Movimento Tenentista.

888 visualizações

Publicada em

Movimento Tenentista - trabalho de história I.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
888
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
112
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Movimento Tenentista.

  1. 1.  Contexto político:  O que foi o tenentismo?  Manifestações tenentistas:  O que defendiam?  A Revolução de 1930:  Declínio:  Bibliografia: TENENTISMO
  2. 2. Contexto Político: Ao final do governo de Floriano Peixoto, a elite agrária chega ao poder, dando início ao período em que as oligarquias controlam o cenário político: A República Velha- popularmente conhecida como a República do Café com Leite.
  3. 3. O que foi o tenentismo? Conjunto dos movimentos político-militares de que participaram amplamente oficiais de postos inferiores das forças armadas, sobretudo tenentes, e que, eclodindo na década de 1920 e começos da de 1930, se caracterizavam por um descontentamento militar, a par de uma insatisfação quanto às condições econômicas, sociais, políticas e institucionais então vigentes no país. Os militares envolvidos nesse movimento se mostraram favoráveis às tendências políticas republicanas liberais.
  4. 4. Manifestações Tenentistas:  1° MANIFESTAÇÃO: veio à tona com uma série de levantes militares que ficaram marcados pelo episódio dos “18 do Forte de Copacabana”, ocorrido no Rio de Janeiro, quando no começo de 1922, a situação tornou-se crítica com a prisão de Hermes da Fonseca. No dia 5, transcendeu um levante militar no Rio de Janeiro. A revolta foi logo dominada, mas um grupo de jovens oficiais do Exército resolveu enfrentar, em plena praia de Copacabana, as forças legais. Foram fuzilados. Eduardo Gomes e Siqueira Campos sobreviveram. O episódio ganhou as páginas dos jornais. O governo reagiu decretando o estado de sítio, que seria mantido até o final de 1922.
  5. 5.  2° MANIFESTAÇÃO: Nos dois anos seguintes, duas novas revoltas militares, uma no Rio Grande do Sul (1923) e outra em São Paulo (1924), mostrou que a presença dos tenentistas no cenário político não era passageira. Após terem suas pretensões abafadas pelas forças fiéis ao governo, esses dois grupos se juntaram para a formação de uma guerrilha conhecida como Coluna Prestes.
  6. 6. Os tenentistas defendiam:  Fim do voto de cabresto (sistema de votação baseado em violência e fraudes que só beneficiava os coronéis);  Formação de partidos políticos nacionais;  Reforma no sistema educacional público do país;  Mudança no sistema de voto aberto para secreto.  Liberdade dos meios de comunicação;  Atribuições restringidas do poder Executivo;  Maior autonomia às autoridades judiciais  Moralização dos representantes que compunham as cadeiras do Poder Legislativo.
  7. 7. A Revolução de 1930: A Revolução de 1930 foi um movimento armado, liderado pelos estados do Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraíba, insatisfeitos com o resultado das eleições presidenciais e que resultou em um golpe de Estado, o Golpe de 1930. O Golpe derrubou o então presidente da república Washington Luís em 24 de outubro de 1930, impediu a posse do presidente eleito Júlio Prestes e colocou fim à República Velha. Mesmo entendendo que o movimento militar de 1930 não pode ser definido como uma revolução, no sentido de alterar profundamente as relações sociais existentes, admite-se que ele inaugurou uma nova fase na História do país, abrindo espaço para profundas transformações.
  8. 8. Declínio: O tempo transformou o ideal inicial do tenentismo, e o programa político do grupo que aderiu à Revolução de 1930 passou a se caracterizar principalmente pelo estatismo, autoritarismo e elitismo. A presença dos tenentes como interventores foi marcante no cenário imediatamente posterior à Revolução. No entanto, as antigas oligarquias estaduais ofereceram resistências aos tenentes; e as várias tentativas de conciliação acabaram falhando. Assim, nas eleições de 1933 os tenentes perderam espaços na política nacional, mas é certo que não se pode falar sobre mudanças políticas ocorridas a partir da década de 1920 sem se propor a entender este movimento e o seu legado para a história política brasileira.
  9. 9. Bibliografia: http://www.suapesquisa.com/historiadobrasil/tenentismo.htm https://www.google.com.br/#q=tenentismo http://www.brasilescola.com/historiab/tenentismo.htm http://www.revistadehistoria.com.br/secao/artigos/os-anos- rebeldes-do-tenentismo https://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/AEraVargas1/anos20/Cente narioIndependencia http://www.suapesquisa.com/artesliteratura/semana22/ http://www.revistadehistoria.com.br/secao/artigos/os-anos- rebeldes-do-tenentismo

×