O slideshow foi denunciado.

07 julio-barcellos-workshop-cria-beefpoint-2012

198 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

07 julio-barcellos-workshop-cria-beefpoint-2012

  1. 1. Pautas para elegertecnologias para maximizar a produção de bezerros
  2. 2. Pautas  para  eleger   tecnologias  para  maximizar   a  produção  de  bezerros  Prof.  Júlio  Barcellos  &  Tamara  E.  Oliveira    NESPRO/DEP.  DE  ZOOTECNIA/UFRGS  julio.barcellos@ufrgs.br  www.nespro.ufrgs.br   São  Paulo,  11  de  junho  de  2012.  
  3. 3. GRUPO MULTIDISCIPLINAR COM CONEXÕES NACIONAIS E INTERNACIONAIS Economista Advogado Zootecnista Sociólogo Agrônomo USA EMBRAPA CANADÁ Analista UFPAINGLATERRA de Veterinário UNIPAMPA Sistemas UEMS
  4. 4. Acesse  nosso  site:   www.nespro.ufrgs.br  Pesquisa,  Inovação  e  Desenvolvimento  Tecnológico   VII  JORNADA  TÉCNICA  –  27  e  28  de  setembro  de  2012.  
  5. 5. A PARTIR DE 75% DE DESMAME OSA partir de 75% de desmama diminuem os ganhos… GANHOS SÃO DECRESCENTES.....KG/HECTARE 120 100 80 2009 60 40 20 0 0 20 40 60 80 100 120 TAXA DE DESMAME (%)
  6. 6. A TECNOLOGIA MUDOU... J. Barcellos, 2011. Períodos Conjunturais Tipo de 2003-2005 2009-2011Sistema Processos Insumos Processos Insumos Cria 75 25 50 50 Recria 50 50 25 75Engorda 25 75 10 90
  7. 7. VEJA  SEU  NEGÓCIO  COM  UM  OLHAR   MAIS  AMPLO!   Tecnologias Processos Gestão
  8. 8. Tecnologias em sistemas de cria
  9. 9. Introdução de Tecnologias Pecuária de cria Atividade de baixa eficiência e rentabilidade Limitando a utilização generalizada de tecnologias (Barcellos et al., 2007)
  10. 10. Técnicas reprodutivas POSICIONAMENTO DO SISTEMA DE Idade de acasalamento PROCUÇÃO Aumento peso a desmama Controle lactação Escore corporal - alvo Época e duração da monta Ajuste de carga
  11. 11. Qual a tecnologia?
  12. 12. Qual tecnologia????? Transferência Duas estações de taxaSuperovulação Diagnóstico AjusteIATF de embriões de lotação IAMonitoramentoPrenhez monta de do Irrigação Creep-grazing Parteiros acasalamento de treinados Estação de Pastagens Exame Flushing Descarte das monta Andrológico vacas controlada Desmame falhadasSincronizaçãoHistogramaPrecoce Creep-feeding de Estro de Parição Bioestimulação Desmame Lotes por Desmame Suplementação Interrompido idade Hiperprecoce
  13. 13. Perfil do Pecuarista Risco Rentabilidade
  14. 14. Complexidade operacional Impacto no sistemaCritérios a considerar SELEÇÃO DA TECNOLOGIA Resultado Flexibilidade Conhecimento técnico Custo Risco
  15. 15. Custos adicionais Insumos MaquinárioEquipamentos Funcionários Infraestrutura
  16. 16. Conhecimento técnicoHabilidades Conhecimento
  17. 17. Complexidade operacional Dificuldade de implantação Infraestrutura Recursos Humanos Logística
  18. 18. Flexibilidade = ReseliênciaTER UM PLANO B.
  19. 19. Impacto no sistemaEfeito do resultado que a tecnologia pode gerar no sistema.
  20. 20. ResultadosProbabilidade de aumento na taxa de prenhez.
  21. 21. Risco da tecnologiaProbabilidade de não produzir aresposta esperada no resultado.
  22. 22. Relação entre os critérios RC=C+CT+CO-FRC = Risco calculadoC = CustoCT = Conhecimento técnicoCO = Complexidade operacionalF = Flexibilidade
  23. 23. Percepção de especialistasEspecialistas 32 tecnologias
  24. 24. Percepção de especialistas1 Muito baixo 2 Baixo 3 Médio 4 Alto5 Muito alto
  25. 25. DESMAMA INTERROMPIDA IATF
  26. 26. Relação entre Custo e Risco Custo Risco 0,291
  27. 27. Relação entre Complexidade e Risco 0,431 Complexidade Operacional Risco
  28. 28. Risco CustoComplexidade operacional Conhecimento técnico Flexibilidade 1 2 3 4 5 Insumos Processos
  29. 29. Tecnologias Inovadoras x Consolidadas Risco CustoComplexidade operacional Conhecimento tecnico Flexibilidade 1 2 3 4 5 Consolidadas Inovadoras
  30. 30. Comentários finais Risco Perfil doResultado empresário Impacto no sistema
  31. 31. www.nespro.ufrgs.br Percepções finais"Pensar e agir estrategicamente é uma questão de criatividade, dinamismo e atitude!"

×