SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 39
Baixar para ler offline
Fernando Schütz Voloski
Competências
 Analisar riscos ergonômicos e propor soluções para
a melhoria do ambiente e das condições de
trabalho, visando eficiência, saúde e conforto do
trabalhador.
Cronograma - Ergonomia
 Ergonomia – Histórico e Conceitos
 Trabalho muscular – identificação das limitações do organismo
humano
 Atividade Mental – fadiga ocupacional
 Ciclo Circadiano – Trabalho noturno e por turno
 Sistema Homem - maquina
 Antropometria e ambiente de trabalho
 Ginástica Laboral
 LER/DORT – gerenciamento
 Fatores ambientais – ruído, vibração, temperatura, luz.
 AET – Analise Ergonômica do Trabalho
Técnico em Segurança do Trabalho
Prevenção x Ergonomia
 NR 9 – PPRA
 NR 7 – PCMSO
 NR 17 – ERGONOMIA = ADAPTAÇÃO
Ciência Multidisciplinar
Prevenção e adaptação
 Engenharia
 Fisioterapia
 Arquitetura
 Enfermagem
 Educação física
 Técnico em Segurança do Trabalho
Objetivo da Ergonomia
 Identificar os riscos Ergonômicos e propor soluções
ergonômicas, baseadas na NR – 17, discutindo os
principais conceitos, adaptando o trabalho ao homem,
visando o conforto e o bem estar do trabalhador em seu
ambiente de trabalho
Ergonomia = Adaptação
O que fazer para me tornar
um ergonomista?
 A profissão de ergonomista ainda não é regulamentada,
por isso possui um caráter multiprofissional.
 Segundo a ABERGO para ser Ergonomista e exercer a
profissão será necessário fazer o curso de pós graduação
lato sensu, de no mínimo 360 horas em uma universidade
credenciada pelo Ministério da educação.
Ergonomia
 Mito 1 - Ergonomia trata do mobiliário
Trocar mobiliário (sem considerar as demais
determinantes do trabalho) é uma medida pouco
efetiva.
Ergonomia não é “CADEIROLOGIA”
Ergonomia
 Mito 2 - O equipamento ergonômico
Não existe equipamento ergonômico. Existe
equipamento adequado (ou não) ao trabalho a ser
realizado.
Ergonomia não é argumento de marketing !!!!
Ergonomia
 Mito 3 - O Ergonomista é um expert.
Em uma ação ergonômica, o papel do
Ergonomista é de construir, com os diferentes
interlocutores, uma possível transformação do
trabalho.
Ergonomia não tira soluções da manga da
camisa !!!!
Enfoque da ergonomia
Adaptação  Prevenção
DORT/LER
x
Acidentes de trabalho
Postura Repetição
O que é acidente de trabalho?
 Conforme dispõe o art. 19 da Lei nº 8.213/91, "acidente de
trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da
empresa ou pelo exercício do trabalho dos segurados referidos
no inciso VII do art. 11 desta lei, provocando lesão corporal ou
perturbação funcional que cause a morte ou a perda ou
redução, permanente ou temporária, da capacidade para o
trabalho".
Conceitos:
 doença profissional, assim entendida e produzida ou
desencadeada pelo exercício do trabalho peculiar a
determinada atividade e constante da respectiva relação
elaborada pelo Ministério do Trabalho e da Previdência Social;
 doença do trabalho, assim entendida e adquirida ou
desencadeada em função de condições especiais em que o
trabalho é realizado e com ele se relacione diretamente.
Postura
Baixo gasto energético
Eficiência mecânica
Ergonomia
Os ergonomistas contribuem para o
planejamento, projeto e a avaliação de
tarefas, postos de trabalho, produtos,
ambientes e sistemas de modo a torná-los
compatíveis com as necessidades, habilidades
e limitações das pessoas.
NR17: Ergonomia
 NR17.1 Esta Norma Regulamentadora visa a estabelecer
parâmetros que permitam a adaptação das condições de
trabalho às características psicofisiológicas dos
trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de
conforto, segurança e desempenho eficiente.
Ergonomia: Conceito
 Ergo (grego) = trabalho
 Nomos (grego) = leis / regras
 Ergonomia = estudo das leis do trabalho
Adaptação das condições de trabalho as características
psicofisiológicas do ser humano (trabalhador).
Ergonomia
DESAFIO
É adaptar as condições de trabalho ao ser humano e o
comportamento humano ao trabalho
Evolução do conceito de
Ergonomia e Trabalho
Evolução do conceito de
Ergonomia e Trabalho
 Máquina a vapor
 Revolução industrial – século XIX
 Taylor (especialista) e Ford (componente da maquina):
racionalização do trabalho, linhas de produção – 1910.
 Baixa qualidade e alta quantidade, trabalho pobre e
padronizado.
Surgimento da Ergonomia
 II guerra mundial: conjugação sistemáticas de esforços
entre tecnologia e as ciências humanas.
 Inglaterra: termo ergonomia foi criado em Oxford (1949).
 EUA: termo “human factors”, sinônimo de ergonomia.
Surgimento da Ergonomia
 Em 1961 na Inglaterra, foi criado a International
ergonomics Association (IEA).
 50 países fazem parte da IEA, incluindo o Brasil com a
ABERGO (1983).
Definições em Ergonomia
 International Ergonominncs Association – IEA
 Ergonomics Research Society – Inglaterra
 ABERGO - Brasil
A Ergonomia (ou Fatores Humanos) é uma disciplina
científica relacionada ao entendimento das interações
entre os seres humanos e outros elementos ou sistemas,
e à aplicação de teorias, princípios, dados e métodos a
projetos a fim de otimizar o bem estar humano e o
desempenho global do sistema.
Fases da Ergonomia
 Primeira fase: referente às dimensões de objetos,
ferramentas, painéis de controle, postos de trabalho em
geral – área física.
 Segunda fase: adequando o ambiente e as dimensões do
trabalho ao homem – área física + ambiente.
 Terceira fase: relacionado ao processo cognitivo do ser
humano – psicologia.
Ergonomia
DesenvolvePesquisa Estuda Aplica Normas
Organização do Trabalho
Características psicológicas e físicas
Tendências em Ergonomia
 Ergonomia dos métodos e das tecnologias: “Americana”,
centrada na continua adaptação da máquina ao homem.
 Ergonomia na organização do trabalho: “Europeia”, estuda a
inter-relação homem e trabalho (como ele sente/experimenta o
trabalho).
Abordagens em Ergonomia
 Ergonomia de concepção:
Planeja, estrutura e desenvolve todo o projeto de concepção a
partir dos dados referentes ao ser humano (projeto).
 Ergonomia de correção:
Mais onerosa e menos eficiente, pois grande parte das
modificações necessárias não são possíveis nesse momento
(situação já existente)
Abordagens em Ergonomia
 Microergonomia: homem – tarefa – máquina (posto de
trabalho)
 Macroergonomia: identificar os aspectos envolvidos na
organização do trabalho (ritmo operacional, carga de trabalho,
pausas, jornada)
Processo - Produto
Áreas da Ergonomia
De acordo com a IEA:
Ergonomia física
 Ser humano;
 Máquina ;
 Ambiente;
Ergonomia cognitiva
 Exigências mentais e intelectuais.
Ergonomia Organizacional.
Ergonomia Física
 Preocupada com as características anatômicas,
antropométricas, fisiológicas e biomecânicas do
trabalhador.
 Busca adequar as exigências do trabalho aos limites e
capacidades do corpo, relacionamento físico entre
homem-máquina.
antropometria
Fisiologia do trabalho
Ambiente físico
Medidas do corpo
Espaço, biomecânica, consumo...
Temperatura, ruído, vibração
 O ser humano: características físicas, fisiológicas, psicológicas
e sociais.
 A máquina: equipamentos, ferramentas, mobiliário e
instalações.
 O ambiente: efeitos da temperatura, ruído, vibração, iluminação
e aerodispersóides.
Parâmetros estabelecidos previamente no PPRA – NR9
≠
NR17 - Ergonomia
Ergonomia Cognitiva
 Relacionadas com processos mentais na execução do
trabalho, tais como: percepção, memória, raciocínio e
resposta motora.
Carga mental
estresse
confiabilidade qualificação
treinamento
Tomada de decisão
Interação homem-computador
Ergonomia Organizacional
 Otimização dos sistemas sócio-técnicos, incluindo suas
estruturas organizacionais, corporativas e processo de
produção e negócio.
comunicação
Gestão do trabalho
Projeto participativo e cooperativo
Tele trabalho
Novos paradigmas do trabalho
Organizações virtuais
Trabalho em grupo
Organização temporal do trabalho
Qual é o papel do técnico
em segurança do trabalho
para melhorar a ergonomia?
Não esqueça:
A Ergonomia visa em 1° lugar:
Saúde, segurança e bem – estar do trabalhador
Por que usar a Ergonomia?
Eficácia no trabalho
Segurança no Trabalho
Qualidade no Trabalho
Diminuição de retrabalho
Diminuição dos afastamentos por acidentes
Aumento da produtividade
Análise Ergonômica do
Trabalho - AET

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Ergonomia
ErgonomiaErgonomia
Ergonomia
 
Ergonomia
ErgonomiaErgonomia
Ergonomia
 
Riscos Ergonômicos
Riscos Ergonômicos Riscos Ergonômicos
Riscos Ergonômicos
 
Ergonomia - Contexto Histórico
Ergonomia - Contexto HistóricoErgonomia - Contexto Histórico
Ergonomia - Contexto Histórico
 
Ergonomia e Segurança no Trabalho
Ergonomia e Segurança no Trabalho Ergonomia e Segurança no Trabalho
Ergonomia e Segurança no Trabalho
 
Ergonomia
ErgonomiaErgonomia
Ergonomia
 
TREINAMENTO DE ERGONOMIA
TREINAMENTO DE ERGONOMIATREINAMENTO DE ERGONOMIA
TREINAMENTO DE ERGONOMIA
 
Ergonomia (40h)
Ergonomia (40h)Ergonomia (40h)
Ergonomia (40h)
 
NR 17 - Ergonomia
NR 17 - ErgonomiaNR 17 - Ergonomia
NR 17 - Ergonomia
 
Aula ergonomia
Aula ergonomiaAula ergonomia
Aula ergonomia
 
Aspectos basicos da ergonomia
Aspectos basicos da ergonomiaAspectos basicos da ergonomia
Aspectos basicos da ergonomia
 
Correntes de Ergonomia
Correntes de ErgonomiaCorrentes de Ergonomia
Correntes de Ergonomia
 
Normas regulamentadoras
Normas regulamentadorasNormas regulamentadoras
Normas regulamentadoras
 
Aula ergonomia
Aula ergonomia Aula ergonomia
Aula ergonomia
 
Ergonomia atua no NTEP e reduz o SAT
Ergonomia atua no NTEP e reduz o SATErgonomia atua no NTEP e reduz o SAT
Ergonomia atua no NTEP e reduz o SAT
 
Movimentação manual de cargas
Movimentação manual de cargasMovimentação manual de cargas
Movimentação manual de cargas
 
Trabalho de ergonomia
Trabalho de ergonomiaTrabalho de ergonomia
Trabalho de ergonomia
 
Ergonomia e Fisiologia do Trabalho
Ergonomia e Fisiologia do TrabalhoErgonomia e Fisiologia do Trabalho
Ergonomia e Fisiologia do Trabalho
 
Aula 1 - Ergonomia
Aula 1 - ErgonomiaAula 1 - Ergonomia
Aula 1 - Ergonomia
 
Ergonomia nr-17
Ergonomia  nr-17Ergonomia  nr-17
Ergonomia nr-17
 

Semelhante a Tst ergonomia aula 1

Fundamentos da Ergonomia, Riscos ergonomicos e principios.ppt
Fundamentos da Ergonomia, Riscos ergonomicos e principios.pptFundamentos da Ergonomia, Riscos ergonomicos e principios.ppt
Fundamentos da Ergonomia, Riscos ergonomicos e principios.pptricaMartinez10
 
1026 ergonomia e segurança do trabalho
1026 ergonomia e segurança do trabalho1026 ergonomia e segurança do trabalho
1026 ergonomia e segurança do trabalhofabiana vitoria souto
 
1026 ergonomia e segurança do trabalho
1026 ergonomia e segurança do trabalho1026 ergonomia e segurança do trabalho
1026 ergonomia e segurança do trabalhoMichel Silva
 
1026 ergonomia e segurança do trabalho
1026 ergonomia e segurança do trabalho1026 ergonomia e segurança do trabalho
1026 ergonomia e segurança do trabalhoJanaina Leitinho
 
16057022 1242681113ergonomia
16057022 1242681113ergonomia16057022 1242681113ergonomia
16057022 1242681113ergonomiaPelo Siro
 
16057022 1242681113ergonomia
16057022 1242681113ergonomia16057022 1242681113ergonomia
16057022 1242681113ergonomiaPelo Siro
 
1026 ergonomia e segurança do trabalho
1026 ergonomia e segurança do trabalho1026 ergonomia e segurança do trabalho
1026 ergonomia e segurança do trabalhoJadiel Mendes
 
AULA_GRADUCAO_ERGONOMIA tst seguranca do trabalho
AULA_GRADUCAO_ERGONOMIA tst seguranca do trabalhoAULA_GRADUCAO_ERGONOMIA tst seguranca do trabalho
AULA_GRADUCAO_ERGONOMIA tst seguranca do trabalhoGabrielCarbona
 
Ergonomia surgiu onde
Ergonomia surgiu ondeErgonomia surgiu onde
Ergonomia surgiu ondeAna Paula
 
Microsoft power point aula 1 de ergonomia.pptx
Microsoft power point   aula 1 de ergonomia.pptxMicrosoft power point   aula 1 de ergonomia.pptx
Microsoft power point aula 1 de ergonomia.pptxAldeci Costa
 
Ergonomia e seguranca_industrial_aula_1
Ergonomia e seguranca_industrial_aula_1Ergonomia e seguranca_industrial_aula_1
Ergonomia e seguranca_industrial_aula_1Naldo Ferreira
 
Conceito de ergonomia
Conceito de ergonomiaConceito de ergonomia
Conceito de ergonomiaCELOBUT
 
Ergonomia seguradora cabeli análise das condições de trabalho márcia gor...
Ergonomia seguradora cabeli análise das condições de trabalho  márcia gor...Ergonomia seguradora cabeli análise das condições de trabalho  márcia gor...
Ergonomia seguradora cabeli análise das condições de trabalho márcia gor...A. Rui Teixeira Santos
 
Trabalho de ltt ergonomia texto
Trabalho de ltt ergonomia textoTrabalho de ltt ergonomia texto
Trabalho de ltt ergonomia textogeisilaine
 
119171129 1786.apresentacao1
119171129 1786.apresentacao1119171129 1786.apresentacao1
119171129 1786.apresentacao1Pelo Siro
 
12 Nocoes ergonomia Construção Civil
12 Nocoes ergonomia Construção Civil12 Nocoes ergonomia Construção Civil
12 Nocoes ergonomia Construção CivilRenata Gontijo
 
ergonomia-aula-130408212502-phpapp02.pdf
ergonomia-aula-130408212502-phpapp02.pdfergonomia-aula-130408212502-phpapp02.pdf
ergonomia-aula-130408212502-phpapp02.pdfAloisio Amaral
 

Semelhante a Tst ergonomia aula 1 (20)

Fundamentos da Ergonomia, Riscos ergonomicos e principios.ppt
Fundamentos da Ergonomia, Riscos ergonomicos e principios.pptFundamentos da Ergonomia, Riscos ergonomicos e principios.ppt
Fundamentos da Ergonomia, Riscos ergonomicos e principios.ppt
 
Ergonomia Cefet
Ergonomia CefetErgonomia Cefet
Ergonomia Cefet
 
ERGONOMIA_AULA1.pdf
ERGONOMIA_AULA1.pdfERGONOMIA_AULA1.pdf
ERGONOMIA_AULA1.pdf
 
1026 ergonomia e segurança do trabalho
1026 ergonomia e segurança do trabalho1026 ergonomia e segurança do trabalho
1026 ergonomia e segurança do trabalho
 
1026 ergonomia e segurança do trabalho
1026 ergonomia e segurança do trabalho1026 ergonomia e segurança do trabalho
1026 ergonomia e segurança do trabalho
 
1026 ergonomia e segurança do trabalho
1026 ergonomia e segurança do trabalho1026 ergonomia e segurança do trabalho
1026 ergonomia e segurança do trabalho
 
16057022 1242681113ergonomia
16057022 1242681113ergonomia16057022 1242681113ergonomia
16057022 1242681113ergonomia
 
16057022 1242681113ergonomia
16057022 1242681113ergonomia16057022 1242681113ergonomia
16057022 1242681113ergonomia
 
1026 ergonomia e segurança do trabalho
1026 ergonomia e segurança do trabalho1026 ergonomia e segurança do trabalho
1026 ergonomia e segurança do trabalho
 
AULA_GRADUCAO_ERGONOMIA tst seguranca do trabalho
AULA_GRADUCAO_ERGONOMIA tst seguranca do trabalhoAULA_GRADUCAO_ERGONOMIA tst seguranca do trabalho
AULA_GRADUCAO_ERGONOMIA tst seguranca do trabalho
 
Ergonomia surgiu onde
Ergonomia surgiu ondeErgonomia surgiu onde
Ergonomia surgiu onde
 
Microsoft power point aula 1 de ergonomia.pptx
Microsoft power point   aula 1 de ergonomia.pptxMicrosoft power point   aula 1 de ergonomia.pptx
Microsoft power point aula 1 de ergonomia.pptx
 
Ergonomia e seguranca_industrial_aula_1
Ergonomia e seguranca_industrial_aula_1Ergonomia e seguranca_industrial_aula_1
Ergonomia e seguranca_industrial_aula_1
 
Conceito de ergonomia
Conceito de ergonomiaConceito de ergonomia
Conceito de ergonomia
 
Ergonomia seguradora cabeli análise das condições de trabalho márcia gor...
Ergonomia seguradora cabeli análise das condições de trabalho  márcia gor...Ergonomia seguradora cabeli análise das condições de trabalho  márcia gor...
Ergonomia seguradora cabeli análise das condições de trabalho márcia gor...
 
Trabalho de ltt ergonomia texto
Trabalho de ltt ergonomia textoTrabalho de ltt ergonomia texto
Trabalho de ltt ergonomia texto
 
119171129 1786.apresentacao1
119171129 1786.apresentacao1119171129 1786.apresentacao1
119171129 1786.apresentacao1
 
Ergonomia - Conceitos
Ergonomia - ConceitosErgonomia - Conceitos
Ergonomia - Conceitos
 
12 Nocoes ergonomia Construção Civil
12 Nocoes ergonomia Construção Civil12 Nocoes ergonomia Construção Civil
12 Nocoes ergonomia Construção Civil
 
ergonomia-aula-130408212502-phpapp02.pdf
ergonomia-aula-130408212502-phpapp02.pdfergonomia-aula-130408212502-phpapp02.pdf
ergonomia-aula-130408212502-phpapp02.pdf
 

Mais de Bolivar Motta

Tst mapa conceitual (organograma)
Tst   mapa conceitual (organograma)Tst   mapa conceitual (organograma)
Tst mapa conceitual (organograma)Bolivar Motta
 
Tst higiene ocupacional (extra)
Tst   higiene ocupacional (extra)Tst   higiene ocupacional (extra)
Tst higiene ocupacional (extra)Bolivar Motta
 
Tst higiene no trabalho (extra)
Tst   higiene no trabalho (extra)Tst   higiene no trabalho (extra)
Tst higiene no trabalho (extra)Bolivar Motta
 
Tst fundamentos dos processos de usinagem
Tst   fundamentos dos processos de usinagemTst   fundamentos dos processos de usinagem
Tst fundamentos dos processos de usinagemBolivar Motta
 
Tst fisiologia do trabalho
Tst   fisiologia do trabalhoTst   fisiologia do trabalho
Tst fisiologia do trabalhoBolivar Motta
 
Tst fisiologia do trabalho - eduardo c. batiz
Tst   fisiologia do trabalho - eduardo c. batizTst   fisiologia do trabalho - eduardo c. batiz
Tst fisiologia do trabalho - eduardo c. batizBolivar Motta
 
Tst ergonomia aula 6
Tst   ergonomia aula 6Tst   ergonomia aula 6
Tst ergonomia aula 6Bolivar Motta
 
Tst ergonomia aula 5
Tst   ergonomia aula 5Tst   ergonomia aula 5
Tst ergonomia aula 5Bolivar Motta
 
Tst ergonomia aula 4
Tst   ergonomia aula 4Tst   ergonomia aula 4
Tst ergonomia aula 4Bolivar Motta
 
Tst ergonomia aula 3
Tst   ergonomia aula 3Tst   ergonomia aula 3
Tst ergonomia aula 3Bolivar Motta
 
Tst ergonomia aula 2
Tst   ergonomia aula 2Tst   ergonomia aula 2
Tst ergonomia aula 2Bolivar Motta
 
Tst ergonomia - checklist
Tst   ergonomia - checklistTst   ergonomia - checklist
Tst ergonomia - checklistBolivar Motta
 
Tst ergonomia - checklist couto
Tst   ergonomia - checklist coutoTst   ergonomia - checklist couto
Tst ergonomia - checklist coutoBolivar Motta
 
Tst dst manual de bolso (extra)
Tst   dst manual de bolso (extra)Tst   dst manual de bolso (extra)
Tst dst manual de bolso (extra)Bolivar Motta
 
Tst dst 2 cartilha (extra)
Tst   dst 2 cartilha (extra)Tst   dst 2 cartilha (extra)
Tst dst 2 cartilha (extra)Bolivar Motta
 
Tst crime culp. x crime dolo.
Tst   crime culp. x crime dolo.Tst   crime culp. x crime dolo.
Tst crime culp. x crime dolo.Bolivar Motta
 

Mais de Bolivar Motta (20)

Tst mapa conceitual (organograma)
Tst   mapa conceitual (organograma)Tst   mapa conceitual (organograma)
Tst mapa conceitual (organograma)
 
Tst higiene ocupacional (extra)
Tst   higiene ocupacional (extra)Tst   higiene ocupacional (extra)
Tst higiene ocupacional (extra)
 
Tst higiene no trabalho (extra)
Tst   higiene no trabalho (extra)Tst   higiene no trabalho (extra)
Tst higiene no trabalho (extra)
 
Tst fundamentos dos processos de usinagem
Tst   fundamentos dos processos de usinagemTst   fundamentos dos processos de usinagem
Tst fundamentos dos processos de usinagem
 
Tst fratura
Tst   fraturaTst   fratura
Tst fratura
 
Tst fisiologia do trabalho
Tst   fisiologia do trabalhoTst   fisiologia do trabalho
Tst fisiologia do trabalho
 
Tst fisiologia do trabalho - eduardo c. batiz
Tst   fisiologia do trabalho - eduardo c. batizTst   fisiologia do trabalho - eduardo c. batiz
Tst fisiologia do trabalho - eduardo c. batiz
 
Tst ergonomia aula 6
Tst   ergonomia aula 6Tst   ergonomia aula 6
Tst ergonomia aula 6
 
Tst ergonomia aula 5
Tst   ergonomia aula 5Tst   ergonomia aula 5
Tst ergonomia aula 5
 
Tst ergonomia aula 4
Tst   ergonomia aula 4Tst   ergonomia aula 4
Tst ergonomia aula 4
 
Tst ergonomia aula 3
Tst   ergonomia aula 3Tst   ergonomia aula 3
Tst ergonomia aula 3
 
Tst ergonomia aula 2
Tst   ergonomia aula 2Tst   ergonomia aula 2
Tst ergonomia aula 2
 
Tst ergonomia - checklist
Tst   ergonomia - checklistTst   ergonomia - checklist
Tst ergonomia - checklist
 
Tst ergonomia - checklist couto
Tst   ergonomia - checklist coutoTst   ergonomia - checklist couto
Tst ergonomia - checklist couto
 
Tst epc - nr 06
Tst   epc - nr 06Tst   epc - nr 06
Tst epc - nr 06
 
Tst dst manual de bolso (extra)
Tst   dst manual de bolso (extra)Tst   dst manual de bolso (extra)
Tst dst manual de bolso (extra)
 
Tst dst 2 cartilha (extra)
Tst   dst 2 cartilha (extra)Tst   dst 2 cartilha (extra)
Tst dst 2 cartilha (extra)
 
Tst dst 1 cartilha
Tst   dst 1 cartilhaTst   dst 1 cartilha
Tst dst 1 cartilha
 
Tst curso cipa
Tst   curso cipaTst   curso cipa
Tst curso cipa
 
Tst crime culp. x crime dolo.
Tst   crime culp. x crime dolo.Tst   crime culp. x crime dolo.
Tst crime culp. x crime dolo.
 

Último

CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...wilkaccb
 
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptxAULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptxLanaMonteiro8
 
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptxaula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptxLanaMonteiro8
 
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01perfilnovo3rich
 
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...quelenfermeira
 
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso AutonomoFarmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso AutonomoPAULOVINICIUSDOSSANT1
 
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...Astrid Mühle Moreira Ferreira
 
SINAIS VITAIS guia prático do cuidador de idoso.pdf
SINAIS VITAIS guia prático do cuidador de idoso.pdfSINAIS VITAIS guia prático do cuidador de idoso.pdf
SINAIS VITAIS guia prático do cuidador de idoso.pdfJorge Filho
 
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptxanemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptxnarayaskara215
 
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptxSlides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptxsaraferraz09
 
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdfATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdfWendelldaLuz
 
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismoEscala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismoJose Ribamar
 

Último (12)

CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
 
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptxAULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
 
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptxaula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
 
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
 
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
 
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso AutonomoFarmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
 
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
 
SINAIS VITAIS guia prático do cuidador de idoso.pdf
SINAIS VITAIS guia prático do cuidador de idoso.pdfSINAIS VITAIS guia prático do cuidador de idoso.pdf
SINAIS VITAIS guia prático do cuidador de idoso.pdf
 
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptxanemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
 
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptxSlides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
 
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdfATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
 
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismoEscala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
 

Tst ergonomia aula 1

  • 2. Competências  Analisar riscos ergonômicos e propor soluções para a melhoria do ambiente e das condições de trabalho, visando eficiência, saúde e conforto do trabalhador.
  • 3. Cronograma - Ergonomia  Ergonomia – Histórico e Conceitos  Trabalho muscular – identificação das limitações do organismo humano  Atividade Mental – fadiga ocupacional  Ciclo Circadiano – Trabalho noturno e por turno  Sistema Homem - maquina  Antropometria e ambiente de trabalho  Ginástica Laboral  LER/DORT – gerenciamento  Fatores ambientais – ruído, vibração, temperatura, luz.  AET – Analise Ergonômica do Trabalho Técnico em Segurança do Trabalho
  • 4. Prevenção x Ergonomia  NR 9 – PPRA  NR 7 – PCMSO  NR 17 – ERGONOMIA = ADAPTAÇÃO
  • 5. Ciência Multidisciplinar Prevenção e adaptação  Engenharia  Fisioterapia  Arquitetura  Enfermagem  Educação física  Técnico em Segurança do Trabalho
  • 6. Objetivo da Ergonomia  Identificar os riscos Ergonômicos e propor soluções ergonômicas, baseadas na NR – 17, discutindo os principais conceitos, adaptando o trabalho ao homem, visando o conforto e o bem estar do trabalhador em seu ambiente de trabalho
  • 8. O que fazer para me tornar um ergonomista?  A profissão de ergonomista ainda não é regulamentada, por isso possui um caráter multiprofissional.  Segundo a ABERGO para ser Ergonomista e exercer a profissão será necessário fazer o curso de pós graduação lato sensu, de no mínimo 360 horas em uma universidade credenciada pelo Ministério da educação.
  • 9. Ergonomia  Mito 1 - Ergonomia trata do mobiliário Trocar mobiliário (sem considerar as demais determinantes do trabalho) é uma medida pouco efetiva. Ergonomia não é “CADEIROLOGIA”
  • 10. Ergonomia  Mito 2 - O equipamento ergonômico Não existe equipamento ergonômico. Existe equipamento adequado (ou não) ao trabalho a ser realizado. Ergonomia não é argumento de marketing !!!!
  • 11. Ergonomia  Mito 3 - O Ergonomista é um expert. Em uma ação ergonômica, o papel do Ergonomista é de construir, com os diferentes interlocutores, uma possível transformação do trabalho. Ergonomia não tira soluções da manga da camisa !!!!
  • 12. Enfoque da ergonomia Adaptação  Prevenção DORT/LER x Acidentes de trabalho Postura Repetição
  • 13. O que é acidente de trabalho?  Conforme dispõe o art. 19 da Lei nº 8.213/91, "acidente de trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa ou pelo exercício do trabalho dos segurados referidos no inciso VII do art. 11 desta lei, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte ou a perda ou redução, permanente ou temporária, da capacidade para o trabalho".
  • 14. Conceitos:  doença profissional, assim entendida e produzida ou desencadeada pelo exercício do trabalho peculiar a determinada atividade e constante da respectiva relação elaborada pelo Ministério do Trabalho e da Previdência Social;  doença do trabalho, assim entendida e adquirida ou desencadeada em função de condições especiais em que o trabalho é realizado e com ele se relacione diretamente.
  • 16. Ergonomia Os ergonomistas contribuem para o planejamento, projeto e a avaliação de tarefas, postos de trabalho, produtos, ambientes e sistemas de modo a torná-los compatíveis com as necessidades, habilidades e limitações das pessoas.
  • 17. NR17: Ergonomia  NR17.1 Esta Norma Regulamentadora visa a estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente.
  • 18. Ergonomia: Conceito  Ergo (grego) = trabalho  Nomos (grego) = leis / regras  Ergonomia = estudo das leis do trabalho Adaptação das condições de trabalho as características psicofisiológicas do ser humano (trabalhador).
  • 19. Ergonomia DESAFIO É adaptar as condições de trabalho ao ser humano e o comportamento humano ao trabalho
  • 20. Evolução do conceito de Ergonomia e Trabalho
  • 21. Evolução do conceito de Ergonomia e Trabalho  Máquina a vapor  Revolução industrial – século XIX  Taylor (especialista) e Ford (componente da maquina): racionalização do trabalho, linhas de produção – 1910.  Baixa qualidade e alta quantidade, trabalho pobre e padronizado.
  • 22. Surgimento da Ergonomia  II guerra mundial: conjugação sistemáticas de esforços entre tecnologia e as ciências humanas.  Inglaterra: termo ergonomia foi criado em Oxford (1949).  EUA: termo “human factors”, sinônimo de ergonomia.
  • 23. Surgimento da Ergonomia  Em 1961 na Inglaterra, foi criado a International ergonomics Association (IEA).  50 países fazem parte da IEA, incluindo o Brasil com a ABERGO (1983).
  • 24. Definições em Ergonomia  International Ergonominncs Association – IEA  Ergonomics Research Society – Inglaterra  ABERGO - Brasil A Ergonomia (ou Fatores Humanos) é uma disciplina científica relacionada ao entendimento das interações entre os seres humanos e outros elementos ou sistemas, e à aplicação de teorias, princípios, dados e métodos a projetos a fim de otimizar o bem estar humano e o desempenho global do sistema.
  • 25. Fases da Ergonomia  Primeira fase: referente às dimensões de objetos, ferramentas, painéis de controle, postos de trabalho em geral – área física.  Segunda fase: adequando o ambiente e as dimensões do trabalho ao homem – área física + ambiente.  Terceira fase: relacionado ao processo cognitivo do ser humano – psicologia.
  • 26. Ergonomia DesenvolvePesquisa Estuda Aplica Normas Organização do Trabalho Características psicológicas e físicas
  • 27. Tendências em Ergonomia  Ergonomia dos métodos e das tecnologias: “Americana”, centrada na continua adaptação da máquina ao homem.  Ergonomia na organização do trabalho: “Europeia”, estuda a inter-relação homem e trabalho (como ele sente/experimenta o trabalho).
  • 28. Abordagens em Ergonomia  Ergonomia de concepção: Planeja, estrutura e desenvolve todo o projeto de concepção a partir dos dados referentes ao ser humano (projeto).  Ergonomia de correção: Mais onerosa e menos eficiente, pois grande parte das modificações necessárias não são possíveis nesse momento (situação já existente)
  • 29. Abordagens em Ergonomia  Microergonomia: homem – tarefa – máquina (posto de trabalho)  Macroergonomia: identificar os aspectos envolvidos na organização do trabalho (ritmo operacional, carga de trabalho, pausas, jornada) Processo - Produto
  • 30. Áreas da Ergonomia De acordo com a IEA: Ergonomia física  Ser humano;  Máquina ;  Ambiente; Ergonomia cognitiva  Exigências mentais e intelectuais. Ergonomia Organizacional.
  • 31. Ergonomia Física  Preocupada com as características anatômicas, antropométricas, fisiológicas e biomecânicas do trabalhador.  Busca adequar as exigências do trabalho aos limites e capacidades do corpo, relacionamento físico entre homem-máquina. antropometria Fisiologia do trabalho Ambiente físico Medidas do corpo Espaço, biomecânica, consumo... Temperatura, ruído, vibração
  • 32.  O ser humano: características físicas, fisiológicas, psicológicas e sociais.  A máquina: equipamentos, ferramentas, mobiliário e instalações.  O ambiente: efeitos da temperatura, ruído, vibração, iluminação e aerodispersóides. Parâmetros estabelecidos previamente no PPRA – NR9 ≠ NR17 - Ergonomia
  • 33. Ergonomia Cognitiva  Relacionadas com processos mentais na execução do trabalho, tais como: percepção, memória, raciocínio e resposta motora. Carga mental estresse confiabilidade qualificação treinamento Tomada de decisão Interação homem-computador
  • 34. Ergonomia Organizacional  Otimização dos sistemas sócio-técnicos, incluindo suas estruturas organizacionais, corporativas e processo de produção e negócio. comunicação Gestão do trabalho Projeto participativo e cooperativo Tele trabalho Novos paradigmas do trabalho Organizações virtuais Trabalho em grupo Organização temporal do trabalho
  • 35. Qual é o papel do técnico em segurança do trabalho para melhorar a ergonomia?
  • 36.
  • 37. Não esqueça: A Ergonomia visa em 1° lugar: Saúde, segurança e bem – estar do trabalhador
  • 38. Por que usar a Ergonomia? Eficácia no trabalho Segurança no Trabalho Qualidade no Trabalho Diminuição de retrabalho Diminuição dos afastamentos por acidentes Aumento da produtividade