÃO ESTRATÉGICA DIMENSÃO ESTRUTURANTE Acesso aos Mercados Nacional e Internacional Fomento à interação sistêmica Financiamento e Investimento Promoção do fortalecimento de Formação e Capacitação Profissionalcapacitações produtivas e inovativas Inovação e TecnologiaCoesão e coerência com o processo de desenvolvimento local Capacidade Produtiva, Qualidade e ProdutividadeSustentabilidade econômica, política, social e ambiental Governança e Cooperação DIMENSÃO SETORIAL Sistemas metalmecânicos e Sistemas intensivos em escala e Sistemas intensivos em trabalho: eletroeletrônicos: tecnologia: Têxtil e confecções, Madeira e Eletroeletrônica, Metalmecânico, Fármacos, Biotecnologia, móveis, Couro e calçados, APL de Construção naval, Aeroespacial, Transformação plástica, Reciclagem de Resíduos Sólidos, Automotivo e autopeças Petróleo e gás Construção civil Sistemas do agronegócio: Sistemas extrativistas: Leite e derivados, Fruticultura, Economia criativa e de serviços: Cerâmica/extrativismo mineral, Floricultura, Mandiocultura, Tecnologia da informação, Extrativismo florestal, Piscicultura, Turismo, Rochas/extrativismo mineral, Ovinocaprinocultura, Apicultura, Artesanato, Entretenimento Gemas e joias/extrativismo Carnes/bovinocultura e mineral suinocultura
  8. 8. Arranjos Produtivos Locais2ª Geração de Políticas Públicas para APLs• Desafios: •Aprimoramento dos instrumentos de política, com ênfase em modelos de atendimento coletivo. •Abordagem setorial articulando questões transversais com questões setoriais e customização por APL. •Formação de quadros capazes de operar a política. •Planejamento, monitoramento e avaliação. Plano Nacional de Capacitação para APLs Observatório Brasileiro de APLs (tipologias e indicadores de APLs) 8
  9. 9. Observatório Brasileiro de APLs
  10. 10. Estrutura do ObservatórioRede Social dos APLsBanco de Dados NacionalPortal do Observatório
  11. 11. Objetivos do Observatório Monitoramento e gestão dos APLs Interação entre os atores produtivos e institucionais Geração de Indicadores
  12. 12. Gestão deConteúdo
  13. 13. Arranjos Produtivos Locais2ª Geração de Políticas Públicas para APLs• Cooperação Técnica Internacional: • Cooperação APLs X Clusters no Mercosul: foco na região transfronteiriça Brasil-Uruguai, Brasil-Argentina, Brasil-Paraguai. • Cooperação APLs X Clusters no Arco Central e Norte do Brasil: Bolívia, Peru e Colômbia – estados do Mato Grosso, Acre, Rondônia e Amazonas. • Cooperação Polos de Competitividade X APLs com a França: 3 rodadas de cooperação dos APLs metalmecânicos, Naval, Petróleo e Gás. • Cooperação APLs X Clusters com a União Europeia: mapeamento de potenciais parcerias, integração Observatórios e Redes, 1º Encontro de cooperação em novembro/2012. Fortalecimento das capacitações produtivas e inovativas locais Parcerias estratégicas e atração de investimentos 13
  14. 14. II Seminário Internacional do Programa Brasil Próximo 13 de dezembro de 2012 Obrigada pela atenção! Maria Cristina Milani E-mail: maria.milani@mdic.gov.br 14

×