Gravidez

137 visualizações

Publicada em

muito obrigado

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
137
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gravidez

  1. 1. Gravidez Nos seres humanos, a gravidez se refere ao estado resultante da fecundação de um óvulo pelo espermatozóide, envolvendo o subsequente desenvolvimento do feto gerado no útero, que dura cerca de 9 meses, até seu nascimento. Quais são os riscos do diabetes na gravidez? O diabetes na gravidez pode ser um fator de risco para a mãe e para o bebê devido às alterações causadas pelo aumento do açúcar no sangue (hiperglicemia) da mulher. Para gestante há um maior risco para ocorrência de infecções urinárias frequentes, hipertensão e pré-eclâmpsia. Para o bebê, há um risco aumentado para o nascimento prematuro, nascer com baixos níveis de açúcar no sangue (hipoglicemia neonatal), nascer com icterícia (icterícia neonatal), crescimento e ganho de peso excessivo durante a gravidez (macrossomia), com maior risco de mortalidade intra- uterina, antes do parto. Esses riscos podem ser reduzidos se houver um bom controle dos níveis de açúcar no sangue da gestante durante a gravidez e o parto. Dependendo das alterações e complicações surgidas durante a gravidez pode ser necessária a realização do parto por cesariana. O endocrinologista e o obstetra são os médicos responsáveis pelo tratamento e orientação da gestante com diabetes. Gravidez na adolescência Durante o período em que a mulher fica grávida, ocorre um crescimento e desenvolvimento do embrião da mulher, amadurecimento psicológico e preparação física para o crescimento da criança e do parto, onde está envolvido o crescimento do útero, das mamas e as preparações para o futuro da criança. Quando o tema é relacionado com a adolescência, este pode acarretar vários problemas tanto para os familiares quanto para os adolescentes envolvidos. Geralmente, eles não estão preparados psicologicamente/emocionalmente e nem financeiramente para poder estruturar e se desenvolver com a criança. Muitas vezes, por todo esse conflito gerado, os adolescentes acabam saindo de casa, parando os estudos ou até mesmo tentando técnicas clandestinas de aborto sem saber exatamente o que estão fazendo, acarretando assim, sérios problemas.
  2. 2. Cuidados durante a gravidez A gravidez é um momento mágico e muito esperado na vida de toda mulher, é nesta etapa da vida onde se deve ter o máximo de cuidado com o corpo para que tudo corra bem durante os noves meses de gestação. Segundo o Ministério da Saúde, produtos como álcool e cigarro devem ser banidos durante todo o período, além disso, deve-se evitar a companhia de fumantes. O álcool, caso seja consumido durante o período de gravidez atinge o feto através da corrente sanguínea, podendo causar a chamada síndrome alcoólica fetal, que consiste no nascimento de crianças com retardo mental, problemas de crescimento, distúrbios de comportamento e má formação cardíaca e na face. Existem médicos que recomendam o corte do álcool até mesmo antes de se engravidar. Se sentir dificuldades em não beber durante a gravidez, procure consumir cervejas sem álcool. Caso tenha abusado de bebidas alcoólicas durante a gestação, procure conversar com um obstetra. Quanto ao cigarro, já sabemos os diversos males causados por este produto. Quando se trata de gravidez, o fator de risco é ainda maior. Assim como o álcool, toda a química do cigarro é transferida para o feto através da corrente sanguínea e o bebê correrá grande risco de nascer abaixo do peso e em alguns casos, ter morte súbita. Órgãos como o coração, pulmões e o cérebro do bebê também são afetados. Além disso, o fumo causa alterações no leite materno, que diminui a quantidade e fica com menos gordura. A grávida deve também evitar contato com produtos fortes como água sanitária e outros produtos de limpeza, caso seja inevitável, recomenda-se o uso de máscara no nariz e luvas. Sobre a ingestão de alimentos, é recomendado que as gestantes realizem um acompanhamento nutricional durante a gravidez. Deve-se evitar o consumo em excesso de doces, sal, cafeína e refrigerantes, além de alimentos muito condimentados e gordurosos. O ideal é a realização de várias pequenas refeições durante o dia. A alimentação da gestante deve ser baseada em frutas, legumes, verduras, leguminosas, cereais, carnes, aves e peixes, leite e derivados, bastante água e, diariamente, alimentos ricos em fibras. É importante ter atenção quanto a sua saúde oral, a higiene dental deve ser feita regularmente, a fim de evitar infecções e inflamações na gengiva. Caso você tenha algum problema com seus dentes consulte um dentista. Nunca tome qualquer medicação sem a recomendação de sua obstetra! Mesmo após o nascimento do bebê, a mãe deve dar continuidade na boa alimentação para que o leite esteja sempre adequado à criança. O leite materno deve possuir tudo o que o bebê precisa para crescer e se desenvolver de forma saudável, com nutrientes importantes, fornecendo anticorpos e outras substâncias benéficas, protegendo deste modo o bebê contra infecções e alergias, além de ser muito nutritivo. Além disso, ao amamentar as chances de se adquirir câncer de mama são reduzidas.
  3. 3. Causas e Consequências de uma gravidez precoce Principais causas da ocorrência de uma gravidez prematura.. Alguns dos principais factores que contribue m para a ocorrência da gravidez na adolescência são: - o aparecimento da primeira menstruação (menarca), que costuma ocorrer por volta dos 12,5 anos de idade (valor que tem vindo a diminuir com a evolução social); - o erotismo constante nos meios de comunicação; - a adolescência demasiado longa; - o não uso de métodos anticoncepcionais, devido à desinformação, ignorância e inconsciência por parte dos jovens actuais; - a falta de informação sobre métodos anticoncepcionais, principalmente em classes de baixa renda, onde a escolaridade é muito baixa; - o desconhecimento das funções corporais quanto à capacidade reprodutiva; - a educação sexual ausente ou inadequada; - o uso dos contraceptivos de uma forma errada e inadequada; entre outros; - o contexto familiar em que as jovens se inserem, isto é, as adolescentes que iniciam a vida sexual precocemente ou que engravidam durante esse período, geralmente provêm de famílias cujas mães se assemelharam a essa “biografia”; - a negação da possibilidade de engravidar durante a adolescência (pelos próprios jovens), negação essa que aumenta à medida que a faixa etária diminui; - O uso de drogas e bebidas alcóolicas afecta os efeitos dos contraceptivos, o que faz com que a rapariga engravide mesmo usando algum tipo de anticoncepcional; - O desejo da adolescente de autoafirmar-se como adulta, a contraposição as regras impostas pelos pais ao acto sexual e o desejo de viver ao lado da pessoa amada leva a uma gravidez “inesperada”; - Repetir padrões de comportamento; - Desejo do parceiro pela gravidez.
  4. 4. Consequências de uma gravidez precoce... - As principais consequências de uma gravidez precoce refletem-se no campo psicossocial, pois os adolescentes não estão preparados para assumir as responsabilidades da paternidade; - A adolescente tem problemas emocionais devido à mudança rápida no seu corpo; - A decepção dos pais ao receberem a notícia causa graves distúrbios emocionais nas adolescentes; - Risco de saúde da mãe e do feto, pois, como na maioria dos casos a adolescente tenta esconder a gestação, o atendimento pré-natal é inadequado ou inexistente; - Os preconceitos contra a adolescente gestante, que quebrou uma regra social tendo relações sexuais antes do casamento, é muito grande, vinda principalmente de pessoas mais velhas; - A mudança de rotina de vida; - O abandono escolar; - A dificuldade em arranjar um emprego; - A impossibilidade de realizar alguns sonhos que caracterizam os jovens; - O abandono pelo pai da criança; - A opressão e discriminação social; - A dependência financeira dos pais durante um maior período de temp

×