Fiemg Interacao Ict Empresa[1]

994 visualizações

Publicada em

O projeto da Fiemg de Interação ICTs de Empresas tem como objetivo a caracterização das atuais interações entre ICTs e Empresas; Identificação das práticas, oportunidades e desafios às interações; Consolidação e difusão de macro-diretrizes para a promoção da interação ICTs –Empresas

Publicada em: Negócios, Tecnologia, Turismo
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
994
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fiemg Interacao Ict Empresa[1]

  1. 1. Conselho de Desenvolvimento Tecnológico da FIEMG Belo Horizonte - MG 04 de maio de 2009 PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs(*) - EMPRESAS COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS
  2. 2. Associação Nacional de P,D&E das Empresas Inovadoras (desde 1984) 140 140 116 120 97 96 100 87 79 80 75 68 64 63 58 55 60 49 46 44 38 38 40 31 25 21 18 20 14 12 10 8 8 8 8 7 6 7 6 0 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 EMPRESA INSTITUTO INDIVIDUAIS TOTAL COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS
  3. 3. OBJETIVOS: 1. Caracterização das atuais interações entre ICTs e Empresas 2. Identificação das práticas, oportunidades e desafios às interações 3. Consolidação e difusão de macro-diretrizes para a promoção da interação ICTs – Empresas COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS
  4. 4. PESQUISA: INTERAÇÃO ICT - Empresa  Pesquisa dirigida (2008):  ICTs : FORTEC + Empresas : ANPEI  Tópicos chave:  Tipo, intensidade e impacto da interação;  Estruturas organizacionais e funções existentes;  Facilitadores e barreiras à interação; Gestão da interação – políticas e práticas;   Partilha e uso dos resultados (propriedade intelectual, royalties, etc.); COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS
  5. 5. Principais destaques da pesquisa (22 empresas – 92 ICT´s)  A interação de P&D predominante ocorre com entidades públicas(2005 – 2007): 159 projetos com ICT 60 projetos com CT´s privado  Concentração em projetos de até R$ 100 mil (2005 – 2007):  Na era pós Lei de Inovação, o recurso próprio continua sendo o principal alavancador da P&D mas cresce a captação via FINEP: ANTES: próprio (16) FINEP (10) PÒS: próprio (14) FINEP (14)  Pouco se comenta sobre a remuneração da interação: 01 declara valor fixo 02 declaram pagamento de royalties COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS
  6. 6. Principais destaques da pesquisa (22 empresas – 92 ICT´s)  Ponto de entrada na ICT ainda é confuso: 1º em acesso  Pró reitoria de pesquisa 2º em acesso  NIT 3º em acesso  Fundações 4º em acesso  Departamento (risco +) 5º em acesso  Pesquisadores (risco ++)  Principais dificuldades à interação: 1º  Falta de flexibilidade das áreas jurídicas dos ICTs e das empresas durante as negociações 2º  Dificuldade da obtenção do recurso público para financiamento dos projetos de interação 3º  Falta de estruturas organizacionais nas ICT´s e nas empresas para conduzir o processo de interação de P&D COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS
  7. 7. Principais destaques da pesquisa (22 empresas – 92 ICT´s)  As empresas e ICT´s precisam estabelecer políticas formais para a interação. Nas empresas pesquisadas:  50 % têm política para a interação ICT – Empresa;  18 % têm política de propriedade intelectual  32 % têm política para remuneração / partilha dos ganhos obtidos na interação com o ICT  A questão da propriedade intelectual continua crítica (cultura Brasil ?):  32 % das empresas respondentes partilham a propriedade intelectual dos desenvolvimentos realizados COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS
  8. 8. Principais destaques da pesquisa (22 empresas – 92 ICT´s)  Elementos que restringem a interação (declarações): “Falta maturidade “Burocracia; time-to-market; coorporativa; incertezas visão preconceituosa em nas Leis de Inovação” relação às indústrias” “Alguns grupos de pesquisa “Burocracia das agências possuem mentalidade reguladoras e instituições; falta puramente acadêmica; falta qualidade das instalações das mentalidade de aplicação real instituições; sobrecarga de trabalho”. dos resultados obtidos; não há empreendedorismo e inovação; P&D não é fonte principal de “Burocracia; custo de renda” equipamentos elevado (impostos); lentidão CONEP e “Dificuldade, por parte da universidade, ANVISA; material para em entender e negociar projetos que pesquisa é tratado como um acordo comercial”. possam gerar patentes; desconhecem os trâmites legais; parte dos profissionais das universidades ainda resistem à idéia de a uma maior proximidade com a empresa; barreira cultural ainda é grande” COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS
  9. 9. OBJETIVOS: 1. Caracterização das atuais interações entre ICTs e Empresas 2. Identificação das práticas, oportunidades e desafios às interações 3. Consolidação e difusão de macro-diretrizes para a promoção da interação ICTs – Empresas COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS
  10. 10. POR QUE INTERAGIR? 1.Ampliar a capacidade de inovação das empresas agregando conhecimentos complementares 2. Promover pesquisas aplicadas que agregam valor às empresas 3. Contribuir com a geração do conhecimento científico e tecnológico (1/2) COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS
  11. 11. POR QUE INTERAGIR? 4. Compartilhar recursos e minimizar riscos 5. Alavancar fontes adicionais de fomento à inovação 6. Formar recursos humanos de excelência para as ICTs e as empresas (2/2) COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS
  12. 12. TIPOS DE INTERAÇÃO Projetos e programas conjuntos de P&D (convênio) • Geração potencial de • Patente (co-titularidade) • Know-how (solução) FOCO TECNOLÓGICO Licenciamento de tecnologia: (contrato) • Patente • Com ou sem desenvolvimento complementar • Know-how • Com desenvolvimento complementar • Consultoria (caracterização e diagnóstico) (contrato) • Prestação de Serviço Tecnológico (ensaios, testes) • Cursos e treinamentos FOCO • Iniciação científica, Mestrado, Doutorados e Pós-doc CAPACITAÇÃO (conveniados ou não) • Patrocínios a eventos, workshops, etc. • Projetos culturais (Lei Rouanet) e do esporte (Lei de Incentivo ao Esporte) OUTROS • Doação de recursos para infra-estrutura na ICT (construção de laboratórios, equipamentos, etc.) ICTs - EMPRESAS COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO
  13. 13. INTERAÇÃO ICT e EMPRESA: Passo-a-passo 1 2 3 4 5 6 Análise e Autoconhecimento 1 Desenvolvimento de Interesse 2 Negociação 3 Planejamento, Execução e 4 Controle do Programa Encerramento do Programa e 5 Aprendizado Manutenção da Parceria 6 COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS
  14. 14. ANÁLISE E 1 AUTOCONHECIMENTO Diretrizes de sucesso: 1. Definir e entender a estratégia tecnológica da empresa alinhada à estratégia do negócio 2. Identificar as áreas de competência e grau de excelência da ICT 3. Identificar os recursos, estruturas, processos e interlocutores voltados à interação ICT – empresa 4. Desenvolver modelos para a análise de ganhos obtidos pela inserção de novas tecnologias 5. Entender e respeitar as diferenças de cultura, valores e missão das partes • ICT: formar profissionais, gerar e difundir conhecimento • Empresa: gerar inovações em produtos, serviços e negócios 6. Entender o impacto e oportunidades das políticas governamentais COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS
  15. 15. DESENVOLVIMENTO 2 DE INTERESSE Diretrizes de sucesso: 1. Desenvolver mecanismos ativos de prospecção e divulgação de ofertas e demandas tecnológicas 2. Mapear e analisar a compatibilidade de competências e recursos disponíveis nos potenciais parceiros 3. Identificar as políticas e interlocutores para a interação entre a ICT e a empresa 4. Identificar e alinhar as demandas e restrições dos projetos de parceria, incluindo grau de sigilo COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS
  16. 16. NEGOCIAÇÃO 3 Premissa: Ganha - Ganha Diretrizes de sucesso: 1. Definir times integrados de negociação, com participação de pesquisadores (aspecto técnico), assessores jurídicos (legal) e gestores de inovação (articulação) 2. Conhecer os marcos regulatórios brasileiros e explicitar as normas e os trâmites internos das organizações • Direito Administrativo e Privado • Regulamentação setorial e internacional • Políticas de incentivo 3. Alinhar conceitos, definir o tipo de interação e o modelo contratual • Termo de Sigilo(*) e/ou Confidencialidade • Contratos de Licenciamento, Serviço e Consultoria • Convênio de Pesquisa e Desenvolvimento • (1/2) Termos Aditivos e outros COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS
  17. 17. NEGOCIAÇÃO 3 Diretrizes de sucesso: 4. Elaborar esboço do projeto de interação 5. Estabelecer instrumentos jurídicos, com atenção para cláusulas de sigilo, macro-etapas, propriedade intelectual, exploração dos resultados, remuneração e rescisão 6. Contemplar os ganhos intangíveis da interação 7. Entender o papel das Fundações de Apoio, NITs ou outros órgãos como intervenientes administrativos e financeiros 8. Entender o papel e exigências das agências de fomento (BNDES, FAPs, FINEP) (2/2) COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS
  18. 18. PLANEJAMENTO, 4 EXECUÇÃO E CONTROLE DO PROGRAMA Diretrizes de sucesso: 1. Detalhar as equipes técnicas e administrativas para execução e controle do projeto • Plano de trabalho detalhado (pontos de controle) • Matriz de autoridades e responsabilidades • Capacitação em gestão de projetos - suporte aos pesquisadores 2. Definir e implementar o modelo de governança do projeto • Acompanhamento periódico e indicadores de performance • Formalização de mudanças - ajuste do contrato • Participação dos gestores de inovação (NIT – Núcleo de Inovação Tecnológica- e empresa) em reuniões-chave do time de projeto • Rigor no controle fiscal e financeiro (pontos críticos em projetos com incentivo fiscal e subvenção) • Atenção á proteção dos resultados (patentes) COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS
  19. 19. ENCERRAMENTO DO 5 PROGRAMA E APRENDIZADOS Diretrizes de sucesso: 1. Emitir relatório final do projeto • Balanço do realizado vs. planejado • Produção decorrente do projeto: publicações, pedidos de patente, prêmios, etc. 2. Compilar e disseminar as lições aprendidas • Dimensão técnica, gerencial, financeira • Envolvimento dos gestores de inovação (empresa e NIT) e time do projeto 3. Implementar ações de reconhecimento • Valorização da interação e dos resultados na ICT e na empresa • Publicação conjunta de cases e artigos técnicos/científicos • Manutenção de canal aberto para novas parcerias • Absorção dos recursos humanos capacitados na interação COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS
  20. 20. MANUTENÇÃO 6 DA PARCERIA Diretrizes de sucesso: 1. Manter canais de relacionamento entre a empresa e ICT • Comunicação freqüente de ofertas e demandas - intercâmbio de informações e intenções futuras em P&D, análise contínua de oportunidades para novos projetos 2. Ferramentas de gestão do conhecimento • Documentação dos resultados de parcerias realizadas • Prospecção de novas oportunidades 3. Intercâmbio e recrutamento de pesquisadores e alunos • Maior vivência de profissionais da empresa na ICT e dos pesquisadores da ICT na empresa • Maior entendimento das culturas e fortalecimento da relação de confiança 4. Entender empresas e ICTs como parceiros estratégicos para inovação tecnológica • Sinergia de competências e otimização de ativos de pesquisa COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS
  21. 21. COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESA Ana Lúcia Vitale Torkomian UFSCar e FORTEC André Moro Maieski CITS Antonio Rodolfo Jr BrasKem Argemiro Costa Pirelli Diógenes Feldhaus UNICAMP Fernando Canova Munte Flávio Pimentel CI&T Gilson Manfio Natura Juliana Boodts Natura Lúcia Lazaro Tavares Petrobrás Luiz Ricardo Marinello Natura Marli Elizabeth R. dos Santos PUC-RS e FORTEC Naldo Medeiros Dantas (Coordenador) Votorantim Celulose e Papel Oswaldo Massambani USP Pedro Boscolo Quattor Paulo César Giarola Embraer Rosana Gaertner TECPAR Sergio Takahashi USP Silvia Della Matrice ANPEI Sonia Tuccori Natura Vera M. Duch Crósta UNICAMP Viviane Regina Merck 22 representantes de 15 instituições (ICTs e empresas) (38) (33) COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS
  22. 22. Próximos encontros: Contato: Naldo Medeiros Dantas e-mail: naldo.dantas@inovares.com.br COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS
  23. 23. Mais detalhes: www.anpei.org.br/ixconferencia/home.html COMITÊ ANPEI: PROMOVENDO A INTERAÇÃO ICTs - EMPRESAS

×