Lanterna mágica

766 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
766
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
79
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lanterna mágica

  1. 1. Universidade de Évora Disciplina: Projectos de Intervenção em Contextos Educativos não Formais Departamento: Pedagogia e Educação 2º Ano – 4º Semestre A Lanterna Mágica “Olhar o Templo antes da Fotografia”Orientadora: Trabalho realizado por:Prof.ª Isabel Bezelga Beatriz Garcia nº 27098 Rosa Canivete nº 27127 Vânia Sabarigo nº 25418 Évora, 20 de Junho de 2011
  2. 2. Identificação do Grupo
  3. 3. A Lanterna Mágica• A origem da Lanterna Mágica remonta ao séc. XVII.• Consiste num instrumento que projecta imagens em suporte transparente (vidro).• As imagens desenhadas nas placas de vidro da Lanterna foram um meio de apoio excepcional para a transmissão de conhecimentos durante várias décadas.• Serviram para fins científicos, espectáculos públicos ou para animação de serões em família.• Este aparelho óptico provido de um feixe luminoso e lente pode ser considerado o antecessor do actual projector de slides.
  4. 4. Como surgiu a Ideia A partir do contexto da Cidade:  Tema: • Lanterna Mágica • Templo Romano  Projecção na Lanterna Mágica • Pintura dos vidros com imagens alusivas ao tema  Actividades • Visita ao Arquivo Fotográfico • Passeio à descoberta da cidade – Templo Romano (medição – pé romano) – Trav. das Casas Pintadas – Rua da Corredoura – Rua da Mouraria – Rua de Avis – Trav. do Escudeiro da Roda – Largo Chão das Covas – Casa da Balança
  5. 5. Enquadramento do Projecto nas Orientações Curriculares e Competências Essenciais• Reconhecimento e identificação de elementos espácio-temporais que se referem a acontecimentos e factos da história local.• Utilização de vestígios de outras épocas, como fonte de informação para reconstruir o passado, compreendê-lo e organizar o presente.• Assumir o papel de ouvinte atento e de interlocutor cooperativo em diversas situações.• Conhecer e aplicar regras de convivência social.• Despertar e desenvolver nos alunos o interesse pelo património histórico local.• Alargar e adquirir conhecimentos básicos sobre a Lanterna Mágica e os monumentos.
  6. 6. Objectivos Sensibilizar as crianças para a preservação do património, quer material quer imaterial. Contribuir para o desenvolvimento de uma cultura fotográfica. Despertar o sentido de observação e curiosidade pelo que nos rodeia, assim como o pensamento critico. Proporcionar a aquisição de novas aprendizagens. Desenvolver a destreza manual através da minuciosidade do trabalho. Desenvolver a criatividade, a imaginação e a expressão plástica.
  7. 7. Divulgação• O nosso Projecto foi divulgado através de um folheto, o qual fizemos chegar aos professores, alunos e encarregados de Educação.
  8. 8. Cronograma das Reuniões Março Abril Maio JunhoActividades 3 10 15 23 28 30 6 13 19 2 3 4 9 10 16 17 24 27 15Reunião comOrientadoraReunião no ArquivoFotográficoReunião de GrupoReunião na Casa da BalançaReunião na Escola deS.MamedeIntervenções
  9. 9. Cronograma 4 de Maio 10 de Maio 16 de MaioVisita ao Arquivo Passeio à descoberta Elaboração dosFotográfico da cidade. desenhos. Visita à Casa da Balança. 24 de Maio 15 de JunhoColorir os vitrais Projecção dos vitrais na Lanterna Mágica
  10. 10. Contextualização do Projecto• Visita ao Arquivo Fotográfico. • Apresentação de um PowerPoint alusivo ao Projecto a desenvolver.
  11. 11. Percurso do “Passeio de Descoberta”. A Corredoura descerás.Pelas Casas Pintadas seguirás e Apenas alguns passosao mais antigo arco chegarás na Mouraria darás até ao 26, onde Cunha Rivara encontrarás e aí uma placa lerás. Alguns passos em Avis darás e Junto ao Convento Novo, no Escudeiro da Roda virarás. Um grande Largo avistarás. E aí nos encontrarás.
  12. 12. • Passeio da Descoberta.
  13. 13. • Visita à Casa da Balança.
  14. 14. Actividades na SalaRealização dos Desenhos
  15. 15. Pintura dos vidrinhos
  16. 16. Ideias das Crianças “Foi muito giro e adorei”.“Como passaram do papel o quenós fizemos?” “Não sabia que os desenhos iam para a Lanterna.”
  17. 17. Certificado de Participação • Elaborámos um Certificado de Participação relativo ao “Passeio de Descoberta”. • Vai ser entregue na apresentação pública de Lanterna Mágica.
  18. 18. Avaliação• “Salientamos o intenso envolvimento no projecto (…), que implicava muitas horas de trabalho e a aquisição e domínio completamente novas para as alunas. Frisamos que as alunas se mostraram dispostas a mostrar o seu projecto à comunidade, indo além daquilo que lhes era solicitado academicamente.” (C.M.E. – Arquivo Fotográfico)• “As alunas cumpriram tudo o que foi planificado. Mostraram-se sempre disponíveis. Aceitaram bem todas as sugestões. Mantiveram uma boa relação com todos os parceiros envolvidos neste projecto.” (E.B. 1 S. Mamede – Prof. Domingas Canhoto)
  19. 19. Aprendizagens• Forma de organizar um projecto desta dimensão.• Saber trabalhar em equipa, respeitando a individualidade de cada elemento.• A experiência, as sugestões e orientações dos elementos parceiros foram uma mais valia no desenvolvimento do projecto.• A nível académico e como futuras profissionais docentes o projecto foi muito enriquecedor.
  20. 20. Dificuldades• Lidar com a ansiedade.• Gestão do tempo.• Adequar as tarefas à faixa etária da turma.
  21. 21. Este projecto não termina aqui! No dia 24 de Junho, pelas 18h, no Palácio de D.Manuel, vai realizar-se uma apresentação pública de Lanterna Mágica dramatizada pela turma que participou no projecto.
  22. 22. FIM

×