Deagro - Censo demográfico IBGE 2010

1.152 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.152
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Deagro - Censo demográfico IBGE 2010

  1. 1. Informativo DEAGRO Dezembro de 2011 Censo Demográfico 2010 » Resumo Executivo O Censo Demográfico é realizado no Brasil a cada dez anos e fornece informações que refletem a evolução da distribuição da população e as suas principais características socioeconômicas. Esses dados são relevantes aos governos e aos setores produtivos, pois auxiliam na tomada de decisões de investimentos, otimizando a alocação de recursos públicos e privados. Figura I – Principais Características do Brasil em 2010 * Refere-se ao valor do rendimento nominal médio mensal das pessoas de 10 anos ou mais de idade, com rendimento (Reais). Brasil: 190,8 milhões de pessoas em 8,5 milhões de Km2 ou 851 milhões de ha __________________________________________________________ » Destaques Brasil: O rendimento médio dos brasileiros foi de R$ Em dez anos, a população brasileira aumentou em 1.202, sendo de R$ 693 no MA e R$ 2.462 no DF; 21 milhões de habitantes; A população, embora jovem, apresenta taxas de A taxa de crescimento da população brasileira vem envelhecimento crescentes; diminuindo ao longo dos anos, atingindo na última década 1,17% a.a., em razão da menor taxa de Os indivíduos com mais de 65 anos já representam fecundidade; 7,4% dos brasileiros; Os 27 estados abrigam 5.565 municípios; O país apresentou avanços em relação à redução da taxa de analfabetismo em 10 anos, saindo de 12,8% A urbanização média é de 84,4%, sendo de 92% no para 9%. SE e 73% no NE; 58% da população com rendimento recebem até 1 (um) A região SE, embora represente apenas 11% do salário mínimo / mês, segundo a PNAD 2009; território, responde por 42% da população; Os 20% da população mais rica respondem por 59% do A região N, por sua vez, detém 45% do território total de rendimentos do Brasil; nacional e responde por apenas 8% da população; Em 2010, a densidade demográfica brasileira foi de 22,4 habitantes por quilometro quadrado;Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Pag. 1 de 3Elaboração: Departamento do Agronegócio - DEAGRO/FIESP deagro@fiesp.org.br (11) 3549-4434
  2. 2. Informativo DEAGRO Dezembro de 2011 Censo Demográfico 2010 1. População: distribuição e taxa de crescimento Destaques: Figura II – Evolução da população brasileira Nos últimos dez anos, a população brasileira Total (Urbana + Rural) aumentou em 21 milhões de pessoas; Em % do Total Milhões de pessoas 100% 200 A Região Sudeste possui a maior taxa de 190,8 urbanização (92%), com destaque para o RJ Urbana 75% 169,8 150 (96%) e SP (95%); Rural 146,8 O Nordeste fica no outro extremo, com a 119,0 Total 50% 100 menor taxa de urbanização (73%), tendo o 93,1 Maranhão 63% e Pernambuco 80%; 70,1 25% 50 51,9 O Sudeste é a segunda menor região em extensão territorial (11%) e a maior em 0% - termos de densidade demográfica, com 1950 1960 1970 1980 1991 2000 2010 86,9 habitantes por Km2; O Estado de São Paulo detém apenas 3% do Figura III – Taxa de crescimento da população território nacional, porém é o terceiro em Em % densidade demográfica, com 166,3 2 5,15 5,22 Urbana habitantes por Km , ficando atrás de RJ e 4,44 DF; O Norte por sua vez, apesar de possuir a Brasil 2,97 2,47 maior dimensão territorial (45%), apresenta 2,99 2,89 a menor densidade demográfica brasileira, 2,48 com uma média de aproximadamente 4 1,93 1,55 1,55 Rural 1,64 1,17 habitantes por Km2; 0,57 1950/1960 1960/1970 1970/1980 1980/1991 1991/2000 2000/2010 A taxa de crescimento da população -0,62 -0,67 -0,65 brasileira vem diminuindo ao longo dos -1,31 anos (Figura III), em razão da menor taxa de fecundidade, que em 2010 foi de 1,86 filho ___________________________________________________________ por mulher; em 2000 era de 2,38 filhos. 2. Educação A migração da área rural para área urbana, é um dos principais fatores para taxa de Figura IV – Evolução da taxa de analfabetismo crescimento negativa da população desta Por Grandes Regiões do Brasil área (Figura III); 24,6 O Brasil apresentou redução de 3,8 p.p na 2000 2010 taxa de analfabetismo nos últimos dez anos. 17,6 15,6 Em 2010, esta foi de 9,0%; 12,8 10,6 9,7 9,0 Apesar dos avanços na taxa de 7,5 7,0 6,6 5,1 4,7 analfabetismo no país, observa-se forte discrepância por Região (Figura IV); O analfabetismo continua mais presente nas áreas rurais, com expressivos 21,2%;Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Pag. 2 de 3Elaboração: Departamento do Agronegócio - DEAGRO/FIESP deagro@fiesp.org.br (11) 3549-4434
  3. 3. Informativo DEAGRO Dezembro de 2011 Censo Demográfico 2010 3. Rendimento Destaques: Figura V – Rendimento médio da população brasileira Os 20% da população mais rica respondem Por Grandes Regiões e Sexo (pessoas 10+ idade com rendimento) por 59% do total de rendimentos do Brasil; 58% da população com rendimento, recebem até 1 (um) salário mínimo, segundo a PNAD- 2009; 1% da população com os maiores salários recebeu 13,8% do rendimento total do país; A diferença entre os rendimentos por sexo foi expressiva em todas as Grandes Regiões (Figura V); Distrito Federal e São Paulo são os Estados com as maiores diferenças entre os rendimentos médios por sexo, sendo que no Figura VI – Distribuição de renda (Índice de Gini) primeiro os homens recebem até R$ 678 a Por Grandes Regiões do Brasil mais que as mulheres e o segundo, R$ 533 a1,0 2000 2010 mais. Pará e Amapá são os Estados que igualitário apresentaram a menor diferença entre os Menos 0,60 0,60 0,61 0,62 rendimentos por sexo: em média, os homens 0,58 0,56 0,54 0,54 0,56 0,55 recebem R$ 220 a mais que as mulheres; 0,52 0,48 O índice de Gini é outro indicador relevante igualitário para o entendimento da concentração de Mais renda. Este índice varia de 0 a 1, sendo que próximo de zero significa mais igualitário e de 0,0 1 menos igualitário, em termos de distribuição de renda (Figura VI); Escala Índice de Gini: Próximo de 0 (zero) mais igualitário; O índice de Gine do país foi de 0,54 em 2010, ___________________________________________________________ Próximo de 1 (um) menos igualitário. apresentando melhora em relação ao 0,60 observado em 2000; 4. Envelhecimento da população A Região Sul registrou o menor índice (0,48) Figura VII – Evolução do Envelhecimento da população enquanto o Nordeste o maior (0,56) em 2010; Distribuído por idade (em anos) O Índice de Gini do Estado de São Paulo foi de População brasileira ( milhões de pessoas) Var. Cresc. % População total 0,50; Idade 2000 2010 2000/10 2000 2010 0 a 14 50,3 45,9 -8,6% 29,6% 24,1% O envelhecimento da população observada 15 a 24 34,1 34,2 0,5% 20,1% 17,9% nos últimos anos foi refletido no crescimento 25 a 34 26,9 32,8 22,2% 15,8% 17,2% da participação dos grupos etários mais 35 a 44 22,8 26,9 17,9% 13,4% 14,1% elevados (Figura VII); 45 a 64 25,8 36,8 42,3% 15,2% 19,3% Mais de 65 41,7% Nos próximos dez anos, ou seja, para 2020, a 9,9 14,1 5,9% 7,4% Mais de 75 52,3% população acima dos 65 anos de idade 3,6 5,5 2,1% 2,9% Total 12,3% aumentará cerca de 15 milhões de pessoas; 169,8 190,8 100,0% 100,0%Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Pag. 3 de 3Elaboração: Departamento do Agronegócio - DEAGRO/FIESP deagro@fiesp.org.br (11) 3549-4434

×