Procedimentos de Interação: CTBE-Indústria

878 visualizações

Publicada em

Apresentação de Rosana Di Giorgio realizada no "Workshop sobre Procedimentos que Regem o Relacionamento do CTBE com a Indústria"

Data: 1 de junho de 2010
Local: CTBE, Campinas, Brasil
Website do evento: http://www.bioetanol.org.br/workshop6

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
878
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Procedimentos de Interação: CTBE-Indústria

  1. 1. Procedimentos que regem orelacionamento do CTBE com a indústria
  2. 2. Produção intelectual do CTBE  Valor comercial para várias indústrias, além das atuantes no negócio de etanol/cana-de-açúcar, diretamente. Ex:   Química e Petroquímica   Alimentícia   Automotiva   Farmacêutica   Cosmética   Fornecedores de equipamentos   Empresas de Engenharia   Outras
  3. 3. ParceriasPesquisa e desenvolvimento conjuntos. Ex:•  Novos produtos e soluções •  Produtos derivados da cana (combustíveis, polímeros, intermediários químicos, etc.) •  Microorganismos e enzimas •  Materiais (resistentes à corrosão, à alta temperatura, etc.) •  Sensoriamento para agricultura de precisão (sensores para monitoramento do solo, planta e atmosfera, dosadores, etc.) •  Equipamentos para operação agrícola. Ex: despalhadores, colhedoras, etc. •  Sistemas computacionais (como a Biorrefinaria Virtual de Cana-de-Açúcar) •  Outros
  4. 4. ParceriasPesquisa e desenvolvimento conjuntos. Ex:•  Novos processos •  Obtenção de combustíveis, materiais, polímeros, enzimas, etcTransferência de Tecnologias e MateriaisLicenças (uso e exploração comercial)
  5. 5. ParceriasInfraestrutura:•  Planta piloto, laboratórios e escritórios, para condução de experimentos (ex: escalonamento de processos), suporte à realização de experimentos, fornecimento de insumos, produtos intermediários (ex: cepas) e finais (ex: hidrolases).Intercâmbio de recursos humanosCo-investimento (projetos de alto risco)Criação de empresasApoio à busca por recursos governamentais
  6. 6. ParceriasRelacionamento ganha-ganha: Divisão de riscos e benefícios Sigilo Agilidade
  7. 7. Relacionamento CTBE – indústria: procedimentosDocumento: Procedimentos que regem o relacionamento do CTBE com a indústriaObjetivo:  tornar claras as regras da parceria entre CTBE e indústria, proporcionando às partes tranqüilidade e atendimento de seus interessesExpectativas:  Atrair parceiros capitalistas e do setor produtivo  Atrair e estabelecer relação adequada com instituições de pesquisa  Possibilitar a maximização dos ganhos das partes envolvidas (relações ganha-ganha)  Transferir resultados de P&D para o setor produtivo e  Garantir que novas tecnologias cheguem ao mercado
  8. 8. Relacionamento CTBE – indústria: procedimentos Tópicos:1.  Aproximação CTBE – indústria....................................................................92.  Submissão dos projetos...............................................................................93.  Governança do processo de interação CTBE – indústria...........................104.  Sigilo...........................................................................................................105.  Partilha de benefícios decorrentes da exploração comercial......................116.  Partilha da PI..............................................................................................137.  As possibilidades de cooperação com o CTBE..........................................138.  Treinamento das equipes...........................................................................179.  Execução e entregas dos projetos acordados entre CTBE e indústria......17
  9. 9. Aproximação e submissão do projeto  Aproximação CTBE – indústria   Postura pró-ativa  Submissão do projeto   Resumo da proposta: formato do Anexo I   NDA se necessário   Encaminhamento: gestão de negócios do CTBE   Análise pelo Comitê de Inovação (CI)
  10. 10. GovernançaProjeto aprovado:  Co-gestão da parceria (Comitê Gestor - CG)  Definições, no início do processo e com regras objetivas, de:   Escopos dos projetos, prazos e orçamentos   Divisão de riscos, benefícios e propriedade intelectual   Condições de sigilo  Possibilidades de:   Redirecionamento do projeto em caso de distorções (financeiras, de cronograma, técnicas, etc.)   Interrupção do projeto caso este se torne inviável  Poder de veto em caso de desacordo
  11. 11. Comitê Gestor (CG) - responsabilidades  Designar responsáveis técnicos  Coordenar atividades:   Adequação da proposta   Detalhamento do Projeto (Plano de trabalho, Cronograma e Orçamento)   Previsão de recursos (equipe, instalações, materiais, investimentos)   Preparação da documentação do projeto  Aprovar o documento de projeto  Negociar e aprovar: partilha da PI e benefícios, sigilo, etc.  Definir acompanhamento do projeto  Acompanhar execução e decidir sobre desvios (orçamento real x aprovado, cronograma, alterações de rota, etc.).
  12. 12. Sigilo  Procedimentos internos de sigilo do CTBE:   Gerais: vazamento de informações sensíveis do CTBE para o meio externo;   Adicionais (envolvimento da indústria): Vazamento de informações entre projetos.  Estarão sob sigilo: CI, CG, funcionários do CTBE, da indústria e terceiros envolvidos na análise da proposta e na execução do projeto  Informações restritas: será acordado previamente,   Quais informações ficarão restritas ao CTBE, à indústria e serão disponibilizadas de uma parte à outra   Tempo durante o qual perdurará a obrigação de sigilo
  13. 13. Sigilo (cont)  Procedimentos gerais – exemplos:   Formalização da confidencialidade com: funcionários, colaboradores temporários, prestadores de serviço, estagiários, convidados a participar de reuniões (comitês), parceiros   Controle de acesso às instalações   Visitas controladas e acompanhadas por funcionários preparados   Colaboradores temporários deverão manter sigilo sobre projetos de outras equipes além de seus próprios   Publicações científicas seguirão o estabelecido nos acordos   Atenção a relatórios de projetos e relatórios de bolsas   Controle de acesso a materiais de terceiros (ex: OGMs)   Segurança física e lógica dos dados   Informações eletrônicas criptografadas   Servidores do CNPEM operados por equipe própria, sob sigilo   Treinamento anual nos procedimentos de sigilo
  14. 14. Sigilo (cont)  Procedimentos adicionais nos projetos com a indústria - exemplos:   Informações restritas à equipe e ao coordenador do projeto   Condução por equipes e coordenadores diferentes   Troca de informações entre equipes após a proteção legal da PI e término do período de sigilo   Uso de laboratório em dias/horários diferentes   Informações de projeto seguramente separadas. OBS: em algumas situações a empresa poderá trazer seus próprios computadores.   Proteção contra acesso manual e visual a equipamentos especiais da indústria.   Verificar a aplicabilidade de Termo de Compromisso específico aos componentes da equipe de um dado projeto.
  15. 15. Partilha da PI  Será aplicável a:   Projetos conjuntos   Novos resultados (reconhecimento de PI pré-existente)  Levará em conta as contribuições das partes ao projeto  A Instituição Científica e Tecnológica (ICT) que entrar em um projeto pré-acordado entre CTBE-indústria, deverá:   Partilhar a PI com o CTBE   Autorizar o CTBE a agir como agente comercial exclusivo dos resultados  evitar impedimentos nas licenças para a indústria
  16. 16. Partilha de benefíciosSerão levados em conta:  Investimentos atuais e anteriores aplicáveis ao projeto:   RH, financeiros, materiais  Licenças concedidas   exclusivas/não exclusivas  Considerar:   Formas de remuneração que dividam o risco   Projeções realizadas conjuntamente   Outros recursos governamentais (BNDES, FINEP, FAPESP, etc.)
  17. 17. Treinamento das equipes  Pessoal interno e externo  Procedimentos:   Segurança pessoal   Segurança patrimonial   Segurança da Informação   Regras de relacionamento CTBE-indústria  OBS: treinamento nos procedimentos padrão do CTBE e relativos a projetos específicos
  18. 18. Cronograma
  19. 19. Thank you

×