Holocausto - Aristides de Sousa Mendes

443 visualizações

Publicada em

Trabalho de grupo de Filosofia, sobre o Holocausto e o papel de Aristides de Sousa Mendes no resgate dos judeus.
Rafael Capa nº 3 10º C
Inês Cabrita nº 10 10º C
Profª Paula Rodrigues

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
443
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Holocausto - Aristides de Sousa Mendes

  1. 1. Holocausto Aristides de Sousa Mendes
  2. 2. Holocausto Aristides de Sousa Mendes Escola Secundária com 3º Ciclo de Amora Filosofia – Prof. Paula Rodrigues Ano Letivo 2013/2014 Trabalho realizado por: Rafael Capa nº 3 10º C Inês Cabrita nº 10 10º C
  3. 3. Introdução A II Guerra Mundial começou em 1939, motivada sobretudo pela ganância de Hitler. Esta era tal que foram mortos seis milhões de judeus, o chamado Holocausto. Doc. 1 Maus-tratos alemães
  4. 4.  Aristides de Sousa Mendes, indo contra a pátria, em Bordéus (França), passava vistos para as pessoas poderem atravessar a fronteira e chegar a Portugal.  Passado não muito tempo, foi obrigado a regressar por Salazar, acabando por morrer na miséria. Doc. 2 Aristides de Sousa Mendes Doc. 3 Um dos 30000 vistos assinados por Aristides
  5. 5. Cultura Judaica: discriminação A cultura judaica foi completamente desrespeitada pelos alemães. Estes não eram minimamente defensores da diversidade cultural, do diálogo intercultural nem da tolerância. Verifica-se neste caso uma tentativa de aculturação por destruição que, embora tenha causado muitos danos, não levou à extinção da cultura judaica. http://www.youtube.com/watch?v=r0pabOhbHT0 Doc. 3 Excerto de testemunhos do Holocausto
  6. 6. Durante este período, cada pessoa adotou uma de três posições: ou era a favor do massacre, ou era contra, ou ainda, simplesmente observava. a favor do massacre observador passivocontra o massacre Doc. 4 Benito Mussolini Doc. 5 Aristides de Sousa Mendes Doc. 6 António de Oliveira Salazar
  7. 7. Praxis de Aristides: os valores implícitos Aristides realizou uma ação transformadora, a chamada praxis. Como acontece em qualquer ação transformadora, teve de lidar com inúmeras condicionantes, entre elas condicionantes legais e socioculturais. O etnocentrismo de Hitler foi uma condicionante também, não só no sentido geral, mas também porque estava iminente a chegada das tropas alemãs a Bordéus. Doc. 7 Excerto da circular nº 14
  8. 8. Nesta altura, ele depara-se com um dilema ético. Durante três dias não sabia o que fazer. Assim, isolou-se, acabando por concluir que o mais importante era, sem dúvida, o ser humano. A partir daí, passou vistos até não poder mais. De facto, foram os seus valores que o levaram a tomar tal atitude, verificando-se deste modo a complexa relação entre valores e praxis. Doc. 8 Excerto do livro de Registos de Aristides de Sousa Mendes
  9. 9. Conclusão Este episódio incrivelmente marcante na História do ser humano é algo que, ainda hoje, consegue deixar inúmeras questões no ar. Apesar dos danos, é nestas situações que surgem os heróis, os “éticos”. E é deles que deve ficar a recordação. É de extrema importância investir na divulgação da história deste Aristides: uma pessoa, no sentido ético da palavra. Doc. 9 Estado de degradação da casa de Aristides, em Cabanas de Viriato, Viseu

×