Introdução (Madalena)    No seguimento da matéria que temos vindo a estudar em aula sobre a manipulação dafertilidade, foi...
Os ciclos menstruais têm intervalos regulares, o que pode levar a um fluxo mais       abundante e com que dores menstruais...
Como Funciona? (Pipa)     Ainda não se conhece ao certo o mecanismo pelo qual os DIU’s impedem a gravidez,embora tenham si...
durante a sua colocação. Nestes casos a mulher deve dirigir-se ao médico para que       o dispositivo seja retirado;      ...
Estes efeitos podem ser controlados através de medicamentos aconselhados pelomédico e, normalmente, normalizam após os pri...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Trabalho escrito

2.267 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.267
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
530
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho escrito

  1. 1. Introdução (Madalena) No seguimento da matéria que temos vindo a estudar em aula sobre a manipulação dafertilidade, foi-nos proposta a realização de um trabalho sobre um dos métodoscontraceptivos, o DIU. Ao longo deste trabalho vamos tentar explicar-vos de forma objectiva o que é o DIU,como se utiliza e quais são as principais vantagens e desvantagens associadas a estemétodo contraceptivo. O dispositivo intra-uterino é o método reversível mais utilizado no mundo. Cerca de160 milhões de mulheres utilizam-no. Os primeiros estudos sobre este dispositivo foramfeitos por médicos alemães e, em 1929, Ernest Gräfenberg publicou um relatóriodetalhado sobre o DIU.Apresentação do Dispositivo (Pipa) O dispositivo intra-uterino, ou simplesmente DIU, é um pequeno dispositivoanticoncepcional de plástico, revestido por um fio de cobre ou hormonas, com a forma deT. Este é inserido e retirado do útero por um médico. O DIU é um método contraceptivo seguro para evitar a gravidez, alterando ascondições do útero e funcionando como barreira que impede a passagem dosespermatozóides. É eficaz durante cerca de 5 a 10 anos. Quando a mulher deseja ter umfilho deve dirigir-se ao seu médico e retirar o aparelho, de forma a evitar um aborto. Apóso parto, a mulher pode amamentar mesmo tendo o DIU. A utilização do aparelho deve sersempre vigiada pelo médico.Tipos de DIU (Madalena) Existe dois tipos de Dispositivo Intra-Uterino (DIU): (ambos muito eficazes, com oobjectivo de impedir a fecundação) - Têm o mesmo tamanho, são de plástico e têm um formato semelhante a um ”T” - Inibem a proliferação no endométrio e a mobilidade dos espermatozóidesDe Cobre, (efeito até dez anos): É de plástico simples com filamentos em cobre É o Diu mais conhecido e o mais usado por 84 milhões mulheres em todo mundo; Ocorre libertação contínua de cobre para dentro da cavidade uterina. O que dificulta a movimentação do óvulo através da trompa, impedindo a fecundação; É um método em que não há libertação de hormonas, logo é uma boa opção para mulheres com diabetes;
  2. 2. Os ciclos menstruais têm intervalos regulares, o que pode levar a um fluxo mais abundante e com que dores menstruais mais fortes. Por isso não é adequado para mulheres que tenham um fluxo intenso.Progestativo (efeito entre três a cinco anos) No caso de um DIU medicamentado com hormonas, regularmente chamado SIU, (sistema intra-uterino) em vez de ser libertado cobre, é libertada uma hormona (levonorgestrel) para o útero, à semelhança da pílula contraceptiva. A sua maior vantagem, em relação ao de cobre, é provocar menos perdas de sangue, diminuindo o fluxo e reduzindo nas dores menstruais. Este efeito só é visível ao fim de um determinado tempo de utilização; Trata-se de um método tão eficaz como a laqueação de trompas, tendo a vantagem de ser reversível; A taxa de gravidez do Mirena (tipo de SIU) é muito baixa, aproximadamente 0,02 por cada 1.000 mulheres;Que tipo de mulher deve usar o DIU? (Madalena) O DIU é mais indicado para uma mulher que já teve filhos e quer espaçar mais a próxima gravidez (3-5 anos), ou quando a família já está completa; Para as mulheres que apresentam contra-indicações a outro tipo de métodos contraceptivos como a pílula, o DIU é uma boa opção; Após o parto, o DIU não interfere na amamentação.Aparelho Reprodutor Feminino sem o DIU (Anne) Na mulher, a produção de gâmetas (oócitos II) ocorre em ciclos de 28 dias. Duranteestes ciclos existem alterações ao nível do aparelho reprodutor feminino que são visíveis,sobretudo nos ovários e no útero. Durante o ciclo ovárico verifica-se o amadurecimento de um folículo primário e alibertação do oócito II nas Trompas de Falópio, durante a ovulação. Nas trompas existemcílios que permitem o movimento do gâmeta feminino para que este possa ser fecundadopor um espermatozóide e chegue ao útero. Simultaneamente, a este ciclo ocorre o ciclo uterino que consiste na preparação doútero para o caso ocorrer fecundação e as maiores alterações ocorrem ao nível daespessura do endométrio. O muco cervical é um ambiente favorável à movimentação dosespermatozóides em condições normais. Mais à frente vamos explicar que alterações se verificam com a utilização do DIU.
  3. 3. Como Funciona? (Pipa) Ainda não se conhece ao certo o mecanismo pelo qual os DIU’s impedem a gravidez,embora tenham sido propostos muitos para explicar a sua acção anticoncepcional. Estedispositivo impede que o espermatozóide alcance o óvulo da mulher, não havendo assimfecundação e também poderá, eventualmente, evitar que o ovo se implante no endométrio(nidação). Antes da colocação do DIU o médico deve explicar quais os benefícios e desvantagensda utilização deste dispositivo. A mulher que optar pelo DIU deve assinar um termo deresponsabilidade e realizar diversos exames para verificar se pode utilizar este método ese não apresenta infecções ou outros problemas ao nível do aparelho reprodutor. O DIU é inserido durante o período menstrual uma vez que é mais fácil e garante quea mulher não está grávida. O dispositivo é introduzido cuidadosamente através colo doútero juntamente com um tubo pequeno de plástico e comprido. Após a inserção do tubo,o aparelho é retirado do tubo e inserido no útero. Posteriormente, o tubo é retirado. O DIU possui um fio de plástico que o médico cortará para que fiquem algunscentímetros desse fio de fora, no colo do útero. A pessoa que possui um dispositivo deverámensalmente verificar, após cada menstruação, se o DIU se encontra no útero através dofio presente no colo do útero (procedimento explicado pelo médico). Muitas mulheres, à medida que o DIU é introduzido no útero, sentem cólicas o queprovoca desconforto na introdução deste aparelho. Após a colocação deste dispositivo verificam-se algumas alterações ao nível doaparelho reprodutor da mulher. Os cílios das Trompas de Falópio que permitem amovimentação do oócito II do ovário até ao útero, invertem o sentido do seu movimento eo muco cervical, quando recebe os iões de cobre libertados pelo DIU deixa de ser umambiente favorável à movimentação dos espermatozóides.Riscos e Contra-Indicações (Anne) Apesar de apresentar vários benefícios em relação a outros métodos contraceptivos, oDIU também apresenta alguns riscos e contra-indicações.Riscos: Expulsão do DIU: a expulsão pode ocorrer sem que a mulher se aperceba e tem maior probabilidade de acontecer no primeiro ano e em mulheres com menos de 20 anos. A taxa de expulsão depende da experiência do médico que coloca o aparelho, do tempo de permanência, da época de inserção e do organismo da paciente. O dispositivo é expulso mais frequentemente durante a menstruação e pode ser expulso na totalidade ou parcialmente. Sendo que quando a expulsão é parcial deve ser retirado todo o DIU. Não existe nenhum mecanismo para evitar a expulsão; Mau posicionamento do DIU: em algumas situações o mau posicionamento do instrumento pode levar à perfuração da parede do útero. O mesmo pode acontecer
  4. 4. durante a sua colocação. Nestes casos a mulher deve dirigir-se ao médico para que o dispositivo seja retirado; Gravidez: se a mulher engravidar mesmo utilizando o DIU, este deve ser retirado pelos médicos para evitar o aborto e outras complicações. Infecção: pode ser leve e sendo assim pode ser tratada sem retirar o dispositivo. Caso seja uma infecção grave o DIU deve ser removido.Contra-Indicações: Gravidez; Doença inflamatória pélvica; Tuberculose pélvica; Cancro uterino, do endométrio ou do ovário; Alterações anatómicas do útero que impeçam a posição correcta do DIU; Alergia ao cobre; Idade inferior a 20 anos; Mulheres que ainda não tiveram filhos; Doenças a nível do útero; Anemia.Vantagens (Pipa) Utilização independente da actividade sexual; Não interfere no acto sexual; Eficácia de 98 a 99%; Período longo de utilização; Amamentação mesmo tendo o DIU; Contracepção sem qualquer gesto diário; Pode não ser um método hormonal (tipos de DIU). Proporcionam uma sensação de comodidade e liberdade à mulher.Desvantagens (Madalena) A colocação tem de ser feita pelo médico; É relativamente caro; Aumenta as dores durante o período menstrual bem como o seu fluxo; Não protege das doenças sexualmente transmissíveis e pode aumentar o risco de apanhar alguma; Em algumas pessoas pode também causar cólicas e sangramentos independentes do período menstrual; Pode causar esterilidade na mulher, por isso não é recomendado para aquelas que nunca tiveram filhos.
  5. 5. Estes efeitos podem ser controlados através de medicamentos aconselhados pelomédico e, normalmente, normalizam após os primeiros 3 meses de utilização.Conclusão (Anne) Após a realização deste trabalho, concluímos que o DIU é um método contraceptivobastante eficaz e que confere maior liberdade à mulher pelo facto de não ter de repetir umgesto diariamente. Apesar de apresentar alguns riscos e desvantagens, o DIU é um anticoncepcional quese adequa sobretudo a mulheres que já tenham tido filhos e que não desejam ter mais.Assim, ao optarem por este dispositivo evitam outros métodos que sejam definitivos comoa laqueação das trompas ou outros que requerem um gesto diário. Durante este trabalho tentámos sempre colaborar e ultrapassar as nossas dificuldadesem conjunto e achamos que o resultado final foi bastante bom. Esperamos que tenham gostado.

×