Olhares sobre o consumidor cafecommarketing - prof christian avesque

1.353 visualizações

Publicada em

Apresentação do Prof. Christian Avesque para a 8ª edição do #cafecommarketing sobre Comportamento do Consumidor.

Publicada em: Espiritual, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.353
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
202
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Olhares sobre o consumidor cafecommarketing - prof christian avesque

  1. 1. OLHARES SOBRE O CONSUMIDOR<br /> CHRISTIAN AQUINO AVESQUE<br />ABRIL - 2011<br />
  2. 2. OLHARES SOBRE O CONSUMIDOR<br />
  3. 3. OLHARES SOBRE O CONSUMIDOR<br />Contextualizando o terreno:<br /><ul><li>Hipervazio ( Instituições , utopias, grandes narrativas e projetos coletivos)
  4. 4. Hipercapitalismo ( Sem fronteiras, curto prazo, eficiência empreendedora e winner)
  5. 5. Hipertecnologização ( relações digitalizadas, gadgets, obsolescência, tecnociência)</li></li></ul><li>OLHARES SOBRE O CONSUMIDOR<br />
  6. 6. OLHARES SOBRE O CONSUMIDOR<br /><ul><li>Hiperindividualismo ( Narcisista, desenquadarado” comunitário, “desengajado” polítco e estético)
  7. 7. Hiperconsumismo ( Hedonismo, aqui e agora, mobilidade social, erotização e tribalização)</li></ul>OBS: Subconsumo e miséria interior !<br />OBS: S-F, (D-M-D) , S-F (D-M-D) !<br />
  8. 8. OLHARES SOBRE O CONSUMIDOR<br />
  9. 9. OLHARES SOBRE O CONSUMIDOR<br />Perspectivas sobre o consumo:<br /><ul><li>Utilitário ( Problema efetivo- prudência- pesquisa-economia)
  10. 10. Narcotizante ( impulso- pertencimento- prazer- efêmero- estético)
  11. 11. Experiências ( identificação-personalização- novas sensações – iniciador)
  12. 12. Cidadã ( Conhecimento – consciência – ativismo social)</li></li></ul><li>OLHARES SOBRE O CONSUMIDOR<br />
  13. 13. OLHARES SOBRE O CONSUMIDOR<br />Approach de marketing:<br /><ul><li>Conceitual
  14. 14. Institucional
  15. 15. Promocional ( Atributos e benefícios dos produtos e serviços)
  16. 16. Promocional ( incentivos ou estímulos promocionais)
  17. 17. Híbridos ( 2 ou + )</li></li></ul><li>OLHARES SOBRE O CONSUMIDOR<br />Façamos um cruzamento entre perspectivas e approach:<br />Utilitária = Promocional / híbrido<br />Narcotizante = Conceitual / institucional<br />Experiências= Conceitual / híbrido<br />Cidadã= Institucional/ conceitual / promocional (A+B) <br />
  18. 18. OLHARES SOBRE O CONSUMIDOR<br />Estruturas de comportamentos:<br /><ul><li>Preço- desconto- comparação- busca por variedade
  19. 19. Auto imagem- prestígio- poder- destaque
  20. 20. Auto imagem- diferenciação-vanguarda- introdutor
  21. 21. Agente social- comércio justo- propagador ético- regulador social</li></li></ul><li>OLHARES SOBRE O CONSUMIDOR<br />“A vida organizada em torno do consumo, por outro lado, deve se bastar sem normas: ela é orientada pela sedução, por desejos sempre crescentes e quereres voláteis.”(Bauman, 2008)<br />“Para aumentar sua capacidade de consumo, os consumidores não devem nunca ter descanso... continuamente expostos a novas tentações, num estado de excitação incessante... em estado de perpétua suspeita e pronta insatisfação.”(Bauman, 2001)<br />
  22. 22. OLHARES SOBRE O CONSUMIDOR<br />“As grandes potências industriais produzem, desse modo, não apenas mercadorias mas também subjetividades. Produzem subjetividades agenciais dentro de um contexto psicossocial: produzem necessidades, relações sociais, corpos e mentes (...)” Guattari(1989)<br />‘ ... O objeto não tem mais função e sim uma virtude: é um signo.’ (Baudrillard, 1968)<br />‘ El consumo funciona como desde ahora como doping o como laanimacion de laexistencia, y a veces como paliativo, como (maniobra de) divérsion para todo lo que funciona em nuestra vida.’ ( Lipovetsky, 2002) <br />
  23. 23. ‘... Agora, não se compram mais objetos, mas `atitude´ e ´estilo´. Ocorre, assim, uma total dissipação das fronteiras entre a produção econômica e a vida cultural.’ ( Severiano, 2007) <br /> “… consolos às pressões incessantes por conseguir o dinheiro para comprá-los, e que, em nossa busca deles nos infatilizam…. é a imposição de um padrão do que é desejável e do que não é” (Sudjic, 2008)<br />
  24. 24. OLHARES SOBRE O CONSUMIDOR<br />“ os consumidores estão tecendo as malhas do tecido social a que pertencem ou desejam pertencer, criando sua identidade. Construindo pactos de leituradesenvolvendo o papel regulador do consumo em comunidade como forma de pertencimento.” (Canclini, 1997)<br />“ Mobilizar as pessoas para o uso do poder transformador dos seus atos de consumo consciente como instrumento de construção da sustentabilidade da vida no planeta” (Akatu, 2011)<br />

×