Resíduos sólidos

1.946 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.946
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
52
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resíduos sólidos

  1. 1. Resíduos sólidos são materiais ou objectos de que o Homem se desfaz, tem intenção ou obrigação de o fazer. Constituem aquilo que genericamente se chama lixo: materiais sólidos considerados sem utilidade.
  2. 2. Os resíduos sólidos são classificados segundo as suas origens: Restauração
  3. 3. Existem vários processos de tratamento de resíduos, estre os quais destacamos a Flotação, a sedimentação, a filtração e a centrifugação. Flotação: método de separação de misturas. Trata-se de uma técnica de separação muito usada na indústria de minerais Sedimentação: processo de separação de misturas heterogéneas. Consiste em deixar a gravidade atrair para o fundo do recipiente a substância mais pesada, e as mais leves vão ficando na parte de cima. Filtração: método para separar sólido de líquido ou fluido que está suspenso, pela passagem do líquido ou fluido através de um meio poroso capaz de reter as partículas sólidas Centrifugação: processo de separação em que uma amostra fluida é submetida a um aparelho centrifugador ou centrífuga a fim de se promover a separação dos componentes
  4. 4. Trata-se de um processo de destruição do lixo por meio da queima dos resíduos. A incineração também destrói as características perigosas do lixo, por isso ela é indicada quando o lixo possui alta periculosidade como é parte do lixo hospitalar e industrial.
  5. 5. A Incineração é feita num gigantesco forno. No final, restam as cinzas, que são levadas ao aterro sanitário. Como o volume do lixo dessas cinzas é cerca de dez vezes menor do que o volume do lixo queimado, a incineração ajuda a resolver o problema de espaço.
  6. 6. Descarga Depósito dos RSU Garra Alimentador Gases Vapor Caldeira Gases Grelha e Câmara de Combustão Separação de Ferros Escórias Cinzas Voláteis Tratamento dos gases Ar Produção de Eletricidade
  7. 7. Vantagens Desvantagens O volume dos resíduos é reduzido em 90 por cento e o peso em cerca de 70 por cento Custos elevados de construção das incineradoras A destruição de resíduos que poderão conter microrganismos patogénicos e por isso perigosos para a saúde pública A libertação de substâncias que poderão ser nocivas para o ambiente e população O aproveitamento da energia libertada durante a incineração de alguns resíduos incinerados Perde-se a matéria orgânica e nutrientes de FORSU
  8. 8. O FORSU ( Fração Orgânica dos Resíduos Sólidos Urbanos ) é o material recolhido pela coleta de orgânico. O constitui entre 30 a 40% de peso dos resíduos sólidos urbanos. O material é misturado com a outra fração e digerido pela ação de bactérias , existem duas possibilidades.
  9. 9. : a compostagem tem lugar a cerca de 80 ° C, de modo a evitar a formação de bactérias patogénicas, e permite a produção de fertilizante para utilização agrícola.  Digestão Anaeróbia: é o mesmo que ocorre em aterros sanitários: bactérias que atuam na ausência de oxigénio geram biogás, que é usado para a cogeração. O resíduo é ainda tratado e usado como fertilizante
  10. 10. Podem incinerados papéis sujos degradados, plásticos velhos e sujos, que não têm aproveitamento, matéria orgânica fermentável, fraldas descartáveis, espumas e borrachas, têxteis, resíduos hospitalares contaminados, medicamentos.
  11. 11. Não podem ser incinerados óleos de motores usados, alguns metais, alguns tipos de resíduos hospitalares, materiais orgânicos contendo na sua composição halogenados (cloro e flúor)
  12. 12. O serviço de transporte de resíduos consiste na recolha e troca de contentores vazios pelos cheios. Os resíduos são acompanhados pelas guias legais e são posteriormente enviados para tratamento e transporte a destino final ou valorização.
  13. 13. Alguns resíduos, em vez de irem para a incineração, vão para um aterro sanitário, este, é uma espécie de depósito onde são descartados resíduos sólidos (lixo) provenientes de residências, indústrias, hospitais e construções.
  14. 14. É uma infraestrutura que trata as águas residuais de origem doméstica e/ou industrial, comummente chamadas de esgotos sanitários ou despejos industriais, para depois serem escoadas para o mar ou rio.
  15. 15. As águas residuais resultantes das várias atividades humanas, domésticas, industriais ou agrícolas, não podem continuar a ser rejeitadas sem tratamento prévio. As estações de tratamento consistem de uma série de processos físicos, químicos e biológicos. O objetivo destes processos é promover o tratamento e melhorar a qualidade da água tratada, com vista a usá-la, novamente, para consumo humano ou, pelo menos, rejeitá-la com consequências mínimas para o ambiente.
  16. 16. A remoção dos sólidos e detritos tem como finalidade: - Evitar o desgaste ou bloqueamento de equipamentos mecânicos; - Evitar o entupimento de canalizações de lamas; - Evitar a flutuação de detritos nos tanques de sedimentação. - Evitar interferências nos tratamentos subsequentes; - Evitar o aspeto inestético dos afluentes não tratados.
  17. 17. Refere-se à eliminação de resíduos e de corpos sólidos. Neste Processo o esgoto é sujeito aos processos de separação dos sólidos mais grosseiros tais como a
  18. 18. As partículas de matéria orgânica depositam-se no fundo e são recolhidas bem como os materiais gordurosos que flutuam sendo também recolhidos. Os materiais retirados denominam-se por lamas em bruto, que serão alvo de tratamento posterior, outros que não podem ser transformados são enviados para aterros sanitários.
  19. 19. Tem como objetivo tratar a matéria orgânica dissolvida. As bactérias decompositoras decompõem essa matéria. Como se consome oxigénio durante este processo e para que não se atinja uma situação grave de necessidade bioquímica de oxigénio, recorre-se ao sistema de lamas ativadas, no qual o tanque está equipado com um sistema de arejamento.
  20. 20. Consiste na separação biológica dos nutrientes, com o objetivo de eliminar o material inorgânica dissolvido. Em alternativa à separação biológica dos nutrientes, podem ser realizados diversos processos químicos, sendo comum passar as águas residuais, provenientes do tratamento secundário.
  21. 21. Corresponde à limpeza e desinfeção final, em que as águas residuais são submetidas a uma última limpeza por filtração, através de uma camada de areia e posterior desinfeção. O desinfetante mais utilizado é o cloro, sob a forma de gás. Todavia, pequenas quantidades deste gás podem atingir os ecossistemas, prejudicando a fauna aquática. Para evitar estes efeitos secundários, adiciona-se à água outra substância que transforma o cloro numa forma quimicamente neutra.
  22. 22. Desarenação: A desarenação é uma operação física que se destina à remoção de sólidos tais como areias e outros detritos minerais inertes e pesados, que tenham velocidades de sedimentação ou gravidades superiores às dos sólidos orgânicos. Esta operação localiza-se após a gradagem Medidores de caudal: O caudal escoado através da câmara de desarenação é normalmente medido por dispositivos ou aparelhos de medição, os quais possuem instrumentação para em cada momento, ler e registar a afluência à ETAR. Desengorduramento: O desengorduramento é uma operação física destinada á remoção de óleos e gorduras que, por flotação ascendem à superfície, podendo ser retirados por raspagem. Esta operação localiza-se após a desarenação
  23. 23. ETAR de Vilamoura.
  24. 24. ETAR de Beirolas, Lisboa.
  25. 25. ETAR de Serzedelo, Guimarães
  26. 26. ETAR Nascente de Olhão
  27. 27. ETAR de Almargem, Tavira
  28. 28. Gradagem, utilizada para remoção de sólidos grosseiros, flutuantes e sedimentáveis, de grandes dimensões.
  29. 29. Tratamento Preliminar Tratamento Primário Tratamento Secundário Tratamento Terciário
  30. 30. A Natureza está à espera de um gesto teu!

×