SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
A LISBOA POMBALINA Em 1755 parte da cidade de Lisboa foi destruída por um terramoto. Após a tragédia, o rei D. José I e o seu ministro, o Marquês de Pombal, reconstruíram a cidade e modernizaram-na.
O Terramoto de 1755 ,[object Object]
 Lisboa ficou muito destruída, não apenas por causa do tremor de terra, mas também devido aos incêndios e às ondas gigantes (o maremoto) que varreram e destruíram toda a zona da cidade junto ao rio Tejo.
 Foi a partir deste acontecimento que o trabalho do Marquês de Pombal se tornou conhecido, pois soube agir de forma correcta na altura certa.
 De imediato, pôs em acção medidas rigorosas para socorrer as vítimas, prevenir os roubos e evitar o aparecimento de propagação de doenças.
 Depois, lançou-se na reconstrução dos edifícios destruídos. Em vez de mandar reconstruir tudo da mesma maneira, pensou numa nova cidade e planeou o seu crescimento. ,[object Object]
Perante a catástrofe Marquês de Pombal tomou várias medidas. Mandou: ,[object Object]
 Ordenou que todos os palácios e igrejas fossem vigiados para evitar que as suas riquezas fossem roubadas;
 Planificou cuidadosamente a reconstrução da cidade, proibindo que as pessoas reconstruíssem as suas casas sem respeitar esse plano.,[object Object],[object Object]
A Estátua de Marquês de Pombal
Mapa das Indústrias
Estrutura da casa Pombalina ,[object Object],[object Object]
 O Marquês de Pombal inicia então um conjunto de reformas destinadas a desenvolver o País e a afirmar o poder absoluto do rei. 
   Reformas económicas ,[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Portugal medieval
Portugal medievalPortugal medieval
Portugal medieval
cattonia
 
O terramoto de 1 de novembro de 1755 que obteve grau 9 na escala de richter
O terramoto de 1 de novembro de 1755 que obteve grau 9 na escala de richterO terramoto de 1 de novembro de 1755 que obteve grau 9 na escala de richter
O terramoto de 1 de novembro de 1755 que obteve grau 9 na escala de richter
Cardeal Costa Nunes
 
D. João V, o Absolutismo e o Absolutismo Joanino
D. João V, o Absolutismo e o Absolutismo JoaninoD. João V, o Absolutismo e o Absolutismo Joanino
D. João V, o Absolutismo e o Absolutismo Joanino
BarbaraSilveira9
 
Context a cultura do salão o rococó
Context a cultura do salão   o rococóContext a cultura do salão   o rococó
Context a cultura do salão o rococó
cattonia
 
Mercantilismo português
Mercantilismo portuguêsMercantilismo português
Mercantilismo português
cattonia
 
País urbano e concelhio
País urbano e concelhioPaís urbano e concelhio
País urbano e concelhio
Susana Simões
 
A sociedade de ordens 11º ano
A sociedade de ordens 11º anoA sociedade de ordens 11º ano
A sociedade de ordens 11º ano
Carla Teixeira
 

Mais procurados (20)

País urbano concelhio módulo II-10 º ANO
País urbano concelhio  módulo II-10 º ANOPaís urbano concelhio  módulo II-10 º ANO
País urbano concelhio módulo II-10 º ANO
 
Portugal medieval
Portugal medievalPortugal medieval
Portugal medieval
 
O terramoto de 1 de novembro de 1755 que obteve grau 9 na escala de richter
O terramoto de 1 de novembro de 1755 que obteve grau 9 na escala de richterO terramoto de 1 de novembro de 1755 que obteve grau 9 na escala de richter
O terramoto de 1 de novembro de 1755 que obteve grau 9 na escala de richter
 
País rural e senhorial módulo II- 10º ANO
País rural e senhorial  módulo II- 10º ANOPaís rural e senhorial  módulo II- 10º ANO
País rural e senhorial módulo II- 10º ANO
 
Palácio de Versalhes
Palácio de VersalhesPalácio de Versalhes
Palácio de Versalhes
 
Marquês de Pombal
Marquês de PombalMarquês de Pombal
Marquês de Pombal
 
D. João V, o Absolutismo e o Absolutismo Joanino
D. João V, o Absolutismo e o Absolutismo JoaninoD. João V, o Absolutismo e o Absolutismo Joanino
D. João V, o Absolutismo e o Absolutismo Joanino
 
O Terramoto de 1755
O Terramoto de 1755O Terramoto de 1755
O Terramoto de 1755
 
Context a cultura do salão o rococó
Context a cultura do salão   o rococóContext a cultura do salão   o rococó
Context a cultura do salão o rococó
 
Mercantilismo português
Mercantilismo portuguêsMercantilismo português
Mercantilismo português
 
País urbano e concelhio
País urbano e concelhioPaís urbano e concelhio
País urbano e concelhio
 
A sociedade de ordens 11º ano
A sociedade de ordens 11º anoA sociedade de ordens 11º ano
A sociedade de ordens 11º ano
 
Portugal na Europa do Antigo Regime
Portugal na Europa do Antigo RegimePortugal na Europa do Antigo Regime
Portugal na Europa do Antigo Regime
 
Marquês de pombal corrigido
Marquês de pombal  corrigidoMarquês de pombal  corrigido
Marquês de pombal corrigido
 
O Antigo Regime
O Antigo RegimeO Antigo Regime
O Antigo Regime
 
A Europa dos Parlamentos: sociedade e poder político
A Europa dos Parlamentos: sociedade e poder políticoA Europa dos Parlamentos: sociedade e poder político
A Europa dos Parlamentos: sociedade e poder político
 
Marques de pombal
Marques de pombalMarques de pombal
Marques de pombal
 
A sociedade no Antigo Regime
A sociedade no Antigo RegimeA sociedade no Antigo Regime
A sociedade no Antigo Regime
 
D. José I
D. José ID. José I
D. José I
 
O terramoto de 1755
O terramoto de 1755O terramoto de 1755
O terramoto de 1755
 

Semelhante a Lisboa Pombalina

Marquês de pombal power-point
Marquês de pombal  power-pointMarquês de pombal  power-point
Marquês de pombal power-point
PAFB
 
A Monarquia Absoluta De D José I
A Monarquia Absoluta De D José IA Monarquia Absoluta De D José I
A Monarquia Absoluta De D José I
jdlimaaear
 
Apresentação1 terramoto
Apresentação1 terramotoApresentação1 terramoto
Apresentação1 terramoto
Carla Teixeira
 
Marques de pombal
Marques de pombalMarques de pombal
Marques de pombal
sylvialuzo
 
Marques de pombal
Marques de pombalMarques de pombal
Marques de pombal
sylvialuzo
 
Fomento Comercial E Manufactureiro
Fomento Comercial E ManufactureiroFomento Comercial E Manufactureiro
Fomento Comercial E Manufactureiro
crie_historia8
 
Império e monarquia absoluta no século xviii
Império e monarquia absoluta no século xviiiImpério e monarquia absoluta no século xviii
Império e monarquia absoluta no século xviii
Carlos Vaz
 
BIOGRAFIA DO " MARQUÊS DE POMBAL"
BIOGRAFIA DO " MARQUÊS DE POMBAL"BIOGRAFIA DO " MARQUÊS DE POMBAL"
BIOGRAFIA DO " MARQUÊS DE POMBAL"
guestdf55ea4
 
Apresentação powerpoint o despotismo esclarecido a cidade de lisboa como i...
Apresentação powerpoint  o despotismo esclarecido   a cidade de lisboa como i...Apresentação powerpoint  o despotismo esclarecido   a cidade de lisboa como i...
Apresentação powerpoint o despotismo esclarecido a cidade de lisboa como i...
isabelhortas
 

Semelhante a Lisboa Pombalina (20)

Marquês de pombal power-point
Marquês de pombal  power-pointMarquês de pombal  power-point
Marquês de pombal power-point
 
Reinado D.José I
Reinado D.José IReinado D.José I
Reinado D.José I
 
A Monarquia Absoluta De D José I
A Monarquia Absoluta De D José IA Monarquia Absoluta De D José I
A Monarquia Absoluta De D José I
 
O Despotismo Pombalino
O  Despotismo  PombalinoO  Despotismo  Pombalino
O Despotismo Pombalino
 
Apresentação1 terramoto
Apresentação1 terramotoApresentação1 terramoto
Apresentação1 terramoto
 
F3 - Marquês de Pombal
F3  -  Marquês de PombalF3  -  Marquês de Pombal
F3 - Marquês de Pombal
 
Portugal na Segunda Metade do Sé.XVIII
Portugal na Segunda Metade do Sé.XVIIIPortugal na Segunda Metade do Sé.XVIII
Portugal na Segunda Metade do Sé.XVIII
 
Marques de pombal
Marques de pombalMarques de pombal
Marques de pombal
 
Marques de pombal
Marques de pombalMarques de pombal
Marques de pombal
 
Marques de pombal
Marques de pombalMarques de pombal
Marques de pombal
 
Fomento Comercial E Manufactureiro
Fomento Comercial E ManufactureiroFomento Comercial E Manufactureiro
Fomento Comercial E Manufactureiro
 
Resumo História Antigo Regime
Resumo História Antigo RegimeResumo História Antigo Regime
Resumo História Antigo Regime
 
Resumo de História Antigo Regime
Resumo de História Antigo RegimeResumo de História Antigo Regime
Resumo de História Antigo Regime
 
Império e monarquia absoluta no século xviii
Império e monarquia absoluta no século xviiiImpério e monarquia absoluta no século xviii
Império e monarquia absoluta no século xviii
 
O império colonial português do séc
O império colonial português do sécO império colonial português do séc
O império colonial português do séc
 
O império colonial português no século XVIII
O império colonial português no século XVIIIO império colonial português no século XVIII
O império colonial português no século XVIII
 
A governação do Marquês de Pombal
A governação do Marquês de PombalA governação do Marquês de Pombal
A governação do Marquês de Pombal
 
BIOGRAFIA DO " MARQUÊS DE POMBAL"
BIOGRAFIA DO " MARQUÊS DE POMBAL"BIOGRAFIA DO " MARQUÊS DE POMBAL"
BIOGRAFIA DO " MARQUÊS DE POMBAL"
 
32 despotismo pombalino
32   despotismo pombalino32   despotismo pombalino
32 despotismo pombalino
 
Apresentação powerpoint o despotismo esclarecido a cidade de lisboa como i...
Apresentação powerpoint  o despotismo esclarecido   a cidade de lisboa como i...Apresentação powerpoint  o despotismo esclarecido   a cidade de lisboa como i...
Apresentação powerpoint o despotismo esclarecido a cidade de lisboa como i...
 

Lisboa Pombalina

  • 1. A LISBOA POMBALINA Em 1755 parte da cidade de Lisboa foi destruída por um terramoto. Após a tragédia, o rei D. José I e o seu ministro, o Marquês de Pombal, reconstruíram a cidade e modernizaram-na.
  • 2.
  • 3. Lisboa ficou muito destruída, não apenas por causa do tremor de terra, mas também devido aos incêndios e às ondas gigantes (o maremoto) que varreram e destruíram toda a zona da cidade junto ao rio Tejo.
  • 4. Foi a partir deste acontecimento que o trabalho do Marquês de Pombal se tornou conhecido, pois soube agir de forma correcta na altura certa.
  • 5. De imediato, pôs em acção medidas rigorosas para socorrer as vítimas, prevenir os roubos e evitar o aparecimento de propagação de doenças.
  • 6.
  • 7.
  • 8. Ordenou que todos os palácios e igrejas fossem vigiados para evitar que as suas riquezas fossem roubadas;
  • 9.
  • 10. A Estátua de Marquês de Pombal
  • 12.
  • 13. O Marquês de Pombal inicia então um conjunto de reformas destinadas a desenvolver o País e a afirmar o poder absoluto do rei. 
  • 14.
  • 15. Criou companhias monopolistas, controladas pelo estado (na área da agricultura, pescas e comércio), impedindo os grandes lucros que os estrangeiros vinham tendo em Portugal; exemplo: Companhia dos Vinhos do Alto Douro.
  • 16.
  • 17. Protegeu os comerciantes e os burgueses, e declarou o comércio como profissão nobre (1770);
  • 18.
  • 19. Foi dada maior importância à observação e experimentação;
  • 20.