Violência contra a mulher

661 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Violência contra a mulher

  1. 1. VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER A sujeição da mulher em relação ao homem vem desde a antigüidade. Mas o movimento feminista organizou-se desde a Revolução Francesa. Naquele conturbado período, arregimentaram-se sociedades populares feministas que encaminharam à Assembléia Constituinte diversaspetições, pleiteando a extensão as mulheres dos direitos concedidos aos homens. Houve quem defendessea tese de igualdade dos sexos, porém esses projetos foram rejeitados em 1793. Concomitantemente, foiordenado o fechamento das associações femininas. Esse fato demonstra que a Revolução Francesa não foitão revolucionária como a história alardeia.No século XIX a Inglaterra se tornou o centro das reivindicações fundamentais do feminismo, no referenteà igualdade econômica, jurídica e política entre os sexos, culminado com a concessão do voto feminino em1945. Observamos ao longo da história, nos últimos 100 anos, que a mulher mantém uma atitudeambivalente ante seu ideal de emancipação social. Por isso só uma minoria tem conseguido realizar-setotalmente, na esfera da feminilidade e na área sócio-cultural. Isso depende, em grande parte, dopreconceito ainda reinante de que existe uma incompatibilidade entre a cidadã e a mãe de família.Não há dúvida que está em marcha um processo revolucionário em favor dos direitos da mulher. Emborapersistam incertezas e desacordos, por isso não se possa falar ainda numa emancipação plena, a não sernum ou noutro setor, contudo tem havido progresso quanto a posição econômica, social, política,intelectual, artística, técnica e científica.Muitas são as formas de violência contra a mulher. Algumas são visíveis, outras não. E as que não vemos aolho nu, trazem verdadeiro prejuízos e sofrimentos para a s vítimas. Entre elas está a violência verbal, quemuitas vezes faz com que as pessoas deixem inclusive de produzir, tenham baixa auto-estima e se sintamenvergonhadas, pois as palavras têm poder para fazer com que as pessoas se sintam importante outotalmente inexpressiva, sem vontade de viver.A mulher que é vitima da violência, talvez se sinta intimidada e tenham medo para romper o silêncio.Muitos autores, na área da sociologia da família, procuram enfatizar que no momento atual, a famíliaatravessa uma crise, tudo por causa das injunções sócio –econômico- políticas de cada momento histórico.As estatísticas mostram que 70% dos registros de violência contra a mulher aconteceram dentro de casa.Em quase todos os casos, o criminoso é o próprio marido ou amante. E mais de 40% dos abusos incluemlesões corporais graves, causadas por socos, tapas, chutes e espancamentos.No Brasil um homem que mata a esposa por suspeita de adultério pode ser absolvido pelos tribunais, sob oargumento de que agiu em legítima defesa da honra. O perfil dos opressores é muito variado: são ricos,pobres, brancos, negros, cultos ou não. A violência doméstica não é subproduto da miséria: 147.000vítimas deram queixa em delegacias da mulher até outubro de 2000. No Brasil, existem 275 Delegacias daMulher, presentes em 5% dos municípios.
  2. 2. A CONQUISTA DA MULHERNo século dezenove, alguns pensadores já cogitavam a idéia de que nofuturo, teríamos uma sociedade, governada pelas mulheres, sociedadematriarcal, que desbancaria a sociedade da época, sociedade patriarcal,governada por homens, na qual, as mulheres tinham pouco ou nenhum valor. Às mulheres cabiambasicamente, as atribuições de afazeres domésticos, trabalharem na lavoura e a maternidade. Não lhes erareconhecido o direito ao trabalho e muito menos ao salário, que quando era pago, era muito inferior aosalário dos homens.Algumas civilizações antigas, da Península Ibérica, tinham por costume, e o tem até hoje, de colocar onome da mãe em último lugar no nome dos filhos, o que nos dá uma prova de que pode mesmo ter havidouma sociedade matriarcal, na antiguidade. Reflexões da antiguidade à parte, o mundo moderno, jáapresenta uma relevante predominância do mundo feminino sobre o mundo masculino. Antigamente haviaempregos e serviços para “homens” e “mulheres”, hoje, as mulheres já fazem todo tipo de serviço, muitasvezes com melhor qualidade que os próprios homens. É comum, ver-se mulheres nos tribunais, exercendo com maestria a profissão de advogadas, promotoras,juízas, profissões que eram antigamente, exclusivamente “para” os homens, vemos hoje mulheres aovolante de enormes carretas e ônibus, executando o serviço com mais habilidade e segurança do quemuitos homens. Há a presença feminina em todos os níveis executivos das empresas e do governo, muitospaíses têm na presença feminina, seus primeiros mandatários, que, diga-se de passagem, exercem essescargos com muita competência, as forças de segurança, federais, estaduais e municipais, todas, já têmgrande número de mulheres exercendo inclusive, cargos de alto comando.As mulheres são muito mais sensíveis que os homens, por exemplo, aos problemas sociais, são mais durasde serem corrompidas, têm mais pudor em corromper, administram com equidade e equilíbrio, empresasadministradas por mulheres, são em geral bem sucedidas. Parabéns às nossas mulheres, a todas elas, pelaconquista que fizeram, pelos degraus que foram galgados em muitos anos de lutas. Porém, segundoNewton, toda ação incorre numa reação, todas as conquistas adquiridas pelas mulheres, impõe-lhesconseqüências.Elas estão muito mais competentes e desenvolvidas, adquiriram direitos praticamente iguais aos doshomens, porém, perderam muito. A sensualidade, a feminilidade, a sensibilidade, foram sentidoscolocados na mulher, por Deus, mas elas abriram mão desses atributos, as que ainda os demonstram, sãoartificiais, tudo gira hoje em torno da praticidade. As mulheres estão tornando muitos homens, relaxados,preguiçosos e alguns até efeminados, já há muitas famílias em que a mulher trabalha e o homem cuida dacasa e das crianças, isso não diminui os homens, apenas assoberba as mulheres ainda mais, pois, além decumprir com as tarefas de ser o provedor da família, ainda precisam ser esposas e mães.Estas conquistas obtidas pelas mulheres deixaram-nas mais, duras, menos responsáveis conseguem e comos filhos e conseqüentemente com marido, aquelas que têm maridos, obviamente, pois, o número demulheres que vivem sozinhas aumentou, e muito. Junto com as conquistas vieram também outras coisas.As mulheres hoje em dia, querem agir como os homens, adquiriram hábitos masculinos, como fumar,beber, embriagar-se mesmo, usar drogas, tatuagens, falar palavrões, agir pelas mais pelas emoções emenos pelas razões, e muitas outras coisas. Sexualmente falando, as mulheres perderam muito, o sexo
  3. 3. para elas tornou-se uma coisa banal e rotineira, podendo ser feito mesmo fora do relacionamentoconjugal. Num ímpeto de revanchismo para com os homens, as mulheres passaram a trairexacerbadamente, por tudo e por nada. O sexo nada mais significa para elas, quando o fazem é feitomecanicamente, nos casamentos mais antigos, sem nenhuma emoção, apenas pra cumprir com suasobrigações conjugais. Envolvimento emocional é um terno proibido no dicionário da maioria das mulheres. Sexo é feitodesbragadamente, sem nenhum critério, apenas movido pela vontade, pela quantidade de bebida ingeridaou por algum outro motivo banal. As mulheres entregam-se ao sexo simplesmente porque é liberado, paramostrar que são iguais aos homens, principalmente às com menos cultura. Em resumo, as mulheresganharam e perderam, o mundo ganhou e perdeu, mas, não podemos deixar de nos confraternizar comtodas as mulheres por suas conquistas, importantes conquistas. Sinceros parabéns àquelas que:endureceram, mas não perderam a ternura. Quanto a uma futura sociedade matriarcal, seria poucoprovável, as mulheres detêm a competência, mas infelizmente, como em todos os tempos, os homensdetêm o poder.

×