TAIGA

873 visualizações

Publicada em

slide sobre o ecossistema TAIGA, feito para trabalho de GEOGRAFIA em ETEC - JULIO DE MESQUITA (Santo André - SP - Brasil)
contem: clima, vegetação, fauna, relevo, impacto ambiental, localização e sobre o fenomeno AURORA BOREAL, presente no ecossistema

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
873
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
36
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

TAIGA

  1. 1. LOCALIZAÇÃO CLIMA SOLO FAUNA VEGETAÇÃO IMPACTO AMBIENTAL AURORA BOREAL CONCLUSÃO DO GRUPO (ORAL) REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Taiga TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015
  2. 2. Taiga Floresta Boreal Floresta conífera Também conhecida como TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015
  3. 3. Localização e extensão: • Estende por 4.800 km • Presente nas regiões norte da Ásia, Europa e América do Norte. Abrange países como: Canadá, Suécia, Finlândia, Sibéria, Rússia, Noruega e Japão. TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015
  4. 4. TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015
  5. 5. Clima  Clima é subártico, com ventos fortes e gelados durante o ano todo.  As temperaturas oscilam entre 54ºC e 21ºC.  As precipitações médias anuais ficam em torno de 40 a 200 cm TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015
  6. 6. Inverno  Frio é muito rigoroso  Os dias são bem mais curtos  A precipitação caindo sob a forma de neve  Comum a presença de neve em pelo menos metade do ano  Com a temperatura mínima podendo chegar a - 52°C. TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015
  7. 7. Verão  Há muito pouca luz solar  Só chove durante o verão e este é muito curto e úmido  Dias são longos  Temperaturas que raramente chegam a 21ºC  Calor derrete a neve e forma lamaçais em algumas regiões TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015
  8. 8. Solo  O solo é fino  Pobre em nutrientes e cobre-se de folhas e agulhas caídas das árvores  As plantas que conseguem sobreviver são de pequeno porte:  No inverno os solos são permanentemente úmidos  o solo descongela por completo no verão permitindo a formação de florestas aciculifoliadas TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015
  9. 9. Fauna Terrestre  Destaque para: alces, renas, veados, ursos, lobos, raposas, linces, arminhos, martas, esquilos, morcegos, coelhos, lebres, tigres (taiga russa), além de aves como pica-paus e falcões. TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015
  10. 10. MORCEGO ALCE Fauna Terrestre TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015
  11. 11. ESQUILO LEBRE Fauna Terrestre TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015
  12. 12. LINCE MARTA Fauna Terrestre TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015
  13. 13. TIGRE BRANCO RAPOSA Fauna Terrestre TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015
  14. 14. Fauna aquática  Peixe típico é o salmão TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015
  15. 15. SALMÃO Fauna Aquática TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015
  16. 16. Vegetação  O nome floresta de coníferas se dá pelo fato de esse bioma ser constituído por árvores do grupo das gimnospermas.  A vegetação é pouco diversificada devido às baixas temperaturas registradas , sendo constituída sobretudo por coníferas – abetos, pinheiros e larícios  A folhagem das árvores da taiga é muito densa, o que reduz consideravelmente a penetração da luz solar , de tal maneira que outras espécies dificilmente se desenvolvem TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015
  17. 17. Vegetação  As copas têm forma cônica, favorecendo o deslizamento d a neve para o solo e evitando grandes acumulações sobre os ramos que viria m a provocar a sua quebra.  As folhas são muito escuras.  As folhas em forma de agulha dificultam a perda de umidade por evapotranspiração.  Conservam, quando a temperatura baixa, a energia necessária à produção de novas folhas e assim que a luz solar aumenta, podem começar de imediato a realizar TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015
  18. 18. Laricío TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015
  19. 19. Abetos TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015
  20. 20. Impacto Ambiental  Principal Impacto Ambiental A exploração de madeiras de espécies como o pínus e a pícea são muito utilizadas na indústria de celulose e papel. TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015
  21. 21. Aurora Boreal TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015  A aurora boreal e austral são fenômenos visuais que ocorrem nas regiões polares de nosso planeta. São luzes coloridas que aparecem no céu, à noite. Normalmente, tem-se a luz esverdeada. Estes fenômenos ocorrem em função do contato dos ventos solares com o campo magnético do planeta Terra.  Quando o fenômeno acontece em regiões próximas ao polo norte, denomina-se aurora boreal; no polo sul, tem-se a aurora austral. Os fenômenos são mais comuns entre os meses de fevereiro, março, abril, setembro e outubro.
  22. 22. Aurora Boreal TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015  Contudo, os mesmos ventos solares que causam este belo espetáculo interferem em meios de comunicação (sinais de televisão, radares, telefonia, satélites) e sistemas eletrônicos diversos.  O nome aurora boreal foi dado pelo astrônomo Galileu Galilei em homenagem à deusa romana Aurora (do amanhecer) e seu filho, deus grego do vento forte, Bóreas.  Tal fenômeno não se restringe à Terra, também ocorre em outros planetas do sistema solar como Júpiter, Marte, Vênus e Saturno e também pode ser reproduzido de forma artificial.  O local onde há maior incidência da noite polar é na Lapônia Finlandesa.
  23. 23. Fenômenos naturais -vento, que vem do sol e que é carregado de partículas de elementos químicos carregados de energia -entram na atmosfera, em contato com os gases e provocam a formação de luzes
  24. 24. Aurora boreal
  25. 25. Urso Pardo Para se proteger do frio os animais podem hibernar TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015
  26. 26. Falcão Muitos animais, sobretudo aves, migram para climas mais quentes assim que a temperatura começa a baixar. TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015
  27. 27. Arminho A pele do arminho, por exemplo, muda de castanho escuro para branco, no Inverno, contribuindo para ajudar o animal a camuflar-se e a proteger-se de seus predadores. TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015
  28. 28. Referências Bibliográficas  http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Reinos4 /biogimnospermas.php  http://pt.slideshare.net/dudapujoni/slide-taiga  http://www.brasilescola.com/geografia/taiga.htm  http://www.minerva.uevora.pt/eschola2002/taiga .htm  http://auroraboreal.pbworks.com/w/page/103711 25/COMO%20FUNCIONA%20A%20AURORA%2 0BOREAL TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015
  29. 29. A R M A N D O G A L I A T I – N º 0 4 B E A T R I Z C I Z O T T I P I R O L A – N º 0 7 B R E N D A N O G U E I R A – N º 1 1 L E O N A R D O M O N A C O – N º 2 5 GRUPO TAIGA ETEC - JULIO DE MESQUITA/2015

×