Ata agenda positiva da carne - reunião JBS e Pecuarista - 04-06-2012

3.058 visualizações

Publicada em

Ata agenda positiva da carne - reunião JBS e Pecuarista - 04-06-2012

Publicada em: Negócios
1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Jogando.net/mu - 08

    Olá, venho divulgar o melhor servidor de MU on-line do
    Brasil.
    >>PROMOÇÃO DE JDIAMONDS E JCASHS, que ganha cupom para concorrer aos prêmios....
    >> PROMOÇÃO GANHE IPAD (NOVO) 3 kits JD v2, 2.000.000 golds e + 1000 jcahs no sorteio do dia 31/10 OUTUBRO
    >>NOVOS KITS : DEVASTATOR , e o SUPREMO DIAMOND V2 ;SUPREMO JDIAMOND V3
    >> MEGA MARATONA DE DIA DAS CRIANÇAS, em breve você irá conhecer os melhores eventos.
    >> Novos Rings e Pendat Mysthical os melhores do servidor ;
    >> Novas Asas e Shields JDiamonds;
    >> Novidades em todos os servidores atualizados p/ o Ep 3 Season 6
    >>>>>> CURTI ANIMES ? conheça o MAIS NOVO SITE Cloud : http://www.animescloud.com/ com mais de 20.000 videos online.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.058
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.019
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ata agenda positiva da carne - reunião JBS e Pecuarista - 04-06-2012

  1. 1. JBS S.A.Agenda Positiva da Carne 04/06/2012
  2. 2. Presentes na Reunião Representantes da Frente Parlamentar da Agropecuária  Deputado Federal Moreira Mendes  Deputado Federal Homero Pereira Representantes dos Pecuaristas  Carlito Guimarães – Presidente da ASFAX / Diretor da ABCZ  Chico Maia – Presidente da Acrissul  Eduardo Moura – Presidente da Assocon  Guilherme Nolasco – Diretor da Acrimat  Jorge Pires – Vice Presidente da Acrimat / Presidente do Sindicato Rural de Cuiabá  José Junqueira Meirelles – Diretor da UDR  Luis Antonio Garcia Nabhan – Presidente da UDR  Renato Ferreira de Carvalho – Diretor da UDR  Ricardo Castro Cunha – Presidente da APR-MT  Ricardo Yano – Presidente da SGPA Representantes da JBS  Wesley Batista – Presidente JBS Global  Renato Costa – Presidente Divisão Carnes JBS Brasil  Eduardo Pedroso – Relações com o Pecuarista  Fabio Maia de Oliveira – Relações com o Pecuarista  Fernando Saltão - Confinamentos  José Luiz Medeiros – Originação  Marcos Alberto Rodrigues Gonçalves - Originação Regional 1  Hercio Dias de Souza Filho - Originação Regional 2  Vilmar Lemos Cardoso – Originação Regional 3  Leandro Testa – Mesa de Commodities  Waldir Cicerelle – Pricing  Fernando Souza– Pricing PÁG. 2  Carlos Leite – Pricing
  3. 3. Resumo do conteúdo e propostas de trabalho conjunto Foi uma primeira reunião de trabalho da área de RP-JBS, Relações com o Pecuarista, com a cadeia produtiva da carne bovina com a seguinte pauta:  O mercado da carne;  A consolidação da indústria frigorífica;  Estrutura de custos da indústria;  Formação de preços;  Monitoramento das margens do varejo;  Ações para construção de uma agenda positiva entre a Indústria e o Pecuarista; O canal está aberto ao diálogo com todas as lideranças do setor, inclusive, para os que não puderam estar presentes; Evidente necessidade de organização e mobilização setorial para atuação conjunta em defesa dos interesses da cadeia produtiva da carne bovina brasileira; Evidente necessidade de uma aproximação maior entre a indústria e o Pecuarista, estreitando relacionamento entre as partes com visão de curto, médio e longo prazos. Muitos são os pontos de interesses comuns que podem e devem ser trabalhados em conjunto. Já os pontos de divergência podem ser arbitrados tecnicamente. Por unanimidade, concluiu-se que tal abertura ao diálogo irá contribuir para remoção das arestas e tensões comerciais; Necessidade de atuação coordenada para revisão e atualização da regulamentação do setor perante as esferas governamentais e legislação: Criação de uma agenda para a Frente PÁG. 3 Parlamentar do Agronegócio.
  4. 4. Principais reivindicações e preocupações dos Pecuaristas Em geral estão muito preocupados com o avanço e os impactos da consolidação da indústria da carne brasileira; Apoiam a livre concorrência de mercado; O mercado está “machucado” com os prejuízos causados pelo grande número de processos de Recuperação Judicial de frigoríficos nos últimos anos; Desejam ter maior acesso ao diálogo de bom nível com a indústria; Apoiam o pagamento vinculado à qualidade do boi e mercado (Ex: premiação UE, Hilton); Tem interesse em estudar e conhecer a distribuição de margens ao longo da cadeia produtiva; Necessidade de criação de novos referenciais de preço e indicadores, dada a migração do rebanho para a região centro-oeste do país; Solicitaram abertura para diálogo, inclusive, para questões regionais que tenham relevância; Solicitaram estudo sobre uma proposta dos Pecuaristas à direção da JBS como contramedida ao avanço da consolidação. Os Pecuaristas desejam que a JBS abra mão das plantas frigoríficas que a empresa não tiver interesse em operar, por um prazo de 180 dias. PÁG. 4
  5. 5. Argumentação da JBS A JBS é parceira do Pecuarista e está aberta à construção de uma agenda positiva em conjunto com as lideranças da cadeia produtiva da carne brasileira; A consolidação do setor traz vantagens ao mercado, com ênfase à redução dos custos operacionais da indústria e condição de efetuar um trabalho mais consistente na comercialização da carne tanto no mercado interno quanto externo. Quanto mais competente for o atendimento à demanda crescente do mercado global, melhor para toda a cadeia produtiva. Quanto mais formal for a cadeia da carne, melhor para todos, inclusive para o pecuarista. A indústria depende da parceria com o Pecuarista pois o boi é mais de 80% de seu negócio. A JBS está à disposição e é parceira do Pecuarista para a construção de soluções setoriais, apoiando:  Demonstração dos números da indústria,  Criação de uma agência reguladora para a carne,  Criação de índices de monitoramento e arbitragem dos preços,  Criação de um fundo nacional para o marketing da carne,  Equilíbrio e redistribuição das margens ao longo da cadeia até o varejo, trabalhando melhor o preço justo ao consumidor e estimulando o consumo,  Implantação de Sistema Nacional de Tipificação de Carcaças que remunere melhor a qualidade ao Pecuarista e chegue até o consumidor,  Desenvolvimento de marcas de carne passíveis de atendimento diferenciado de mercado durante o ano todo,  Implantação de mecanismos para garantir o pagamento do boi abatido,  Implantação de ações para eliminar definitivamente as discussões em relação ao peso e rendimento de carcaças, PÁG. 5  Trabalho conjunto para retomada dos mercados de exportação, sobretudo da Europa.
  6. 6. CONFIDENCIALVamos construir uma agenda Positiva narelação Indústria e Pecuarista?1. Como eliminar definitivamente as discussões em relação ao peso e rendimento de carcaça?2. Como criar um sistema Nacional de Tipificação de Carcaças que chegue até o consumidor?3. Como acabar com os calotes da Indústria ao Pecuarista?4. Como criar um Fundo Nacional para o Marketing da carne?5. Como abrir novos mercados para a carne brasileira?6. Vamos criar uma agência reguladora da cadeia produtiva da carne? PÁG. 6
  7. 7. CONFIDENCIALPróximos passosA seguir apresentamos alguns estudos de casos de outros países comoreferência aos pontos apresentados.A JBS apoia as ações da Agenda Positiva, e se compromete a contribuircom informações sobre a indústria e avaliar a viabilidade de implantaçãode pilotos em suas unidades. PÁG. 7
  8. 8. CONFIDENCIALVamos construir uma agenda Positiva narelação Indústria e Pecuarista?1. Como eliminar definitivamente as discussões em relação ao peso e rendimento de carcaça?2. Como criar um sistema Nacional de Tipificação de Carcaças que chegue até o consumidor?3. Como acabar com os calotes da Indústria ao Pecuarista?4. Como criar um Fundo Nacional para o Marketing da carne?5. Como abrir novos mercados para a carne brasileira?6. Vamos criar uma agência reguladora da cadeia produtiva da carne? PÁG. 8
  9. 9. Estudo de caso do Uruguai Fazenda Curral Insensibilização Variáveis Calha de Sangria Tempo de jejum Balança da fazenda; Esfola Perfil da Carcaça (Raça, sexo, maturidade, Evisceração conformação Peso e acabamento) DIF Padrão do toalete Balança do abate. Toalete Tipificação Câmara Alta PÁG. 9
  10. 10. CONFIDENCIALVamos construir uma agenda Positiva narelação Indústria e Pecuarista?1. Como eliminar definitivamente as discussões em relação ao peso e rendimento de carcaça?2. Como criar um sistema Nacional de Tipificação de Carcaças que chegue até o consumidor?3. Como acabar com os calotes da Indústria ao Pecuarista?4. Como criar um Fundo Nacional para o Marketing da carne?5. Como abrir novos mercados para a carne brasileira?6. Vamos criar uma agência reguladora da cadeia produtiva da carne? PÁG. 10
  11. 11. Estudo de caso Americano:Tipificação de Carcaças PÁG. 11
  12. 12. CONFIDENCIALVamos construir uma agenda Positiva narelação Indústria e Pecuarista?1. Como eliminar definitivamente as discussões em relação ao peso e rendimento de carcaça?2. Como criar um sistema Nacional de Tipificação de Carcaças que chegue até o consumidor?3. Como acabar com os calotes da Indústria ao Pecuarista?4. Como criar um Fundo Nacional para o Marketing da carne?5. Como abrir novos mercados para a carne brasileira?6. Vamos criar uma agência reguladora da cadeia produtiva da carne? PÁG. 12
  13. 13. Garantia de recebimento do Boi: Caso dos Estados Unidos Packers and Stockyards Act (PSA) of 1921 Statutory Trust Packers whose annual purchases exceed $500,000 and live poultry dealers whose average annual sales exceed $100,000 are required to maintain a statutory trust for the benefit of unpaid sellers or poultry growers. Trust assets do not become part of the bankruptcy estate if a packer or live poultry dealer files a bankruptcy petition. Thus, unpaid sellers and poultry growers have priority over secured creditors for the assets of the statutory trust.Lei dos Frigoríficos e Pecuaristas de 1921Frigoríficos que comprarem mais de US$ 500mil por ano, devemmanter um fundo fiduciário para benefício de fornecedores não pagos.O fundo não entra em Recuperação Judicial e os credores temprioridade em relação a credores com garantia real. PÁG. 13
  14. 14. CONFIDENCIALVamos construir uma agenda Positiva narelação Indústria e Pecuarista?1. Como eliminar definitivamente as discussões em relação ao peso e rendimento de carcaça?2. Como criar um sistema Nacional de Tipificação de Carcaças que chegue até o consumidor?3. Como acabar com os calotes da Indústria ao Pecuarista?4. Como criar um Fundo Nacional para o Marketing da carne?5. Como abrir novos mercados para a carne brasileira?6. Vamos criar uma agência reguladora da cadeia produtiva da carne? PÁG. 14
  15. 15. Fundo Nacional para o Marketing da Carne: Caso dos Estados Unidos Através do pagamento de US$ 0,50 por cabeça comercializada o setor contribui com a defesa e incentivo do seu bem mais precioso: A Carne. • Identificar e monitorar as preferências dos consumidores Estimular o consumo da • Mapear com a Indústria, o desenvolvimento genético em função da Carne Bovina demanda Aproveitar as • Aumentar o acesso aos mercados exportadores oportunidades de • Promover a marca da carne americana nos demais países crescimento global • Orientar os produtores sobre os valores dos mercados externos Fortalecer a imagem da • Envolver todos os elos da cadeia da carne no Marketing da Carne carne e de sua indústria • Fortalecer os argumentos para rebater os ataques à carne Desenvolver e proteger • Definir e divulgar as práticas de produção sustentável a liberdade de operação • Bem estar animal Promover a transparência e • Criar ferramentas, reuniões e programas que facilitem o diálogo e a confiança nas relações transparência entre os Pecuaristas e a Indústria com a Indústria • Promover o uso de tecnologias para aumentar a produtividade Promover o crescimento • Capacitar a base produtiva para aumentar a rentabilidade do do rebanho americano regime de cria PÁG. 15
  16. 16. CONFIDENCIALVamos construir uma agenda Positiva narelação Indústria e Pecuarista?1. Como eliminar definitivamente as discussões em relação ao peso e rendimento de carcaça?2. Como criar um sistema Nacional de Tipificação de Carcaças que chegue até o consumidor?3. Como acabar com os calotes da Indústria ao Pecuarista?4. Como criar um Fundo Nacional para o Marketing da carne?5. Como abrir novos mercados para a carne brasileira?6. Vamos criar uma agência reguladora da cadeia produtiva da carne? PÁG. 16
  17. 17. Abertura de MercadosPressão da cadeia produtiva para habilitação dos EstadosUnidos para exportação de carne “in natura”. Abrir mercado aos países potenciais Otimizar o atendimento à Cota Hilton: Porque o Brasil tem 1/3 da cota Hilton da Argentina? Retomar UE PÁG. 17
  18. 18. CONFIDENCIALVamos construir uma agenda Positiva narelação Indústria e Pecuarista?1. Como eliminar definitivamente as discussões em relação ao peso e rendimento de carcaça?2. Como criar um sistema Nacional de Tipificação de Carcaças que chegue até o consumidor?3. Como acabar com os calotes da Indústria ao Pecuarista?4. Como criar um Fundo Nacional para o Marketing da carne?5. Como abrir novos mercados para a carne brasileira?6. Vamos criar uma agência reguladora da cadeia produtiva da carne? PÁG. 18
  19. 19. Agência ReguladoraCriação de uma agência nacional reguladora ou conselho nacional de produtores(Consecarne), a exemplo do Consecana e Consecitrus. O Consecana/SP estabelece o preço da cana com base na quantidade de Açúcar Total Recuperável (ATR) - medido pelo teor de sacarose contido na planta fornecida pelo agricultor - e nos preços dos produtos fabricados pela indústria, tanto no mercado interno como no externo. O objetivo do Consecitrus é ordenar as CONSECITRUS relações no segmento, ou seja, tentar dar mais estabilidade aos preços praticados entre as indústrias e os produtores. Além disso, o Conselho deverá catalisar o enfrentamento das questões comuns ao setor, como a diminuição do mercado consumidor de suco de laranja e os inúmeros problemas fitossanitários. PÁG. 19
  20. 20. Relações com o Pecuarista JBSEduardo Pedroso: e.pedroso@jbs.com.br Fábio Maia: fabio.maia@jbs.com.br

×