José Guilherme PerticarrariJosé Guilherme Perticarrari
Coordenador de P&DCoordenador de P&D -- Engenharia AgrícolaEngenhar...
CTCCTC –– Centro de Tecnologia CanavieiraCentro de Tecnologia Canavieira
CamamuCamamuMiracatuMiracatu
PiracicabaPiracicaba...
Participação das associadas na
produção de cana do Brasil
Safra 08/09
Participação das associadas naParticipação das assoc...
Usinas e destilarias
Assoc. Fornecedores
Unidades Associadas ao CTCUnidades Associadas ao CTC
Estado da arte do PlantioEstado da arte do Plantio
MecanizadoMecanizado
Plantio manualPlantio manual
19701970 -- Registros patente nos E.U.ARegistros patente nos E.U.A
19891989 -- Ensaios de campo comEnsaios de campo com
plantadora protótipo Dedini DM 4000plantadora protótipo Dedini DM 400...
19931993 –– Plantadora Bonel no BrasilPlantadora Bonel no Brasil
Importação de plantadora Australiana objetivando testes
p...
Problemas encontradosProblemas encontrados
Dificuldades de distribuição de toletes > 25cm
Embuchamento de cana com palha
D...
19951995 -- Distribuidor de toletesDistribuidor de toletes
Características:
Plantio semi-automatizado da cana-de-açúcar
Ut...
Premissas para o desenvolvimento daPremissas para o desenvolvimento da
plantadora CTCplantadora CTC
Concepção simples
Faci...
19961996 -- Protótipo plantadora CTCProtótipo plantadora CTC
Características:
Plantio: duas linhas simultâneas,
Operações:...
19971997 –– CTC: avaliação da plantadora AustoftCTC: avaliação da plantadora Austoft
Ensaios na Usina São Martinho
Austoft...
19981998 -- 1ª Plantadora CTC1ª Plantadora CTC
Características de Plantio:
Espaçamento: 1,40 a 1,50m (2 linhas)
Gemas: 12 ...
Características de Plantio:
Espaçamento: 1,40 a 1,50m (2 linhas)
Gemas: 12 a 15 gemas viáveis/m
Toletes: comprimento médio...
Desenvolvimento da máquina plantadora de cana eDesenvolvimento da máquina plantadora de cana e
aplicadora de tortaaplicado...
20032003 -- Plantadora CTC/SantalPlantadora CTC/Santal
20042004 -- Plantadora de Cana CTC/DMBPlantadora de Cana CTC/DMB
Modelagem 3D
20092009 -- Plantadoras comerciaisPlantadoras comerciais
Desafios na MecanizaçãoDesafios na Mecanização
do Plantiodo Plantio
Desafio 1Desafio 1:: Máquinas e equipamentosMáquinas e equipamentos
•• Logística operacionalLogística operacional
•• Quali...
Adaptações da colhedora:
Sistema de desinfecção automatizadaSistema de desinfecção automatizada
LogLogíística da mecanizastica da mecanizaçção do plantioão do plantio
COLHEITA DA MUDA
TRANSPORTE DOS
TOLETES PARA A
ÁREA...
Modelo de simulaModelo de simulaççãoão
Plantio mecanizadoPlantio mecanizado
Permite:Permite:
•• Determinar a configuração ...
Desafio 2Desafio 2 : Brotação e vigor no plantio: Brotação e vigor no plantio
Desafio 3Desafio 3 : Variedades adequadas: Variedades adequadas
Ensaios de aptidão varietalEnsaios de aptidão varietalUSIN...
Dosagem dos toletesDosagem dos toletes -- ExcessoExcesso
Dosagem dos toletesDosagem dos toletes –– E.U.AE.U.A
ObrigadoObrigado
José Guilherme PerticarrariJosé Guilherme Perticarrari
guilherme@ctc.com.brguilherme@ctc.com.br
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Estado da Arte do Plantio Mecanizado no Brasil

3.356 visualizações

Publicada em

Apresentação de José Guilherme Perticarrari realizada no "Workshop Mecanização de Baixo Impacto para o Plantio Direto de Cana-de-açúcar "

Data: 5 de março de 2009
Local: CTBE, Campinas, Brasil
Website do evento: http://www.bioetanol.org.br/workshop2

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.356
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
42
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
168
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estado da Arte do Plantio Mecanizado no Brasil

  1. 1. José Guilherme PerticarrariJosé Guilherme Perticarrari Coordenador de P&DCoordenador de P&D -- Engenharia AgrícolaEngenharia Agrícola Março de 2009Março de 2009 Estado da arte do PlantioEstado da arte do Plantio Mecanizado no BrasilMecanizado no Brasil
  2. 2. CTCCTC –– Centro de Tecnologia CanavieiraCentro de Tecnologia Canavieira CamamuCamamuMiracatuMiracatu PiracicabaPiracicaba -- SPSP
  3. 3. Participação das associadas na produção de cana do Brasil Safra 08/09 Participação das associadas naParticipação das associadas na produção de cana do Brasilprodução de cana do Brasil Safra 08/09Safra 08/09 160 usinas (140 em operação e 20 novas) + 18 assoc. fornecedores 160160 usinasusinas (140 em operação e 20 novas)(140 em operação e 20 novas) ++ 1818 assoc. fornecedoresassoc. fornecedores Nº de associadas = 178Nº de associadasNº de associadas == 178178 Situação 02/02/09Situação 02/02/09 Associadas 55 % Não Associadas 45 % CTCCTC –– Centro de Tecnologia CanavieiraCentro de Tecnologia Canavieira 103 23 13 12 11 6 4 4 2 SP MG GO PR MS ES AL PE MT
  4. 4. Usinas e destilarias Assoc. Fornecedores Unidades Associadas ao CTCUnidades Associadas ao CTC
  5. 5. Estado da arte do PlantioEstado da arte do Plantio MecanizadoMecanizado
  6. 6. Plantio manualPlantio manual
  7. 7. 19701970 -- Registros patente nos E.U.ARegistros patente nos E.U.A
  8. 8. 19891989 -- Ensaios de campo comEnsaios de campo com plantadora protótipo Dedini DM 4000plantadora protótipo Dedini DM 4000 Área experimental na Usina São Martinho; Colhedora de mudas: DM 6000 e DM 8000; Gemas inviáveis após colheita: 10 a 13% Comprimento do tolete: 20 a 25 cm Gemas inviáveis após plantio: 17 a 21% Ataque por fungos Thielaviopsis Paradoxa, causador da podridão abacaxi; Conclusão do ensaio: Necessário aumentar o comprimento dos toletes
  9. 9. 19931993 –– Plantadora Bonel no BrasilPlantadora Bonel no Brasil Importação de plantadora Australiana objetivando testes preliminares no CTC para avaliação do desempenho mecânico-operacional. Características: Plantio de 1 linha Aplicação de fungicida (imersão) Comprimento de tolete: até 30cm Potência do trator: 100HP Capacidade efetiva: 0,80ha/h Capacidade de campo: 0,27ha/h
  10. 10. Problemas encontradosProblemas encontrados Dificuldades de distribuição de toletes > 25cm Embuchamento de cana com palha Dificuldades de manobras: semi-montada no trator Cobrimento irregular: exigência de repasse Quebras freqüentes: sub-dimensionado p/ Brasil Baixa capacidade operacional: 01 linha Ausência de fungicidas eficientes Plantadora BonelPlantadora Bonel
  11. 11. 19951995 -- Distribuidor de toletesDistribuidor de toletes Características: Plantio semi-automatizado da cana-de-açúcar Utilização de parte da mão-de-obra Aplicação de torta de filtro no sulco Plantio em terrenos declivosos Maior segurança para os operadores
  12. 12. Premissas para o desenvolvimento daPremissas para o desenvolvimento da plantadora CTCplantadora CTC Concepção simples Facilidade de manobras Alta estabilidade Baixos índices de compactação e manutenção Baixos índices de danos mecânicos às gemas
  13. 13. 19961996 -- Protótipo plantadora CTCProtótipo plantadora CTC Características: Plantio: duas linhas simultâneas, Operações: abertura dos sulcos, colocação da muda e adubo, aplicação de inseticida, fungicida (imersão) e cobrimento. Capacidade: volume de 16m³ (2 compartimentos). Autonomia de plantio : até 1200 m.
  14. 14. 19971997 –– CTC: avaliação da plantadora AustoftCTC: avaliação da plantadora Austoft Ensaios na Usina São Martinho Austoft A295Austoft A295 Austoft A295Austoft A295
  15. 15. 19981998 -- 1ª Plantadora CTC1ª Plantadora CTC Características de Plantio: Espaçamento: 1,40 a 1,50m (2 linhas) Gemas: 12 a 15 gemas viáveis/m Toletes: comprimento médio de 45 cm Sulcos: profundidade de 20 a 30 cm Cobrimento: camada de solo 6 a 9 cm Características Técnicas: Adubadora : 1.000 kg Inseticida : 600 l Fungicida: 600 l Potência requerida : 130 hp Velocidade de trabalho : 5 a 6 km/h Capacidade potencial : 1,8 ha/h Capacidade de campo: 1,0 ha/h
  16. 16. Características de Plantio: Espaçamento: 1,40 a 1,50m (2 linhas) Gemas: 12 a 15 gemas viáveis/m Toletes: comprimento médio de 45 cm Sulcos: profundidade de 20 a 30 cm Cobrimento: camada de solo 6 a 9 cm Características Técnicas: Adubadora : 1.000 kg Inseticida : 600 l Potência requerida : > 200 hp Velocidade de trabalho : 5 a 6 km/h Capacidade potencial : 1,8 ha/h Capacidade de campo: 1,0 ha/h Rodado Tandem 600/50x22,5 20012001-- Plantadora de cana e torta de FiltroPlantadora de cana e torta de Filtro CTC/Usina São MartinhoCTC/Usina São Martinho
  17. 17. Desenvolvimento da máquina plantadora de cana eDesenvolvimento da máquina plantadora de cana e aplicadora de tortaaplicadora de torta--dede--filtro em um só equipamento.filtro em um só equipamento. Carregamento Aplicação de torta no sulco
  18. 18. 20032003 -- Plantadora CTC/SantalPlantadora CTC/Santal
  19. 19. 20042004 -- Plantadora de Cana CTC/DMBPlantadora de Cana CTC/DMB Modelagem 3D
  20. 20. 20092009 -- Plantadoras comerciaisPlantadoras comerciais
  21. 21. Desafios na MecanizaçãoDesafios na Mecanização do Plantiodo Plantio
  22. 22. Desafio 1Desafio 1:: Máquinas e equipamentosMáquinas e equipamentos •• Logística operacionalLogística operacional •• Qualidade das mudasQualidade das mudas •• Aspectos fitossanitáriosAspectos fitossanitários •• Disseminação doençasDisseminação doenças •• Aspectos agronômicosAspectos agronômicos •• SistematizaçãoSistematização •• Preparo do soloPreparo do solo •• SulcaçãoSulcação •• DistribuiçãoDistribuição •• DosagemDosagem •• CobriçãoCobrição
  23. 23. Adaptações da colhedora:
  24. 24. Sistema de desinfecção automatizadaSistema de desinfecção automatizada
  25. 25. LogLogíística da mecanizastica da mecanizaçção do plantioão do plantio COLHEITA DA MUDA TRANSPORTE DOS TOLETES PARA A ÁREA DE PLANTIO TRANSBORDO DOS TOLETES NA PLANTADORA PLANTIO RETORNODOTRATOR COMTRANSBORDOS
  26. 26. Modelo de simulaModelo de simulaççãoão Plantio mecanizadoPlantio mecanizado Permite:Permite: •• Determinar a configuração de menor custoDeterminar a configuração de menor custo por ha;por ha; •• Responder perguntas sem precisar fazerResponder perguntas sem precisar fazer testes no campo;testes no campo; •• Realizar análise sistêmicaRealizar análise sistêmica
  27. 27. Desafio 2Desafio 2 : Brotação e vigor no plantio: Brotação e vigor no plantio
  28. 28. Desafio 3Desafio 3 : Variedades adequadas: Variedades adequadas Ensaios de aptidão varietalEnsaios de aptidão varietalUSINA SÃO MARTINHO 40 50 60 70 80 90 100 110 120 130 140 C TC 10 SP91-1049 SP89-1115 C T931574IAC SP93-3046 C TC 11 C TC 15 C T943165 C T921852 C T933252 C TC 14 C T921882 C T921891 C TC 9 TCH 0 2 4 6 8 10 12 TCH MANUAL TCH PL MEC FALHAS MANUAL FALHAS PL MEC VariedadesVariedades
  29. 29. Dosagem dos toletesDosagem dos toletes -- ExcessoExcesso
  30. 30. Dosagem dos toletesDosagem dos toletes –– E.U.AE.U.A
  31. 31. ObrigadoObrigado José Guilherme PerticarrariJosé Guilherme Perticarrari guilherme@ctc.com.brguilherme@ctc.com.br

×