O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Projeto pol pedag

911 visualizações

Publicada em

Material elaborado para encontro com Vice Diretores das Unidades Escolares da Subsecretaria Regional de Educação de Anápolis.

  • Seja o primeiro a comentar

Projeto pol pedag

  1. 1. A Construção Coletiva do Projeto Político-Pedagógico Reunião com os vice-gestores das Unidades Escolares da SREA 25/11/10 Organização: Duplas Pedagógicas Apresentação: Profª Adriana R. Vilela Arantes
  2. 2. 1 - SOCIEDADE QUE SOCIEDADE VIVEMOS? QUAIS SEUS VÍNCULOS HISTÓRICOS? QUAIS OS MAIORES DESAFIOS PARA O FUTURO? NOSSA SOCIEDADE É ORGANIZADA DE FORMA JUSTA? QUAL O PAPEL DE NOSSO ALUNO NA SOCIEDADE? O QUE PODE SER MANTIDO E O QUE PODE SER ALTERADO EM NOSSA SOCIEDADE?
  3. 3.  QUAL O PAPEL DA ESCOLA EM NOSSA SOCIEDADE?  COMO A TRANSMISSÃO DE CONHECIMENTOS CIEN- TÍFICOS/ESCOLARES FOI SENDO UTILIZADA PELAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE EDUCAÇÃO?  REFLEXÕES DO GRUPO:  QUE PAPEL A ESCOLA ASSUMIU AO LONGO DO TEMPO?  QUE SABERES TEM SIDO REPASSADO PELA ESCOLA?  EXISTE ESCOLA PARA TODOS?  EXISTEM NATUREZA, TIPOS E FORMAS DIFERENTES DE ESCOLAS PARA CIDADÃOS DIFERENTES? DE QUE TIPO?  PARA MELHOR ATENDER A FORMAÇÃO DE NOSSOS ALUNOS, QUAL DEVE SER A FUNÇÃO DA ESCOLA? 2 - ESCOLA
  4. 4. 3 - ALUNO  QUEM É O NOSSO ALUNO?  CONHECEMOS, DE FATO, OS ALUNOS COM QUEM TRABALHAMOS?  VAMOS REFLETIR:  QUAIS AS CARACTERÍSTICAS REAIS DE NOSSOS ALUNOS? ELAS COINCIDEM COM AS CARACTERÍSTICAS APONTADAS NOS LIVROS?  EXISTE UM ALUNO IDEAL?  COMO SÃO CONSTITUÍDAS AS FAMÍLIAS DE NOSSOS ALUNOS?  COMO É O MEIO EM QUE ELE VIVE? COMO CARACTERIZA A COMUNIDADE ESCOLAR?  O QUE SABEMOS SOBRE ALGUNS ASPECTOS DA VIDA DE NOSSOS ALUNOS COMO: ALIMENTAÇÃO, LAZER, DOENÇAS, AMIZADES, GOSTOS, MÚSICAS, PROBLEMAS, SOLUÇÕES?  O QUE NOSSOS ALUNOS PENSAM DO FUTURO? ELES TEM UM PROJETO DE SOCIEDADE, DE TRABALHO, DE VIDA PESSOAL?
  5. 5. 4 - PROFESSOR  QUEM É O NOSSO PROFESSOR?  CONHECEMOS OS POSICIONAMENTOS DOS PROFESSORES?  QUAL A FORMAÇÃO INICIAL DOS PROFESSORES?   ACREDITAMOS E DEFENDEMOS A FORMAÇÃO CONTINUADA?  QUAIS OS ASSUNTOS QUE NOSSOS PROFESSORES MAIS DOMINAM?  CONHECEMOS OS PROJETOS DOS PROFESSORES PARA A ESCOLA? QUAIS SÃO ELES?
  6. 6. 5 - FUNCIONÁRIO QUEM É O NOSSO FUNCIONÁRIO? CONHECEMOS O TRABALHO DO FUNCIONÁRIO? CONHECEMOS OS PROJETOS DOS FUNCIONÁRIOS? ELES PARTICIPAM DAS DECISÕES TOMADA PELA ESCOLA? QUAL A PARTICIPAÇÃO DO FUNCIONÁRIO NA APRENDIZAGEM DOS DISCENTES?
  7. 7. “Se as coisas são inatingíveis... ora! Não é motivo para não querê-las... Que tristes os caminhos, se não fora a mágica presença das estrelas!” Mário Quintana
  8. 8. FAZER UMA SÍNTESE DAS REFLEXÕES DO DIA, UTILIZANDO COMO REFERÊNCIA: SOCIEDADE  1 - O QUE TEMOS?  2- O QUE QUEREMOS?  3 – O QUE FAREMOS?  ESCOLA  1 - O QUE TEMOS?  2 - O QUE QUEREMOS?  3- O QUE FAREMOS?  ALUNOS  1 - O QUE TEMOS?  2 - O QUE QUEREMOS?  3- O QUE FAREMOS?  PROFESSORES  1 - O QUE TEMOS?  2 - O QUE QUEREMOS?  3- O QUE FAREMOS  FUNCIONÁRIOS  1 - O QUE TEMOS?  2 - O QUE QUEREMOS?  3- O QUE FAREMOS?
  9. 9. Projeto Político-Pedagógico 1. O que é? É a própria organização do trabalho pedagógico escolar como um todo, em suas especificidades, níveis e modalidades Ensino Fundamental Ensino Médio EJA Educação Inclusiva
  10. 10. - fundamenta as transformações internas da organização escolar e explicita suas relações com as transformações mais amplas (econômica, social, política, educacional e cultural) - é o anúncio do devir, do que foi sonhado coletivamente e que pode passar do sonho à ação “O ser humano é, naturalmente, um ser da intervenção no mundo à razão de que faz a História. Nela, por isso mesmo, deve deixar suas marcas de sujeito e não pegadas de objeto.” Paulo Freire, 1997, p. 119
  11. 11. 2. O que não é? - um agrupamento de planos de ensino e de atividades diversas - algo construído para ser arquivado prova de tarefa burocrática: pronto e acabado para ser encaminhado às autoridades educacionais - tarefa específica do pedagogo, do coordenador pedagógico ou do Diretor 3. Princípios Orientadores 3.1. Igualdade de condições para acesso e permanência no processo educativo
  12. 12. 3.2. Gestão Democrática: abrange além do princípio constitucional, as dimensões administrativa, pedagógica e financeira - requer o enfrentamento de todas as questões que excluem e marginalizam a criança, o jovem e o adulto construir um projeto comprometido com os interesses e anseios das camadas populares pressupõe a ruptura entre: •concepção e execução • pensar e fazer • teoria e prática • ciência e cultura
  13. 13. 3.3. Liberdade implica a idéia de autonomia • liberdade e autonomia constituem a própria natureza do ato pedagógico “Somos livres com os outros, não, apesar dos outros.” (RIOS, 1982, p. 77) - implica em experiência que se constrói na vivência coletiva relações interpessoais - a autonomia e a liberdade constituem vivências na relação entre: Administradores, professores, funcionários, pais e alunos Projeto Político-Pedagógico e o contexto social mais amplo
  14. 14. 3.4. Valorização dos trabalhadores em educação: princípio central na busca da qualidade e do sucesso na tarefa educativa de formação de cidadãos capazes de participarem na vida sócio-econômica, cultural e política porque está relacionada diretamente com: •formação inicial e continuada • condições de trabalho: recursos didáticos, físicos, materiais, dedicação integral, número de alunos por turma • carreira e salário: elementos indispensáveis à profissionalização
  15. 15. 4. A CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO: DA DISCUSSÃO À ELABORAÇÃO DO TEXTO O que devemos considerar no processo de elaboração? Regimento Escolar O Regimento Escolar é o instrumento que permite à equipe gestora tomar essas decisões, com base nos princípios e normas estabelecidas pelo grupo.
  16. 16. 4.1. PROJETO -o termo deriva do latim projectu, particípio passado do verbo projiceri que significa lançar para diante rumo, direção, opção intencional
  17. 17. 4.2. PEDAGÓGICO - identificação dos elementos naturais e culturais necessários à constituição da humanidade em cada ser humano e à descoberta das formas adequadas ao atingimento desse objetivo. (SAVIANI, 1992, p. 30) - forma de organização dos elementos necessários à assimilação do SABER, fazendo a distinção entre o essencial e o acidental, o principal e o secundário, o fundamental e o acessório
  18. 18. 4.3. POLÍTICO - porque pressupõe a opção e compromisso com a formação do cidadão para um determinado tipo de sociedade A dimensão política se cumpre na medida em que ela se realiza enquanto prática especificamente pedagógica. (SAVIANI, 1982) - a dimensão pedagógica reside na possibilidade de efetivação da finalidade da educação/escola: formação do cidadão crítico, responsável, criativo e participativo
  19. 19. - político e pedagógico são dimensões indissociáveis, porque propicia a vivência democrática necessária à participação de todos os membros da comunidade escolar e o exercício da cidadania
  20. 20. PROJETO PEDAGÓGICO DA ESCOLA LDB - LEI 9.394/96 ARTIGO 12 INCISO I Os estabelecimentos de ensino, respeitadas as normas comuns e as do seu sistema de ensino, terão a incumbência de: “I - elaborar e executar sua proposta pedagógica”. ARTIGO 13 e 14 Definem as incumbências docentes com relação ao projeto pedagógico: Art. 13 “I - participar da elaboração da da proposta pedagógica do estabelecimento de ensino”. Art. 14 “I - participação dos profissionais de educação na elaboração do projeto pedagógico da escola”.
  21. 21. PRINCÍPIOS NORTEADORES DO PROJETO PEDAGÓGICO LEI nº 9.394/, art. 3º “I. igualdade de condições para acesso e permanência na escola; II. liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar a cultura, o pensamento, a arte e o saber; III. pluralismo de idéias e concepções pedagógicas; IV. respeito a liberdade e apreço a tolerância; V. coexistência de instituições públicas e privadas de ensino; VI. gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais; VII. valorização do profissional da educação escolar; VIII. gestão democrática do ensino público, na forma desta lei e da legislação do sistema de ensino; IX. garantia do padrão de qualidade; X. valorização da experiência extra-curricular; XI. vinculação entre a educação escolar, o trabalho e as práticas sociais”.
  22. 22. PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DA ESCOLA 1 - ESTABELECE UMA DIREÇÃO, UMA INTENCIONALIDADE. 2 - EXIGE UMA REFLEXÃO ACERCA DA CONCEPÇÃO DE ESCOLA E SUA RELAÇÃO COM A SOCIEDADE. 3 - DEVE CONTEMPLAR A QUALIDADE DO ENSINO NAS DIMENSÕES INDISSOCIÁVEIS: FORMAL OU TÉCNICA E POLÍTICA. 4 - IMPLICA EM ESFORÇO COLETIVO E PARTICIPATIVO. 5 - DEFINE ACÕES EDUCATIVAS E AS CARACTERÍSTICAS NECESSÁRIAS ÀS ESCOLAS DE CUMPRIREM SEUS PROPÓSITOS E SUA INTENCIONALIDADE.
  23. 23. “... Se sonhamos com uma sociedade menos agressiva, menos injusta, menos violenta, mais humana, o nosso testemunho deve ser o de quem, dizendo não a qualquer possibilidade em face dos fatos, defende a capacidade do ser humano em avaliar, de compreender, de escolher, de decidir e, finalmente, de intervir no mundo.”
  24. 24. A PARTICIPAÇÃO ELIMINA - o autoritarismo, a prepotência, a rigidez hierárquica - a arrogância, a indiferença - o individualismo, o comodismo - as relações clientelistas, os privilégios - a resistência, a forma de pensamento único - a fragmentação, a divisão do trabalho - enfoque apenas nos resultados - acusações que buscam “o culpado”
  25. 25. A PARTICPAÇÃO POSSIBILITA - a reflexão coletiva que favorece o diálogo, o respeito e a auto-crítica - descentralização do poder, criando uma forma de comunicação horizontal que elimina o controle hierárquico e desenvolve a autonomia - enfrentamento das relações de dominação, contribuindo para articulação de práticas emancipatórias fundamentadas na solidariedade, reciprocidade e no trabalho coletivo - instalação de processos eletivos de dirigentes, com base em ações colegiadas com representação de pais, alunos, funcionários, professores, pedagogos
  26. 26. 05-05 28 Processo de Construçãoe Avaliação doProcesso de Construçãoe Avaliação do ProjetoProjetoPolíticoPedagógicoPolíticoPedagógico COMO? A AÇÃO O QUE É? SITUAÇÃO REAL PARA QUE? UTOPIA SOCIAL 2.Ato Conceitual2.Ato Conceitual -em face da realidade descrita e analisada, que concepções de educação,escola, gestão,currículo, ensino, aprendizagem e avaliação se fazem necessárias para atingir o que pretendemos? 3.Ato Operacional3.Ato Operacional - quais as decisões de opera- cionalização? -como redimensionar a organização do trabalho pedagógico? -que tipo de gestão? •• Ato SituacionalAto Situacional Como compreendemos a sociedade atual? Como se caracteriza o contexto social onde a escola deverá atuar? Qual o papel da escola? A quem ela serve? Que experiências ela propicia ao aluno?
  27. 27. III – ELEMENTOS CONSTITUTIVOS DO PPP • Título: expressar com clareza a essência do projeto; • Apresentação: conter uma síntese das finalidades, estrutura e dinâmica operacional. • Histórico: conter um breve registro crítico reflexivo desde as origens do curso até o presente, com dados sobre o curso e considerações avaliativas, apontando perspectivas futuras.
  28. 28. MISSÃO  Sintetiza a identidade da escola, sua função social orientando a tomada de decisões e garantindo a unidade e o comprometimento de todos na ação pedagógica  É A FILOSOFIA DA ESCOLA
  29. 29. VISÃO  É a expectativa que a escola manifesta em relação ao trabalho a ser desenvolvido a longo prazo na comunidade escolar. va que a escola manifesta em relação ao trabalho a ser desenvolvido a longo prazo na comunidva que a escola manifesta em relação ao trabalho a ser desenvolvido a longo prazo na comunid
  30. 30. JUSTIFICATIVA POR QUE? ONDE? – Argumentar técnica e politicamente;– Descrever a realidade como mediação teórica; – Indicar tendências nas áreas de conhecimento; – Indicar necessidades do curso – Apontar causas e efeitos de problemas; – Expor o perfil do aluno ingressante e egresso; – Apontar o PPP como instrumento de superação dos problemas quanto ao ensino e aprendizagem.
  31. 31. FINALIDADES PARA QUÊ? – Esclarecer as concepções de homem em formação; – Concepções de sociedade; – Concepções de educação (ética e valores humanizadores); – Perfil profissional a ser formado: • Conhecimento, curiosidade intelectual; • Exercício consciente da profissão; • Capacidade crítico-reflexiva.
  32. 32. OBJETIVOS Formação Geral: conhecimentos e atividades relevantes para a formação científico-cultural; Formação Profissional: capacidades relativas à ocupação correspondente; Cidadania: atitudes correspondentes à ética profissional e ao compromisso com a sociedade. PARA QUÊ?
  33. 33. METAS QUANDO? prever a operacionalização dos objetivos em alvos e intenções de natureza quantitativa, indicando prazos.
  34. 34. Eixos Formadores – Estruturas nucleares de que são geradas teorias e a pratica profissional/educativa – Constituídos por temas articulados entre si, que se projetam sob a forma de Disciplinas/Atividades Temáticas; – Tem articulação interna por meio de temas – São articulados entre si, convergindo para o âmbito do eixo nuclear e articulador do curso.
  35. 35. Organização Curricular O QUE? COMO? – Ter clareza na distinção do que é nuclear e complementar; – Equilibrar os fundamentos teóricos e a prática educacional; – Haver conexão entre as disciplinas que compõe o conteúdo programático; – Indicar: áreas do conhecimento, eixos temáticos, disciplinas – Consultar as Diretrizes Curriculares do Nacionais.
  36. 36. Profissionais Envolvidos COM QUEM? relacionar a equipe administrativa e pedagógica, serviços de apoio, colegiados, representações docentes e discente, existentes e necessários;
  37. 37. Recursos Físicos e Materiais COM QUE? relacionar instalações e equipamentos existentes e necessários;
  38. 38. AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA PROCESSUAL CONCLUSIVA Como Estamos? Como Estamos Fazendo? O que Alcançamos?
  39. 39. Cronograma: QUANDO? • Indicar cronologicamente as etapas de: – Construção; – Execução e acompanhamento – Reconstrução do PPP • Prever reuniões periódicas para todos os envolvidos.
  40. 40. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL PEDAGÓGICA - DETERMINA AS AÇÕES DAS ADMINISTRATIVAS - INTERAÇÕES POLÍTICAS – FINALIDADES - QUESTÕES DE ENSINO-APRENDIZAGEM - QUESTÕES DE CURRÌCULO ADMINISTRATIVA: - ASSEGURA: LOCAÇÃO E GESTÃO DE RECURSOS - HUMANOS - FÍSICOS – PRÈDIO, MATERIAIS DIDÁTICOS, EQUIPAMENTOS. - FINANCEIROS.
  41. 41. TEMPO ESCOLAR  CALENDÁRIO ESCOLAR:  ORDENA O TEMPO  DETERMINA O INÍCIO E O FIM DO ANO  PREVÊ OS DIAS LETIVOS, FÉRIAS, FERIADOS, REUNIÕES, CONSELHO DE CLASSE ETC...  HORÁRIO ESCOLAR:  FIXA:  NÚMERO DE HORAS POR SEMANA  NÚMERO DE AULAS POR PROFESSOR  HORA ATIVIDADE DO PROFESSOR
  42. 42. Obrigada pela Atenção!!!!!!
  43. 43. Referência Bibliográfica FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa . São Paulo: Paz e Terra, 1996. MIZUKAMI, M. da G. N. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 1986. VASCONCELLOS,Celso S. Planejamento : Projeto de Ensino-Aprendizagem e Projeto Político Pedagógico.São Paulo:Libertad,2000. VEIGA, Ilma Passos A.(org).Projeto Político Pedagógico da Escola: uma construção possível.Campinas:Papirus,1995. SAVIANI, Dermeval. Escola e democracia: teorias da educação, curvatura da vara, onze teses sobre educação e política. São Paulo: Cortez, Autores Associados, 1983.

×