SlideShare uma empresa Scribd logo
Lei de Coulomb
        Me. Betine Rost
   Descarga       Descarga          Descarga
    elétrica        elétrica que       elétrica, ao
                                       percorrer
    entre      as   se        da       um volume
    nuvens      e   própria            de ar, faz
    superfície      nuvem ou           com que aja
    da Terra.       entre     as       uma
                    nuvens     e       expansão
                                       brusca    da
                    em erupção         camada de
                    de vulcões         ar.


     Raio       Relâmpago              Trovões
 As cargas interagem uma com a outra por
  meio do campo elétrico, em torno de uma
  carga elétrica.
 Campo elétrico é a capacidade que uma
  carga tem de influenciar o espaço que a
  rodeia.




Interação de cargas elétricas
 A lei de Coulomb foi proposta pelo físico
  Charles Augustin Coulomb, no ano de
  1725, e faz uma relação entre a
  intensidade da força eletrostática entre
  dois corpos carregados eletricamente.
 A lei enuncia que a intensidade da força
  entre duas cargas elétricas é diretamente
  proporcional ao produto dos módulos das
  cargas     elétricas   e     inversamente
  proporcional ao quadrado da distância que
  as separa.


Lei de Coulomb
F       d        F




       2F      d        2F




       4F      d        4F




Mantendo a distância fixa e
aumentando a carga
F    d       F




    F/4       2d           F/4




   F/9        3d            F/9




Mantendo a carga fixa e alterando
a distância





Informações Importantes
Lei de Coulomb
 O valor da constante de Coulomb varia
  conforme o meio, são sempre menores do
  que aquela no vácuo.
 Por exemplo na água o módulo da força é
  80 vezes menor.
 A lei de Coulomb só se aplica a carga
  pontuais, pois nas cargas não pontuais
  suas dimensões são comparáveis a suas
  dimensões.



Lei de Coulomb
 No processo de eletrização nenhum
  elétron é criado ou destruído, eles são
  transferidos de uma substância para
  outra.
 A carga de uma substância é inteira,
  portanto é errado dizer que a carga tem
  1,5 elétrons.




Conservação da carga elétrica





Campo elétrico criado por uma
carga pontual
   Quando tocamos um condutor, as cargas
    se repelem mutuamente e tendem a se
    afastar o máximo um dos outros, ate
    atingir o equilíbrio eletrostático.




Campo no interior de um
CONDUTOR
   Condutores de diferentes formas terão
    diferentes distribuições de cargas.




   As cargas se distribuem de tal forma a
    produzir um campo elétrico nulo no
    interior do condutor.


Campo no interior de um
CONDUTOR
   O campo elétrico de um condutor é
    sempre perpendicular a superfície.
 O conceito de campo elétrico em material
  condutor também se aplica a materiais
  ocos.
 As    cargas se distribuem pela sua
  superfície e no seu interior oco o campo
  elétrico é nulo.
 Blindagem Eletrostática: é utilizada
  com grande frequência em aparelhos
  eletrônicos e é ela também que garante a
  segurança de pessoas dentro de carros e
  aviões durante descargas elétricas. A
  blindagem faz com que o que esteja no
  interior do material eletrizado não sofra
  com nenhum fenômeno elétrico externo.
   Além desses exemplos, as propriedades da
    Blindagem eletrostática são válidas para corpos
    vazados como gaiolas. O Físico inglês Michael
    faraday comprovou experimentalmente o efeito
    da Blindagem Eletrostática colocando-se dentro
    de uma gaiola metálica, totalmente eletrizada, e
    pôde comprovar que devido ao fato do campo
    elétrico ser nulo em seu interior, ele não sofreu
    com os fenômenos elétricos exteriores da
    gaiola. A figura abaixo ilustra uma situação do
    funcionamento do que ficou conhecido como a
    Gaiola de Faraday.



Gaiola de Faraday
Aproximando        um
corpo eletrizado (A)     Repetindo           o
de      um     pêndulo   procedimento,     mas
elétrico neutro, esse    agora    cobrindo   o
sofre eletrização por    pêndulo    por    uma
indução e é atraído      gaiola, ele não sofre
pelo corpo.              nenhuma influência do
                         objeto     aproximado
                         mesmo a gaiola



Gaiola de Faraday
   Se as dimensões das placas forem muito
    maiores que a distância d entre elas, as
    linhas de forças existentes entre as placas
    serão retas paralelas e igualmente
    espaçadas.




Campo Elétrico Uniforme (CEU)
 As cargas se distribuem na sua superfície
  tornando o campo elétrico no seu interior
  nulo.
 Se    ele for irregular as cargas se
  concentram nas regiões mais pontudas. O
  acumulo das cargas nessas regiões faz
  com que essa região supere a rigidez
  dielétrica, assim o ar torna-se ionizado e
  as cargas escoam da ponta para o ar.

Campo Elétrico - Condutor
Irregular
Campo elétrico – Condutor
Irregular
   PÁGINA   35
   PÁGINA   36
   PÁGINA   42
   PÁGINA   47
   PÁGINA   48
   PÁGINA   51
   PÁGINA   52
   PÁGINA   53
   PÁGINA   54
   PÁGINA   55
   PÁGINA   56



EXERCÍCIOS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Cinemática introdução
Cinemática introduçãoCinemática introdução
Cinemática introdução
 
Eletrodinâmica
EletrodinâmicaEletrodinâmica
Eletrodinâmica
 
Introdução à eletrostática
Introdução à eletrostáticaIntrodução à eletrostática
Introdução à eletrostática
 
Campo elétrico
Campo elétricoCampo elétrico
Campo elétrico
 
Eletrostática
EletrostáticaEletrostática
Eletrostática
 
Dinâmica
DinâmicaDinâmica
Dinâmica
 
Aula 11 associação de resistores
Aula 11   associação de resistoresAula 11   associação de resistores
Aula 11 associação de resistores
 
Calorimetria
CalorimetriaCalorimetria
Calorimetria
 
Aulão pré prova enem física ciências da natureza
Aulão pré prova enem física ciências da naturezaAulão pré prova enem física ciências da natureza
Aulão pré prova enem física ciências da natureza
 
Processos de eletrização
Processos de eletrizaçãoProcessos de eletrização
Processos de eletrização
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
 
Eletrostática
EletrostáticaEletrostática
Eletrostática
 
Trabalho e potência
Trabalho e potênciaTrabalho e potência
Trabalho e potência
 
Temperatura e Calor
Temperatura e Calor Temperatura e Calor
Temperatura e Calor
 
Leis De Newton
Leis De NewtonLeis De Newton
Leis De Newton
 
Magnetismo
MagnetismoMagnetismo
Magnetismo
 
9 eletrostática
9 eletrostática9 eletrostática
9 eletrostática
 
Magnetismo e eletromagnetismo
Magnetismo e eletromagnetismoMagnetismo e eletromagnetismo
Magnetismo e eletromagnetismo
 
Eletrostatica
EletrostaticaEletrostatica
Eletrostatica
 
Força magnética
Força magnéticaForça magnética
Força magnética
 

Destaque

Física - Lei de Coulomb
Física - Lei de CoulombFísica - Lei de Coulomb
Física - Lei de CoulombThiago Santiago
 
Carga elétrica e eletrização
Carga elétrica e eletrizaçãoCarga elétrica e eletrização
Carga elétrica e eletrizaçãoProf. JC
 
Lei de coulomb força eletrica exemplo e exercícios
Lei de coulomb força eletrica exemplo e exercíciosLei de coulomb força eletrica exemplo e exercícios
Lei de coulomb força eletrica exemplo e exercíciosVinicius Tavares
 
Questao lei de_coulomb_e_potencial_el_atrico
Questao lei de_coulomb_e_potencial_el_atricoQuestao lei de_coulomb_e_potencial_el_atrico
Questao lei de_coulomb_e_potencial_el_atricoBetine Rost
 
Exercícios extras_campo elétrico
Exercícios extras_campo elétricoExercícios extras_campo elétrico
Exercícios extras_campo elétricoO mundo da FÍSICA
 
Fisica 003 eletrização e lei de coulomb
Fisica   003 eletrização e lei de coulombFisica   003 eletrização e lei de coulomb
Fisica 003 eletrização e lei de coulombcon_seguir
 
www.aulaparticularonline.net.br - Física - Exercícios Resolvidos de Eletricidade
www.aulaparticularonline.net.br - Física - Exercícios Resolvidos de Eletricidadewww.aulaparticularonline.net.br - Física - Exercícios Resolvidos de Eletricidade
www.aulaparticularonline.net.br - Física - Exercícios Resolvidos de EletricidadeLucia Silveira
 

Destaque (20)

Lei de coulomb
Lei de coulombLei de coulomb
Lei de coulomb
 
Física - Lei de Coulomb
Física - Lei de CoulombFísica - Lei de Coulomb
Física - Lei de Coulomb
 
Coulomb
CoulombCoulomb
Coulomb
 
1ª lei de coulomb
1ª lei de coulomb1ª lei de coulomb
1ª lei de coulomb
 
1ª lei de coulomb2
1ª lei de coulomb21ª lei de coulomb2
1ª lei de coulomb2
 
lei-de-coulomb
lei-de-coulomblei-de-coulomb
lei-de-coulomb
 
Cargas puntiformes lei de coulomb
Cargas puntiformes   lei de coulombCargas puntiformes   lei de coulomb
Cargas puntiformes lei de coulomb
 
Carga Elé..
Carga Elé..Carga Elé..
Carga Elé..
 
Carga elétrica e eletrização
Carga elétrica e eletrizaçãoCarga elétrica e eletrização
Carga elétrica e eletrização
 
Lei de coulomb força eletrica exemplo e exercícios
Lei de coulomb força eletrica exemplo e exercíciosLei de coulomb força eletrica exemplo e exercícios
Lei de coulomb força eletrica exemplo e exercícios
 
Lei de Coulomb - 3º Ano EM
Lei de Coulomb - 3º Ano EMLei de Coulomb - 3º Ano EM
Lei de Coulomb - 3º Ano EM
 
Charles coulomb
Charles coulombCharles coulomb
Charles coulomb
 
Lei de coulomb
Lei de coulombLei de coulomb
Lei de coulomb
 
Cargas elétricas
Cargas elétricasCargas elétricas
Cargas elétricas
 
Processos de Eletrização
Processos de EletrizaçãoProcessos de Eletrização
Processos de Eletrização
 
Questao lei de_coulomb_e_potencial_el_atrico
Questao lei de_coulomb_e_potencial_el_atricoQuestao lei de_coulomb_e_potencial_el_atrico
Questao lei de_coulomb_e_potencial_el_atrico
 
Exercícios extras_campo elétrico
Exercícios extras_campo elétricoExercícios extras_campo elétrico
Exercícios extras_campo elétrico
 
Fisica 003 eletrização e lei de coulomb
Fisica   003 eletrização e lei de coulombFisica   003 eletrização e lei de coulomb
Fisica 003 eletrização e lei de coulomb
 
Lei de ohm
Lei de ohmLei de ohm
Lei de ohm
 
www.aulaparticularonline.net.br - Física - Exercícios Resolvidos de Eletricidade
www.aulaparticularonline.net.br - Física - Exercícios Resolvidos de Eletricidadewww.aulaparticularonline.net.br - Física - Exercícios Resolvidos de Eletricidade
www.aulaparticularonline.net.br - Física - Exercícios Resolvidos de Eletricidade
 

Semelhante a Lei de coulomb

aula-1-AVA-Fisica3.pdf
aula-1-AVA-Fisica3.pdfaula-1-AVA-Fisica3.pdf
aula-1-AVA-Fisica3.pdfAgnaldo Santos
 
Campo eletrico lei_de_gauss-fsc1075
Campo eletrico lei_de_gauss-fsc1075Campo eletrico lei_de_gauss-fsc1075
Campo eletrico lei_de_gauss-fsc1075Hans Zimermann
 
Física 3º ano ensino médio campo elétrico
Física 3º ano  ensino médio   campo elétricoFísica 3º ano  ensino médio   campo elétrico
Física 3º ano ensino médio campo elétricoTiago Gomes da Silva
 
Força Eletromagnética
Força EletromagnéticaForça Eletromagnética
Força EletromagnéticaKiller Max
 
Electricidade: Electrização, condutores e isoldarores eléctricos, Lei de Coul...
Electricidade: Electrização, condutores e isoldarores eléctricos, Lei de Coul...Electricidade: Electrização, condutores e isoldarores eléctricos, Lei de Coul...
Electricidade: Electrização, condutores e isoldarores eléctricos, Lei de Coul...wilkerfilipel
 
Electrostatica Campo Electrico
Electrostatica Campo ElectricoElectrostatica Campo Electrico
Electrostatica Campo ElectricoCarlos Portela
 
Fundamentos da eletricidade - Conceitos básicos
Fundamentos da eletricidade - Conceitos básicosFundamentos da eletricidade - Conceitos básicos
Fundamentos da eletricidade - Conceitos básicosRobson Josué Molgaro
 
Ciências da Natureza e suas Tecnologias - Física Ensino Médio, 3ª Série Campo...
Ciências da Natureza e suas Tecnologias - Física Ensino Médio, 3ª Série Campo...Ciências da Natureza e suas Tecnologias - Física Ensino Médio, 3ª Série Campo...
Ciências da Natureza e suas Tecnologias - Física Ensino Médio, 3ª Série Campo...PanteraNegra21
 
Lista 4 - Condutores em Equilíbrio Eletrostático
Lista 4 - Condutores em Equilíbrio EletrostáticoLista 4 - Condutores em Equilíbrio Eletrostático
Lista 4 - Condutores em Equilíbrio EletrostáticoGustavo Mendonça
 
Resumo fisica4 branco
Resumo fisica4 brancoResumo fisica4 branco
Resumo fisica4 brancoAdriano Cunha
 

Semelhante a Lei de coulomb (20)

aula-1-AVA-Fisica3.pdf
aula-1-AVA-Fisica3.pdfaula-1-AVA-Fisica3.pdf
aula-1-AVA-Fisica3.pdf
 
6 capacitores
6 capacitores6 capacitores
6 capacitores
 
Aula Campo Elétrico ppt.ppt
Aula Campo Elétrico ppt.pptAula Campo Elétrico ppt.ppt
Aula Campo Elétrico ppt.ppt
 
Campo eletrico lei_de_gauss-fsc1075
Campo eletrico lei_de_gauss-fsc1075Campo eletrico lei_de_gauss-fsc1075
Campo eletrico lei_de_gauss-fsc1075
 
fabio_coulomb.pdf
fabio_coulomb.pdffabio_coulomb.pdf
fabio_coulomb.pdf
 
Física 3º ano ensino médio campo elétrico
Física 3º ano  ensino médio   campo elétricoFísica 3º ano  ensino médio   campo elétrico
Física 3º ano ensino médio campo elétrico
 
Campo elétrico
Campo elétricoCampo elétrico
Campo elétrico
 
Campo elétrico
Campo elétricoCampo elétrico
Campo elétrico
 
Campo elétrico
Campo elétricoCampo elétrico
Campo elétrico
 
Unidade i física 13
Unidade i física 13Unidade i física 13
Unidade i física 13
 
Força Eletromagnética
Força EletromagnéticaForça Eletromagnética
Força Eletromagnética
 
Electricidade: Electrização, condutores e isoldarores eléctricos, Lei de Coul...
Electricidade: Electrização, condutores e isoldarores eléctricos, Lei de Coul...Electricidade: Electrização, condutores e isoldarores eléctricos, Lei de Coul...
Electricidade: Electrização, condutores e isoldarores eléctricos, Lei de Coul...
 
f10_2_1.pptx
f10_2_1.pptxf10_2_1.pptx
f10_2_1.pptx
 
Electrostatica Campo Electrico
Electrostatica Campo ElectricoElectrostatica Campo Electrico
Electrostatica Campo Electrico
 
Campo eletrico
Campo eletricoCampo eletrico
Campo eletrico
 
Fundamentos da eletricidade - Conceitos básicos
Fundamentos da eletricidade - Conceitos básicosFundamentos da eletricidade - Conceitos básicos
Fundamentos da eletricidade - Conceitos básicos
 
Ciências da Natureza e suas Tecnologias - Física Ensino Médio, 3ª Série Campo...
Ciências da Natureza e suas Tecnologias - Física Ensino Médio, 3ª Série Campo...Ciências da Natureza e suas Tecnologias - Física Ensino Médio, 3ª Série Campo...
Ciências da Natureza e suas Tecnologias - Física Ensino Médio, 3ª Série Campo...
 
Lista 4 - Condutores em Equilíbrio Eletrostático
Lista 4 - Condutores em Equilíbrio EletrostáticoLista 4 - Condutores em Equilíbrio Eletrostático
Lista 4 - Condutores em Equilíbrio Eletrostático
 
Campo Elétrico
Campo ElétricoCampo Elétrico
Campo Elétrico
 
Resumo fisica4 branco
Resumo fisica4 brancoResumo fisica4 branco
Resumo fisica4 branco
 

Mais de Betine Rost

Exercicios sobre movimento 1º ano
Exercicios sobre movimento 1º anoExercicios sobre movimento 1º ano
Exercicios sobre movimento 1º anoBetine Rost
 
Exercicios resolução
Exercicios resoluçãoExercicios resolução
Exercicios resoluçãoBetine Rost
 
Respostas do trabalho
Respostas do trabalhoRespostas do trabalho
Respostas do trabalhoBetine Rost
 
Capitulo 4 eletrodinamica
Capitulo 4 eletrodinamicaCapitulo 4 eletrodinamica
Capitulo 4 eletrodinamicaBetine Rost
 
Energia e trabalho
Energia e trabalhoEnergia e trabalho
Energia e trabalhoBetine Rost
 
Movimento uniforme
Movimento uniformeMovimento uniforme
Movimento uniformeBetine Rost
 
Questao energia e_trabalho
Questao energia e_trabalhoQuestao energia e_trabalho
Questao energia e_trabalhoBetine Rost
 
Potencial elétrico
Potencial elétricoPotencial elétrico
Potencial elétricoBetine Rost
 
Questões 01 - 3ºANO
Questões 01 - 3ºANOQuestões 01 - 3ºANO
Questões 01 - 3ºANOBetine Rost
 

Mais de Betine Rost (16)

Lista 3 ano
Lista 3 anoLista 3 ano
Lista 3 ano
 
Exercicios sobre movimento 1º ano
Exercicios sobre movimento 1º anoExercicios sobre movimento 1º ano
Exercicios sobre movimento 1º ano
 
Exercicios resolução
Exercicios resoluçãoExercicios resolução
Exercicios resolução
 
Respostas do trabalho
Respostas do trabalhoRespostas do trabalho
Respostas do trabalho
 
Capitulo 4 eletrodinamica
Capitulo 4 eletrodinamicaCapitulo 4 eletrodinamica
Capitulo 4 eletrodinamica
 
Energia e trabalho
Energia e trabalhoEnergia e trabalho
Energia e trabalho
 
Movimento uniforme
Movimento uniformeMovimento uniforme
Movimento uniforme
 
Exercicios
ExerciciosExercicios
Exercicios
 
Lei de coulomb1
Lei de coulomb1Lei de coulomb1
Lei de coulomb1
 
Questao energia e_trabalho
Questao energia e_trabalhoQuestao energia e_trabalho
Questao energia e_trabalho
 
Potencial elétrico
Potencial elétricoPotencial elétrico
Potencial elétrico
 
Atividade extra
Atividade extraAtividade extra
Atividade extra
 
1º ANO
1º ANO1º ANO
1º ANO
 
Aula 2 - 3ANO
Aula 2 - 3ANOAula 2 - 3ANO
Aula 2 - 3ANO
 
Questões 01 - 3ºANO
Questões 01 - 3ºANOQuestões 01 - 3ºANO
Questões 01 - 3ºANO
 
Aula1
Aula1Aula1
Aula1
 

Último

Apresentação Formação em Prevenção ao Assédio
Apresentação Formação em Prevenção ao AssédioApresentação Formação em Prevenção ao Assédio
Apresentação Formação em Prevenção ao Assédioifbauab
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - FalamansaMary Alvarenga
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
Desastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadessDesastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadessRodrigoGonzlez461291
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxSolangeWaltre
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdfedjailmax
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorRecurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorCasa Ciências
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfLeandroTelesRocha2
 
00Certificado - MBA - Gestão de projetos
00Certificado - MBA - Gestão de projetos00Certificado - MBA - Gestão de projetos
00Certificado - MBA - Gestão de projetosLeonardoHenrique931183
 
Junho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
Junho Violeta - Sugestão de Ações na IgrejaJunho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
Junho Violeta - Sugestão de Ações na IgrejaComando Resgatai
 
Atividade português 7 ano página 38 a 40
Atividade português 7 ano página 38 a 40Atividade português 7 ano página 38 a 40
Atividade português 7 ano página 38 a 40vitoriaalyce2011
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfssuserbb4ac2
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfrarakey779
 
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdfEvangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdfPastor Robson Colaço
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 

Último (20)

Apresentação Formação em Prevenção ao Assédio
Apresentação Formação em Prevenção ao AssédioApresentação Formação em Prevenção ao Assédio
Apresentação Formação em Prevenção ao Assédio
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Desastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadessDesastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadess
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorRecurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
00Certificado - MBA - Gestão de projetos
00Certificado - MBA - Gestão de projetos00Certificado - MBA - Gestão de projetos
00Certificado - MBA - Gestão de projetos
 
Junho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
Junho Violeta - Sugestão de Ações na IgrejaJunho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
Junho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
 
Atividade português 7 ano página 38 a 40
Atividade português 7 ano página 38 a 40Atividade português 7 ano página 38 a 40
Atividade português 7 ano página 38 a 40
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
 
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdfEvangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 

Lei de coulomb

  • 1. Lei de Coulomb Me. Betine Rost
  • 2. Descarga  Descarga  Descarga elétrica elétrica que elétrica, ao percorrer entre as se da um volume nuvens e própria de ar, faz superfície nuvem ou com que aja da Terra. entre as uma nuvens e expansão brusca da em erupção camada de de vulcões ar. Raio Relâmpago Trovões
  • 3.  As cargas interagem uma com a outra por meio do campo elétrico, em torno de uma carga elétrica.  Campo elétrico é a capacidade que uma carga tem de influenciar o espaço que a rodeia. Interação de cargas elétricas
  • 4.  A lei de Coulomb foi proposta pelo físico Charles Augustin Coulomb, no ano de 1725, e faz uma relação entre a intensidade da força eletrostática entre dois corpos carregados eletricamente.  A lei enuncia que a intensidade da força entre duas cargas elétricas é diretamente proporcional ao produto dos módulos das cargas elétricas e inversamente proporcional ao quadrado da distância que as separa. Lei de Coulomb
  • 5. F d F 2F d 2F 4F d 4F Mantendo a distância fixa e aumentando a carga
  • 6. F d F F/4 2d F/4 F/9 3d F/9 Mantendo a carga fixa e alterando a distância
  • 9.  O valor da constante de Coulomb varia conforme o meio, são sempre menores do que aquela no vácuo.  Por exemplo na água o módulo da força é 80 vezes menor.  A lei de Coulomb só se aplica a carga pontuais, pois nas cargas não pontuais suas dimensões são comparáveis a suas dimensões. Lei de Coulomb
  • 10.  No processo de eletrização nenhum elétron é criado ou destruído, eles são transferidos de uma substância para outra.  A carga de uma substância é inteira, portanto é errado dizer que a carga tem 1,5 elétrons. Conservação da carga elétrica
  • 11.  Campo elétrico criado por uma carga pontual
  • 12. Quando tocamos um condutor, as cargas se repelem mutuamente e tendem a se afastar o máximo um dos outros, ate atingir o equilíbrio eletrostático. Campo no interior de um CONDUTOR
  • 13. Condutores de diferentes formas terão diferentes distribuições de cargas.  As cargas se distribuem de tal forma a produzir um campo elétrico nulo no interior do condutor. Campo no interior de um CONDUTOR
  • 14. O campo elétrico de um condutor é sempre perpendicular a superfície.
  • 15.  O conceito de campo elétrico em material condutor também se aplica a materiais ocos.  As cargas se distribuem pela sua superfície e no seu interior oco o campo elétrico é nulo.  Blindagem Eletrostática: é utilizada com grande frequência em aparelhos eletrônicos e é ela também que garante a segurança de pessoas dentro de carros e aviões durante descargas elétricas. A blindagem faz com que o que esteja no interior do material eletrizado não sofra com nenhum fenômeno elétrico externo.
  • 16. Além desses exemplos, as propriedades da Blindagem eletrostática são válidas para corpos vazados como gaiolas. O Físico inglês Michael faraday comprovou experimentalmente o efeito da Blindagem Eletrostática colocando-se dentro de uma gaiola metálica, totalmente eletrizada, e pôde comprovar que devido ao fato do campo elétrico ser nulo em seu interior, ele não sofreu com os fenômenos elétricos exteriores da gaiola. A figura abaixo ilustra uma situação do funcionamento do que ficou conhecido como a Gaiola de Faraday. Gaiola de Faraday
  • 17. Aproximando um corpo eletrizado (A) Repetindo o de um pêndulo procedimento, mas elétrico neutro, esse agora cobrindo o sofre eletrização por pêndulo por uma indução e é atraído gaiola, ele não sofre pelo corpo. nenhuma influência do objeto aproximado mesmo a gaiola Gaiola de Faraday
  • 18. Se as dimensões das placas forem muito maiores que a distância d entre elas, as linhas de forças existentes entre as placas serão retas paralelas e igualmente espaçadas. Campo Elétrico Uniforme (CEU)
  • 19.  As cargas se distribuem na sua superfície tornando o campo elétrico no seu interior nulo.  Se ele for irregular as cargas se concentram nas regiões mais pontudas. O acumulo das cargas nessas regiões faz com que essa região supere a rigidez dielétrica, assim o ar torna-se ionizado e as cargas escoam da ponta para o ar. Campo Elétrico - Condutor Irregular
  • 20. Campo elétrico – Condutor Irregular
  • 21. PÁGINA 35  PÁGINA 36  PÁGINA 42  PÁGINA 47  PÁGINA 48  PÁGINA 51  PÁGINA 52  PÁGINA 53  PÁGINA 54  PÁGINA 55  PÁGINA 56 EXERCÍCIOS